A zoeira quanto às ameaças de Evo Morales não pode substituir o principal

10
142

evomorales

Está tudo muito divertido. As piadas sobre o poderio bélico da Bolívia não cessam. Decerto, a zoeira é essencial e não pode parar. Mas ao mesmo tempo devemos tomar cuidado para que essas piadas não insiram em nosso subconsciente sentimentos de pena em direção a nossos oponentes. Muito menos devemos deixar que a zoeira nos desanime quanto a pressão sobre os países bolivarianos que ameaçam nossa soberania.

Estranhamente, há um subtexto nessas piadas, dizendo que “não devemos nos preocupar com o poderio militar da Bolívia”. Mas essa jamais foi a questão, mas sim a possibilidade de um sujeitinho como Evo Morales fazer uma ameaça de tal porte e sair ileso de sanções. Portanto, se a zoeira não pode parar, ao mesmo tempo não pode substituir o principal neste caso: a exigência da saída da Bolívia do Mercosul, e até mesmo o encerramento deste bloco. Mas se o Brasil sair do Mercosul já está de bom tamanho.

Ademais, se Evo Morales tem um exército patético, o mesmo não se pode dizer do exército de Dilma, que certamente não fará nada contra o cocalero. Qualquer ação propondo sanções virá do Congresso, jamais de Dilma. E essas sanções só surgirão caso passemos a exigir dos congressistas que o façam.

O que digo é que a zoeira, embora essencial, não pode servir como um relaxante mental diante de nossos inimigos.

Anúncios

10 COMMENTS

  1. Luciano, repasso aqui uma postagem do Face muito interessante e que vem ao encontro dessa onda que estamos vendo de mulheres dizendo que foram assediadas ou estupradas e que o motivo seria o machismo, a sociedade patriarcal e outros valores que estranhamente caem como luvas para a propaganda feminista:

    http://www.facebook.com/resistencia.anti.feminismo.marxista/posts/476236225882961

    Gostei da abordagem justamente por terem identificado e isolado um padrão de tais tipos de depoimento, permitindo aqui que se vá para além da simples intuição e inclusive se use esse sentimento como aliado daquilo que fica fácil delimitar. Se continuaremos a ter estranhos depoimentos de mulheres acusando o machismo e a sociedade patriarcal em vez de um estuprador que no mínimo possa ser definido por um retrato falado? Sim, teremos, até porque aqui caímos naquela tônica marxista-humanista-neoateísta de que se alguém culpado é preso, isso ajuda a dissuadir outros a cometerem um determinado crime, mas se alguém inocente é preso, isso ajuda a manter a população aterrorizada e mais submissa ao marxismo-humanismo-neoateísmo. Se pensarmos no feminismo, a acusação de estupro acaba inclusive virando um capital importante para a propagação de tal ideologia, uma vez que serve como cavalo de batalha se for verdadeira, mas também serve para manter homens aterrorizados e como mais um sopro que infla o balão no qual o movimento quer que os outros embarquem, como o senhor mesmo já disse aqui.
    A tal postagem acaba sendo importante também como um dos fios que se pode puxar para desarmar uma bomba-relógio que estamos vendo fazer tique-taque em nossa frente sem saber como pará-la. Ultimamente estamos tendo não só acusações de estupro muito esquisitas como também notícias de outros assuntos que passam muita impressão de “incêndio do Reichstag”. De repente, a mecânica aplicada para as tais acusações de estupro estranhas pode acabar em parte sendo transferida para outros acontecimentos, como os supostos atentados a bomba sempre em organizações MHN realizados fora de horário comercial, acusações de que evangélicos estariam formando milícias de intolerância religiosa e mais exemplos que conhecemos bem e que parecem estranhamente servir muito bem para fins de “depois dizem que não precisamos de (feminismo/militância gay/militância afro/outras cabeças da hidra MHN)”.

  2. Jamais! Jamais tratar com ingenuidade esse Lixo Morales, essa cagada do demônio daquele país mais irrelevante do que uma lâmpada queimada.

    Esse presidentinho que mais parece um figurante do Chaves deve ser sempre lembrado como podre e, no que depender de mim, essa declaração dele nunca será esquecida.

    Hoje, no metrô, estava pensando num twittaço ou coisa do tipo exigindo que a Wilmanta comente sobre o que Vagner Freitas falou – não sei vocês, mas eu ficarei lembrando disso o tempo todo, pra sempre. Quando essa porra de Vagner bater as botas, pixar no túmulo dele que ameaçou atacar a população com armas. Se houvesse um twittaço, muitos combinando de ao mesmo tempo dizerem “Dilma, comente sobre a ameaça que Vagner Freitas da CUT fez à população, nos defenda sua imbecil”.

    • Quando falam é para exalta-lo, li recentemente um texto vindo da esquerda americana em um destes grandes portais americanos como buzzfeed (era outro que não lembro o nome) criticando a ajuda do DEA no passado e elogiando a politica de drogas da bolivia os politicos e todo tipo de bobagem que só a esquerda produz sem fazer qualquer analise das consequencia na propria bolivia e nos países vizinhos, sem contar que não se interessaram em ver para onde vai e quem ganha com o dinheiro e a violencia das drogas.

  3. Luciano, que tal um livro falando sobre o Gramsci, mostrando o perigo das suas ideias e a necessidade de combatê-lo e como fazê-lo? Seria algo muito bem vindo para a direita no Brasil. Pode fazer que eu compro

  4. Deixa ele vir ele nao vai passar nem aq do acre.acho q e por onde eles deven querer entrar em caso de guerra,a gente ja botou eles p correr uma vez podemos botar denovo kkkkkkk

  5. Com certeza. Ficar só tirando sarro do poderio militar boliviano leva ao público a criar uma caricatura da situação. Acaba ficando por isso mesmo.

Deixe uma resposta