Mesquinharia anti-religiosa: ATEA quer taxar igrejas. Mas ONG’s aparelhadas pelo PT que é bom, nada…

43
216

2730883_x720

A ATEA mais uma vez envergonha os ateus com uma atitude mesquinha, desonesta e, principalmente, preconceituosa, ao pedir taxação de igrejas. E por que isso é desonesto? Para entender a canalhice, basta estudarmos o artigo 150 da constituição, no qual essas figurinhas, mais esquerdistas do que ateístas, querem meter a mão:

Art. 150. Sem prejuízo de outras garantias asseguradas ao contribuinte, é vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios:

I – exigir ou aumentar tributo sem lei que o estabeleça;

II – instituir tratamento desigual entre contribuintes que se encontrem em situação equivalente, proibida qualquer distinção em razão de ocupação profissional ou função por eles exercida, independentemente da denominação jurídica dos rendimentos, títulos ou direitos;

III – cobrar tributos:

a) em relação a fatos geradores ocorridos antes do início da vigência da lei que os houver instituído ou aumentado;

b) no mesmo exercício financeiro em que haja sido publicada a lei que os instituiu ou aumentou; (Vide Emenda Constitucional nº 3, de 1993)

c) antes de decorridos noventa dias da data em que haja sido publicada a lei que os instituiu ou aumentou, observado o disposto na alínea b; (Incluído pela Emenda Constitucional nº 42, de 19.12.2003)

IV – utilizar tributo com efeito de confisco;

V – estabelecer limitações ao tráfego de pessoas ou bens, por meio de tributos interestaduais ou intermunicipais, ressalvada a cobrança de pedágio pela utilização de vias conservadas pelo Poder Público;

VI – instituir impostos sobre: (Vide Emenda Constitucional nº 3, de 1993)

a) patrimônio, renda ou serviços, uns dos outros;

b) templos de qualquer culto;

c) patrimônio, renda ou serviços dos partidos políticos, inclusive suas fundações, das entidades sindicais dos trabalhadores, das instituições de educação e de assistência social, sem fins lucrativos, atendidos os requisitos da lei;

d) livros, jornais, periódicos e o papel destinado a sua impressão.

e) fonogramas e videofonogramas musicais produzidos no Brasil contendo obras musicais ou literomusicais de autores brasileiros e/ou obras em geral interpretadas por artistas brasileiros bem como os suportes materiais ou arquivos digitais que os contenham, salvo na etapa de replicação industrial de mídias ópticas de leitura a laser. (Incluída pela Emenda Constitucional nº 75, de 15.10.2013)

É importante que você preste atenção à parte grifada para entender o nível da desonestidade.

Ali podemos notar que hoje é proibido instituir impostos sobre não apenas templos de qualquer culto, como também sobre entidades sindicais e ONG’s, entre as quais se inclui a ATEA. Logo, todas as entidades sem fins lucrativos e que recebem doações estão livres de impostos. A proposta safadíssima visa instituir impostos apenas sobre seus adversários religiosos, mas fica de bico calado diante das ONG’s, que são o maior problema de nosso país hoje em dia.

O objetivo da ATEA claramente não é justiça, mas, a partir de distinções de emergência moralmente criminosas, atacar um adversário político. Só poderíamos discutir eticamente uma proposta que ao mesmo tempo que pedisse impostos sobre doações de igrejas, fizesse o mesmo quanto às doações de todas as outras ONG’s e sindicatos. Mas como a ATEA não foi abrangente desta forma, limita-se a cometer um crime moral. Algo indigno e vergonhoso até dizer chega.

A estratégia por trás disso é bastante clara: o governo petista e seus aliados hoje precisam atacar a força das associações voluntárias de religiosos e, como tal, puni-las por sua prática, mas, ao mesmo tempo, dar vida boa aos que estiverem do lado do governo.

E por falar em imoralidade, há outra: cobrar impostos de doações que, como tal, são feitas de forma voluntária por cidadãos, é algo digno de ânsia de vômito.

Com uma proposta tão torpe, desonesta, fraudulenta, indigna e imoral, a ATEA segue como um ótimo argumento a favor de que os ateus precisam se desvencilhar de grupos neo ateus, quase sempre serviçais do esquerdismo mais extremista e sanguinário.

Anúncios

43 COMMENTS

  1. Sobre a imunidade tributária dos templos religiosos, o princípio que a fundamenta é bem simples. Segue aqui um texto resumido, mas esclarecedor, sobre o assunto (pesquei na Internet, mas infelizmente não sei o autor):

    “O neo-ateu é tão estúpido que não conseguer perceber que é justamente a laicidade do Estado o fundamento da imunidade tributária dos templos de QUALQUER CULTO, de modo que o Estado possa buscar a máxima neutralidade. Veja a Constituição:

    Art. 150. Sem prejuízo de outras garantias asseguradas ao contribuinte, é vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos
    Municípios:
    (…)
    VI – instituir impostos sobre:
    (…)
    b) templos de qualquer culto;
    (…)
    §4º – As vedações expressas no inciso VI, alíneas “b” e “c”, compreendem somente o patrimônio, a renda e os serviços, relacionados com as finalidades essenciais das entidades nelas mencionadas.

    O espertão nunca parou para pensar, mas a tributação existe no espaço dado pelas liberdades individuais e é o custo mesmo delas. Os templos religiosos são a corporificação da liberdade de crença, que é um desdobramento da liberdade de opinião, que é corolário da liberdade de consciência. E a liberdade de consciência existe num espaço que é imune à limitação e ao controle pelo Estado, o que quer dizer, no aspecto da tributação, uma intributabilidade absoluta – daí se falar em “imunidade tributária”. As imunidades tributárias do art. 150 existem para proteger os direitos e garantias fundamentais dos artigos 5º e seguintes.

    Isso parece “secular” o suficiente para os neo-ateus? Já entenderam que a imunidade tributária é uma garantia de um direito do indivíduo, e não um ajoelhar do “poder temporal” ante o “poder divino”?

    Os neo-ateus podem ser ruins de interpretação de textos sacros, mas acho que hermenêutica constitucional não é tão difícil, no caso – ainda mais tratando-se de normas-regras, e não de normas-princípios. A imunidade é restrita aos impostos (espécie do gênero “tributos”) e, ainda assim, limitada aos impostos que incidam sobre renda, patrimônio e serviços prestados pelo templo, DESDE QUE relacionadas a suas finalidades essenciais.

