Agindo como advogado do PT, Dias Toffoli quer voto 100% eletrônico e “limite de doações privadas”

16
95

diastoffoli

Bolivarianos são previsíveis no que defendem. Ao contrário da maioria das pessoas, eles não pensam nos aspectos morais de suas propostas, mas apenas se elas servem para eternizar o PT no poder ou não. Sem nada de surpreendente, Dias Toffoli fez algumas declarações para deixar essa tese cada vez mais forte.

Sobre o financiamento privado de campanha, ele quer um limite. É o seguinte:

Acho que R$ 1 milhão [por ano] para uma empresa doar já é um valor extremamente generoso.

O curioso é que ele não fala em limite de R$ 1 milhão [por ano] para gasto com publicidade institucional. Você sabe que uma pessoa está com segundas intenções (ao falar de financiamento de campanha) quando ela não toca no assunto da limitação da publicidade institucional, que sempre serve unicamente ao partidão no poder, mas ataca os gastos privados de campanha, que podem ser úteis para lutar contra… o partidão no poder.

A fraude intelectual abaixo acaba sendo outra obviedade:

Pessoa jurídica não vota, por isso não deve doar. [Mas] O financiamento [exclusivo] por pessoa física ou por fundos públicos não tem maioria para ser aprovado.

Ué, se pessoa jurídica não vota, o estado vota? Pois ele defende financiamento por “fundos públicos”. É golpe.

Mais:

Tenho sugerido que se estabeleça limites de gastos igualitários para todas as candidaturas, além de limites para que uma empresa não possa doar, como há casos, mais de R$ 300 milhões em uma campanha. Todas as campanhas de 2014 receberam de empresas 76,47% [do valor arrecadado]. Na campanha presidencial essa porcentagem aumenta para 95%.

Perceba que até agora nada dele falar em limite para gastos com publicidade institucional, com verbas destinadas à BLOSTA, com uso político da Lei Rouanet, e com o financiamento de ONG’s que se fingem de “sociedade civil” para apoiar o governo. Simplesmente, ele silencia…

E tem mais, quando ele fala sobre o limite ideal de gastos para uma “campanha presidencial”.

Tenho sugerido que se estabelecesse R$ 100 milhões.

Sim, e enquanto isso o governo gasta 2 bilhões por ano com anúncios estatais. E outro valor considerável com publicidade institucional. Só com a campanha pelo “ajuste fiscal” (na verdade, propaganda petista disfaçarda) foram 40 milhões de dólares durante um mês. Contra isso, é claro, Toffoli fica de bico fechado.

Agora, mudando de assunto, veja o que Toffoli fala da impressão do voto:

Quando se concebeu a urna eletrônica, em 2005, a ideia foi acabar com a intervenção humana. A máquina deixa registro, a intervenção humana nem sempre deixa digitais. Ao se permitir que o eleitor pegue esse papel ou coloque numa urna, isso, sim, pode reintroduzir o elemento fraude na apuração das eleições. A reintrodução do voto impresso é um retrocesso no processo eleitoral.

Não, Toffoli, a reintrodução do voto impresso é um retrocesso para o Foro de São Paulo. Logo, um avanço. Como era de se esperar, ele diz que o voto impresso “introduz o elemento fraude na apuração”, mas não comprova como. Ao contrário, o elemento fraude é presente em todas as votações 100% eletrônicas. Uma prova disso é que ninguém seria louco de aprovar uma lei contra a emissão de recibos em papel de suas transações bancárias. Por que  não se faz isso? Por que é preciso de um registro adicional para evitar que, com transações unicamente eletrônicas, exista fraude. Bem é importante aqui que vocês tenham a noção do quanto eles se rebaixam para defender o indefensável.

Anúncios

16 COMMENTS

  1. Essa defesa apaixonada de Dias Toffoli pelo voto eletrônico revela bem o quanto as urnas eletrônicas são fraudadas e o quanto o mesmo quer que assim continue.

