O crime moral de Aécio na conversa com Kennedy

14
134

aecio_neves

A entrevista dada por Aécio Neves ao jornalista do PT Kennedy Alencar serviu para que o candidato tucano marcasse um ponto político… para o PT. Sim, é exatamente isso que ele fez. Mais uma vez demonstrando que os tucanos só funcionam na base da pressão total, ele simplesmente atuou como cheerleader da tropa de Dilma.

Basicamente, ele afirmou que Eduardo Cunha tem que ser afastado, caso seja réu no STF. Enquanto isso, Dilma é ré no TSE. Por que Aécio não exigiu o afastamento imediato da presidente? Isto tem um nome: duplo padrão. É coisa de petista.

E não é só: Aécio afirmou que “não há motivo jurídico para o impeachment”. Ao mesmo passo, o PT disse que há motivos para Janot indiciá-lo criminalmente. Ou seja, Aécio baba o ovo de quem o esfaqueia. Não dá para descer mais baixo do que isso.

Comportamentos desonrosos como esses de Aécio Neves ou são sintomas de conchavo ou alguma falha mental. Não é normal que as pessoas privilegiem seus inimigos.

Hoje o Brasil247 publicou a manchete: “Aécio e Cunha rompem e a democracia agradece”. Não sei se Aécio quer confirmar esse jogo, mas se for verdade, ele não poderá negar estar servindo ao PT.

Trabalhemos com escala de valores, sem a qual não podemos iniciar qualquer tipo de debate moral: a partir de falácias e duplo padrão, Aécio Neves fez propaganda gratuita para o PT. Pergunta-se: este é um comportamento moral? Diante de tamanha afronta, que resposta Aécio tem a dar aos seus eleitores? A quem Aécio está servindo? Como ele tem sido mais assertivo do que se esperava em outras ocasiões contra o PT, ao menos sejamos justos, aguardando que Aécio se manifeste.

Assim como já está sendo feito com Geraldo Alckmin, atitudes de covardia e leviandade diante de um partido totalitário devem ter seu preço. Caso ele não explique direitinho o que quis dizer, não é justo que este tipo de comportamento fique de graça para Aécio.

Tucanos precisam aprender a ter um comportamento moral diante de seus eleitores. Brincar com o poder, colocando nossa liberdade em risco, não é, jamais, um comportamento moral. Já passou da hora de chamarmos os tucanos ao mais corrosivo e abrasivo debate moral, onde a reputação dessa gente deverá ser avaliada palavra a palavra, frame a frame, posicionamento a posicionamento, em relação a ficar contra ou a favor da liberdade.

Anúncios

14 COMMENTS

  1. Só confirma que o PSDB é um braço político do PT, querendo de hora em hora ser estrepado, estrupado, pisado, calçado, esbofeteado, empalado pelos petistas.

    Agora está nas mãos dos manifestantes, das FFAA, dos caminhoneiros, dos pequenos e médios empresérios honestos, e da própria força (que ainda resta) de Eduardo Cunha e dos congressistas que de maneira inusitada pode compor para chutar o traseiro flácido de Dilma Rousseff, a comunista mentecapita, e colocar logo Lula, o Canalha/FDP atrás das grades.

    Rodrigo Cortes

  2. Acho que é mais ingenuidade que qualquer coisa, pautadinho pela mídia/PT e nem sabe, Cunha tem que sair, mas Dilma não, sendo que há infinitas mais razões e provas para se tirar a última. Pq é assim? Pq assim quer a mídia/Globo. Pro inferno com a lógica.

  3. Talvez já tenha passado da hora de atuarmos mais firmes para colocar como uma alternativa para 2018 Cunha e Caiado. Gente que, pelo menos até agora, se mostram indignados não só com a corrupção PTista mas com o projeto totalitário desses psicopatas. Muita gente que votou em Aécio em 2014 não o escolheu pelos seus projetos mas por ser uma força capaz de vencer o PT. Contra o PT ainda somos, então está na hora de escolhermos quem bate de frente. Acho que é uma contra medida até mesmo eficiente para forçar Alckmin, Neves e Serra a ser posicionarem logo e de forma clara.

    • Enfim uma opinião sensata por aqui. Concordo integralmente contigo Hamilton.
      Quem se preocupa se Pacto de Princeton existiu ou não ainda não tem maturidade política para entender que esses tucanos precisam de uma latejante mandioca bem enterrada em suas ambivalentes convicções.
      Se a mídia da direita abdicar desses imbecis quero ver se não vêm atrás, gado manso que são.
      Quero ver Antagonistas, Ceticismo, Mídia sem Mascara, Reinaldo e cia, parando de falar em tucano, pera ver se eles não tomam tendência.

