Alckmin teria ido ao esgoto para validar crimes de Dilma

27
261

alckmin

Coluna de Vera Magalhães, da Folha de S. Paulo, diz algo estarrecedor:

Me dê motivo Geraldo Alckmin reuniu na noite de quinta oito grandes empresários para discutir o cenário nacional. O governador paulista mostrou pessimismo com a situação econômica e política e disse não ver saída com Dilma Rousseff no cargo. Mas o tucano ainda acredita que falta um motivo para o impeachment. Ele acha que, se Dilma cair por uma razão frágil, como as pedaladas fiscais, há risco para a democracia, pois nenhum governo terá mais segurança jurídica de que terminará o mandato.

Fagulha Alckmin disse aos empresários que, nesse caso, qualquer crise poderá ser pretexto para tirar do cargo um presidente ou governadores e prefeitos eleitos. Sobre as pedaladas, afirmou que há precedentes da manobra em Estados e municípios.

Algo me diz que Alckmin entrou em algum concurso para se tornar o tucano mais desonrado de que se tem notícia. Um sujeito que em 1992 votou no impeachment de Collor por causa de um Fiat Elba diz que agora as pedaladas fiscais são uma “razão frágil” para kickar Dilma. É incrível que o governador do maior estado do país tenha proferido tamanha afronta.

Pedalada fiscal envolve o atraso de envio de repasses acordados pelo governo somente a título de maquiagem das contas públicas. Mas essa maquiagem não é apenas passar um pó no rosto. Ela força as entidades credoras a pagar juros por causa do atraso. Ou seja, isto é praticamente roubo de dinheiro público.

Alckmin diz que este crime é “razão frágil” para impeachment. Não, figurinha. Seu discurso é que agora dá uma razão frágil para confiarmos em sua idoneidade. E ele já pode ficar com carimbo de suspeito na testa.

Segundo Alckmin, punir alguém por pedaladas fiscais fará com que nenhum governo tenha mais segurança jurídica de que terminará o mandato. Em outras palavras, isso é endosso de crime. Quem sabe confissão? Está pedalando, Alckmin? Está com medinho, figura?

Dilma maquiou a crise e nos levou ao estágio em que estávamos antes do Plano Real. Se isto é “qualquer crise”, é sinal de que Alckmin não está apenas se colocando como suspeito de pedaladas, como também insensível à verdadeira crise inaceitável lançada contra o povo.

Pessoas moralmente normais diriam que diante da punição de um presidente por pedaladas fiscais, a mensagem que deveria ficar é: pare de pedalar! Mas observem o sistema moral de Alckmin: “o problema de punir um presidente por pedaladas é que outros ficariam inseguros para poder pedalar”. Ué, esta é outra razão para endossarmos o impeachment de Dilma, não o contrário. A mensagem passada pelo governador de São Paulo é a de que as pedaladas devem ser liberadas, somente para evitar “intranquilidade” dos que brincarem com o dinheiro público.

Dilma realmente deve muito a Alckmin, pois ele é capaz de jogar toda sua honra no lixo para defendê-la. Vergonhoso é pouco para descrever.

Em tempo: o Brasil247 não ia perdoar e evidentemente aproveitou o presente dado pelo governador. Ver abaixo:

premio_alckmin

Anúncios

27 COMMENTS

    • Obviamente, não tenho procuração para falar pelo Ayan, mas vi integralmente a aula do Olavo de Carvalho sobre o momento político e a achei lamentável. É até difícil criticá-la em virtude da miscelânea de afirmações aleatórias, impressionistas, que não se coadunam com o rigor que se espera de um filósofo.

      Algumas coisas que ele diz – até o estranho papo sobre a falta de testosterona dos homens de hoje – se aprofundadas, podem fazer algum sentido. Mas Olavo, não sei se por preguiça, não se aprofunda em quase nada do que afirma, fala sempre como se estivesse num botequim.

      E, no caso dessa palestra, não tem desculpa: ela não é papo de Facebook, mas aula paga do COF, que ele disponibilizou de graça por entender que se trata de análise vital para o país. Logo, devia ser uma palestra mais séria, sem tantas digressões desnecessárias e sem sentido.

      • Começa fazendo um elogiozinho ao Olavo, diz que as análises são fracas e que apesar de dizer uma ou duas coisinhas verdadeiras a análise é fraca. É o Francisco Razzo fazendo escola!

      • Tá lá escrito bem claro e simples de entender: “BREVE ANÁLISE DA ATUAL SITUAÇÃO POLÍTICA BRASILEIRA”. como você não consegue perceber isso?

  1. Por quê será que o Alckmin está com medo? Será que ele também andou fazendo as suas pedaladas ou recebendo pixulecos? Por isso está se sentindo ameaçado? É uma confissão de culpa?