    Então, se a “igrejinha” tem funcionários, além de receberem todas as verbas trabalhistas e previdenciárias, a “igrejinha” recolhe à União todas as contribuições previdenciárias de custeio da Seguridade Social previstas na Lei nº 8.212/1991. Recolhe ao estado Taxa de Incêndio e, se mover ação contra alguém, Taxa Judiciária. Recolhe ao Município Taxa de Esgoto, Taxa de Coleta Domiciliar de Lixo e Contribuição de Iluminação Pública. Se qualquer dos entes intituir a famigerada Contribuição de Melhoria, pagará também. Isso vale para a igrejinha, a igrejona, a mesquita, a sinagoga, o centro espírita, o terreiro de umbanda ou de candomblé…

    Dois últimos detalhes. Em primeiro lugar, a referência a templos “de qualquer culto” vai além da retórica do “não diferenciar as crenças”; chega à não-interferência ECONÔMICA em religiões que são diferentes também no que tange à PUJANÇA ECONÔMICA. Se o Município pudesse cobrar IPTU da Igreja Católica ou da Assembléia de Deus porque essas “são ricas” mas não pudesse fazê-lo em relação ao terreirinho de candomblé da esquina e à pequena Igreja pentecostal da periferia porque essas “são pobres”, acabou a laicidade do Estado. Já houve uma escolha.

    Em segundo lugar, o mesmo Estado que está proibido de cobrar impostos está também proibido de conceder subvenções.

    Esse papinho de criticar a ‘não tributação da fé’ não cola.”

    • Da mesma forma a não tributação beneficia as igrejas grandes como as neopentecostais e católica.

      Uma bandeira mais pragmática seria a aplicação do artigo 171 para as igrejas que fazem pressão por doações prometendo que isso lhes gerará vantagens como a casa própria ou o fim de doenças… Isso já é feito em diversos países e mantém a laicidade do estado protegendo as vítimas desses predadores, que atacam justamente quem está em situação difícil e não consegue se preservar.

      ps: neo- ateu é um termo que não existe, assim como neo-liberal. Não vamos cair no lugar comum de criar termos novos para segregar e atacar.

      • Da mesma forma a não tributação beneficia as igrejas grandes como as neopentecostais e católica.

        Falso. A não tributação é um princípio ético para todos recebedores de doações. A preocupação com o “tamanho” dos beneficiários da doação é uma preocupação de socialistas, e, como tal, imoral.

        Uma bandeira mais pragmática seria a aplicação do artigo 171 para as igrejas que fazem pressão por doações prometendo que isso lhes gerará vantagens como a casa própria ou o fim de doenças…

        Besteira. Seria imoral da mesma forma.

        A pergunta é uma só: existiu coerção física? Sim ou não. Coerção física envolve ameaça de prisão, apontamento de arma, etc… que é exatamente a coerção feita pelo estrado para obter impostos.

        Se não existiu coerção física, não há nada a fazer.

        Isso já é feito em diversos países e mantém a laicidade do estado protegendo as vítimas desses predadores, que atacam justamente quem está em situação difícil e não consegue se preservar.

        “Quem está em situação difícil e não consegue se preservar” ainda pode escolher doar ou não.
        Sua mente parece não compreender esta obviedade.
        Ninguém é vítima se não for objeto de COERÇÃO FÍSICA.
        E quanto a coerção psicológica? Bobagem. Você mesmo está usando truques de coerção psicológica, e nem por isso você deve pagar impostos diferenciados. Você pode ser refutado. É o que estou fazendo.

        ps: neo- ateu é um termo que não existe, assim como neo-liberal. Não vamos cair no lugar comum de criar termos novos para segregar e atacar.

        Acho que você não percebeu que está em um blog de refutador de fraudes intelectuais. Alias, por que você acha que este blog se chama CETICISMO Político?

        Enfim, aqui está a refutação à sua rotina:

        http://www.amazon.com.br/New-Atheism-Taking-Science-Reason-ebook/dp/B002MUC48W/ref=sr_1_10?ie=UTF8&qid=1435075964&sr=8-10&keywords=the+new+atheism

        Livro sobre neo ateísmo escrito por um neo ateu, reconhecido entre seus pares.

        A pergunta é:

        Há diferença entre um ateu que defende o direito de não crer e um ateu que milita CONTRA a existência e os direitos dos religiosos?

        Sim, há.

        Então para cada comportamento humano distintivo, NATURALMENTE surgiria uma definição.

        Neo ateísmo é o nome dado a movimentos desonestos como ATEA, que se valem de guerra de classes (aqui entre religiosos e ateus) para obtenção de benefícios políticos.

        É claro que vocês não querem ser identificados, pois querem ficar “colados” ao resto dos ateus. É o truque de se “infiltrar na multidão”. Não te serve mais.

        Abs,

        LH

    • “ps: neo- ateu é um termo que não existe,”

      Hahahahahahahaha, o elemento vem falar isso logo nesta página.
      Tem nego que parece que cai de paraquedas aqui, pqp.

  2. Na boa, antigamente até achava interessante algumas coisas que essa página postava, mas ultimamente só tá me dando nojo.

    Cara, Igrejas são organizações sem fins lucrativos. “mimimi, mas dão lucro”. TODAS as organizações sem fins lucrativos são lucro ao seus memmbros. A diferença é que supostamente ongs deveriam viver de doações voluntarias. O que é mentira. Para as igrejas isso é até verdade, mas as ongs esquerdistas vivem as custas DO MEU DINHEIRO, e de todos os demais pagadores de impostos.

    Até hoje, toda vez que eu questionei esses qualquer pessoa falando isso, e postando links de leis das ongs que as isentavam de impostos, SEMPRE me deixaram no vacuo, enm ao menos me responderam. Ai vc vê né ¬_¬

    ps: alias, eu começei a tomar essa atitude com feminazis. Eu propunha o seguinte desafiou: me prove que as mulheres tem menos direitos que os homens. Me prove postando o link de uma lei que seja que diga isso, que eu viro feminista AGORA. Impressionante como as feministas raivosas simplesmente somem do mapa e nunca mais respondem seu comentário depois dessa hahah

  3. A atea nunca representou os ateus.Na verdade, não passam de um bando de neo-ateus que só sabem bajular Dawkins, Hitchens ou outra celebridade ateísta e que vivem falando do caso Datena (sim, até hoje eles falam nisso).Até hoje eu dou risadas de um texto do site, que diz que o mundo está evoluindo porque antes acreditavam em muitos deuses e hoje só acreditam em um (logo, a conclusão é que futuramente não vão acreditar em nenhum).

    Além disso, como nós sabemos, o ateísmo defende que a pessoa seja, antes de tudo, um livre pensador.e a atea está longe de ser isso.

