A lição a ser tirada da Argentina. Ou: Como o “já ganhou” é um perigo a ser evitado.

20
103

Ontem, Rodrigo Constantino fez uma análise brilhante das eleições recentes na Argentina. O caso é que no primeiro turno, o candidato apoiado por Cristina Kirchner ficou quase 10 pontos à frente do segundo colocado (faltou pouco para ele vencer no primeiro turno). Antes de falar da Argentina, Constantino lembra do caso brasileiro:

O PT já era. Do ponto de vista moral, é isso mesmo. Vemos ratos abandonando a canoa furada na maior cara de pau, como se não tivessem defendido o lulopetismo até ontem. Sentem os ventos de mudança e se adaptam. Mas isso não quer dizer que o PT acabou politicamente, muito menos que o governo está com seus dias contados. Reconhecer a diferença entre as duas coisas é fundamental para a sobrevivência de nossa democracia.

É isso!

Temos que deixar claro que o clima de “já ganhou” deve ser deixado para trás. Sabemos que os líderes petistas possuem um senso moral digno de assustar o Cão. Porém, ao mesmo tempo, possuem uma capacidade de compreensão dos eventos políticos que raros direitistas conseguem sequer assimilar. Às vezes dá a impressão que o PT possui um aparelho no estilo daquele usado pelos personagens do filme MIB (Men in Black), mas que ao invés de apagar a mente, faz com que seu alvo passe a pensar e agir como uma criancinha. O fenômeno se presencia quando vemos o PT dizer coisas como “Aécio é agressivo por usar o termo leviana” ou “há pauta-bomba do Congresso”, sem serem contestados ao ponto da humilhação épica.

A partir do dia em que fizermos a escolha de compreender os arquitetos do PT como exemplos de mentes psicopáticas, iremos não apenas adentrar a um mero embate político, mas a uma luta contra a psicopatia política. A partir daí, cada instância de cinismo alucinado custará caro aos petistas. Mas enquanto não fizermos a opção por este entendimento da realidade, ainda deixamos na mão dos petistas um poder assustador. Ter o poder de agir como um psicopata diante de pessoas que não conseguem entender o processamento de eventos resultantes de tal tipo de gente, em qualquer embate político, é um diferencial aterrador. Podemos até supor que os arquitetos petistas conseguiram tal nível de conhecimento a partir de consultorias vindas de outros líderes que já avançaram totalitarismos em maior escala no Foro de São Paulo, como Venezuela e Argentina.

Constantino lembra que “mesmo com toda a crise econômica e moral, esses governos autoritários bolivarianos conseguiram se manter no poder”. Eu já complementaria com a seguinte observação: ter o poder de agir como um psicopata político, diante de uma oposição (seja de direita ou não) que escolheu por não entender este tipo de mente, é realmente um diferencial. Exatamente por isso temos que nos manter atentos.

Ele nos lembra:

O Brasil não é a Argentina, nem mesmo a Venezuela. Mas a Argentina tampouco era a Argentina! Era um país com imprensa livre, com ampla classe média, e deu no que deu. Após mais de uma década de casal K no poder, as instituições foram para o espaço e os eleitores perderam as esperanças.

É por isso que o PT luta tanto para controlar a mídia com projetos de lei. Porque isso é garantia de permanência no poder, mesmo com o país devastado. O detalhe é que hoje o PT controla parcialmente a mídia, com o uso de verbas estatais em ritmo torrencial, e principalmente com uma blogosfera estatal, bancada com R$ 10 milhões de reais por ano do mesmo tipo de verbas estatais. E tudo isso raramente questionado por direitistas, que fazem hangouts e palestras que duram horas e, mesmo assim, dificilmente reservam minutos para tratar de projetos de lei para acabar com esse absurdo. A luta pelo controle da mídia é valorizada pela extrema esquerda na mesma medida em que é desprezada pela direita atual. Escolhas deste tipo ajudam a dar a segunda classe de poder indisputado do PT: uma vantagem no controle das narrativas.