  2. kakaka..Pessoas dormem em berço esplendido do alto de suas conjecturas sociopolíticas!Alkcmin não tem honra pra jogar em lugar nenhum!De tudo q se tem visto e comprovado nestes últimos 20 anos,alguém acha q essa gente sabe ao menos o que quer dizer honra?Adjetivo?verbo,substantivo?poupe-me!E vejamos:se o quadro é de que o pt está fazendo de tudo para se perpetuar no poder e está conseguindo, porque não tem páreo pra “eles”,uns dizem q só na conversa e passeata e beijinho no ombro,outros criar uma tática de guerrilha politico verbal,e uns poucos que querem agir q sabem q não sairão sem a força, eles usam a própria democracia para derrotá-la,são xingados!como pode esse jegue entender q tem chances em 2018,então o melhor é canibalizar o gado agora,para vir como salvador?Não faz sentido! Quem não aceita conspiratas,um dia vai ter q cair da caminha dos 3 porquinhos,e o tombo vai ser alto!E tarde!

  3. Alckmin coloca sua disputa particular com Aecio pela presidência em 2018 acima dos interesses do povo , acima da gravíssima crise economica , politica e moral que está destroçando o Brasil…É um ser desprezível , asqueroso…Ajudar a manter essa mulher e sua quadrilha no poder é uma traição abjeta

  4. Vergonhoso é pouco para descreve tal opinião. Imaginem como estão as Contas de São Paulo, já que ele considera bilhões de reais, motivo frágil….

  5. Com a queda dessa BanDilma PTralha a unica coisa que fica “ameacada” eh o projeto totalitario criminoso do PT e do foro de sao paulo. Esse picole de xuxi capacho PTralha eh um NOJO!

  6. O dia que fraude fiscal (sem eufemismos pfv) é um crime menos que desvio de dinheiro para compra de um fiat elba… meu amigo, algo está muito errado.
    Não sei não viu, isso me cheira a mãos sujas de petróleo.

  7. As declarações frouxas das lideranças dos bicudos sobre a corruPTocracia levam-me a desconfiar que eles também estão enfiados até o pescoço na roubalheira. Já a defesa da presid’anta pelo narigudo paulista lembra-me que governos estaduais também são criativos na prestação de contas.

  8. Será que agora, finalmente, o MBL e Vem Pra Rua entendem que com esse tipo de gente não se faz “concessões” e sim exigências?

    Se o MBL tivesse feito a Marcha para Brasilia com o slogan “FECHAMENTO DOS PARTIDOS DO FORO DE SAO PAULO” toda essa palhaçada do Alckmin não estaria acontecendo pois o buraco ia ser mais embaixo.

    • Paulo Barreto, você diz “Todos os políticos!”
      Sério? Se entendi você acredita que todos os políticos são iguais, todos ruins até os ossos? Não tem um que seja menos pior?…
      Qual o próxima afirmação? Dizer que deveriam votar nulo? Exatamente como pede a cartilha do PT destinada a jogar contra quem votaria na oposição. Depois reclama que estamos nessa situação?
      “Você vota no PT? siiiim”
      Se não entendi, desculpe, mas não consegui deixar uma afirmação em tal sentido passar como aceitável. São pensamentos de que todos os políticos são iguais que nos trouxeram onde estamos, crise e caos.

  9. O Geraldo jogou sua biografia no lixo. Nunca mais, Geraldo!
    Tenho certeza de que na iniciativa privada, cujo dinheiro é gerado com o suor da administração e produção, milhões de empreendedores estão apreensivos e tomando atitudes para preservar seus negócios, cortando custos, reduzindo despesas, otimizando produção e infelizmente, em muitos casos, promovendo o desemprego.
    No Brasil, no exercício de poder concedido pelo voto, os administradores públicos trabalham e legislam para serem os donos da coisa pública. E para tirá-los de suas cadeiras, é toda uma parafernália de regras que acabam por proteger os meliantes. Nesses casos, a corrupção permeia as instituições do Estado,
    ” todos amigos”, em nome da governabilidade.
    Enquanto isso, a segurança institucional que deveriam gerar, termina por criar o caos e atraírem para si toda espécie de revolta. O povo lhes delega poder e devolvem corrupção, roubo, mentira e dissimulação.
    Acho que o Estado tem que ser privatizado, sociedade anônima com ações e dividendos, com análise das contas anuais. Deu lucro, mantém os administradores e suas equipes. Não deu lucro, muda todo mundo, executivo, legislativo e judiciário.

    • Pobre daqueles que um dia acharam que ele um dia tivesse uma biografia para começo de conversa. Em 2006 eu achei que ele era um conservador. Graças a Deus nunca mais votei nele.

  10. O governador Geraldo Alckmin está correto em defender cautela no pedido de impeachment. É fundamental nesse momento se ater a apuração dos fatos e o cumprimento da Constituição. São as investigações que vão definir o destino de Dilma. À oposição cabe cobrar que as investigações sejam feitas com transparência e que os responsáveis pelas irregularidades sejam punidos. Cabe também ao PMDB assumir sua responsabilidade nesse processo. Não podem jogar toda responsabilidade nas costas dos tucanos.

    • Cautela é o que mais teve a oposição da Venezuela.
      O artigo trata do que Alckmim disse sobre as pedaladas fiscais e ele defender que agora a lei seja ignorada, e fica pior por termos o governo mais podre que “nunca antes na história” do Brasil foi visto, mesmo ela tendo usado as pedaladas para um verdadeiro estelionato eleitoral.
      Uma coisa é você apoiar Alckmin, outra é você tentar defender as besteiras dele e passar batido.

Deixe uma resposta