    Felizmente, a maioria dos ateus vêem a atea como ela é.Uma piada (não é à toa que o sujeito da foto volta e meia está no programa da Luciana Gimenez -na maior parte das vezes fazendo papel de trouxa e criando mais preconceitos contra nós, ateus-).

    É como disse um dos comentaristas do ceticismo.net:

    “O Datena não tem esse poder, mas se formos depender do discurso do Sottomaior, os ateus vão ser atacados com lâmpadas fluorescentes.na rua.”

    Bom, mudando de assunto, seria interessante você escrever um texto sobre essa campanha (digo isso porque você teve uma ótima campanha com o seu livro):

    http://www.kickante.com.br/campanhas/conclave-de-oslo-pela-democracia-participe

    Abraços!

  4. Luciano e outros que aqui estão, o Terça Livre acabou de realizar um hangout sobre cotas parlamentares para mulheres simplesmente ótimo. O grande da coisa, aqui considerando o xeque-mate que se deve fazer a marxistas-humanistas-neoateístas para que o discurso seja passado adiante sem eles poderem ficar impedindo na base do grito e da interdição, foi o de ter sido tocado por quatro mulheres:

    http://www.youtube.com/watch?v=CQdqwzKzba8

    Logo, e pelo conteúdo por elas relatado, tira-se também qualquer moral de feministas e seus acólitos “feministos” (que sequer são bem-vindos por elas) de dizerem o que mulheres devem ou não fazer. Destaque para o relato sobre o homem indiano que fez mais pelas mulheres do que qualquer grupo feminista na história ao criar um absorvente íntimo barato.

  5. Fernando

    Meio exagerado, não?

    Não. Acho que fui até “light” demais diante de tamanha desonestidade.

    Voltando ao ponto, ONG’s nem de perto são o maior problema do país, e talvez numa lista não apareceria nem num TOP 10 ou 50. Mas diante de toda lei sempre cabe a pergunta: por que eles, por que eu?

    Na questão de RECEBIMENTO DE BENEFÍCIOS DO ESTADO, sim, ONG’s são um problema muito maior do que as igrejas. Primeiro que muitas doações das ONG’s são resultantes da VIOLÊNCIA ESTATAL, e não de DOAÇÕES VOLUNTÁRIAS.

    É uma questão moral…

    Ainda que seja melhor um Estado Menor, uma legislação que cobre impostos de todos me parece melhor que aquela com listas de exceções.

    E a proposta da ATEA só faz manter a lista de exceções, lançando o PRECONCEITO contra religiosos…

    Seria como pedir taxação de doações recebidas por gays, por exemplo. Seria preconceituoso da mesma forma.

    Muitas vezes tratamos a política do mesmo modo que Marx tratava a economia, como se ela estivesse em tudo.

    Hmm…. vamos ver.

    Não sei se a ATEA apoia o PT ou políticas de esquerda e nem me interessaria nisto. Algumas vezes uma visão é só uma visão. Não um partidarismo político.

    Entendi.

    Esse seria o argumento da ignorância de redenção. Uma vez que não há provas 100% cabais de que uma pessoa pensa em beneficiar um lado, ela poderia EXECUTAR AÇÕES PARA BENEFICIAR UM LADO e se veria livre de críticas?

    A meu ver, essa é uma visão absurda.

    Sottomaior já tem idade suficiente para entender o ambiente político. Alias, ele já participou de vários eventos com políticos de PSOL e coisa do tipo. Então conhece o jogo e sabe QUEM SE BENEFICIA com uma açaõ preconceituosa dessa.

    E mesmo que, em uma hipótese absurda, ele NÃO SOUBESSE, seria um AGENTE INADVERTIDO, o que não mudaria nada.

    A melhor forma de avaliar os lados em uma guerra é “A QUEM SEUS ESFORÇOS SERVEM”.

    Abs,

    LH

    • Concordo, ela é parcial. A ATEA é um órgão militante e está fazendo o jogo dela.

      E, como tal, pode ser JULGADA durante o jogo…

      O interessante é que ela está tocando num ponto que ao todo não me parece ruim. Há exceções na constituição! Elas são justas?

      “não me parece ruim” é uma opinião, NÃO UM ARGUMENTO.

      Er…. uma das coisas ensinadas inclusive pela STR é o DUELO CÉTICO, onde os debatedores andam com guias de falácias em mãos.

      Sim, a discussão é moral. Médicos pagam impostos, químicos, juízes, policiais… quais são “menos” importantes?

      Falsa analogia.

      Todas as categorias profissionais pagam impostos ao VENDEREM SERVIÇOS. Estamos falando de doações…

      Não sei se estamos olhando para a provocação da ATEA do mesmo modo.

      Isso se chama viés…

      Por isso é ideal que os debatedores encarem um ao outro com foco em tirar as falácias da frente…

      Se uma ONG de Gays deveria pagar imposto? Por que não!?

      Falso!

      Se uma organização heterossexual pede que ONG’s de gays paguem impostos, MAS NÃO as ONG’s de heterossexuais, esta é uma proposta preconceituosa?
      Sim, pois em SITUAÇÕES IGUAIS pede um TRATAMENTO DIFERENTE.

      Por isso, a proposta da ATEA é PRECONCEITUOSA contra religiosos.

      Não. Não busco redenção alguma, não estou preso ou subjugado.

      Você está advogando pela ATEA, e quer redimi-los tentando provar a inocência deles em relação à guerra política. Eu mostrei por que o discurso não vale.

      Ao contrário, expus uma ignorância minha, uma falha, aceito que possa estar errado. A questão não sou eu. A discussão não é pessoal.

      A questão é uma proposta imoral feita pela ATEA. Eles devem ser expostos por isso. Você falou de uma suposta ignorância DA ATEA, para que a análise não fosse feita pelos princípios da guerra política. Sorry…

      Ainda que Sottomaior tenha mais que idade, tenha consciência ou pior esteja em conluio com as forças de esquerda. Ainda sim, a discussão se mantém.

      Deve ser mantida e escrutinada.

      Há exceções na lista de imposto. No passado a lista fazia sentido, ela ainda faz sentido hoje? Fará sentido para o país de amanhã ou para o país que queremos? Quais são os argumentos?

      A proposta da ATEA é que propõe uma EXCEÇÃO somente para religiosos, mas não pede cobrança de impostos sobre organizações que recebem doações se elas NÃO FOREM de religiosos. Preconceito.

      O ponto central é que neste processo se confundem política com poder. E para testar forças ou enfraquecer um lado defendem posições irracionais, contraditórias e contrárias às próprias raízes ideológicas.

