Paulo Nogueira “não aguenta mais” a Lava Jato

26
101

Lava-Jato

É surpreendente como alguns blogueiros governistas se expõem ao ridículo, mas vamos avaliar pedaços de mais um texto bizarro de Paulo Nogueira, “Não aguento mais a Lava Jato e o Sérgio Moro”, do DCM:

Vou fazer um desabafo.

Faça.

Não aguento mais a Lava Jato. Não suporto mais ouvir falar em Sérgio Moro. Não tolero mais ver os policiais federais escoltando pessoas rumo a prisões.

É esperado que ele não aguente mais mesmo. Mas ele vai ficar mais incomodado ainda quando todos aqueles que puderem enfiar verbas estatais de anúncios na BLOSTA estiverem presos. Aí restará apenas choro e vela…

É muito espalhafato, é muito circo. É muita mitificação de uma classe que é muito mais um problema do que uma solução para a sociedade nos termos em que seus integrantes atuam hoje: a Justiça, absurdamente partidarizada. E é muito custo também: nunca vi na imprensa, porém, um único levantamento sobre quanto custa a Lava Jato.

A Polícia Federal não é uma “solução” para o bandido. Tem que ser um problema mesmo. Essa é exatamente a ideia. No dia em que a bandidagem disser que a PF é sua “solução”, entramos na linha de como funcionava boa parte da polícia colombiana com Pablo Escobar (mais uma referência à serie de Jose Padilha, eu sei, mas a comparação do governo petista com um cartel do crime é inevitável).

E quanto ao custo da Lava Jato? Perto de tudo aquilo que já foi recuperado em termos de dinheiro recuperado, creio que é mixaria…

É o triunfo da forma sobre o conteúdo. É para enfrentar de verdade a corrupção? Há um caminho vital: proibir o financiamento privado das campanhas. Aí está a origem, aí está o motor por trás da corrupção. Aí está, também, a brecha pela qual a plutocracia tomou de assalto a democracia. Ou alguém acha que as corporações dão dinheiro para políticos em troca de autógrafos?

Aha…

Não podia faltar essa, claro. Sendo que o PT tomou o poder com o uso de verba de financiamento privado, e sabe que as empresas fugirão do partido como fugiriam do Drácula, resta-lhes tirar o financiamento privado dos demais. A picaretagem é ilimitada mesmo. Mas em qualquer país civilizado, existe o financiamento privado. Logo, é só definir regras de transparência que as oportunidades de corrupção desaparecem.

Alias, fonte de corrupção está no financiamento público de campanha. Está na publicidade institucional do PT. Está na verba estatal de anúncios, que paga blogs governistas. Está na Lei Rouanet, que paga aparelhamento de artistas. Está no uso de verba do BNDES para financiar ditaduras e milícias. Estas são as reais fontes de corrupção, que precisam ser restringidas. Como é de se esperar. Nogueira não toca neste assunto.

Sem eliminar o financiamento privado, você mexe com o sintoma, mas não com a causa.

É o exato oposto: a causa está no financiamento PÚBLICO não só de campanha, como da cumpanheirada (sic).

A Lava Jato, hoje, é pouco mais que um instrumento pseudojurídico para o antipetismo delirante.

Obrigado por avisar. Pessoal, captaram a ideia? Todo apoio à Lava Jato, pois os sicários do PT estão realmente se mordendo de raiva por causa dela.

Veja a espécie de fã que Moro arrebanhou: eles mordem em pobres, negros, homossexuais e demais minorias. Só não são fascistas porque não têm formação política nenhuma. São analfabetos políticos, mas uma espécie perigosa e predadora dessa turma, e não pacífica.

A maioria absoluta dos brasileiros apoia a Lava Jato. Quem for pobre, negro, homossexual ou pertencer a qualquer outra minoria e não está fechado com o Cartel do PT já percebeu que Nogueira resolveu ofendê-los, em completo desrespeito às minorias, em nome de um discurso hipócrita e psicopático.

Essas táticas stalinistas e hitleristas de dizer que todos os que não fecham com um governo cleptocrático são “inimigos do povo” configuram o maior discurso de ódio de nossos tempos. Nada se iguala, em termos de propagação de ódio, à afirmações como as proferidas por Nogueira. É este tipo de coisa que o financiamento público de campanha banca.

Anúncios

26 COMMENTS

  1. é mesmo um ridiculo e tendencioso aos seus senhores patrocinadores.Tal qual um parasita corroendo ao hospedeiro.Não iria comentar mas com relação ao financiamento publico de campanha,sou contra e defendo a teoria do Reinaldo Azevedo,que citou um ponto importante.Que quando se coibe o financiamento privado ou doações de campanha,abre se possibilidades para existencias de caixa 2 e criação de verdadeiros laranjais.Ou seja não vai deixar de existir propinas para politicos e partidos,somente existira o submundo desta pratica do toma la da cá.Sendo que com a permissão das doações privadas de pessoas juridicas e fisicas,a coisa ficara transparente e coibira a pratica da corrupção com muito mais facilidade.Em vista que com financiamento somente publico,e com o sistema politico atual,o Brasil tera um custo na casa de bilhões de reais para custear as companhas eleitorais e não resolvera o caso das propinas ditas doações.

  2. Ah, como é gostoso ver analfabeto político, espernear com o advento da Lava Jato. A certeza do desmonte das tetas e a Curitibização de todos que nelas ficam dependurados, leva ao desespero mental.

