Mãe de vítimas de estupro se revolta com “pena” de 3 anos. O que Maria do Rosário teria a dizer?

15
68

luto

Conforme a Folha, os quatro menores que participaram do estupro de quatro garotas adolescentes (uma delas morreu) no Piauí foram “condenados” a três anos de internação. Isto ocorre porque o ECA coloca este limite para as “penas” de menores praticantes de qualquer tipo de crime. Se as quatro morressem, novamente a pena máxima seria… 3 anos. Se eles tivessem matado e estuprado 400 meninas, novamente seria… 3 anos. Quem quer que não tenha a mente deformada percebe nesta legislação uma das maiores vergonhas da história das legislações mundiais.

A mãe de uma das vítimas comentou que a pena é pequena. Mas ela não quis se identificar, pois sabe que daqui a três anos os menores estarão livres e prontos para se vingar. Ela completou: “Mas a Justiça é quem sabe. Fico pensando quando esses meninos saírem e voltarem para Castelo. Entrego o destino deles a Deus. Sou contra mandar fazer vingança”.

O trauma dessas garotas não terá fim. Em qualquer país civilizado, esses bandidos ficariam detrás das grades no mínimo 30 anos. Porém, nesta terra parasitada pelo pensamento de extrema esquerda, estarão livres em 3 anos. E vão caminhar nas ruas de uma cidade pequena, rindo sadicamente de garotas que puderam estuprar. E poderão estuprar de novo. E, por causa da pena ridiculamente pequena, os pais das vítimas vão ter que ficar de bico calado.

Enquanto isso, os defensores da impunidade continuam galhardeando dizendo que “reduzir maioridade penal não resolve o problema”. É preciso de uma mistura de cinismo e sadismo acima de qualquer parâmetro conhecido para continuar proferindo essa frase monstruosa diante do drama que viveram e ainda viverão as vítimas (e seus familiares) do estupro do Piauí.

Anúncios

15 COMMENTS

  1. Trágico.

    Uma vez uma pessoa me perguntou se FEBEM, por acaso, era férias, quando eu disse que havia impunidade garantida por Lei para os menores bandidos.

    Eu respondi: “é mais que férias, é um prêmio”.

    Situação no mínimo vergonhosa!

    Esses predadores terão identidade protegida, durante o internato vão realizar tarefas domésticas e estudar (oh! que punição cruel!). Não sei como alguém ainda não propôs que essas pobres criancinhas ganhassem bolsa para estudar no exterior após estuprar e matar.

    Além do período curto de internato, eles sairão com ficha limpa. Tão limpos quanto qualquer pessoa inocente que nunca nem pensou em roubar um pão.

    Enquanto isso, as verdadeiras vítimas que se virem com seus traumas, medos e sensação de insegurança constante.

  2. Pois então….Lembram do Victor Hugo Deppman ? o rapaz de 19 anos que foi assassinado na frente da sua casa, por um “dimenor” que roubava a sua mochila e o seu celular. Victor Hugo não reagiu, entregou a mochila e o celular, e foi executado com um tiro na cabeça.
    O “dimenor” que executou Victor Hugo, tinha na ocasião 17 anos e 11 meses…sim…foi “apreendido” e menos de 2 anos depois (1 ano e 11 meses) já está em liberdade.
    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2015/07/1651568-menor-apreendido-por-morte-de-jovem-e-solto-13-meses-antes-do-prazo-em-sp.shtml
    Pra variar, a esquerda e mídia comprada pelo PT sem calam, e não fazem estardalhaço.

  3. Sabe o que é mais interessante? Alguém ai viu alguma feminista protestar pelo estupro dessas moças? Não protestaram sabemos o porquê. Do outro lado tinham criminosos menores, e um grupo da esquerda (feminismo) não pode se indispor com outro grupo de esquerda (defesa de criminosos menores). No fundo, são as mesmas pessoas.

  4. Maria do Corsário não se interessaria pelo relato das mães dessas garotas, só se interessa pelos criminosos. Afinal, as filhas dela não correm esse risco (se é que ela tem filhas – não faço ideia, mas supondo que tenha), não estão vulneráveis como as meninas do caso estiveram.
    A votação será só em agosto, mas até lá não podemos descansar, não podemos deixar de pressionar e lembrar o tempo todo os políticos o quanto queremos isso, pra que o sofrimento dessas garotas não seja em vão.

    Ontem a petezada e suas bolsinhas auxiliares, junto com aqueles deputados de ~~oposição~~ que votaram em favor dos menores criminosos, apresentaram pedido de anulação da vitória da população. Estão cada vez mais se assumindo como inimigos do povo, nem fazem questão de esconder:

    https://casacaindo.wordpress.com/2015/07/10/306/

    E aqui duas pérolas a respeito do assunto, uma daquela porra do Mongolon, e outra do Chico Alencar do partido bolsinha surrada de prostituta (Mongolon quer mais 1 ano de mortes por menores, e Alencar acha Cunha violento mas não os menores criminosos):

    https://casacaindo.wordpress.com/2015/07/10/alessandro-molon-pede-mais-1-ano-de-menores-criminalizando-sem-medo-e-chico-alencar-pede-menos-violencia-mas-nao-dos-menores/

  5. Isso é parte de um processo mais amplo, como você deve saber melhor que nós, Luciano, previsto por Carvalho em Nova Era e Revolução Cultural e Ponerologia de Lobaczewski. Esses psicopatas sofrem a doença psiquiátrica da inversão revolucionária. Para eles, não é nada demais deixar 4 monstrinhos estrupradores nas ruas e encarceirar alguém, como queriam fazer com a dentista “racista” do caso Goleiro Aranha, por uma ofensa para a qual a mesma já se penitenciou milhões de vezes. De outro lado, feministas não poupam o trabalhador médio brasileiro, de lisonjeiras acusações “de estupro” proferidas ao sabor de bocejos matinais, devido ao fato dos mesmos terem esbarrado com elas no ônibus.
    .
    Ocorre o mesmo com os casos de racismo:Encontramos ofensas brutais proferidas a caucasianos em grupos de Justiceiros Sociais do Facebook (você também deve saber) que nada, absolutamente nada, significam para as autoridades. Isso tudo, claro, cria um clima de animosidade e formenta a divisão social, a sensação de impunidade e o desejo de deixar este país para sempre.

  6. Nem 3 anos eles vão ficar. Pelo que eu li, geralmente os menores acabam saindo antes por “bom comportamento”, o que na prática significa que as prisões juvenis estão cheias demais e eles querem se livrar do problema mandando criminosos para a rua antes do tempo.

    Há mais duas questões fundamentais, além da redução da maioridade. A primeira é garantir investimentos no sistema prisional e a segunda é reformar o ECA, para que não se possa colocar criminosos perigosos na rua apenas porque alguém de dentro da prisão quer se livrar do problema. O caso deveria ir para um juíz, que seria o responsável por avaliar a concessão de benefício.

Deixe uma resposta