    • Esquece o Caiado. Ele é oposição da boca pra fora. Ma hora ce votar, ele apoia as propostas esquerdistas, como no recente caso das cotas para mulheres no Congresso, que ele foi a favor.

  4. Engraçado o que ocorre mas especulo um futuro além de um PT enfraquecido (não morto), um PSDB esvaziado. A postura de suas principais lideranças demonstram um primarismo na luta pelo poder, ainda mias com o vácuo que o PT permitiu. Vide os avanços do PMDB por meio do Cunha.
    Embora ache o PSDB linha auxiliar do PT, nas pessoas do José Serra, FHC, Alckmin, Aloysio, o Aécio está mais a direita e é menor propenso a dar apoio ao PT de forma gratuita por ser de uma geração diferente dos seus colegas expressivos e de tem luz política própria e herdada, quase aristocrática.
    Nesse caso, pisou na bola mesmo, como assistimos durante a campanha de 2014 para presidente, em diversas ocasiões, bom mocismo e apatia.

  5. Salve.
    Em 1993 Ibsen Pinheiro, condutor do Impeachment do Collor e potencial candidato a Presidência da República, foi acusado de corrupção e varrido da política nacional… denúncia forjada pelo PT e comprada pelo PSDB que inaugurou a presente hegemonia esquerdista.
    Em 2005 Severino Cavalcanti, o único anterior presidente da Câmara a mostrar independência nos 12 anos de regime PTista, foi derrubado, esvaziando a CPI do Mensalão, atendendo aos interesses eleitorais de Tucanos e PTralhas e enterrando a melhor chance de nos livrarmos da peste canhota.
    Agora lá vêm Aécio, Alckmin e o Serra, os ressentidos com a ameaça aos seus sonhos eleitorais representada pelo eventual sucesso do Cunha, jse preparando para tirar mais esse “estranho no ninho”, mesmo se arriscando a salvar o PT no processo e propiciando uma nova candidatura ao Lula em 2018… que não sou o tio Rei para acreditar que o PT esteja tão morto assim quanto ele acha.

  6. Lembrei dessa entrevista mas não achei o link para comentar no post sobre o Alckmin. Bem lembrado Luciano. Particularmente não gosto desse cara. Sua principal contribuição em Minas foi fazer alianças com o PT. Na última eleição perdeu no seu próprio estado. Traiu seus colegas de partido nas eleições de 2002, 2006 e 2010. Na eleição de 2014 fez uma camapnha desastrosa, sofrível no primeiro turno. Cansamos de ouvir espressões como choque de gestão, tripê econômico e outros que agora não lembro. Discurso para economista, para a “zelite”, o que denota sua total falta de identificação com o eleitor. Passou para o segundo turno devido ao voto útil. No segundo turno foi melhor devido à extraordinária incapacidade da candidata Dilma. Agora ele se acha a última bolacha do pacote. O Alckmin é governador do maior colégio eleitoral do Brasil, deu uma surra no PT e isso beneficiou o Aécio. O Alckmin tem direito a ser candidato. O problema é que os dois fazem camapnha para 2018. A entrevista dado ao Kennedy é típica. Fica encima do muro. É típica mas também é tática. Uma hora parece que vai mas logo em seguida, fica, para ganhar tempo. O PSDB quer salvar o PT, repito mais uma vez. O PSDB quer levar a disputa para 2018, não ganha do PT nem a pau. O PSDB é covarde e traíra. Se for continuar com esse teatrinho está na hora de jogar merda em todos eles.

  7. 🙂 Ou é mais um dos BURROS BOSSA-NOVA (soft-ass) do Brasil ou é mais um dos CANALHAS CRIMINOSOS (e obviamente puxa-sacos e fingidos) do Brasil!
    Oque será que ele é?!
    Será moça nova?!
    Será Maomé?! (…)
    Será do Politburo (o avô foi primeiro-ministro do Jango Ninguém?!)?!
    Oque será que ele quer?!
    (…) Corta o PSDB, corta o PSDB!!

    Obs.: Muda esse ícon “coisa feia” que aparece na frente do meu nic, please!
    Não quero ser confundido com um professor comunista de galinheiro do 3° mundo (um certo… FHC).
    Auhauhauhauahuahauahauahauaahuahauaha… 🙂

  8. Neste ponto acho que o Aécio sofre da síndrome do cavaleiro medieval (nome que acabei de criar): a impressão que dá é que ele quer ganhar do PT NA ELEIÇÃO; ele não aceita ser presidente via impeachment ou mesmo novas eleições. A honra de conseguir o mandato de forma justa é maior que a vontade de destruir o inimigo (em outras palavras, não basta derrotar o dragão, é preciso lutar com honra), ainda que o inimigo não tenha os mesmos escrúpulos.

    É quase como o Frank Underwood às avessas. Ou aquele paladino mala dos jogos de RPG…

Deixe uma resposta