      Por isso é que estou com o guia de falácias em mãos…

      Por fim, é mais difícil e necessário atacar a questão com contra-argumentos ou esclarecimentos que emanam da própria questão. Atacar o interlocutor ou “matar o mensageiro” é tampar o sol com a peneira ou quer vencer no grito.

      Por isso, repito, vamos para o duelo cético.

      Para mim e acredito que também para você, existem várias falhas na constituição brasileira. Uma parte dela está em pauta. Simplesmente desmerecer quem levanta a questão por este pertencer a um determinado espectro político não é suficiente. Precisamos cada vez mais de argumentos, não de sentimentos.

      Então em queria ver seu argumento EM FAVOR da proposta da ATEA. Eu apresentei os meus argumentos CONTRA.

      E você disse “não me parece”. Isso é um argumento emocional, irracional, e não um silogismo válido.

      Abs,

      LH

    • “Não sei se a ATEA apoia o PT ou políticas de esquerda e nem me interessaria nisto.”

      Deveria se interessar, e muito. Gente que está usando o SEU dinheiro, que você paga com impostos, para arrancar mais dinheiro ainda para si próprio e deixar o partideco que defendem roubar a vontade.

      Insana e infantil essa ingenuidade.

  6. Olha, sou ateu e não posso evitar me sentir incluído quando fazem comentários generalistas sobre ateus.

    Meus comentários sobre a o texto são:

    1- A ATEA não representa os ateus, até porque a única coisa que une os ateus é a falta de crença em qualquer deus. Escolhas políticas e morais não tem nenhuma ligação com ateísmo.

    2- A ATEA erra, e erra feio, ao defender impostos para igrejas e somente igrejas. Isso é óbvio e, devido ao 1, não representa a vontade dos ateus como um todo.

    3- O autor afirma que ONGs são o maior problema do Brasil hoje em dia. É uma afirmação complicada que deveria ter sido abordada de forma mais aprofundada.

    4- O autor poderia melhorar o texto incluindo comparações sobre como ocorre a relação igrejas-impostos em países liberais. Sabe-se, por exemplo, que igrejas recebem impostos em países como Dinamarca, Áustria, Suíça, Suécia e Finlândia.

    • 1 – Sim, a ATEA não representa todos os ateus. Não me representa, inclusive.
      2 – Exato.
      3 – Uma ONG tende a receber verba pública em forma de doação. É uma verba imoral. A Igreja não recebe verba pública.
      4 – Esses países citados tem tido muitos movimentos anti-religiosos (neo ateísmo, inclusive) e, portanto, não são boas fontes para políticas públicas.

      • 3- O problema não é a existência de ongs, igrejas ou até mesmo sindicatos (veja bem, uma coisa são sindicatos que existem porque o governo regulou que eles devem existir e devem receber dinheiro, outra coisa são sindicatos formados livremente por profissionais, com receita própria e sem poder de lobby). O problema é o dinheiro público, que não deve ser aplicado em qualquer uma destas instituições. A ATEA fala coisas erradas e isso acaba ofuscando o tema.
        4- Eu poderia incluir a Itália na lista, que é um país bastante religioso – e lar do Vaticano.

        Sem mais, abs.

      • Acho que o que está fugindo ao entendimento dos que estão postando nesse blog é o fato de que não conhecem o sistema de guerra política. O Luciano é um liberal/conservador (ele segue o paradigma neo-iluminista, baseado no iluminismo britânico, que era modificador da sociedade, porém conservador no sentido real de conservador, que é pautar na prudência as ações políticas), e, portanto, é contra impostos injustos. Nesse caso, o questionamento dele foi para mostrar as incoerências do discurso da ATEA.

        Outro fato interessante a pontuar é o que Luciano já conhece o modus operandi da ATEA de muito tempo, basta colocar ATEA nas buscas.

  7. a verdade eh que qualquer um que enriqueca com doacoes estah errado.
    tanto ONGs quanto igrejas.
    tinha que se tributar todas as organizacoes que dao lucro.
    as igrejas que dao lucro, as grandes, com pastores milionarios, deveriam pagar muito de imposto.
    as menores, que nao lucram nada e apenas se sustentam, como deveria ser, nao devem pagar nada.
    do jeito que estah, as igrejas sao apenas instrumentos de concentracao de renda.
    eh realmente uma questao moral.
    pastores enriquecendo e com igrejas excepcionalmente lucrativas, ateh mais do que bancos.

    • É que você é socialista, então não tem uma percepção moral adequada.

      Vejamos:

      a verdade eh que qualquer um que enriqueca com doacoes estah errado. tanto ONGs quanto igrejas.

      É o exato oposto. Quem recebe sua verba a partir de interação voluntária SEMPRE ESTÁ em patamar moral SUPERIOR a quem recebe verba por coerção.

      O estado, e o socialismo em si, é inerentemente imoral.

      Há mais chances de uma ONG receber verba obtida pela violência coercitiva do estado do que uma igreja. Logo, livrar ONG’s e cobrar impostos de igrejas é AINDA MAIS IMORAL.

      Se o recebedor de doações recebe muitos impostos, isso é IRRELEVANTE. O que importa é como esses recursos foram obtidos.

      tinha que se tributar todas as organizacoes que dao lucro.

      Ou seja, a imoral proposta socialista de aumentar o uso de violência estatal para obter dinheiro sujo (o dinheiro de impostos).

      as igrejas que dao lucro, as grandes, com pastores milionarios, deveriam pagar muito de imposto.
      as menores, que nao lucram nada e apenas se sustentam, como deveria ser, nao devem pagar nada.

      Típico socialismo imoral e totalitário de sempre.

      do jeito que estah, as igrejas sao apenas instrumentos de concentracao de renda.

      Irrelevante. Não obtem sua verba via coerção estatal. Ademais, o estado inchado concentra muito mais renda do que qualquer igreja. Reduzir a concentração de renda do estado você não quer né…

      Espertão. Mas aqui não passa o truque…

      eh realmente uma questao moral.

      E é fácil demonstrar que você tomou o lado da imoralidade.

      pastores enriquecendo e com igrejas excepcionalmente lucrativas, ateh mais do que bancos.

      E, mesmo assim, jamais conseguirão ser imorais tanto quanto as intervenções violentas socialistas, que só dependem de verba obtida por meio da violência, da tirania, do autoritarismo….

      Como eu disse, é uma questão de ESCOLHA.

      Nenhuma doação deve ser taxada.

      Mas podemos considerar o caso de ONG’s, independente do tamanho, que recebam VERBAS PÚBLICAS, obtidas via coerção estatal, e, como imorais que são, deveriam ser usadas no máximo em benefício dos pagadores de impostos.

