Já passou da hora de Eduardo Cunha processar Rodrigo Janot

5
74

bancoImagemFotoAudiencia_AP_259678

A turminha de Dilma Rousseff continua baixando o nível do debate público, apelando às acusações mais baixas. Certamente, a luta pelo poder, por parte dos petistas, já virou briga de morro. Observe a seguinte acusação feita por Rodrigo Janot, contra Eduardo Cunha, na qual o procurador geral de Dilma alega que o presidente da Câmara usou o cargo para solicitar a intervenção da AGU (Advocacia Geral da União) no afã de tentar invalidar as provas coletadas contra ele na Casa sobre a investigação da Operação Lava Jato:

O agravo em questão evoca, em pleno século XXI, decantado vício de formação da sociedade brasileira: a confusão do público com o privado. O inquérito em epígrafe investiga criminalmente a pessoa de Eduardo Cunha, que tem plenitude de meios para assegurar sua defesa em juízo e, como seria de se esperar, está representado por advogado de escol. Apesar disso, como declarou publicamente o Advogado-Geral da União, o investigado solicitou a intervenção da advocacia pública em seu favor, sob o parco disfarce do discurso da defesa de prerrogativa institucional […] Logo após a interposição do agravo regimental ora contraarrazoado, o Advogado Geral da União, Luís Inácio Adams, e o Presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, travaram em público um diferendo, fartamente divulgado pela imprensa, incluindo afirmações e desmentidos. Em resumo, Eduardo Cunha afirmou em seu perfil no microblog twitter e em declarações à imprensa que não havia solicitado à AGU a interposição deste agravo. O Advogado-Geral da União, a seu turno, asseverou que foi insistentemente cobrado pela presidência da Câmara para adotar a medida.

Trocando em miúdos, Janot não tem provas de que Eduardo Cunha teria solicitado intervenção da AGU, e, mesmo sem essas provas, alegou que o presidente da Câmara fez a solicitação.

Agora, a bola está nas mãos de Eduardo Cunha: ou ele processa Rodrigo Janot por calúnia e difamação, exigindo que o procurador geral de Dilma apresente provas da solicitação da qual ele é acusado, ou então caminha para ser ainda mais desmoralizado publicamente. A dinâmica social é cruel: quem não revida os ataques, transmite a mensagem de inferioridade moral, mesmo quando o atacante é um poço de depravação moral.

Na guerra de morro, os cachorros de Dilma estão apelando ao esgoto. Resta saber se Eduardo Cunha será tão complacente diante desses ataques como tem sido os tucanos e boa parte dos direitistas.

Aguardemos.

Anúncios

5 COMMENTS

  1. Nunca Acreditei em Janot, no entanto, o site Antagonista acha-o o Ó do Borogodó!
    .
    Reinaldo Azevedo, na VEJA postou:

    “Dilma Rousseff foi citada 11 vezes em delações premiadas. Ainda assim, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, se nega a cumprir a lei e age como um advogado do PT. Agora, está sendo protegido por um acordo entre Renan Calheiros e a presidente. Enquanto Janot blinda a presidente, ela o nomeia para mais um mandato na Procuradoria-Geral da República, Renan, por sua vez, garante que a nomeação seja bem recebida no Senado. A população brasileira não perdoará aqueles que protegem a corrupção. No dia 16 de Agosto, vamos mostrar que não estamos apenas indignados com a crise econômica ou a crise política, também estamos indignados com a crise.”
    Fonte: Movimento Brasil Livre

  2. Na “entrevista” com Dilma do SBT, Kennedy Alencsr ao indagar sobre investigações “aplaudiu” Dilma sobre ela ter recolocado Janot no cargo, o “entrevistador” nem escondeu o sorriso, como de quem pensava, nossa como sincronizamos, eu acertei a pergunta e ela acertou ao fazer essa recolocação de Janot ter aparência de um ato democrático, que na verdade esconde a podridão que está virando o Brasil, pessoas agindo contra a democracia e, uma mídia, que pode parecer muito tola e que não percebe, mas as caricias à Dilma após suas declarações mostram que a mídia está comprada.
    Globo, jornalistas e ‘juristas’ de esquerda temem ou odeiam Cunha, eu apenas tenho certeza que melhor ele do que o PT, o caso ‘Cata Preta’ evidenciou que ele tem muitos ‘desafetos’, ajudaram ela arranhar e agora, algumas notícias apenas de que Cunha estará processando ou cobrando, coisas que não irão desfazer o efeito do teatro da Globo mostrando as prateleiras vazias da “coitada advogada” que chegou a largar a carreeira.
    Já que citei um sorriso debochado, encontrei um vídeo que mostra a mania da esquerda em colocar preconceitos e intolerância onde não existe, isso foi feito pela Sarney ao observar Lula usando a tática, só que ela não conseguiu fazê-lo sem rir da sua própria falsidade:

Deixe uma resposta