Ministra Carmen Lúcia permite vândalos na Câmara na votação da maioridade penal. Aqui estão as dicas de como cobrar o preço.

19
151

20130321104906_imageproxy

Na guerra política, todo evento é uma oportunidade. A direita tem tido sérios problemas em pensar assim, e muitas vezes a mente de várias pessoas colapsa diante de uma oportunidade tão maravilhosa quanto esta que veremos agora. Colapsados mentalmente, muitos se desanimam exatamente no momento em que deveriam ficar eufóricos.

O fato é que a ministra Carmen Lúcia permitiu que os estudantes ligados aos grupos radicais de extrema esquerda (e que já vandalizaram uma votação do mesmo tema na Câmara) pudessem participar de novo na próxima votação sobre maioridade penal. Evidentemente, podemos esperar novos atos de terrorismo, provocação e diversas técnicas para capitalização politica. Se os deputados republicanos não estiverem preparados para isso, seria uma lerdeza digna de perder para tropeiro de lesma.

Assim sendo, a oportunidade é a seguinte: preparar-se para o vandalismo, e estar pronto para denunciar, não só antes como depois, a responsabilidade por permissão da baderna. O fato político é que enquanto 87% dos brasileiros querem a redução da maioridade penal, uma minoria de bolivarianos sádicos quer manter a impunidade de menores. E, pior ainda, querem ter o direito de usar ações terroristas para barrar votações no Congresso a favor da maioria.

Eis a responsável moral pelas agressões que os bolivarianos vierem a provocar: a ministra Carmen Lúcia, indicada por Lula para o STF. Quer dizer que, além de todas as afrontas que o PT tem feito ao povo brasileiro, a ministra de Lula ainda atua para permitir barbáries contra legisladores. Resta a Carmen Lúcia torcer para que os tradicionais bárbaros se comportem, o que é mais difícil que o coiote alcançar o Papa Léguas. E que os deputados republicanos estejam prontos a cobrar o preço não só do PT, de suas linhas auxiliares, de suas milícias e, neste caso, principalmente de Carmen Lúcia.

Anúncios

19 COMMENTS

  1. Outra oportunidade que vejo também é para a própria direita. Se um lado poderá ter acesso, o outro também terá de ter o mesmo direito. É simples barrar essa gente. O grupo dos Revoltados Online, por exemplo, que é a favor da redução, dentre vários outros grupos a favor, deveriam aproveitar e pleitear o mesmo direito, desde já! Se forem 20 a favor da manutenção do texto atual, outros 20 terão de ser de grupos a favor da redução. Eu quero ver eles fazerem baderna por lá com o pessoal do Revoltados Online por perto. O pessoal da direita precisa mostrar a cara, precisa participar. Se o pau comer, os responsáveis serão aqueles que permitiram tal coisa. Está claro que a ministra é contra a redução e por isso permitiu a entrada de esquerdistas, mas não poderá negar o mesmo direito a outros grupos que forem favoráveis à redução. É um baita dum contra-golpe! É preciso usar as mesmas armas!
    O pouco que a direita já apareceu foi suficiente para impor pânico a essa gente. Vejo o caso dos jornalistas da imprensa dita comercial livre (não vou nem citar os parajornalistas de esquerda que atuam na internet) estão todos atônitos. Olha só, uns 90% dos jornalistas da imprensa comercial livre são de esquerda (alguns menos radicais, outros comunistas mesmo, embora não assumam). Dos 10% que sobram, acho que uns 90% são de esquerdistas arrependidos, ou seja, já foram de esquerda, mas em algum momento da vida parece que resolveram cair fora. Quer ver? É tão surreal isto que vale a pena mencionar, tenho amigos que citam como de direita jornalistas como Reinaldo Azevedo, Arnaldo Jabour, Miriam Leitão, e tantos outros, mas o que eles não sabe é que todos esses jornalistas foram esquerdistas, alguns radicais e quando eu lhes digo isso, simplesmente não acreditam. Alguns desses jornalistas, dá perceber que ainda são esquerdistas como o caso da Miriam Leitão. A imprensa inteira praticamente é de esquerda no Brasil. Inteira! Inteirinha! Resultado, apesar de tudo o que está acontecendo, continuam dando suporte moral para a continuidade desse governo. E por que? Eles sabem que se esse partido cair, tão cedo não volta ao poder central.
    Engraçado, citam o Demetrio Magnoli como “radical de direita”. Na verdade, o cara também foi radical esquerdista, tanto que há pouco tempo defendeu num artigo que, apesar de tudo, a “estrelinha” não deveria ser extinta… No fundo, os caras não resistem e acabam se entregando, são tudo de esquerda. Na imprensa brasileira, acho que só tem o Prates que é direita mesmo, o resto, ou seja, 99,99% é tudo de esquerdistas, alguns mais radicais, outros mesmo, mas tudo esquerdistas. Por isso que eu digo, a direita precisa aparecer, precisa perder a vergonha de se mostrar! Tem de ir pra rua mesmo, tem de radicalizar mesmo e se vier alguém provocar tem de partir pro pau mesmo (no sentido político), afinal se a esquerda tem o direito de ocupar os espaços públicos, a direita também tem! E a direita ainda tem uma vantagem no Brasil, por enquanto, ainda é maioria na população, não sei por quanto tempo, mas por enquanto ainda é.