      • Discordo frontalmente.
        Organizações sem fins lucrativos não devem ser taxadas.
        Mas as que obtem lucro, sim.
        Igrejas e Ongs são o negócio da China.
        Se um modo é mais imoral que o outro, tanto faz. São imorais.
        Tais líderes religiosos apenas se beneficiam dos ignorantes, vendendo o que não são, ou seja, enganando.
        Não importa se são igrejas ou ongs.
        O que não são realmente é uma organização sem fins lucrativos.
        Portanto mentem. Mais ou menos que o governo? Mentem.

      • Torreal
        Discordo frontalmente.
        Organizações sem fins lucrativos não devem ser taxadas.
        Mas as que obtem lucro, sim.

        Qual o lucro das instituições que você quer atacar. Me passe os dados, por favor.
        Igrejas e Ongs são o negócio da China.
        Se um modo é mais imoral que o outro, tanto faz. São imorais.

        Isso se chama o TRUQUE da equivalência moral. Existe uma diferença entre uma rusga com um vizinho por divergências por futebol, e a rusga com outro por que ele quer estuprar sua esposa. Observe o aspecto da COERÇÃO…
        Tais líderes religiosos apenas se beneficiam dos ignorantes, vendendo o que não são, ou seja, enganando.
        Não importa se são igrejas ou ongs.

        E quando você usa os jogos retóricos, o que você faz? SE BENEFICIA de ignorante em prol de seus líderes? Nem por isso devemos taxar suas doações a esses líderes socialistas.
        O que não são realmente é uma organização sem fins lucrativos.
        Portanto mentem. Mais ou menos que o governo? Mentem.

        Equivalência moral de novo?
        Caramba…
        A cosmovisão socialista realmente não compreende questões morais.

    • A profissão de caminhoneiro tem muito mais stress e desgaste do que aparenta.As vezes eles tem que dirigir por dias direito sem dormir.
      Concordo com o vídeo mas o certo mesmo é privatizar tudo e qualquer um bota o seu filho na escola que quiser.E sem MEC pra impôr o que os outros tem que ensinar.

  8. Nossa, que insano. Fico abobado com a ingenuidade de vocês. São mais coroínhas do que os coroínhas religiosos.
    Cacete, não entendeu que essa porra dessa ATEA está querendo cobrar impostos de igrejas mas não de ONGs e afins do governo petista, inclusive deles próprios? O que o Luciano fez foi mostrar que eles estão atacando só UM ponto, sendo que esse ataque valeria pra eles próprios.

    Olha, me sinto explicando pra uma criança de 2 + 2 é igual a 4.

    • A cegueira ideológica do ateísmo militante é assustadora. Não conseguem ver um palmo na frente deles, até mesmo para combater o inimigo em comum (no caso se forem neo-ateus direitistas, uma minoria entre neo-ateus).

    • Começou a palhaçada, então vou te refutar ponto a ponto, para acabarmos com esse cirquinho.
      É interessante vê-lo fugir das questões. Posso resumir tudo que foi dito por mim como uma opinião e pronto? E magicamente qualquer questionamento se esvai?
      Desculpe-me, mas um “me parece que” ainda será uma opinião. Questões complexas também são uma forma de falácia. Ou você apresenta argumentos, ou não apresenta. Se eu tiver argumentos, você deve refutá-los.
      Ou ainda, opiniões contrárias às suas são necessariamente danosas à segurança do país, imorais, mesquinhas, patéticas, falsas, bolivarianas?
      Desonestidade. O fato é que Malafaia tem opiniões contrárias às minhas, mas não são de extrema esquerda. As opiniões da ATEA, por outro lado, são, nesse caso, de extrema esquerda…
      Seu truque: fingir que eu ataco TODOS os discordantes, quando é fácil provar que isto não ocorrer. Como os participantes daqui verão, estou usando puramente a lógica.
      Repito, existem exceções na lei, que favorecem determinados grupos. Simplesmente questionar tais exceções não é a princípio fazer parte de um determinado espectro político. Isto é absurdo.
      Espantalho. Não estamos falando de “questionamento à exceções na lei”. Estamos falando de ADIÇÃO de uma “exceção na lei de forma preconceituosa”.
      Descartar a posição de alguém simplesmente pelo interlocutor pertencer ao grupo A ou B ainda não desvalida sua posição, ainda mais quando a mesma é feita de forma como um questionamento.
      Espantalho. O argumento da ATEA foi desqualificado por ser ruim. O viés do owner da ATEA é apenas um fator adicional para a análise POLÍTICA da questão. Sua análise é estúpida e irracional, pois não leva em conta que neste blog são feitas análises políticas e argumentativas ao mesmo tempo, com foco nas primeiras.
      Caso contrário, seu comportamento se aproxima de figuras profundamente democráticas como Stálin ou Fidel. Há democracia? Claro, todo mundo tem o direito inalienável de sempre concordar com as determinações do partido – que de tão plural é único.
      Truque idiota, que não enganará nenhum leitor aqui. Apontar tanto a argumentação como o viés de alguém que lança fraudes em debate não tem nada a ver com “Fidel e Stalin”.
      Outro truque teu é fingir que eu estou querendo IMPEDIR que a ATEA promova sua proposta preconceituosa. Em nenhum momento falei qualquer coisa a esse respeito.
      Mas a lei permite que eu pratique medicina, aceitando doações sem pagar impostos? Quais profissões eu poderia alegar que por receber doação não poderia ser cobrado imposto?
      Mudança de modo. Estratagema erístico bem óbvio.
      Ninguém está falando em profissionais venderem serviços SOB FORMA de doações. Mas sim de organizações orientadas a dependerem de doações. E, nesse caso, como mostrei, TODAS essas organizações estão isentas. Logo, é a ATEA que quer uma exceção.
      A lei logo não deveria se intrometer nas doações recebidas pelo PP, PMDB, PT e PSDB das várias estatais do país.
      Moralmente, não deveria mesmo. A intromissão é mais uma mania totalitária da esquerda.
      Através das doações posso comprar programas de TV, canais abertos e fechados, rádios, fazendas, prédios, carros, bens de altíssimo luxo, viagens internacionais, empresas e bens em outros países.
      Pode comprar até uma empresa. Empresa esta que vai pagar impostos. A Record paga impostos tanto quanto a Globo. Mas não faz sentido cobrar doações da igreja em si. É fácil te derrubar pois você já parte de uma base imoral…
      Mas o maior problema do país é quando as doações são feitas aos seus opositores políticos? Quando as doações são feitas às organizações sociais como MST, MTST, ONG’s progressistas, ao Instituto Lula e correlatos são afrontosas aos bons costumes?
      Em que momento eu disse que há um problema apenas por serem opositores políticos.
      Vamos ensinar ao sujeito aqui o que é debate moral.
      1 – Obter verba de doação tem um valor moral. Que é neutro.
      2 – Obter verba por coerção (violência) é inerentemente imortal.
      3 – ONG’s aparelhadas recebem doações do governo, logo, uma verba imoral. Se recebessem apenas verbas não estatais não haveria problema…
      4 – Igrejas receberem doações do tipo (1)
      5 – Moralmente, uma ONG que recebe doação de governo é um problema moral mais grave que uma igreja que recebe doação voluntária
      Agora, se você não compreende a ética neste nível, então usa a cosmovisão socialista, a qual, como sabemos, NÃO AGUENTA SEGUNDOS em qualquer debate moral.
      Mas quando são feitas doações a grupos poderosíssimos, transnacionais, riquíssimos, com bancadas políticas eleitas, com poderes políticos, econômicos e religiosos tais doações não são imorais?
      A pergunta é uma só: a doação veio por coerção ou não? No caso de ONG’s, por em muitos casos ser dinheiro público, sim. É imoral. No caso de igrejas ou diversas outras organizações filantrópicas, não.
      A quantidade de dinheiro obtido de doações é IRRELEVANTE.
      Da mesma forma que um sujeito seduzir 1.000 mulheres é mais moral do que outro sujeito estuprar 10. No primeiro caso, não há coerção. No segundo, há.

