Presidente do Bradesco mente para babar ovo do governo

7
160

trabuco

O presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, acha que todo mundo é idiota ao sair criticando a tal “crise política”. Diz ele: “A crise política é mais forte que a econômica. Isso abala a confiança no país e retarda a retomada do crescimento”. Complementa: “Precisamos sair desse ciclo do quanto pior, melhor. Melhor para quem? Para o Brasil, não é. As pessoas precisam ter a grandeza de separar o ego pessoal do que é o melhor para o país”.

Então, se é assim, temos que falar na lata: o Sr. Trabuco é um mentiroso.

Ele dirige o Bradesco, uma das três maiores instituições financeiras do Brasil. Parabéns para ele. Porém, ele esconde de você uma informação fundamental: a empresa que ele dirige depende da guerra política corporativa para sobreviver. Isto significa que todo e qualquer executivo da empresa dele vive sob fogo cruzado de vários adversários políticos em diversos níveis de gestão. Por causa desta guerra política, seus executivos são obrigados a gerar um resultado satisfatório. Se não gerarem, serão derrubados.

Pela posição que ocupa, Trabuco sabe que não é “a crise política” que atrapalha qualquer empreendimento. Ao contrário, é a falta de desempenho dos responsáveis pelo poder que permite o surgimento da tal “crise política”.

O importante é notar que o Sr. Trabuco sabe que está mentindo, pois ele depende de “crises políticas” para pressionar seus executivos a gerarem resultados. Ou seja, a “crise política” é algo que seus executivos temem como uma consequência de não gerarem resultados. A conclusão é óbvia: “crise política” nunca é culpada de nada, sendo apenas uma consequência da competição pelo poder.

Eu duvido muito que o Sr. Trabuco exija o encerramento de qualquer pressão sob executivos ineficientes. Ele não é louco de fazer isso, pois tal retirada de pressão faria seu banco afundar. Então por que ele pede o mesmo para o Brasil? Por que está com segundas intenções.

Então a coisa é clara: papinho de “culpa da crise política” é sempre desonestidade. Esta desonestidade é agravada quando nos é presenteada por uma pessoa que dirige organizações que dependem de “crises políticas” prestes a surgir em momentos de baixos resultados, pois são as pressões resultantes das oposições (ou, no caso corporativo, dos executivos adversários) que motivam exatamente os resultados que Trabuco tanto adora e demonstra para seus acionistas.

E, enquanto isso, Trabuco está pronto para deixar “crises políticas”, daquelas que fariam a tal “crise política” alardeada pelo governo petista parecer um afago, se abater sobre o próximo executivo em sua organização que deixar os indicadores deslizarem por meses seguidos. E ele fará isso com toda determinação do mundo, exatamente para que seus resultados sempre positivos.

Babar o ovo do governo tem sido comum. Mas não com mentiras que ofendem a inteligência de qualquer pessoa que preste atenção em dinâmicas do poder. O problema, enfim, não é “crise política”. Como o Sr. Trabuco sabe (e está escondendo de você), o problema está no desempenho daquele que desonestamente chora ao reclamar da “crise política”.

Em tempo: como bem lembrou um leitor, os banqueiros estão felizes com o governo Dilma, uma vez que com juros tão altos eles tem lucrado os tubos.

Anúncios

7 COMMENTS

  1. Esse cara aí, para quem não lembra, era um dos mais cotados como Ministro da Fazenda. Além disso, o Bradesco é “parceiro” do governo em diversas empresas, e está inserido no maior pacote de financiadores voluntários das loucuras governamentais (detentores da dívida pública federal).

  2. A coisa vai tão mal para o Sr. Trabuco que o Bradesco abocanhou o HSBC aqui no Brasil. Se tem crise, para ele com certeza não é aqui onde suas operações vão de vento em popa e ela ainda emplacou seu braço direito no ministério da economia. É um grande canalha!

  3. O Bradesco acaba de adquirir a operação brasileira do HSBC em negócio cujo volume surpreendeu a todo mercado. Julgou-se que o Bradesco pagou mais do que poderia. Diante dessa fala do Trabuco, que foi convidado por Dilma prá assumir a Fazenda, mas passou a trolha prá seu subordinado Joaquim Levy, se eu fosse jornalista político/investigativo, me interessaria bastante por essa aquisição.

  4. E a gente ainda chama quem abana bandeira do PT de militonto por não ter uma ideia ou pensamento próprio, esse senhor nada mais fez que os militontos, que é copiar e repetir as frases ditas pelos PTralhas.
    Quem acha que quanto pior melhor é o PT, se não fosse assim, Dilma e o PT já teriam se afastado do governo, não teriam causado essa crise, petralhas jogaram o país na lama, pois na lama, na sujeira e miséria é onde esses bolivarianos se saem melhor, vide Venezuela.

  5. Lembrando que o Bradesco é responsável pelas operações bancárias da maioria dos funcionários públicos, pelo menos aqui no RJ eles ganharam a licitação contra o Itaú. Então tem angu nesse caroço.

Deixe uma resposta