    Pois se não houvesse fraude ele e seus amigos petistas estariam dizendo “ok, voltem pro papel se acham que isso vai mudar algo”. Quem não deve não teme.

  2. Por favor, Toffoli, demonstre como ” Ao se permitir que o eleitor pegue esse papel ou coloque numa urna, isso, sim, pode reintroduzir o elemento fraude na apuração das eleições.”
    .
    Com ARGUMENTOS, se possível…
    .
    Bom, se você ficar sozinho com todas as urnas, aí, amigo, é só trocar pelas que você e seus “companheiros” prepararam previamente. Mas vai dar um trabalhão, né? Ou não?

    • http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/destruir-e-mail-sondas-pede-marcelo-odebrecht-na-prisao/
      ‘Destruir e-mail sondas’, pede Marcelo Odebrecht, na prisão (a seus “advogados”)
      Redação
      24 junho 2015 | 12:55
      PF apreende bilhete com presidente da maior empreiteira do País capturado na Lava Jato por suspeita de cartel e corrupção
      Marcelo Odebrecht na sexta-feira, 19, quando foi preso. Foto: Tiago Queiroz/Estadão
      Atualizada às 16h
      Por Julia Affonso, Fausto Macedo e Ricardo Brandt, enviado especial a Curitiba
      A Polícia Federal informou à Justiça ter apreendido, por volta de 10h da segunda-feira, 22, um bilhete manuscrito do empresário Marcelo Bahia Odebrecht, presidente da maior empreiteira do País, que seria entregue a seus advogados. O bilhete, segundo a PF, contém a expressão ‘destruir e-mail sondas’. Nesta quarta-feira, 24, a PF informou ao juiz Sérgio Moro, que conduz as ações penais da Operação Lava Jato, que “como de praxe as correspondências dos internos são examinadas por medida de segurança”.
      VEJA A ÍNTEGRA DA PETIÇÃO DA ODEBRECHT
      A PF copiou o bilhete. Na noite de ontem, 23, a própria defesa da empreiteira entregou petição a Moro em que apresenta sua versão para o caso.

  3. Será que esse “adevogado” do PT não sabe que QUALQUER sistema eletrônico é burlável??? Principalmente quando se tratam de urnas eletrônicas gerenciadas pela venezuelana SMARTMATIC, uma empresa conhecida por seus rolos e fraudes em outros países. Só o fato de parte do processo eleitoral estar nas mãos dessa empresa já seria motivo para suspeitar de falcatruas nas eleições.
    Eu insisto na mesma tecla, precisamos de uma liderança, de organização. Precisamos que pessoas com capacidade e conhecimento que se aliem contra o PT. Já vejo um esboço disso, com o Dalmo Arcosini, Beatriz Kicis e até o Marcelo do RevoltadosOnline.

  4. Dizer que o recibo aumenta risco de fraude é uma desonestidade inacreditável. Há dois métodos para forçar a compra de votos com o recibo: mandar alguém para ver em quem a pessoa está votando ou mandar tirar uma foto. Esses mesmos métodos já podem ser utilizados no atual sistema. Ou seja, o risco não aumenta em nada.

    Além disso, a militância dele contra o financiamento privado é incompatível com o cargo que ele ocupa. Se quer levantar bandeiras e lutar por elas, o lugar desse senhor definitivamente não é o STF. Cabe ao tribunal manter a isenção e discrição, e não agir invadindo a competência de outros poderes. Por que ele não se candidata a deputado de uma vez, já que parece que é isso que ele quer ser?

    Tudo isso mostra que embora o recibo tenha sido uma ótima inovação, um problema grave ainda permanece: a concentração de poderes do TSE. O órgão que julga não pode ser o mesmo que administra e nem que cria as normas. O sistema atual é digno de fazer Montesquieu se revirar no túmulo. O TSE é legislativo, executivo e judiciário ao mesmo tempo.

  5. o toffoli é legislador ou julgador ? nunca vi um parlamentar se meter no comportamento do judiciario, curioso que dos 11 ministros só ele se acha no direito de dar pitaco

Deixe uma resposta