      O ponto central repito não é esse maniqueísmo entre eles e nós.
      Há um maniqueísmo entre quem defende coerção e quem não defende. Há maniqueísmo entre estuprador e sua vítima. O que vemos é uma proposta preconceituosa que ataca recebedores de doações que NÃO USAM COERÇÃO, ao mesmo tempo que nada é dito sobre recebedores de doações que USAM COERÇÃO.
      Sim, estamos em pólos opostos.
      O ponto central é qual o país queremos e quais leis são válidas, quais são compatíveis com nosso entendimento atual, quais queremos manter ou ainda por que?
      Engraçado que até agora você nem disse “o país que quer” ou “as leis que quer”, pois caso contrário seu viés ficará evidente.
      Simplesmente apontar o dedo para Sottomaior e classificá-lo como de esquerda não é o suficiente para desmerecer qualquer proposta política que ele possa fazer.
      Não é mesmo. Melhor refutar a proposta e demonstrá-la COMO IMORAL mesmo se fosse apresentada pelo meu pai. E fiz essa refutação.
      Você mente ao dizer que este é “único motivo para rejeitar” a proposta.
      Talvez, tal recurso funcione quando sua platéia é simpática, ordeira, bovina até.
      Meus leitores são críticos, questionadores e CÉTICOS e não caem em truques de inchadores de estado. Acho que você bateu em uma quitanda que não vai te atender.
      Nem tão pouco mostrar a constituição e gritar “ele quer alterá-la”. Ora, alterar a constituição queremos eu e você. Isto não depõe contra alguém.
      Fraude intelectual. Não disse que “algo está na constituição, tem que ficar”. Mostrei a constituição para mostrar que a estrutura da lei ABRANGE TODAS as organizações que recebem doações. Mentir é feio.
      Pois se aceitarmos que doações são formas de transferência de recursos isentas de imposto, então, o mesmo deve valer para todos, inclusive para aqueles que de alguma forma nos opõe politicamente ou de alguma forma nos desagradam.
      Em que momento disse algo em contrário?
      Mas há uma diferença moral entre ONG’s que dependem de dinheiro obtido via coerção e entidades que não dependem de dinheiro obtido via coerção.
      Mas por alguma razão, ao senhor é legítimo doações isentas de impostos às igrejas, porém as doações feitas às ONG’s “são o maior problema de nosso país hoje em dia”.
      Já expliquei o motivo anteriormente. Não preciso repetir o silogismo.

      O problema é quando os debatedores estão sistematicamente produzindo novas falácias, quando são falsos não apenas em relação aos seus debatedores mas quando passam a negar às suas próprias crenças pessoais. Quando não há interesse pela verdade, apenas por uma suposta vitória retórica.
      Tuas identificações de falácias se basearam todas em espantalhos, como mostrei. O interesse aqui é a verdade .
      Tanto que no caso de dinheiro estatal, eu defendo que SEJAM PROIBIDAS doações de dinheiro público. A partir daí, se você quiser doar milhões para uma ONG socialista, não tenho nenhuma reclamação a fazer. Motivo: estou em busca de uma lei moral e discutida racionalmente, ao contrário da ATEA, que quer criar exceção de forma preconceituosa.
      Falso? O senhor criou uma situação, na qual eu prontamente respondi e quer atribuir a mim a falta de isonomia em outros casos que não foram postos em debate? O senhor não me perguntou se uma ONG heterossexual deveria pagar imposto. A resposta seria a mesma: devem!
      Espantalho. O que eu disse é que, existindo regras para permitir que todas as classes de pessoas possam receber doações e serem isentos, será preconceito criar uma regra de exceção PARA UMA CATEGORIA ADVERSÁRIA. Isso é ridículo e imoral até dizer chega.
      A questão mais grave, para uma ONG aparelhada, não é o imposto que ela recebe, mas a verba estatal que é cedida a ela. Por isso, ela pode desperdiçar mais.
      Por isso, a única alternativa moral é proibir doações de dinheiro público, e daí manter todos isentos.
      Não, não. Não me venha com esta. Não me venha acusar de defender ATEA e fingir que não entende o que estou dizendo.
      Eu fui bem detalhado, e você tentou diversos enrolations para esconder o preconceito e a deslealdade da ATEA.
      Não estou defendendo a ATEA. Ao contrário, estou falando que sua visão tem se mostrado estreita, maniqueísta.
      Ao contrário, sua visão que é desonesta, falaciosa e que depende da distorção de tudo que eu escrevi. Meu argumento é claro e se baseia em
      (1) Discussão da moralidade de tipos de recebimento de verbas de doações
      (2) Discussão da moralidade de taxação de exceções nos casos tratados em (1)
      Você não discutiu ponto algum do que falei e distorceu, com mentiras como
      – dizer que eu quero taxar inimigos, mas liberar outros
      – dizer que eu quero censurar argumentos divergentes, quando na verdade só critico os erros lógicos e morais destes argumentos
      – dizer que apresentei como “único motivo” o fato da ATEA ser opositora política, quando na verdade iniciei pelo argumento, e busquei o viés como adicional para o debate político
      E por aí vai, em uma sequencia de mais de uma dúzia de fraudes.

