O mínimo que você precisa saber para deixar de ser uma besta quadrada na hora de combater tiranias modernas

13
350

tyranny

Um leitor me indicou que o livro Dictator’s Learning Curve, de William J. Dobson, está disponível em português. Aqui o link para a Livraria Cultura, com o título Escola de Ditadores (na verdade, foi lançado em 2014, mas eu comi bola). A bagatela é de R$ 30,00. O livro também poderia se chamar O mínimo que você deveria saber para deixar de ser uma besta quadrada ao falar sobre tiranias modernas.

Nesta semana, quando o STF conseguiu dar um golpe jurídico na questão do financiamento de campanhas, sem nenhuma pressão, o inaceitável torpor republicano se explica pelo fato de que quase ninguém compreende o que significa uma tirania moderna, os seus métodos, e sua forma de implementação.

É por isso que quase ninguém se enfurece quando alguém diz “ah, o STF cometeu uma estupidez” ou “não vai dar certo para combater a corrupção” ou “o problema é o caixa 2 que isto vai gerar”. Nenhum desses entendeu absolutamente nada, pois não entendem que foram apenas vítimas de métodos de uma tirania moderna.

Hoje em dia muitos não se preocupam com os 10 milhões anuais enviados para a BLOSTA, com a intocabilidade das verbas estatais destinadas para anúncios, com a Lei Rouanet, com uma fortuna usada pelo MinC para bancar um aparelho do governo disfarçado de “Cultura”, etc.

Mal sabem que estão assistindo a implementação progressiva de uma tirania, sem sequer conseguirem explicar ao público qual o problema. O desconhecimento dos métodos de uma tirania moderna geram tamanha alienação da realidade que beira o autismo político.

Alias, o livro de Dobson também permite abstrair outras lições, mostrando que o discurso de quem pede intervenção militar é uma piada. Eis a essência do livro: com o passar do tempo, e com a evolução das comunicações, os ditadores “top de linha” aprenderam como implementar sistemas ditatoriais com métodos bem diferentes daqueles a que estávamos acostumados há cinco ou seis décadas atrás. Propor o combate a esses ditadores com os métodos daquela época é pedir para apanhar mesmo.

O que o intervencionista faz é tentar combater tiranias modernas com recursos de tiranias do tempo da onça. Teríamos apenas dó desse tipo de gente, caso não servissem também com instrumento de propaganda nas mãos dos tiranos modernos. É por isso que quando digo a eles como são serviçais não intencionais dos novos tiranos, se irritam, mas sem saber o motivo.

O grande drama do direitista brasileiro é que ele não tem o cérebro treinado para reagir a tiranias. Pior: vira apenas uma criancinha nas mãos dos tiranos modernos.

O livro de William J. Dobson é quase tão útil para o treino da mente em como compreender as tiranias modernas (ele não é tão amplo em como combatê-las, mas se você compreendê-las, já é meio caminho andado) como o é Ponerologia Política, de Andrew Lobaczewski, para compreender como funciona a ação dos psicopatas na política.

Quanto mais pessoas lerem este livro, melhor. Se há uma coisa que me deixa angustiado é ver como muitas pessoas não conseguem sequer entender o motivo pelo qual deveriam rejeitar algumas propostas petistas. Sem tal nível de entendimento, temos a impressão de que o PT está quase morto, quando na verdade ainda está bem vivo, em parte por que quase nenhum de seus opositores no Brasil entende como funciona uma tirania moderna.

Anúncios

13 COMMENTS

  1. Luciano, qual melhor estratégia para derrubar os marxistas que estão no poder somente para destruir o Brasil e servir o Foro de São Paulo?

      • Mas os mesmos deputados que podem ajudar que não são do Foro de São Paulo tem comprometimento com pessoas (deputados e senadores) do próprio Foro de São Paulo. Ainda assim eu acho que valeria a pressão, mas não na forma de pedido e sim na forma de exigência.

  2. Já usei este livro em sala de aula. Especialmente para falar sobre o fim da guerra fria. Muitos historiadores repetem que o comunismo acabou ou que as tiranias terminaram. Mas quando lemos o livro percebemos que elas se disfarçaram como um camaleão. Boa indicação Luciano. Abraços

  3. Luciano, seria uma boa ideia você encabeçar um movimento junto com outras cabeças da direita (blogueiros, opinadores, etc.) para derrubar a Lei Rouanet. Poderia conversar com esse pessoal e se juntar para lançar um abaixo-assinado. Você tem certa influência, poderia falar com o Alexandre Borges por exemplo, Flávio Mongerstern, Bene Barbosa, outros blogueiros, o Eduardo Bolsonaro com certeza aceitaria tomar frente no meio político. Seria uma grande vitória. Abraço.

    • Não falo por Luciano, mas, apesar de achar a ideia válida, pode ser mais produtivo escancarar ainda mais o que ela causa, para que fins serve e quem são os traidores que aceitam se vender, antes de partir para isso. Ou, quem se atrever a fazê-lo corre o risco de receber o frame de ser contra cultura e contra artistas…, tem toda uma manada que viria para cima… Outra coisa, será que nessa crise os ‘baba ovo’ do PT vão conseguir captar impostos para seus shows? Que empresário vai tirar impostos da saúde para enfiar no bolso de artista militante do PT? Que empresário não sei, mas mereceria no mínimo um boicote também… talvez isso seria mais poderoso para expor no mural de ações

  4. Se o MBL quer entrar na politica publica que seja. Mas a pressão da politica civil jamais deverá de existir, os propios membros do MBL tem que ser pressionados para gerar resultados.

  5. Chega a dar dó da falta de capacidade dos intervencionistas em entender o funcionamento da politica. O sujeito fala “não vamos nos aliar ao tucanos, vamos derrubar todos os politicos” e outras coisitas como “bolsonaro é o único que eu apoio”. E vai derrubar os politicos como, cara pálida? Vai ficar esperneando na frente do palácio do planalto até todos os politicos do pais renunciarem?! O exercito não vai agir porque eles já entenderam que não se combate ideologia com força bruta, os 21 anos que eles ficaram no poder foi a maior fase de expansão do esquerdismo no Brasil.
    Para 99% dos brasileiros o MBL, o Olavo, o CP, o Reinaldo nem existem. O povão só conhece os politicos tradicionais. Sem políticos tradicionais e partidos organizados não será possivel derrubar o PT.

    • se tiver mais um regime militar de “direita” como teve, na próxima o brasil vira uma venezuela de vez e sem volta. eles não entendem que só cagar regras pro povão não adianta de nada, tem de haver uma desconstrução do esquerdismo por aqui e só assim retomaremos o que já foi o “brasil” real e sem frescuras.

Deixe uma resposta