Áudio vazado do Vem Pra Rua coloca suspeitas sobre os apoios de empresários à Dilma

17
132

289222-970x600-1

Um áudio vazado de um dos fundadores do movimento Vem Pra Rua é suficiente para nos deixar de cabelo em pé. Clique neste link para ouvi-lo. Caso já tenha feito, sigamos: as palavras que você ouviu são de Colin Butterfield, apontado como um dos fundadores do movimento.

Colin declara ali ser contra as críticas feitas por outros movimentos ao presidente do Itaú, Roberto Setúbal. Lembremos que Setúbal usou os recursos mais sujos do mundo para dizer que “a culpa é da crise política”, ou seja, um frame desonestíssimo de ataque aos movimentos contra Dilma. Que Setúbal tenha se rebaixado a este ponto é algo digno de investigação. Mas o surpreendente é ver como Colin o apoia.

A argumentação de Colin é furada em vários pontos. Ele afirma que criticar Setúbal afastaria os empresários dos movimentos. Mas isso é refutado pelos fatos, já que os petistas compararam Setúbal ao demônio (para atacar a candidata Marina Silva) durante a campanha de 2014, e nem por isso o presidente do Itaú deixou de propagar os frames criados pelo PT. Ele também afirma que criticar a mídia os fará ficar contra os movimentos, mas esta dinâmica é mais falsa que propaganda de pasta de dente: na realidade, a mídia funciona a nosso favor quanto mais pressionada por nós. Em suma, a mídia gosta de apanhar, e isto está provado no recente surto de babaovismo e chupaculhonismo dos meios de comunicação em favor do PT (que se vale de verbas estatais de anúncios para este intento). Não existe nada de “mídia que ficou brava com críticas”. Acreditar nisso é infantilidade. Ou simulação de infantilidade.

O fato é que o PT é aliado de banqueiros, que lucram com a crise econômica. Uma vez que o Banco Itaú bateu recordes de lucratividade, principalmente pelos juros altos e por gente desempregada correndo atrás de empréstimos para sobreviver, é natural que assim fosse. Uma pessoa como Setúbal sabe que apoiar o PT vai lhe gerar muitos lucros. As  tais críticas do PT aos “banqueiros” sempre foram um recurso de marketing. Tudo jogo combinado. Se um dia o Brasil virar uma ditadura (com seu apoio), Setúbal terá condições financeiras de investir em outro país, a partir do momento em que o nosso se tornar uma terra devastada. Assim, contar com o apoio do presidente do Itaú aos “movimentos” (desde que não peçam impeachment de Dilma) é tão ilusório quanto insano.

Vamos aos fatos desnudados neste áudio: é claro que tem tucano doido para que Dilma consiga se manter no poder , muito provavelmente com esperanças de que Alckmin tente se eleger em 2018. Isto é, a mesma esperança patética nutrida por tucanos em 2005, para proteger Lula à época do Mensalão. É claro que em uma disputa com Alckmin em 2018, Lula começaria a campanha com 25% de preferência, mas aumentaria a rejeição de Alckmin na medida de 3% a 4% por semana, e, lá no final, estaria na frente. Por que isso aconteceria? Por que muitos tucanos não tem agilidade mental para rebater ataques. Logo, a esperança de Alckmin chegar ao poder em 2018 permanece apenas no campo da vã esperança.

Para vencer Lula em 2018, seria preciso de um tucano dissidente, ou alguém do PMDB. E, em ambos os casos, apenas se esta pessoa estiver disposto a jogar a guerra política. Disposição que a tropa de Alckmin jamais terá. O fato é que quem quer manter Dilma no poder, o faz em troca de um fio de esperança em vitória de Alckmin. Isto é tão irresponsável quanto imoral.

O que devemos exigir de Colin é que ele defenda sua argumentação, extremamente falaciosa, frágil e inconsistente, que parece mais um recuo em nome de políticos que não estão dando a mínima para o sofrimento do povo do que a luta por nossa liberdade contra um governo corrupto, desonesto, cínico e tirânico.

