Dias Toffoli revoluciona a tecnologia da informação

9
114

DiasToffoli_Dormindo-no-Supremo

Entre os vários certificados que adquiri em minha trajetória em TI, dois são meus preferidos: CISA (Certified Information Systems Auditor) e CISM (Certified Information Security Manager). De acordo com o syllabus de cada uma das certificações, somos obrigado a saber, dentre outras coisas, que os sistemas são mais seguros quando possuem trilhas de auditoria, ou algo que o substitua. Por exemplo, se existe uma gravação no banco de dados relacionada a informações críticas, é preciso ter um log (registro) do usuário que fez a alteração, o horário e qual a alteração efetuada.

O ministro Dias Toffoli, presidente do TSE, está revoltado com a aprovação do voto impresso, pois a ilustre figura deu uma declaração que deve revolucionar o conteúdo de todas as certificações de segurança e auditoria em TI: “Do ponto de vista técnico, a Justiça eleitoral é contrária. Toda concepção da urna eletrônica se baseou na intenção de terminar com a intervenção humana, que não deixa digitais muitas vezes.”

Pela nova tese revolucionária de Toffoli, as transações bancárias devem se tornar mais seguras uma vez que não permitirem mais a geração de recibos. Eis a tese da fé cega nos sistemas eletrônicos, que já foi tornada ridícula por qualquer especialista da área há décadas. Mas Toffoli não se contenta com isso: para ele, um sistema passível de não ser auditado, passa a ser um sistema “livre da intervenção humana”.

O Efeito Dunning-Kruger realmente não tem limites!

Anúncios

9 COMMENTS

  1. Urna votando sozinha no segundo turno das eleições presidenciais de 2014

    Cidade de Torres/RS, Zona:85 Seção 2, filmado com celular de um dos eleitores.

  2. Há também uma falácia que essa turminha bolivariana tem utilizado com muita frequência, que é a de utilizar espaços conseguidos na mídia prá amplificar uma opinião própria como se fosse a mesma de várias pessoas ou grupos. Outro dia, o UOL desceu ao nível do esgoto quando disse que a operação Lava-Jato era severamente criticada pelo meio jurídico. Ao observamos quem o UOL tentava tomar por meio jurídico, descobríamos que se tratavam de uns dois advogados de mensaleiros e mais uns dois juristas com ligações históricas com o PT. Agora, Dias Tóffoli, se valendo da condição transitória de presidente do TSE, afirma que a “justiça eleitoral” é tecnicamente contra o voto impresso. Justiça eleitoral quem, cara pálida? Esse cidadão, por comando legal, sequer estará presidindo o órgão em pouco tempo. Quem ele pensa que é prá falar em nome da justiça eleitoral como um todo? O voto impresso é uma demanda popular, uma resposta que a sociedade exige prá que o processo eleitoral seja menos suscetível a fraudes. O que esse ministro bolivariano quer, usando o cargo que ocupa prá isso, é evitar qualquer medida que se traduza em mais segurança e mais democracia. Na minha visão, isso já seria mais que suficiente prá ele sofrer um processo por impeachment. Por sinal, após a queda de Dilma e do PT, livrar a máquina pública desses resíduos bolivarianos será fundamental para que os totalitários nunca mais voltem a nos ameaçar.

  3. Ao meu ver a urna ideal é a que permite o papel entrando no buraquinho.
    Voto impresso melhora a coisa mas não impede quebra do anonimato.

  4. Com o recibo impresso, o Brasil passa a utilizar 2 sistemas independentes entre si. Não precisa ser nenhum gênio para saber que fraudar 2 sistemas é muito mais difícil do que fraudar apenas um.

    Se o caso do homem são as urnas eletrônicas, elas continuarão lá.

    Uma simples aplicação da Lei de Murphy no sistema eleitoral de modo análogo ao que se faz na aviação seria o bastante para afastar qualquer discussão sobre isso.

    • c.q.d. É tão ÓBVIO que chega a dar preguiça de rebater declarações tão escancaradamente MENTIROSAS como a deste aspone com status de juiz do Supremo.

  5. São Paulo, 24 de junho de 2.015

    Prezado Sr. Ayan,

    Esperar o quê do estafeta do PT? Bom senso? Inteligência? Fosse esse um país sério, e esse cara estaria trabalhando como despachante. Como estamos em Banânia…

Deixe uma resposta