Pablo Villaça ensina como “esconder a crise”

23
236

maxresdefault

O crítico de cinema mais petista de que se tem notícia, Pablo Villaça, outra vez nos mostra não ter medo de chafurdar na lama. É intelectualmente desonesto até dizer chega. E claramente parece se orgulhar disso.

No texto “Apesar da Crise” ele simplesmente finge que a crise não existe. Para ele, essa história de crise é um mito. Villaça afirma que crise mesmo “era a dos anos 90”. Dos tempos de Fernando Henrique. Só é engraçado ele omitir os tempos de José Sarney, atual aliado do PT, quando as coisas eram bem piores que nos anos 90.

Segundo ele, a safra agrícola é recorde. O que é esperado. Todo ano é. A população não pode deixar de comer. Ele também afirma que “o setor automobilístico tem imensas filas de espera por produtos”. Engraçado, pois é um dos setores com mais demissões. Já vemos montadora financiando sem juros.

Para ele, “os supermercados seguem aumentando lucros”. Só faltou ele dizer qual era a taxa anterior e a nova taxa. Villaça também se vangloria de que “a estimativa de ganhos da Ambev para 2015 é 14,5% maior do que o de 2014”. Pena ele se embretar ao mudar o universo de comparação. Antes falava de setores em geral. Em seguida resolveu falar de uma única empresa.

A figura afirma que Villaça “os aeroportos estão lotados”. Porém, as pessoas estão fazendo viagens mais baratas, uma vez que estão sem dinheiro. Afirma também que “as cidades turísticas têm atraído número colossal de visitantes”. Sim, pois com a desvalorização do real, as coisas ficam baratas para estrangeiros. Fenômeno igual ocorreu na Argentina há dois anos.

E olhem este dado científico fantástico: “Passem diante dos melhores bares e restaurantes de sua cidade no fim de semana e perceberá que seguem lotados”. Incrível. Parece até conclusão vista em paper peer reviewed.

Como crítico de cinema, ele apela à sua “área”, a “cultura. O gênio argumenta que em um país em crise, as pessoas passam a economizar em relação a entretenimento. Eis a única coisa verdadeira em todo seu conteúdo. Porém, observe o que ele afirma: “É revelador notar, por exemplo, como os cinemas brasileiros estão tendo seu melhor ano desde 2011”. Mas ele escondeu uma informação básica: este é um ano extraordinário para o cinema, no qual, só para se ter uma ideia, Avengers 2, Jurassic World e Velores e Furiosos 7, lançados em 2015, ocupam respectivamente as posições 4, 5 e 6 das maiores bilheterias de todos os tempos. Ou seja, se a bilheteria brasileira estiver com qualquer status menos que espetacular (como realmente acontece) temos um fracasso.

Como se nota, até aqui todos os critérios de Villaça para classificar o governo Dilma como um sucesso são todos mais pseudocientíficos que quiromancia.

Mas ele vai além, ao escrever o seguinte bloquinho, que faço questão de transcrever na íntegra:

Uma “crise” que, no entanto, não dissuadiu a China de anunciar investimentos de mais de 60 bilhões no mercado brasileiro – porque, claro, os chineses são conhecidos por investir em maus negócios, certo? Foi isto que os tornou uma potência econômica, afinal de contas. Não?

Socialistas são patéticos, realmente.

Primeiro que China não “investe” em outros países. É um país comunista. No máximo, ela faz um título de capitalização para obter escravos no futuro, assim como já os tem em quantidade em seu país. Segundo: a China ocupa a posição de número 83 no ranking de renda per capita. Falamos de uma falsa potência econômica, que só tem importância por volume. O país não possui nem mérito em termos de “negócios”.

Lá pelo final, Villaça vai aos poucos descambando para o estilão “quanto pior, melhor”. É coisa de vergonha alheia. Um perfeito exemplar do discurso trash.