      Como por discordar num ponto do senhor, estou automaticamente do lado oposto no espectro político, aliado à ATEA, e quiça PT, PSOL, PCO e PSTU.
      Eu não dou a mínima para o lado em que você está, mas se você me disser sua proposta sobre taxações ficará fácil para descobrir seu viés…
      Não tenho qualquer simpatia pela ATEA. Mas não me oporei à qualquer visão, opinião ou argumento simplesmente por eles terem sidos emitidos pela ATEA.
      Claro, por que você é um ser iluminado. Mesmo que tenha praticado uma coleção de fraudes hehehe….
      Na verdade, eu também jamais me oporei à qualquer visão, opinião ou argumento simplesmente por eles terem sidos emitidos por qualquer parte. Este é um debate de pessoas iluminadas, livres de interesses, etc…
      Estou apenas afirmando que não basta evidenciar os interesses políticos, é preciso ir além. É preciso explicar os erros e limitações das propostas apresentadas, independentemente dos lados aos quais elas são originárias.
      Tu realmente não tem qualquer traço de decência, certo?
      É a terceira vez que você tenta este truque, o suficiente para perder seu direito de arena aqui.
      A questão não é o mensageiro, mas sobre a mensagem.
      Palhaçada. Este é um blog de debate político, onde mensageiros e mensagem são importantes de serem avaliados.
      Ao contrário, tenho compromisso com um conjunto de valores que sempre que defendidos por quaisquer grupos terão meu apoio, e serão sempre combatidos quando estes mesmos grupos ferirem estes mesmos valores.
      Até hoje ninguém entrou aqui dizendo que não compromisso com um conjunto de valores que sempre que defendidos por quaisquer grupos terão meu apoio, e serão sempre combatidos quando estes mesmos grupos ferirem estes mesmos valores.
      Você acha que impressiona a quem com essa conversa?
      Ou em outras palavras, não estou discutindo política do ponto de vista de qual grupo deve ou não subir ao poder, mas, sim de quais políticas devem ou não serem postas em prática. O que são comportamentos completamente diferentes.
      Mas ficou com medo de dizer QUAL POLÍTICA VOCÊ DEFENDE, pois aí veremos que sua política entregará teu viés. O seu truque de simular falsa imparcialidade não convence.
      Mas a ATEA levantou uma pauta. Vamos ignorá-la por ela ser pautada apenas no preconceito da ATEA ou vamos jogar nova luz na questão e nos perguntar: péra, a igreja não paga imposto e, vejam só, nem este outro grupo aqui pagam. Por que eles podem e eu não posso?
      Não podemos ignorar a proposta da ATEA, mas refutá-la e desmascararmos o preconceito, os truques, os embustes e as armações. Gostem os socialistas ou não.
      E repito, isto não é um questionamento simplesmente comprometido com uma determinada visão de mundo ou grupo político. De modo algum! É, ao contrário, um questionamento válido e que num espaço democrático e com Estado de Direito pode e deve ser feito.
      Manipulação semântica. Ele está confundindo PROPOSTA DE LEI com QUESTIONAMENTO. Ao contrário, a ATEA parte de sua visão de mundo preconceituosa e agora ELA É QUE ESTÁ sob questionamento. Claro que ele pode lançar sua proposta escrota em um espaço democrático. E ser refutado neste mesmo espaço democrático. Goste você ou não.
      Para terminar, existem outras coisas que me assustam. Me parece absurdo cobrar impostos sobre heranças. Mas tais cobranças existem. Não apenas no Brasil mas em todo mundo. Como pode ser válido que sobre a herança seja permitido cobrar novamente impostos mas não é válido para outras formas de doações?
      Você apresente seu argumento.
      A meu ver, uma imoralidade não justifica outra imoralidade em classes de assuntos diferentes. Estamos falando de toda uma população dentro de uma REGRA DE DOAÇÕES, a qual a ATEA quer alterar com um truque de exceção, preconceituoso e perverso.
      Se quiser tentar me refutar, já aviso para que você não se repita no que já está fechado. Se fizer mais acusações FALSAS sobre o que eu disse, sua resposta não será publicada. Aqui não vou dar arena a quem apelar a desonestidades. Então, que fique o aviso.
      Abs,
      LH

  9. Triste ver o sujeito lá em cima caindo no conto do vigário dessa porra de ATEA.
    E triste ver o quanto de pessoas que curtem a bosta da página deles no facebook, gente que quer parecer cool “oh como eu sou ateu, que malvado que sou”, já que ateus sérios não precisam de uma ASSOCIAÇÃO.

    Pra que existe uma ASSOCIAÇÃO de ateus?
    Ateus não querem fazer parte de algum grupo para compartilharem entre si seu ateísmo, isso é coisa de religião, religião que quer fazer parte de uma comunidade, se unir e etc.
    Ateus se unindo pra que? Pra apoiar o PT? Pra perturbar a vida dos outros?

    Nem sou religioso, mas vá se fuder esses filhotes de cApETA.

    • Igual o Bluezão já falou, ironicamente, o ateísmo virou uma religião. Essa afirmação está apenas parcialmente correta, pois o neo-ateísmo (ATEA) sempre foi uma religião política, enquanto o ateísmo normal nunca foi.

  10. “O estado, e o socialismo em si, é inerentemente imoral” (lucianohenrique – 23 de junho de 2015 • 1:22 pm).

    Agora que não entendeu nada fui eu. O estado é inerentemente imoral?

    • Nessa questão, é uma luta apenas. É totalmente diferente das taxações contra igrejas. A questão destas taxações é imoral. Já retirar um símbolo adversário me parece, embora uma provocação, uma provocação dentro das regras éticas básicas.

  11. A coisa é extremamente simples. Há imunidade para todas as organizações sem fins lucrativos, sejam ONGs ou igrejas. Se você quer taxar um deles, a consequência mais do que óbvia seria taxar o outro também. Ou ambos possuem imunidade, ou nenhum possui. Deixar apenas as igrejas de fora só tem um nome: perseguição religiosa.

    Mas essas exceções ainda fazem sentido? Fazem todo sentido. Um governo com viés totalitário pode usar a tributação como meio de atacar determinados grupos que são um obstáculo. Na Venezuela aconteceu com a imprensa. Está mais do que óbvio que a primeira coisa que o governo faria no Brasil seria atacar de forma feroz grupos evangélicos. Se fossem as ONGs, poderia atacar o Escola sem Partido ou o Movimento Viva Brasil, por exemplo. Retirar garantias tributárias em um país com a democracia capenga e com tendências populistas é um suicídio.