  3. Palestra na universidade da Califórnia feita no início dos anos 80 por um ex agente da KGB que veio para o lado da liberdade. Ele mostra as estratégias usadas pela esquerda para a tomada de poder. Explica quais são as etapas, como são inplementadas e para que servem as etapas. Vale muito a pena.

  4. Resposta de Marco Antonio Villa ao processo movido contra ele por Lula:

    “Lula quer me intimidar. Vai perder seu tempo. Não darei um passo atrás. Continuarei combatendo o “projeto criminoso de poder”, sábia definição do ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal, em um dos votos do processo do Mensalão.

    Tenho por princípio defender os valores republicanos. Vou continuar nesta luta. Nada vai me calar. Vivemos uma quadra histórica decisiva para o Brasil. A hora não é dos fracos. Não tenho medo. Confio na Justiça do meu país.”

    http://www.marcovilla.com.br/2015/09/lula-nao-vai-calar.html

  5. Sem eliminar o financiamento privado, você mexe com o sintoma, mas não com a causa.. É de doer. A cupa é do sofá e não dos adúlteros.
    Que tal um pouco de caráter ?

  6. Paulo Caganeira é o que há de pior nesse país em termos de sites. Ou blogueiro, sei lá que porra dá pra chamar aquele velhote que merecia um asilo (dos mais precários). Tá na hora de alguém internar num asilo esse filhote de corvo não tá?
    Se esse velhote está reclamando que vai parar de receber esporrada estatal na cara (a qual ele, como uma puta, fica ajoelhada e de boca suja aberta esperando pra receber mais sujeira) e por isso “não aguenta mais a Lava Jato”, um recado pra ele: NINGUÉM AGUENTA MAIS VOCÊ, VELHOTE DO CARALHO, podreira, lixo. Não é atoa que ja foi demitido de tudo que é lugar no qual fingia trabalhar e agora precisa da blogosfera pra ganhar uns toicinhos. Babaca, cretino.

    Como já dito, nem o PT vai lamentar quando esse velhote for pro túmulo.

  7. Abre seu coraçãozinho! Bota prá fora, isso, fala bastante(pois quanto mais falam, mais se entregam).
    .
    Quando não aguentares mais, VÁ PARA CUBA ou VENEZUELA(não esquece do papel hihiênico e sabonete).
    .
    Vá com Deus!

  8. *
    Esse cara, o Paulo Nogueira, está NOIADO. Financiamento privado não pode, mas financiamento público via pixuleco pode?
    Qualquer tonto sabe que o nosso sistema eleitoral é caríssimo. Publicidades, marqueteiros, faixas, rádio e TV, balões, cartazes, bandeiras, cavaletes, etc., além das coligações partidárias, são as grandes causas da corrupção nos financiamentos de campanha. Proíba-se o financiamento público. Se quiser a reeleição o candidato tem que se afastar e assume o suplente. Dinheiro público só irá favorecer a quem está no poder. Proíba-se as coligações e serão reduzidos os cargos em comissão. Mantenham apenas os “santinhos” e revogue-se todas as outras propagandas. Voto distrital e parlamentarismo. Permita-se apenas os debates na TV apenas na última semana de campanha. Isso seria apenas o começo da moralização.
    *

  9. Ou seja na cabeça dessa turma o politico só rouba pq “foi forçado pelo empresário” e não por ser mal caráter, mesmo que tivesse financiamento publico (até onde eu sei era assim até os tempos do Collor, e dos militares, me corrija se estiver errado) o politico vai continuar podendo vender o seu voto nas votações do congresso, é claro que vai ter que receber isso escondido, algo que para essa turma não é nem uma novidade.

    É interessante notar que em momento algum se cogita que o problema da corrupção é o tamanho do Estado que cria dificuldades para vender facilidades, observo em muitas conversas com amigos e colegas que no fundo estão na sua maioria esperando deputados e presidentes que seriam anjos iluminados o suficiente para governar o grande elefante branco e enquanto esses anjos não aparecem votam nulo. Ou seja ficam tentando sempre a mesma fórmula na esperança de um dia ter um resultado diferente (um boa definição de insanidade).

  10. Eu se fosse empresario, e viesse que um deputado, senador, vereador, governador, presidente tivesse boas intenções em ajudar a melhorar o pais, diminuindo cargas tributarias, logico que eu financiaria a campanha dele, o financiamento privado e o mesmo que doações da população, so que retalhar um cidadão que doa 1milhão e retalhar uma empresa que doa 1 milhão e mais fácil o cidadão, por isto doam com a empresa. Ate porque acaba virando publicidade querendo ou não. e se não vier o financiamento das empresas vira de quem ? Publico ? HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHHAHA . o Piçol, fala tanto de desarmamento e recebeu da Taurus, poderia dizer não ,mas recebeu e usou eai ?

  11. “A Lava Jato, com todo o estardalhaço, vai significar, no fim, mais do mesmo, e a um custo brutal.”

    Ah Sr. Nojeira! O Problema é custo benefício? Solicita então para o Moro sentença máxima para os presos da Lava-Jato. Aí essa horda fica afastada do patrimônio público o maior tempo possível fazendo valer cada centavo.

    Sociopata é assim mesmo. Usa o argumento de que todo crime deve ser permitido porque há um custo para se combatê-lo.

Deixe uma resposta