Sua técnica se baseia em encontrar notícias que afirmem coisas como “apesar da crise, (x)”, onde (x) é um efeito positivo, quase sempre isolado. Por exemplo: “Apesar da crise, organização da Flip soube driblar os contratempos: mesas estiveram sempre lotadas”; “Apesar da crise, produção de batatas atrai investimentos em Minas”; “Apesar da crise, Riachuelo vai inaugurar mais 40 lojas em 2015″.

Como sempre, dados sem nenhuma sustentação estatística, espalhados por amostras díspares em populações que nada tem a ver uma com a outra. É o verdadeiro raciocínio mágico.

O fato é que todos os rodeios vergonhosos de Villaça não escondem os fatos: a inflação hoje vence Dilma por dois dígitos (9% da inflação contra 7% da popularidade de Dilma), as contas públicas não vão fechas (Levy já reconheceu isso), o desemprego está aumentando de forma assustadora (foram mais de 110.000 vagas perdidas só no mês passado), o rendimento médio do brasileiro caiu em relação ao ano passado (e se tivesse aumentado 9% teríamos um empate, por causa da inflação) e daí por diante.

Qualquer apontamento de melhorias esporádicas (por exemplo: citar uma empresa específica, um estado específico, um ramo de negócios específico em um momento fora da curva) não mudam os fatos observados cientificamente.

Alias, poderíamos fazer uma análise científica: 100% dos petralhas que negam a crise resolvem culpar a mídia por, segundo eles, inventar uma crise que não existe. Villaça não poderia deixar de agir de modo diferente, ao concluir desta forma cretina: “A crise que nós vivemos no país é a de falta de caráter do jornalismo brasileiro.”

Este é o tipo de perfil que os petistas atraem. Pessoas que usam jogos retóricos para esconder uma crise real, sem o menor traço de empatia pelo povo que está sofrendo por causa de uma presidente culpada por estelionato eleitoral, por entregar o BNDES à pilhagem de tiranetes associados ao Foro de São Paulo, por tentar censurar a mídia (para esconder os indicadores ruins e a corrupção) e, por tudo isso e muitas outra atrocidades, nem ter o despudor de vir se defender em público.

Para isso, ela depende de gente como Pablo Villaça, que entra em campo com mentiras, ardis e truques os mais indignos e desonrosos possíveis. Não dá para descer mais baixo que isso.

Anúncios

23 COMMENTS

  1. Para esses luminares do pensamento, crises econômicas só existem se hordas de miseráveis tomarem as ruas, milhões morrerem de fome, houver saques diários, os bancos quebrarem, o país for à falência totalmente. Esse é um jogo que vem sendo bastante usado pela esquerda, Luciano (lembra até aquele outro que você já mapeou, em que se associa a figura do comunismo a tanques na rua para negar qualquer iniciativa comunista).

    Sobre Pablo Villaça, embora seja um dos petistas mais articulados da atualidade, me parece ser apenas um funcional (embora as Leis Rouanet da vida possam me desmentir). Digo isso porque, assistindo a alguns de seus vídeos, é notável como sua postura, sua voz e até sua fisionomia se alteram ao falar do PT. Já vi alguns em que ele discorre sobre cinema durante minutos e parece um sujeito perfeitamente normal e sensato. De repente, começa a falar de política e demonstra um fanatismo e uma histeria quase palpáveis, a ponto de até seu olhar mudar. Combato ferrenhamente a crença na crença, mas me parece (e repito que posso estar errado) que ele REALMENTE acredita no petismo e na esquerda (sem prejuízos do fato de lançar argumentos desonestos conscientemente). Ou seja, é majoritariamente um histérico, e contra histéricos a melhor tática é a ridicularização (ele sempre dá corda quando o pessoal da Humans of PT mostra suas incoerências).

