O fascismo extremo da BLOSTA contra Lobão

17
156

lobao

Neste sábado, o roqueiro Lobão fez um show acústico em São Paulo, no qual cantou velhos hits e músicas novas. Entre os velhos sucessos reconstruídos, debulhou Vida Bandida, renomeada para Dilma Bandida.

Foi o suficiente para o blogueiro estatal Paulo Nogueira estrebuchar pedindo sua prisão. Para ele, a reação deve ser “enérgica, exemplar, imediata”. Por quê? Por que o roqueiro teria sido “criminoso”, tendo cometido “um crime de injúria e difamação”. Na visão do blogueiro, “há um limite de civilidade que não pode ser transposto, ou o país vira um caos”. Ou seja, o caos, para ele, é ver alguém chamando Dilma de Bandida.

Nogueira ainda diz que “o argumento mais obtuso é que se trata de liberdade de expressão”. Por que não estou surpreso? Para ele, Lobão não exerceu liberdade de expressão, mas um “crime, a não ser que ele tenha provas de que Dilma é bandida”. Mas quem primeiro comentou sobre o passado bandido de Dilma não foi o músico, mas o ex-marido da presidente, Carlos Araújo (isso sem falar nas várias e várias delações recentes, nas pedaladas fiscais, na fraude do IPEA e muito, muito mais). Como se nota, a ação proposta por Nogueira não vai dar em nada. Ele próprio se entrega ao dizer que “o mínimo que se pode fazer é incomodar o ofensor em casos como o de Lobão”. Nada de surpresas até o momento, pois para a figurinha o importante é causar problemas para os oponentes através de litigâncias de má fé.

Outra figurinha, que atende pelo nome de Marcelo Moreira, deixou seus nervos bolivarianos aflorarem e resumiu-se a xingar muito no Twitter. Pelas lentes de Moreira, Lobão partiu “para a irrelevância de forma deliberada”. O cantor teria ido para o “fundo do poço”. Outras palavras usadas incluem “decadência”, “de ranço moralista”, “ideológico”, “alguém que fala sozinho”, “tendo perdido qualidades de roqueiro”, “sem bom senso”, “sem dignidade”, “desrespeitoso”, “propagador de ódio”, “de mau gosto”, “despreparado”, “intolerante”, “desesperado”, “irrelevante”, “chulo”, “autossabotador”, “jogado no abismo (por si próprio)” e “com a carreira no esgoto”.

Não dá para deixar de perguntar, evidentemente: em toda a “crítica” do show de Lobão, feita por Moreira, há algum comentário musical? Não. Há alguma análise das novas músicas? De jeito algum. Todo esse show de baixaria foi lançado por um pseudocrítico musical apenas pelo fato de Lobão ter falado algumas verdades sobre Dilma e seu governo/partido fascista. Engraçado que essa figurinha conclui sua “crítica” dizendo que “quando o desrespeito vira argumento, é hora de trocar o CD/DVD/LP”. Claro, claro… e todo o papelão de Moreira contra Lobão foi muito argumentativo e respeitoso.

Enfim, os fascistas podem estrebuchar, mas Lobão, melhor que nenhum outro dos nomes dos anos 80, demonstra puro espírito rock’n’roll, agindo de forma verdadeiramente subversiva, se recusando a abaixar a cabeça para uma manada de militantes bovinos que trocam sua dignidade por verbas estatais, estas últimas desprezadas pelo roqueiro tão odiado por Moreira.

A escória governista de fato não se cansa de rastejar em público.

P.S.: Como me lembraram no Facebook, essa história de querer prender músicos que desafiam o sistema tem um baita cheiro de ditadura militar.

Anúncios

17 COMMENTS

  1. Credo!!! Ele só fez uma paródia. Eu não me surpreendo com a blosta pois sei que fanatismo é algo sério demais. E fanati$mo financiado mais ainda.

    • Bem colocado, fanati$mo ideológico dos ‘intelectuais’ petistas é bem diferente do fanatismo dos militantes comuns do PT, que hoje, são uma meia dúzia, onde a maioria agora só tem tem disposição de ‘abanar bandeira’ se ganhar algum, e isso são reclamações do próprio Lula.

  2. Vale lembrar que Paulo Nogueira, semanas atrás, pediu também a prisão do responsável por distribuir os adesivos obscenos de Dilma para carros.

  3. O depoimento abaixo é baseado no que foi mencionado no quarto parágrafo deste artigo.

    Esse povinho adora usar adjetivo. Fatos e dados objetivos? Nada. Antes de eu sair das mordaças do politicamente correto e dos esquerdopatas, tinha um cara que eu discutia demais. É um Socialista que coloca Fidel Castro no pedestal. Toda vez que entrávamos numa discussão, ele enchia o texto de adjetivo pra tentar provar algo. Isso é o que uns amigos e eu chamamos de “falar água”.