    • O próprio Reinaldo Azevedo se declara como “de direita”, e ele defende mais posições conservadoras do que esquerdistas, mas como você bem disse, vira e mexe ele dá umas escapulidas. Acredito que o Rodrigo Constantino, o Felipe Moura Brasil e a Rachel Sheherazade também se enquadrem como direitistas, e ex-esquerdista no Brasil tem aos montes. Eu mesmo era um esquerdista, até dar de cara com o mundo real e ver que a maioria das idéias deles não se sustentavam, mas ainda era “centrista” até conhecer o Instituto Mises e passar um tempão estudando. Talvez precisasse de menos tempo se tivesse conhecido um instituto liberal ao invés de um libertário.

      No mais, excelente texto. Vamos mandar uns emails pro Marcelo Reis pra ver se eles se organizam.

  2. Concordo Augusto!… E peço: não façam como eu que desisti de ter meu espaço em meio de toda a esquerdalha que já monopolizava a mídia e as academias, em particular a de jornalismo, desde os anos 70, em que vivi e militei. Para minha justificativa tinha o meu isolamento e até solidão, o
    que não ocorre com os direitistas de hoje…

    • A dica é seguir usando Alinsky.
      A questão seria mais ou menos como: imagine que um grupo esteja aprendendo futebol e vai jogar contra outro que já joga futebol há muito tempo. O que fazer? Ir mais a fundo no futebol.
      Abs,
      LH

    • Pelo menos por mim, eu defenderia a reeleição sim, com mandato de 5 anos. Acho bom que um governo tenha um mínimo de tempo razoável para fazer as coisas. Em 10 anos, um governo responsável conseguiria fazer bastante coisa.

      Agora, só em 4 anos fica meio ruim. A consequência é que os governos só irão pensar no curto prazo, fazendo tudo de qualquer jeito. Um bom governo deve ter uma visão de longo prazo para o país.

      Mas sou a favor de uma reeleição só, para tirar o risco de acontecer que algum político populista fique eternamente no governo

    • Essa matéria Marcelo, derruba, destroça mesmo a velha argumentação das erquedalhas de que a justiça no Brasil é feita para brancos e a prisão para negros e pardos… Fica então evidente que depende da composição étnica de cada região, estado e cidade, e no total do país. Portanto se a maioria da população brasileira é negra(pois eles classificam mestiços, pardos, como negros), então é perfeitamente lógico a população carcerária ser negra e assim a prisão ser de negros e pardos…

      • Só acrescentando para correção e não desvirtuamento do meu pensamento:…”se a maioria da população brasileira é negra”, isto segundo propalam as esquerdas!… “então é perfeitamente lógico QUE a população carcerária ser DE MAIORIA negra”, isto em concordância com o mito propagado pelos esquerdopatas…

  3. O STF tem atuado como braço petista nos ultimos anos e até agora eles conseguem manter esse status de orgão juridico. Está na hora de colar no STF o status de orgão politico, que efetivamente é oque ele é.
    Está na hora de alguns republicanos do DF fazerem um protesto contra o STF e colocar uma faixa bem grande na frente do orgão com os dizeres “braço do pt” ou alguma coisa semelhante.
    Quando o STF passar a ser visto meramente como mais orgão politico, ele perderá legitimidade e terá dificuldades de implantar a agenda petista na marra.
    Mas enquanto o STF for visto iludidamente como orgão juridico(que na pratica não é), os ministros desse orgão continuaram a implantarem a agenda petista de forma totalmente impune.
    Marchar contra o governo agora já é redundancia, precisamos é de marchas contra o STF.

