Detalhes da decisão golpista de Janot contém truques petistas

6
142

janot

O parecer do arquivamento feito pelo procurador geral de Dilma, Rodrigo Janot, diante do pedido de investigação de Gilmar Mendes (vice-presidente do TSE) sobre uma das fornecedoras da campanha da presidente Dilma Rousseff, a VTPB Serviços Gráficos e Mídia Exterior Ltda, tem duas partes reveladoras, se examinadas pelo prisma de um auditor de fraudes intelectuais.

Antes, vale a pena ver os posts do Antagonista (que voltou à boa forma – VIVA!) mostrando o quão moralmente condenável foi a decisão de Janot:

Mas voltando à justificativa furada do PGD (procurador geral de Dilma), considere sua primeira afirmação:

É em homenagem à sua excelência [Gilmar Mendes], portanto, que aduzimos outro fundamento para o arquivamento ora promovido: a inconveniência de serem, Justiça Eleitoral e Ministério Público Eleitoral, protagonistas —exagerados— do espetáculo da democracia, para os quais a Constituição trouxe, como atores principais, os candidatos e os eleitores.

Eu não sei se João Santana criou este embuste, mas o fato é que ele é propalado aos quatro ventos por todos os petistas, pcdobistas e psolistas que se prezem. O truque é “se foi eleito, cale-se e espere o fim do mandato”. É evidentemente um discurso autoritário e totalitário, feito para que ditadores consigam praticar todas as barbáries que lhes apetecer, sem que ninguém possa pedir ajuda às instituições.

Alguns até lembrariam que as eleições ocorreram via urnas eletrônica não auditáveis, e, portanto, seus resultados são tolerados, mas não legítimos. Se pudéssemos fazer recontagem de votos, por exemplo, aí falaríamos de eleições legítimas, e não apenas toleradas. Mas, mesmo sem urnas eletrônicas (supondo que tivessem sido feitas via voto manual ou ao menos uma mistura de urnas eletrônicas com voto impresso), o argumento de Janot é falso até dizer chega. Não passa de um chavão de marketing.

Em seguida, vemos outra rotina suja. Como sói ocorre nestes casos, também foi criada por petistas:

Não interessa à sociedade que as controvérsias sobre a eleição se perpetuem: os eleitos devem poder usufruir das prerrogativas de seus cargos e do ônus que lhes sobreveem, os derrotados devem conhecer sua situação e se preparar para o próximo pleito.

Quem já não viu petistas valendo-se dessa rotina cretina o tempo todo? Como são totalitários, não aceitam o contraditório, e, por isso, qualquer oposição é tomada como inadmissível. Para o petista, não há oposição aceitável. Na Venezuela, já estão na fase de prender opositores, chegando a jogar fezes sobre um deles, Leopoldo Lopez. Bem, pelo menos os políticos opositores são mais conhecidos, e não foram estuprados por baionetas, como ocorreu com os manifestantes de oposição que não tinham seu nome conhecido pela opinião pública. Isto é totalitarismo em seu estado puro.

Janot diz exatamente isto: “quem perdeu as eleições, espere a próxima”. Mas não foi assim que se comportou o partido de sua chefe, Dilma Rousseff, pois o PT trabalhou pelo impeachment de Collor em 1992. E Janot ficou de bico calado quanto a isso.

Com duas rotinas tão desonestas quanto essas, precisamos de algo mais para definir essa pessoa como não confiável?

Anúncios

6 COMMENTS

  1. Cacildes, então para que serve as Instituições que avaliam besteiras feitas durante a campanha? Essa rotina do Janot é ridícula, seria o mesmo que ele dizer que não está nem aí para as falcatruas de campanha, as leis são de enfeite a não ser que ele ache que deva ser utilizado a seu favor ou do partidão (aka caso Cunha).

    O nível de cinismo está muito alto, que medo!!!

  2. Ou seja, o procurador-geral fez de idiota os procuradores que votaram nele, os ministros do TSE, os políticos que fizeram uma campanha limpa e foram derrotados por uma camarilha, os eleitores dos adversários e os eleitores da situação que colocam a mão na consciência e também vêem o assalto à nação.
    Palmas para Reinaldo Azevedo que nunca se convenceu da idoneidade do Janot.
    Palmas para os Antagonistas que até se fizeram de idiotas para tentar preservar o que restava de esperança.
    Só nos resta o clamor, a audácia e o gogó.

  3. Tenham medo mesmo!E se nós não nos dispusermos de alguma maneira enfrentarmos toda essa indecência e abusos que aí estão,vamos todos sermos jogados numa vala comum !Notem que eles usam justamente a democracia para comete-los e ao mesmo tempo arrasar com ela! Greve geral,ir parar nas ruas sem sair delas até que “eles”saiam,não deixar nenhum membro dessa ORCRIM andar na tranquilidade nos lugares,seja de que estado for,chamar o “Caveirão” … qualquer coisa que faça pressão nessa gente amoral e pérfida,essa rede de vagabundo do sangue alheio tem que ser derrotada!
    PARABÉNS PELO SITE!

  4. É óbvio que esse “parecer” foi elaborado a 4 mãos (patas), juntamente com o outro capacho da Dilma, o ministro José Eduardo Cardozo (notem que é o espelho de vários pronunciamentos aquele ministro). NOJO!!!

Deixe uma resposta