Resumindo, a direita fez duas escolhas perigosíssimas, dentre outras: (1) não assimilar a luta contra os petistas como se fosse a luta contra psicopatas políticos, (2) ignorar completamente a luta pela liberdade de imprensa, na mesma proporção em que os bolivarianos querem controlá-la. Constantino prossegue com o alerta:

O PT ainda não foi jogado para escanteio. Sim, o governo Dilma tem a maior rejeição da história. Mas ela ainda está lá. O PT ainda controla milhares de cargos e bilhões de gastos públicos. Ainda tem a máquina estatal para usar e abusar. E enquanto o inimigo do Brasil tiver tantas armas, a guerra não terá terminado. Cochilou, o cachimbo cai. Tudo que o adversário mais deseja é ser tido como morto.

Por essas e outras razões vejo qualquer saída que preserve Dilma na presidência e o PT no governo como inadequada. É negligenciar o poder dos safados com todo esse arsenal à disposição. O alerta que vem da Argentina é bastante claro: nem mesmo a mais grave crise econômica é garantia de derrota política do governo. É preciso evitar o clima de que o PT já era. Ele está morto moralmente falando. Mas continua vivo… e no poder!

O PT tem um poder terrível em suas mãos, que, bizarramente, optamos por não tentar tirar. Estas escolhas tem colocado bolas de ferros em nossos pés, tornando complicado um jogo que poderia ser muito mais fácil. Por isso, concordo com a sugestão de Constantino. Diante de tanta capacidade de reação petista, o melhor a fazer é motivar o maior número de pessoas para as manifestações do 16/8.

Anúncios

20 COMMENTS

  1. Sobre motivar pessoas para 16/08, além de panfletaços ao longo da semana em diversos pontos aqui do Rio, os grupos organizadores farão uma CARREATA no sábado, véspera da manifestação, passando por vários bairros. O objetivo é dar ao povo nas ruas aquela motivação final para comparecer em peso no domingo. Participarei de algumas dessas ações. Sugiro que as pessoas se informem de atos semelhantes em suas cidades, de forma que possam também participar. Trata-se de esforço simples diante do que está em jogo, que é a nossa liberdade e o nosso futuro.

  2. Excelente, Ayan. Víboras são traiçoeiras, darão o bote quando menos se espera. Atente-se, por exemplo, que o Decreto 8.243/14 ainda não foi derrubado no Senado e toda a direita já se esqueceu dele.

  3. Sempre falei que nunca podíamos subestimar o inimigo, deu no que, ganharam as eleições, se o povo lutar de verdade sair as ruas, tiramos este desgoverno do poder, mas se pensarmos que a luta esta ganha, ledo engano, eles irão se perpetuar, seremos um povo pior que da Venezuela ou Cuba, A LUTA SOMENTE ESTARÁ GANHA QUANDO NOS INSTALARMOS NO PLANALTO, DE DIREITO E DE FATO, DO CONTRÁRIO JAMÉ!!!!

  4. Esquerdista é igual a barata, não basta pisar, tem que esmigalhar, senão, daqui a pouco você vai lá e cadê ela? Fingiu de morta, recuperou´se e vai voltar pra te assombrar.

  5. [OFF] Luciano, veja só essa entrevista (se é q ja n viu):

    https://www.youtube.com/watch?v=83NsHR5-0-Y

    N concordo com a maioria dos posicionamentos da Frente Nacional (só sou a favor da aplicação rigorosa das leis a todos, coisa q n acontece por exemplo nas ‘no go zones’, e tb sou contra a União Europeia..), mas acho q a direita liberal deveria aprender mais com ela sobre como se posicionar politicamente (vou coloca-la como sendo da direita conservadora já q ela tem tentado ao máximo se afastar do título de extrema direita).

    O pai dela demonizou o partido com extremismo e fascismo. Desde 2011 ela tem sido bem sucedida em desdemonizar o partido e aumentar suas fileiras, até msmo colocando deputados seus no Parlamento Europeu. Ela inclusive expulsou o próprio pai do partido para se afastar das imbecilidades que ele cagava pela boca na mídia desde 1970. E esse vídeo mostra em parte o motivo do seu sucesso. A direita liberal constantemente é demonizada tanto pela esquerda moderada (fabianos e social-democratas, digamos) qnto pela extrema esquerda (socialista) por que é ‘capitalista selvagem, n se importa com os pobres, vai entregar td nas mãos dos empresários e deixar o povo morrer de fome, precisamos de um estado poderoso para nos proteger’. Sabemos q td isso é mentira, mas estamos longe de mostrar para os eleitores a verdade. Msmo que n concorde com os posicionamentos dela, a direita deveria aprender com Le Pen a desdemonizar essa percepção mentirosa que a esquerda lança com sucesso.