  4. Os socialistas, principalmente aquele Cardozo, tem usado de um monte de asneiras para se defenderem da mudança da maioridade ultimamente, como a idéia de que dará permissão aos adolescentes de 16 anos a licença para dirigir, fumar, jogar em cassinos, comprar pornografia, etc. MAS gostaria da oportunidade de desmascarar essa fraude com alguns argumentos:
    O artigo 5º da Constituição, inciso II – ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa SENÃO EM VIRTUDE DA LEI; Notem que esse “SENÃO EM VIRTUDE DA LEI” abre uma brecha legal para, digamos, garantir uma imposição ou restrição especial a alguns casos, a exemplo do querido estatuto do desarmamento dos socialistas, no qual proíbe MENORES DE 21 ANOS de portarem armas, ou impor o voto e alistamento obrigatórios, lindo não?
    Tem mais, a própria lei eleitoral proíbe menores de 21 anos (em discussão de mudança) para ser deputado, 30 anos para governador e 35 anos para senador e presidente.
    É claro que com a redução da maioridade também permitiriam a adolescentes de 16 anos se alistarem, algo que socialista apoiaram, vide as Farcs com seus soldados “adolescentes”.
    Outra coisa que deve ser incluída, é o fato de que muitos dos adolescentes que saem do regime de “ressocialização” promovida pelos socialistas, e que acabam por se tornar reincidentes, ou seja, voltam para prisão como adultos por livre e espontânea vontade, após praticarem outros crimes, o que joga por terra esse papo de que causaria superlotação.
    No mais, de acordo com as estatísticas divulgadas recentemente pelo próprio ministério da Justiça, o aumento da criminalidade por si, causa aumento de detenção promovida pelos policiais, o que causa aumento no encarceramento, isso apesar das supostas “melhorias” socioeconômicas “promovidas” pelo PT! ou seja outra fraude, por omissão, uma vez que o próprio nem fez questão de citar o aumento da criminalidade.
    E, de acordo com os socialistas, pessoas em melhor situação socioeconômicas, e consequentemente com melhores condições de vida, não precisam praticar crimes…

    • Esse argumento da esquerda de superlotação é totalmente inválido. Ora, se estamos com problemas de superlotação, a solução é construir mais presídios, e não libertar os presos, ou deixar de prender criminosos.

      Mas quanto à redução, por mim não teria problema nenhum se pessoas de 16 anos puderem dirigir, comprar pornografia, etc. Alguém realmente acha que adolescente de 16 anos não consegue dirigir? E qualquer moleque de 16 anos fica vendo pornografia na internet, se quiser. Permitir bebidas alcoolicas pode até ser discutido, mas por mim liberava também.

  5. Considerando o que a ministra diz na liminar ” Segundo a ministra, também é passível de restrição o ingresso de número superior de pessoas à capacidade de lotação das galerias, das comissões e demais órgãos do Congresso Nacional, “dado que compete aos órgãos do Poder Público o dever de velar pela segurança dos que ali circulam”. então basta que a direita lote o recinto e não sobre lugar para os comunas que fingem que são estudantes.

  6. O problema desses argumentos contra a redução da maioridade penal é o próprio conceito de justiça que eles usam. Na retórica da esquerda e da mídia em geral, as leis devem ter uma função meramente pragmática, que é a de fazer com que a quantidade de crimes praticados diminua na sociedade. Mas as leis não servem só pra isso, elas devem servir, em primeiro lugar, para fazer com que a vítima de algum crime possa se vingar, e para que o criminoso pague pelo seu erro.

    Uma prisão não deve ser um spa, nem um centro de educação. Eu não acredito nesse papo de que se um criminoso assistir umas aulinhas, ele vai se “consertar”. Mas, mesmo que isso fosse verdade, deveria ser preso assim mesmo. E nada impede que tenhamos as duas coisas ao mesmo tempo: justiça rigorosa e medidas sócio-educativas.

    Se as leis forem duras (e cumpridas), elas vão diminuir a criminalidade sim, senhor, já que o criminoso pensará duas vezes antes de agir se souber que as chances de se dar mal depois serão altas.

    E esse argumento de que a maioria dos criminosos são pobres também é ridículo. Ser pobre não é desculpa para assaltar e matar os outros.

Deixe uma resposta