    • Caro Julio Cesar e que oCOMUNISMO nao pode ser admitido por eles pois o ESSE sempre toma o poder pela forca , subjugacao, violencia e morte, entao enventaram o nome SOCIALISMO que e uma forma soft de chegar ao mesmo fim e no Socialismo eles tomam o poder de forma sutil e SEMPRE mentirosa, minando as bases de todos os setores e enganando a populacao de que eles estao na plena Democracia e que sempre vencem pelo voto, o que e mentira e logico! Nesse JOGO SUJO eles morrem mas nao se dizem comunistas porque o que esse regime MATOU ate hoje todos ja conhecem. e fugiriam deles como do DEMONIO. Entao se EXISTEM seguidores, militantes ou escravos subservientes e pela mentira que fazem. Se fossem honestos nunca estariam no poder.

  2. Ministro do PMDB Eliseu Padilha e Deputado líder do PT na Câmara José Guimarães disseram:

    =
    “Nesses momentos de tensão, sempre é bom estender a bandeira da paz, a bandeira branca. E nós vamos estender a bandeira mais uma vez para o Congresso, que foi isso que estabeleceu as vitórias que tivemos aqui. É um novo momento do país. O tensionamento vem das ruas, vem do Congresso, vem de todas as partes. É normal. Todo mundo tem que ter responsabilidade com o país. Ninguém quer tocar fogo no país”
    =
    “Os fatos acabam sendo ditados pelas circunstâncias do momento. Penso que todas as pessoas que chegam à posição que ele (Cunha) chegou, traz com ele aquela responsabilidade de chefe de Poder: que o interesse da nação se sobrepõe aos interesses momentaneamente conflitantes”
    =
    Os citados e o que afirmam (todo mundo tem que ter responsabilidade com o país) (o interesse da nação se sobrepõe aos interesses momentaneamente conflitantes) dizem isso para opositores porém a presidente “não tem responsabilidade com o país” e coloca seus interesses pessoais e de seu partido acima do interesse da nação.
    =
    São cretinos!
    =
    Luciano aprendemos com seus posts. Continue a desmascarar o lobo travestido de cordeiro, o PT.

  3. Os Petistas e esquerdistas não atraem esse tipo de gente; eles contratam mesmo. É um perfil psicológico que ajuda muito na agenda de implantação de um regime totalitário. Qualquer um com tendências sociopatas tá valendo. Isso inclui artistas medíocres, esportistas arrogantes e criminosos em geral. Gente mentirosa, umbigocentrista, que tem a certeza absoluta celestial de que é sim mais importante que os demais e deve ser recompensada e louvada por isso.

  4. Luciano, eu não quero mudar o assunto da parada, como sempre, mas acabei de flagrar uma situação irônica sensacional vindo da Revista Fórum.

    Acabou de aparecer uma notícia no site fazendo um escândalo sobre o patrocinador da lei da redução da maioridade penal, por ele ter dito que, no futuro, a ciência poderia identificar bebês com tendências homicidas e demandar seu aborto. http://www.revistaforum.com.br/blog/2015/07/relator-da-reducao-da-maioridade-penal-sugere-aborto-de-bebes-com-tendencias-a-criminalidade-no-futuro/

    Muito embora este raciocínio seja realmente um absurdo sem tamanhos, acho que quem leu até aqui já entendeu o problema nisso tudo: Revista Fórum é abertamente a favor do aborto.
    http://www.revistaforum.com.br/blog/2015/06/mulheres-e-aborto-e-tema-de-debate-em-seminario-assista-aqui/

    Evidentemente, a página escolhe ser anti-abortista a partir do momento em que a palavra sai de um defensor da redução da maioridade penal.

    • Eles provavelmente fazem algum cálculo e concluem para qual lado atirar contra. Como a redução da maioridade penal está prestes a ser votada novamente na Câmara dos Deputados, é mais interessante atacar a redução do que falar do aborto.

  5. Ayan, parabéns por refutar o Pablo Villaça. Para fins de estudo, gostaria de ler a tréplica do Villaça (embora eu tenha certeza que ele seria desonesto intelectualmente, como sempre).

  6. Esse sujeito certamente não vai a supermercados quando precisa gastar o dinheiro dos outros. Deve ter algum aspone que ganha bem para fazer isso por ele. Bom, o que é ganho sem esforço a gente gasta sem culpa, né?