    O duro é que eu dizia “ok, essa é sua opinião, mas cadê os fatos?”, e ele retrucava que a opinião dele era o fato. Exemplo: Neymar, na visão dele, é melhor que Messi (isso em 2014); eu perguntava em que ele se baseava, e a resposta que eu recebia é que o Neymar ser melhor é um fato por si só. Veja que eu não discordava (apesar de discordar). Eu só perguntava qual era o critério…

    Tive que cortar do meu círculo, no fim. Sem, é claro, deixar de pegar no pé quando vem com frases do tipo “vocês são um bando de mau perdedor querendo derrubar a Dilma para ter terceiro turno”. Mas isso eu já faço com qualquer um que venha com essa.

  4. Contra os extremistas populistas que defendem a escória sórdida que tomou o poder, e sua forte tendência antidemocrática e ditatorial, os ativistas da liberdade democrática e da moral republicana devem em suas ações, sempre tentar distender cada vez mais os limites da liberdade de expressão, acabando com este medo imbecil causado pela possibilidade de ofensa a alguma “otoridade”. E no dia em que algum destes aloprados inventar de colocar as mãos num dos bravos que não têm medo de dizer o que pensam, a casa do Brasil vai cair e a república de bananas da democracia de fachada será desmascarada. Porque em nenhum país do mundo democrático alguém pode ser preso por expressar seus ideais políticos, e não podem existir presos políticos em países democráticos….então “eles” que não ousem cruzar a linha, e que mordam suas línguas com sua raiva, e engulam seu ódio até lhes causar câncer, mas que não ousem cruzar a linha da liberdade de expressão em nome da sua imbecilidade, porque esta idade de trevas já está terminando.

  5. Além dos canalhas gostarem de uma perseguição, não estariam tão incomodados se Lobão mesmo fosse “alguém que fala sozinho”.
    Ainda bem que, contra a propaganda mesquinha que fazem artistas financiados pela Lei Rouanet, o Brasil tem os artistas conscientes e patriotas para ajudar tirar do poder esses comunas golpistas.
    Encontrei o vídeo no youtube, por poder ser censurado, como outros, vou colocar o link apenas. Quem não viu:
    https://youtu.be/cr4mKmMOuDA

  6. Meu avô fazia paródias sobre todo jingle, abertura de novela, programa, musica popular, etc, e sempre sacaneando. Afinal, é para isso que inventaram a coisa. Tadinho do meu avô, era bandido e nem sabia, feito a dilma…
    Vem me prender, vem!

  7. Prisão pró Lobão por suposta difamação e Calunia, porém benevolência para menores estupradores e assassinos. É um ótimo frame contra esquerdistas, sempre jogar na cara deles que eles são contra prisão para menores infratores que cometem crimes de verdade.

  8. O pior foi quando o infeliz disse:
    “[N]um teatro lotado, se alguém gritar fogo, não poderá depois invocar a liberdade de expressão. Sua fala poderá provocar uma tragédia.
    É uma definição clássica, citada com frequência em casos em que se debate a liberdade de expressão.”

    Que tipo de tragédia a música do Lobão pode causar? Só se for para o bolso do Paulo Nojeira.

  9. Nossa, essa foi uma das coisas mais bestas que eu já vi esse Paulo Caganeira falar, quer prender o Lobão por conta de uma liberdade artística.
    Esse outro babaca Marcelo Moreira, ou melhor, Marcelo Caganeira, puxa saco do Pau(no cu)lo Caganeira, quis entrar nesse mérito de “Lobão não é mais roqueiro”: fio, vá cagar, ser roqueiro é ir contra ao que estão esperando de você, e se hoje em dia na cultura só espera-se esquerdices, Lobão tem tido muito culhão de se posicionar e de não ceder a pressões de gentinha como esses dois Caganeiras.

    Vamos guardar bem isso: Paulo Nogueira quer prender Lobão por causa de uma música. Guardemos bem isso, bem essa arma. Será usada de volta contra eles na primeira brecha.

  10. se você é o Billy Bragg e canta sobre o comunismo, tudo bem.
    se você é o Morrissey, faz um disco chamado “The queen is dead” com sua banda e, em carreira solo, batiza uma música de “Margaret on the guillotine” (notem a sutileza), tudo bem. é de direita, merece morrer.
    se você é o Moby, vem fazer shows no Brasil e, em Brasília, pede “perdão, em nome dos americanos, pelo grande lixo que é George W. Bush” (eu presenciei essa cena), tudo bem. do mesmo jeito, qualquer discurso daquele cara do Green Day (que insiste em achar que está na puberdade) sobre Bush filho é válido.
    se você é o Manic Street Preachers e abre seus shows com um sósia do Karl Marx falando da função da arte na revolução proletária, chama os EUA de terrorista e vai a Cuba lançar disco, com Fidel Castro no camarote, beleza.

    isso só falando de políticos e de doutrinas políticas, para não falar dessas cantoras pop que incentivam o aborto e o hedonismo desregrado, ou de metade da obra do Planet Hemp.

    de um lado pode. do outro, censura, menosprezo e atribuir essas coisas à decadência. então tá.

    • Disse tudo! Um artista pensar contra a maré esquerdizante é assinar uma sentença de morte na carreira. Está ficando cada vez mais difícil assistir filmes, seriados, ouvir musicas e principalmente o discurso das “celebridades” sem vomitar com tanta hipocrisia e oportunismo barato.

Deixe uma resposta