    Além disso, a liberdade de crença fica prejudicada com a cobrança de impostos. Isso nada mais é do que o governo dizendo: “se você não tem dinheiro para me pagar eu não permito que você pratique a sua fé”.

    O que mais me impressiona é ver nos comentários daqui gente que defenda a cobrança de ainda mais impostos pelo estado. Talvez achem que a carga tributária em 40% ainda seja pouca… Que tal instituir o Imposto Sobre Oração?

    • É isso aí, pouca gente nota que esse negócio de ‘enrustido enrustido’ é um discurso planejado pra que na prática ninguém possa se opôr às coisas da militância gayzista em nada.

  12. Lógica neo-ateísta:

    Entidades religiosas não-lucrativas que recebem doações voluntárias devem ser taxadas, pois conseguem lucros.
    Já ONGs socialistas e esquerdistas não-lucrativas que recebem doações voluntárias E VERBAS PÚBLICAS, e que enchem mais ainda os bolsos dos líderes espertalhões, não devem ser taxadas.

    “Lógica” absolutamente brilhante. Não conseguiria ser mais desonesta.
    Isso possui uma definição simples: Perseguição Religiosa.

    O arranjo atual brasileiro já está errado porque ONGs como a do Desarmamento (Viva Rio e Sou da Paz), o MST, o Conectas, Survival International, etc, recebem dinheiro público, não deveriam. Ninguém é obrigado a dar dinheiro para uma entidade com uma ideologia que não concorda. Enquanto quase 100% Igrejas (se não for 100%) não recebem um tostão de dinheiro público.
    Então, mesmo se for tentar ajustar a lógica e querer cobrar impostos de ambos tipos organizações, não é justo. Seria justo se as ONGs que citei anteriormente não recebessem absolutamente nada de dinheiro público (nosso dinheiro).

  13. Luciano, de duas, uma: ou vc tá desinformado, ou quer desinformar. ONGs subsidiadas pelo Estado são OSCs, organizações da sociedade civil, cujo contratação obedece norma específica, pela prestação de um serviço à sociedade. O valor do serviço prestado pela OSC à sociedade pode – e deve! – ser questionado um a um, mas não o subsídio em si. Isso seria um retrocesso à re-estatização de serviços prestados por 300.000 OSCs em todo o país. Se a igreja quiser continuar isenta, basta que ela tb preste um serviço à sociedade. Orientação religiosa não pode ser considerado serviço meritoso de subsídio estatal pq o Estado é laico. E é isso o que essa renúncia fiscal fere: a laicidade do Estado brasileiro.

    • André Levy,

      Quer dizer que o subsídio não pode ser questionado? Mesmo que essa grana seja pública e, portanto, OBTIDA VIA COERÇÃO?

      Só isso já torna essas organizações imorais.

      Já o dinheiro das igrejas é obtido via DOAÇÃO, e, como tal, muito provavelmente os fieis entendem que a organização presta serviços à sociedade. É por isso que a ATEA tem a mesma isenção das igrejas. Por que os fiéis da ATEA acham que ela presta serviços à sociedade.

      Logo, fazer exceção e taxar SOMENTE o recebedor de doações que for uma igreja FERE a laicidade do Estado brasileiro.

      Sua proposta é inimiga do estado laico.

      Abs,

      LH

    • Como assim “a igreja quiser continuar isenta, basta que ela tb preste um serviço à sociedade”?
      A Igreja Católica é a Maior Instituição de Caridade do MUNDO!
      A Igreja Católica mantém na Ásia: 1.076 hospitais, 3.400 dispensários, 330 leprosários, 1.685 asilos, 3.900 orfanatos, 2.960 jardins de infância.
      Na África: 964 hospitais, 5.000 dispensários, 260 leprosários, 650 asilos, 800 orfanatos, 2.000 jardins de infância.
      Na América: 1.900 hospitais, 5.400 dispensários, 50 leprosários, 3.700 asilos, 2.500 orfanatos, 4.200 jardins de infância.
      Na Oceania: 170 hospitais, 180 dispensários, 1 leprosario, 360 asilos, 60 orfanatos, 90 jardins de infância.
      Na Europa: 1.230 hospitais, 2.450 dispensários, 4 Leprosários, 7.970 asilos, 2.370 jardins de infância.
      Alguém pode me dizer se existe qualquer outra pessoa, empresa ou instituição que faz pelo menos metade do que está escrito acima? Mostre-nos que a ATEA faz alguma coisa próxima disso.
      Pela sua lógica é a ATEA que deveria ser taxada e não igrejas.

    • ‘Isso seria um retrocesso à re-estatização de serviços prestados por 300.000 OSCs em todo o país. ‘

      Então, se eu não quero pagar impostos pro governo dar esse dinheiro pra uma OSCs inútil, a única opção restante é esse serviço inútil ser feito pelo próprio governo.

      ‘Orientação religiosa não pode ser considerado serviço meritoso de subsídio estatal pq o Estado é laico.’

      TODO serviço merece ser isento de subsídio estatal. O estado é uma instituição criminosa que ganha seu sustento pela força e só serve pra encher os bolsos de meia dúzia de parasitas, como esses ateuzinhos aí doidos pra mamar nas tetas do governo.

  14. Ateus que atacam as igrejas estão mais pra neo-ateus. Normalmente os costumes da igreja é de direita.
    A igreja é contra o assassinato – ato de direita.
    É contra o roubo – ato de direita
    É contra o furto – ato de direita
    É contra a mentira – ato de direita
    É capitalista http://sombradoonipotente.blogspot.com.br/2013/12/a-parabola-dos-talentos.html – ato da direita.

    Temos uma direita capenga a ainda estamos nos dividindo perdendo força.
    Também vemos ateus que se dizem de direita levantando falsidade contra pastores sem apresentar nenhuma prova que existe enriquecimento ilícito dos pastores. Esses neo-ateus estão fazendo é trabalhado para a esquerda.
    Outra coisa muito importante NENHUM ATEU É E NEM SERÁ CAPAZ DE COMPREENDER O QUE A FÉ DE CADA PESSOA SIGUINIFICA PARA ELA.
    Quantas pessoas nesse mundo estavam num abismo e conseguiram encontrar a paz que precisa numa igreja, alguns exemplos : garotas de programa, viciados, ladrões, pessoas com problemas psicológicos com tendência ao suicídio.
    Imagina ai, só nas igrejas evangélicas são mais de 40 MILHÕES DE FIEIS que são exortados todos os dias a não matar, não roubar, não furtar, não mentir, respeitar as leis … ISSO NÃO TEM PREÇO QUE PAGUE.

Deixe uma resposta