  7. Lendo os comentários no perfil desse cara me deparei com isto:

    “Na década de 90 tive o desprazer de ver meu marido, irmão e cunhados desempregados!!! Aquilo sim era crise!!!”

    Ou seja, só é crise mesmo quando o desemprego bate na sua porta, do contrário está tudo bem!

    Como eu li por ai esses dias: Recessão é quando o seu vizinho perde o emprego; depressão é quando você perde o seu.

  8. É notável que Pablo Villaça esquece-se da floresta, ao examinar somente determinadas árvores. Ele foca em outliers, mas o todo passa desapercebido. Se fosse um pesquisador tentando publicar um artigo científico, com certeza levaria uma belo NÃO dos revisores. O que temos então? Desonestidade intelectual, como todo bom esquerdista.

    Milhares estão sendo demitidos no Brasil. Basta uma simples busca no Google com a palavra-chave “demissão brasil 2015” para encontrarmos:

    * “Com a estagnação do país em 2015, 1,2 milhão de pessoas serão demitidas”
    http://www.correiobraziliense.com.br/…/com-a-estagnacao-do-…

    * “TAM vai reduzir operações no país e estima demissões”
    http://www.em.com.br/…/tam-vai-reduzir-operacoes-no-pais-e-…

    * “Queda nas vendas de veículos fecha 250 concessionárias no Brasil – Foram demitidos 12 mil trabalhadores este ano, de acordo com a Fenabrave, que diz que a causa da queda do setor é a economia parada.”
    http://g1.globo.com/…/queda-nas-vendas-de-veiculos-fecha-25…

    * “250 concessionárias de veículos fecham, e 12 mil são demitidos”
    http://www1.folha.uol.com.br/…/1625230-250-concessionarias-…

    * “Volkswagen coloca 8.000 funcionários em férias coletivas”
    http://www1.folha.uol.com.br/…/1624475-volkswagen-coloca-oi…

    * “Máquinas e construção civil já ameaçam demitir 630 mil”
    http://www1.folha.uol.com.br/…/1644299-maquinas-e-construca…

    * “Governo estuda reduzir jornada de trabalho para combater demissões” (típico ato de governos socialistas)
    http://www1.folha.uol.com.br/…/1633245-governo-finaliza-pla…

    * “Demissões batem recorde e homens respondem por maioria das dispensas”
    http://g1.globo.com/…/demissoes-batem-recorde-e-homens-resp…

    Quanto ao último, ele não quis mencionar que os homens são os mais atingidos (feminazis não reclamariam, não é mesmo?). Enfim, toda essa patacoada do Villaça é facilmente desconstruída com fatos e verdade. Deixo para vocês a busca dos MILHARES de resultados.

    Em tempo: quem é que segue as opiniões políticas chapa-branca de Pablo Villaça?

  9. E ainda que não houvesse crise, a rejeição popular esta ai, pra ninguém negar.
    Isto porque o povo não decide mais com o estomago!!
    E isso e´um luxxoooo! Conquistamos isso por Olavo de Carvalho, Luciano, Reynaldo, Felipe Moura, Polybio Braga e alguns poucos jornalistas com espinha dorsal.
    Valeu!

  10. Pois é. De acordo com ele, não há crise.

    Lembrando que o próprio só consegue sustentar o site que possui porque passou o chapéu, pediu esmola para os leitores, pois não tinha mais como sustentar os custos de manutenção e hospedagem do site.

    Que crise?

  11. Onde se lê “Villaça não poderia deixar de agir de modo diferente”, penso que deveria ser “Villaça não poderia agir de modo diferente” ou “Villaça não poderia deixar de agir de modo semelhante”.

  12. “A figura afirma que Villaça “os aeroportos estão lotados”.”