Anúncios

17 COMMENTS

  1. Disse bem ser necessário um “tucano dissidente”, porque do PSDB como partido não espere muita coisa. Aliás, FHC disse que Dilma precisava assumir a culpa, esta assumiu em parte e agora Aécio ataca Eduardo Cunha.

    Pergunto-me se Dilma pagou o preço cobrado por FHC para ter o apoio dos tucanos contra o PMDB e por consequência contra o impeachment…

  2. “Do calibre de Roberto Setubal” – “Conseguir o respeito da mídia”

    É o comunismo fantasiado. Parece frases de Trotsky pedindo financiamento pros empresários de NY no começo de 1900.

    • Respeito da mídia? Que respeito? O cara enlouqueceu ou infiltraram a coisa toda. O psdb não vai ajudar a salvar o país; pode até ter pessoas preocupadas com o caminho que o país trilha neste partido mas não acho que eles tenham força política. E pessoas como o setubal com o dinheiro que eles tem podem entrar em seus jatinhos e pular fora quando ele quiserem. Pessoas como eu desempregado seremos os primeiro a ir para a vala.

  3. Esse cara é um idiota, banqueiro não tem nada a ver com iniciativa privada, tudo que os bancos tem vem do arranjo que eles tem com o governo e do povo otário sendo obrigado a usar o dinheiro deles

  4. Acho possível o PSDB se desintegrar como partido viável mesmo antes do famigerado pt. Decepção como oposição é até pior que decepção como governo.

  5. Dissidência dentro do próprio movimento? Exigir explicações nêsse momento não agrega nada. Não enfraqueçam o que a duras penas foi e está sendo construido. Os bastidores que se mantenham bastidores. O povo precisa confiar nos que lideram senão o fracasso está garantido e isso não pode acontecer. Êsse tipo de publicação muito mais interessa aos vermelhos. Pensem no que a leitura dessa matéria provoca no ja descrente povo que tenta se unir com um mesmo objetivo.

    • Concordo! É esse tipo de publicação que mais destrói do que constrói. E me sinto no direito de perguntar: o objetivo do articulista é desagregar? Está a serviço de quem?

    • O Vem Pra Rua não tem nada a ver com a direita, e só começou a pedir impeachment muito depois de essa pauta estar na boca do povo. O Vem Pra Rua é um movimento bem vindo nas manifestações, mas não pauta elas. E não tem nada disso de confiar em lideranças, aqui não tem nenhum adorador de líderes não, isso aqui não é humanismo, nós cremos na nossa própria ação, e uma delas é a pressão, principalmente em cima de Colin, para que ele se explique sobre esse puxa-saquismo à “iniciativa privada”, como se esta fosse um todo coletivista.

  6. Vem pra rua deve estar levando pixulecos do itau…só pode. Como que o setubal é o cara mais neutro????
    então ele fala a favor dos pixulecosladrões, e ele é neutro?
    O cara deve ter cheirado só pode

  7. Quem circula entre os movimentos, conhece as suspeitas de que o Vem Pra Rua seja financiado por lideranças tucanas em São Paulo. Lembremos que eles demoraram muito prá aderir à bandeira do impeachment. Na manifestação de 15/03, eles ainda não defendiam essa bandeira, mas apenas o genérico e insípido “combate à corrupção”. Agora me vem esse Colin falar tais asneiras, evidenciando que a luta deles é apenas contra parte do ‘establishment’ cleptocrático – e de forma totalmente apática e ineficiente, no melhor estilo…. tucano. Espero que as muitas boas pessoas que militam no Vem Pra Rua tratem de abafar a voz desse cidadão.

  8. O movimento Vem Para Rua precisa saber o que quer de fato e não jogar o jogo de uma falsa oposição chamada PSDB que também não sabe o que deseja. É um partido rachado e sem liderança. É preciso ter convicções firmes e estratégias para desqualificar o governo. A pressão precisa ser contínua e intensa.

Deixe uma resposta