    Dou destaque aos seguintes trechos:
    3:15 (Senhora, você não pode falar em nome de todos os britânicos, e não estou certa sequer de que os líderes britânicos podem. Temos de esperar as eleições para que o povo diga o que pensa);
    4:11 até 6:25.. Qndo a entrevistadora acusa Le Pen de ser contra os muçulmanos, e Le Pen revida dizendo que não é contra eles, e sim contra os fundamentalistas religiosos. A entrevistadora a interrompe o tempo todo e Le Pen corta: “Senhora, você parece mais interessada nas perguntas que está fazendo do que nas respostas que estou dando. Isso é desrespeitoso”. .. VEJAM A CARA DA ENTREVISTADORA EM 4:47 DE TÃO PERDIDA QUE FICOU. (E a Le Pen, por sua vez, sempre permite que a entrevistadora fale no seu tempo. Isso é perfeito, pq a esquerda poderia acusá-la de hipocrisia caso interrompesse. Mas essa tirada foi excelente do ponto de vista tático, pq literalmente calou a esquerdista, não foi mal educada e mostrou que a esquerdista não estava sendo imparcial).
    E depois, qndo a entrevistadora segue as rotinas e chama Le Pen de ofensiva, Le Pen manda: “Ofensivo é o que você está dizendo quando você amalgama muçulmanos e fundamentalistas islâmicos. Isso é ofensivo para os muçulmanos.”

    Esse vídeo sim merece um TURN DOWN FOR WHAT muito épico.
    Novamente, n concordo com o esqueleto geral das ideias de Le Pen mas sem dúvidas a direita liberal deveria aprender mais com ela a ser mais reativa contra as acusações esquerdistas.
    Sites como o Spotinks tem ajudado bastante a desfazer a percepção errada, mas ainda há mt a se fazer.
    Abraços!

    • A direita tem que dar soluções as questões sociais.
      Eu digo que a direita faz mais pelos pobres em um dia do que a esquerda fez em 100 anos.(ex santas casas que faz parte de uma instituição conservadora a ICAR, e atende 80% dos pacientes do SUS de graça e as vezes nem recebe nem o custeio do governo)
      Tem que falar em reforma agrária, não estatização do campo como quer o MST. E lembrar que quem fez reforma agrária no mundo sempre foi a direita ex, Japão, Coreia do sul, de certa forma o próprio EUA.

  6. Há um erro no artigo. As eleições de domingo foram as primárias abertas e não o primeiro turno como foi dito. As primárias abertas são para eleger em cada partido, o candidato que o representará no primeiro turno. São necessários 2% dos votos para q o candidato chegue ao primeiro turno. Alem disso, mostra o panorama eleitoral.
    O governo k tem 38% das intenções de voto. Se a oposição se unisse, seria o fim desses crápulas no poder.mas os egos e aspirações pessoais não permitiram que isto acontecesse e é bem capaz de que scioli , candidato governista K, leve a eleição no primeiro turno em outubro.
    Que sirva de lição mesmo para a oposição no Brasil.
    Aqui só nos resta rezar….

  7. Caro Luciano e demais,
    Imagino a quantidade de “cientistas políticos” de botequim dando peruadas sobre o que a direita deve ou não fazer para desancar essa asquerosa, mas vitoriosa, esquerda brasileira.
    Como não sou de ferro deixo aqui algumas.
    Primeiro, faço coro com Bedot, que em comentário prévio recente pontuou que as críticas à direita devem ser nominais. A direita sem nome é tão vaga quanto uma dor nos quartos.
    Outra dica é que a direita brasileira, e aqui cito nominalmente os movimentos MBL, VPR e ROL, além de todos os colunistas e blogueiros conservadores liberais e afins, precisa entender que o espírito político do brasileiro médio ainda não encarnou. Ou melhor, se querem invocar a massa para manifestações devem falar a linguagem dela. Samba ao invés de rock. Bolso vazio ao invés de Liberalismo. Corrupção ao invés de Foro de São Paulo. Apesar de sabermos aqui como são importantes eles não tem apego pros leigos.
    Acho mais útil levar um trio elétrico e tocar samba na Candelária que ficar discursando com rock em Copa.
    Outra obsessão que tenho e precisa ser incorporada é a identificação de pessoas chave no meio político. Considero um absurdo não se eleger o Caiado como principal voz do momento. Não por mim, mas o povão precisa de referências. O povão não lê blogs nem coluna política. Mas um senador que responda na ponta da língua as canalhices da esquerda será valorizado.