    Primeira mentida derrubada:

    http://tribunadonorte.com.br/noticia/tam-vai-reduzir-voos-entre-o-rn-e-o-rio-de-janeiro/319737

    Os vôos corporativos estão em queda e isso é horrível, pois é o mais caro (logo, mais lucrativo para as empresas).

    “É revelador notar, por exemplo, como os cinemas brasileiros estão tendo seu melhor ano desde 2011″.

    Ele fez essa conta excluindo a cota aos filmes brasileiros (que aumentou no final do ano passado)?

    http://teleguiado.portalvox.com/cinema/2014/12/ancine-limita-em-35-ocupacao-das-salas-de-cinema.html

    “Primeiro que China não “investe” em outros países. É um país comunista.”

    Bom…ao meu ver a China não é comunista, mas sim socialista.

    A parte mais engraçada é quando ele usa a Exposerra como exemplo de que não há crise.Na cabeça desse sujeito, se um país está em crise logo não há eventos.

    Partindo desse raciocínio, eu posso afirmar o mesmo usando os EUA, porque apesar da crise eles realizaram a E3, feira de games que é bem mais cara e lucrativa que a Exposerra.

    Ah sim, o cinema.Apesar da crise, um filme de 2009 (Avatar) conseguiu ter a maior bilheteria da História.

    http://www.boxofficemojo.com/movies/?id=avatar.htm

    Veja a lista:

    http://top10mais.org/top-10-maiores-bilheterias-de-cinema-de-cinema-da-historia/

    Curioso que a maioria dos filmes dessa lista foram lançados em um período em que a Europa e EUA (maiores bilheterias) estavam em crise.

    Os argumentos do Pablito são patéticos.Não é à toa que virou “crítico” de cinema (eufemismo para cineastra fracassado).Assim como não é à toa que quem aplaude essa idéia é o mesmo tipo de tolo que paga para fazer um curso sobre O Poderoso Chefão, oferecido pelo Pablito.

  13. A primeira coisa que lembro de ver do Pablo Villaça foi um vídeo em que ele dizia porque tinha resolvido parar de ler o Reinaldo Azevedo. Falava que até o acompanhava, mas isso fazia mal a ele, que sentia ódio, que era tudo muito depressivo. Confesso que na hora até acreditei que ele realmente era um cara eminentemente apolítico que se interessava pelas notícias e tinha achado o tom pesado demais.

    Mas eis que vejo textos dele e descubro que o cara é um esquerdista radical. Ou seja, aquele vídeo era puro fingimento para fazer com que o RA ganhasse o rótulo de radical e raivoso. Engraçado é que os blogs do governo nunca arranharam sua sensibilidade. A campanha eleitoral da Dilma também não. Muito menos os absurdos do governo venezuelano, com direito até a estupro com fuzil.

    A sensibilidade dele é extremamente seletiva. É com esse tipo de gente que estamos lidando.

  14. Sim, certamente são falácias do Pablo, que podem enganar muita gente sem formação técnica ou sem uma inteligência razoavelmente alta. Ele não é formado em economia, então talvez ache – ou talvez tenha má-fé mesmo – que alguns dados de empresas específicas, de ramos específicos, de regiões específicas, podem ser SUFICIENTES para indicar a situação econômica de todo país, quando, na verdade, cientificamente, tais dados NÃO são suficientes, havendo outros dados muito mais fortes que indicam a crise. Por que o Villaça não publica um artigo de economia, hein? Porque o que ele diz não é científico, quando, em se tratando de uma área científica (economia), deveria ser. É como eu sempre falo: não dá para falar de economia como se fala de cinema, de política, de fofoca. A coisa é matemática. O que Villaça faz é apenas retórica, com ou sem má-fé (não sei), enganando petistas e não-petistas ingênuos e sem formação suficiente para compreender o engodo. Que o país vai acabar, ninguém disse isso. Agora, que é bem séria essa situação da inflação, das contas públicas, do desemprego, da corrupção enorme, tudo isso de responsabilidade principal do PT, isso o Villaça não tem como negar.

Deixe uma resposta