Alexis Tsipras toma mijada do ex-primeiro ministro da Bélgica

27
82

verhovstadt

A Grêcia se tornou o país da desonra, da indignidade, da cara-de-pau, da fanfarronice e do blefe. Triste sina para o território outrora considerado como o berço da civilização. Hoje, seus governantes representam a escória moral da Europa.

E, acreditem se quiser, alguns sujeitinhos ainda tem a pachorra de aparecer falando em “povo grego escolhendo seu destino” e sandices afins. Ou seja, optar pelo calote e pelo estelionato mudou de nome.

Por isso sempre é bom vê-los serem colocados em seu devido lugar. Para isso, veja o discurso do liberal Guy Verhofstadt, ex-primeiro ministro da Bélgica e atual líder da Aliança dos Democratas e Liberais pela Europa, no parlamento europeu. É de lavar a alma:

Créditos aos Tradutores de Direita.

Anúncios

27 COMMENTS

  1. Excelente. Colocou o canalha do Tsipras em seu lugar e ainda teve um resultado positivo, porque ele acabou apresentando uma proposta de ajuste, indo contra o seu discurso populista antes do referendo.

    • O comportamento do Tsipras não difere em NADA do comportamento de Lula, Dilma, Eduardo Cardoso, Mantega, Paulo Roberto Costa, cerveró, Gabrielli e o resto da quadrilha. Que, quando publicamente esculhambados, são inacapazes de mostrar qualquer reação ou sentimento de arrependimento ou culpa.

      Esses caras todos não são cínicos. São psicopatas. Não têm qualquer sentimento, menos ainda, empatia pelo sofrimento e angústia do próximo e, como afirma Andrew Lobaczewsky no livro “Ponerologia”, eles nem mesmo conseguem entender por que nós, os mentalmente sadios, não pensamos como eles.

      Entregar o governo de um país a esses indivíduos é colocar a massa da população nas mãos de pessoas literalmente doentes mentais, loucas e perigosas.

  2. Eu vi em algum lugar que junto com os empréstimos concedidos a Grécia havia títulos podres dos bancos europeus e que isso seria proposital para quebrar a Grécia e faze-la se domar aos interesses do Euro(tirar o poder do país e passar para um organismo internacional, no caso a Troika).
    Algo disso procede?

  3. O Tsipras como todo comunista, já sabemos que se permanecer por muito tempo no poder, de uma forma ou de outra, será um “Tsastre” para a Grécia… Mas esta merece, por a maioria de seu povo ainda se iludir com o discurso de um comuna e suas promessas absurdas. Quanto ao belga, sendo progressista e democrata, é de desses tipos que se constrói a Eu e a consequente destruição de toda a Europa, rumo a uma miscigenação criminosa promovida pelos sionistas com a imigração terceiro-mundista… Torço para esse embrólio todo custar a dissolução salvadora da UE, e que ao gregos tenham aprendido a votar certo em próximas eleições… Que elejam futuramente direitistas verdadeiros, que são os únicos que amam seu povo e combatem a imigração criminosa que a Eu incentiva, os nacionalistas que despontam no horizonte da Grécia na Aurora Dourada!…

  4. CONSEQUÊNCIAS DA CRISE NA GRÉCIA!*

    01. Zeus vende o trono para uma multinacional coreana.
    02. Aquiles vai tratar o calcanhar na saúde pública.
    03. Eros e Pan inauguram prostíbulo.
    04. Hércules suspende os 12 trabalhos por falta de pagamento.
    05. Narciso vende espelhos para pagar a dívida do cheque especial.
    06. O Minotauro puxa carroça para ganhar a vida.
    07. A Acrópole é vendida e aí é inaugurada uma Igreja Universal do Reino de Zeus.
    08. Eurozona rejeita Medusa como negociadora grega:”Ela tem minhocas na cabeça!”.
    09. Sócrates inaugura Cicuta’s Bar para ganhar uns trocados.
    10. Dionisio vende vinhos à beira da estrada de Marathónas.
    11. Hermes entrega currículo para trabalhar nos correios. Especialidade: entrega rápida.
    12. Afrodite aceita posar para a Playboy.
    13. Sem dinheiro para pagar os salários, Zeus libera as ninfas para trabalharem na Eurozona.
    14. Ilha de Lesbos abre resort hétero.
    15. Para economizar energia, Diógenes apaga a lanterna.
    16. Oráculo de Delfos vaza números do orçamento e provoca pânico nas Bolsas.
    17. Áries, deus da guerra, é pego em flagrante desviando armamento para a guerrilha síria.
    18. A caverna de Platão abriga milhares de sem-teto.
    19. Descoberto o porquê da crise: os economistas estão todos falando grego!!!

    *Do blog do Tambosi

  5. Fiquei assustado quando o Liberal falou em acabar com os privilégios da igreja ortodoxa Grega, se ele estiver falando em algum tipo de isenção fiscal, como existe aqui, acho que ele está errado, mas eu não conheço esses privilégios, de repente é verba pública destinada pra eles, o que de fato é um absurdo.

  6. ‘Hoje, seus governantes representam a escória moral da Europa.’

    Na verdade pra quem entende o que está acontecendo, os políticos da grécia não são menos ruins do que os políticos do resto da europa que estão comprometidos com a ideía absurda do euro.Isso tudo são uns putos esquerdistas contra outros putos esquerdistas, não sei por que vc escolheu um lado.

  7. Deveriam conhecer o modelo de política adotado por um perdedor desses. Em tudo que tocou arruinou. Vejam:
    Após estas eleições em que os partidos ecologistas foram penalizados, Verhofstadt forma o seu segundo governo, Verhofstadt II, sem os partidos ecologistas. O foco principal de governação foram as condições de trabalho.
    Em 2004 ocorre a crise em redor dos direitos de voto para os imigrantes. De um lado o pacto de regime com os socialistas que lhe impõe que dê seguimento à votação do parlamento, do outro a opinião de grande parte dos militantes do seu partido que se opõem ao direito de voto para os imigrantes e lhe pedem que não dê seguimento.
    Nas eleições de 13 de Junho de 2004 o VLD é severamente castigado. Com menos de 20% dos votos, torna-se apenas no quarto partido da Flandres.
    Em Julho de 2004 tenta passar da política belga para o plano internacional ao apresentar-se candidato a presidente da Comissão Europeia. Para tal, conta com o apoio de Gerhard Schröder e de Jacques Chirac. A sua candidatura esbarra no veto de Tony Blair. O escolha consensual foi então a de nomear Durão Barroso para o cargo.
    Entretanto Verhofstadt viu a sua posição na política belga enfraquecer. Importantes figuras dos seus dois governos, Frank Vandenbroucke e Louis Michel passam nomeadamente para o governo regional da Flandres e para a Comissão Europeia. O partido francófono MR, também ele parte da coligação governamental, perde o poder nos governos regionais de Bruxelas e da Valónia. No seguimento de tais resultados eleitorais, a relação entre o governo federal e o governo dessas regiões deteora-se e complica a resolução de alguns temas como o da expansão da actividade da companhia de correio DHL no aeroporto de Bruxelas, Zaventem.

Deixe uma resposta