    • Perfeita sua analise dos acontecimentos, e quanto a termos uma voz, é mais que necessário que algum parlamentar se pronuncie e levante a bandeira da corrupção e mostre os pontos críticos a partir disso; saúde, segurança. educação, etc…, o povo certamente vai escutar esse lamento. Estamos órfãos de um líder e enquanto isso a corja tripudia e nos mostra o lula, com certeza não sairão tão cedo do poder.

  8. Fiquei assustado quando vi o resultado dessas prévias de eleições na Argentina. Mesmo tendo ouvido relatos recentes de amigos que estiveram lá e disseram que é muito comum ouvir pelas ruas as pessoas falando mal da Cretina, o bolivarianismo sobrevive mesmo recebendo tapas e tapas.
    Tirar a Dilma de lá deve ser nosso objetivo n. 1, ingorando quem fala que “não vai adiantar nada” ou outras linhas depressivas. Eles ainda terão muito a seu favor, mas esse é o primeiro passo, assistir a queda da presidanta. Mesmo porque isso não extinguirá o petismo, PORÉM, vai desmoralizar Foro de SP e outra gente da turma de Maduro que anda de olho aqui.

    Além do Rodrigo Constantino, tem o Rodrigo Sevilha que fez uma ótima análise sobre um comentário que Maduro fez sobre o Brasil e saiu na Folha hoje, que diz respeito a esse assunto do post e sobre como devemos tratar como assunto sério a retirada do PT do poder:

    http://rodrigosevilha.com/2015/08/12/no-rito-institucional-bolivariano-oposicao-democratica-e-golpismo-sao-a-mesma-coisa/

  9. Bom, o melhor que podemos fazer por hora é comparecer as manifestações, e mostrar que a sociedade aprova o impeachmant. Além é claro de pressionar os parlamentares…

    Mas é claro, ainda enfrentamos temos um processo juridico pela frente. O fato de termos uma constituição remendada, e muitas veses leis ambiguas, permite escapes de “menor esforço” por parete dos juristas, isto até da parcela que não é “aparelhada”.

    Ao meu ver, a unica escapatória real para o médio e longo prazo, é (além de formação de grupos de verdadeira oposição), a adoção do parlamentarismo. Isso seria de fato um tiro no joelho do projeto de poder do PT. Ou ao menos a adoção do recall para cargos do executivo…

  10. Luciano, eu fiz um comentário no site do Constantino e repito aqui mais ou menos do mesmo jeito: dá para confiar nas eleições, em qualquer país da América Latina Bolivariana?
    Não haverá fraude suficiente para se mudar os números do pleito?

  11. Perfeito Luciano. É nesse nível que a direita precisa entender o PT. São sociopatas e isso tem que estar como premissa em qualquer estratégia. Seguem uma agenda para implantação de um regime totalitário independente da situação econômica. Irão caluniar, distorcer informações e fraudar o que for preciso para se manter no poder. Acusarão todos os adversários dos próprios erros. Qualquer um incluindo os próprios soldadinhos de esquerda como massa de manobra poderão e serão sacrificados neste processo. Todo e qualquer mal será uma desculpa pela perseguição de um bem utópico.

    Pelo que vi o Constantino também pensa na mesma tática que a gente. Deixar do jeito que está é um risco maior do que derrubar a Coisa por vias democráticas. Ele teme o maquinário que o PT desenvolveu; eu também, mas temo mais a capacidade ilimitada da esquerda em mentir e distorcer fatos somado a ignorância política da população mais inercia dos políticos inclinados a direita.

    Tive um refluxo neste momento ao ver a entrevista da Coisa no SBT. Sempre enquadrando as roubalheiras como erros, impeachment como golpe, pauta bomba… opa afasta que agora vem o vômito

  12. Sempre ouvi falar que os argentinos eram “cultos” e “politizados”. Que boa bosta que veio de tanta “cultura” e “politização”. Estão elegendo esses ditadores(as) ladrões e assassinos há quanto tempo mesmo?

Deixe uma resposta