Olavo de Carvalho ou Movimento Brasil Livre? Preciso realmente escolher um lado?

107
358

olavokim

Em relação à polêmica entre Olavo de Carvalho e o Movimento Brasil Livre, já recebi dezenas de questionamentos em diversos formatos, mas sempre com o mesmo alvo: descobrir quem está certo e, ainda, de que lado estou. Ao responder dizendo que “estou a favor de ambos, de acordo com os objetivos e resultados”, minha resposta geralmente parece “política”, no pior sentido da palavra, motivo pelo qual preciso elaborar um pouco mais.

Um leitor me disse que eu deveria sair xingando Olavo após ter escrito um post no qual opinava que as críticas ao Movimento Brasil Livre eram injustas (aliás, não escrevi aquele texto pensando no que o Olavo disse, mas no que vários que compartilhavam suas ideias me falaram no Facebook). Eu não faria isso de forma alguma, a começar por que sou grato a Olavo de Carvalho pelos insights que ajudaram a moldar meu sistema de pensamento e, posteriormente, meu método. Ainda que eu discorde de alguns pontos em sua análise, e ainda que eu prefira muito mais seus livros do que suas atuações em hangouts, eu tomo sua visão profunda e realista da mentalidade coletivista até como um imperativo moral.

Olavo não é a única influência para meu sistema de pensamento. Outros incluem John Gray, Eric Voegelin, David Horowitz, Antonio Gramsci e George Lakoff, dentre outros. Antes que alguém já venha dar uma de engraçadinho, para mim a visão de John Gray sobre a Teoria Gaia é uma excelentíssima besteira. Mas e daí? Não nasci para ser um “seguidor”, mas para adquirir conhecimento, que pode me ser útil ou não. Evidentemente, também terei minhas discordâncias com Olavo. E daí? Não é isso que fará uma turba com sede de sangue me ver escolhendo um lado para apoiar e outro para desconstruir, enquanto ambos os lados possuem o mesmo objetivo básico que o meu e apenas discordem em relação aos pressupostos assumidos e aos métodos escolhidos.

Tendo feito esta preparação inicial, eu entendo que o maior problema em todo este entrevero se deve mais a uma falta de comunicação do que propriamente às decisões e pressupostos de cada lado. Isto enquanto mantenho minha posição de, neste momento, dar total apoio à decisão do Movimento Brasil Livre, mas rejeitar o cenário de terra arrasada que tanto alguns admiradores do Movimento Brasil Livre como alguns leitores de Olavo de Carvalho estão praticando contra os lados agora tomados como oponentes.

Eu não quero desmerecer pessoas com formação em jornalismo, filosofia, sociologia, letras e outras áreas, das quais surgem boa parte dos formadores de opinião nos dias atuais. Porém, acho que se estes grupos podem dar contribuições inestimáveis, que as pessoas oriundas de áreas como administração, informática e/ou gestão de projetos talvez não conseguiriam, estes últimos, por outro lado, também podem dar contribuições adicionais para complementar o conhecimento dos primeiros. E aqui farei o papel de um advogado dos gerentes de projetos. Até por ser um deles.

Um gerente de projetos entende que gerenciar as comunicações deve consumir boa parte de seus esforços, bem como gerenciar os conflitos. E mesmo com interesses conflitantes, pessoas se juntam para entregar resultados. Caso ignoremos os interesses conflitantes, aumentamos a chance de fracassar e sem mesmo saber o motivo do fiasco. A tendência daí em diante é partir para o “blame game” (ou melhor “jogo da culpa”, onde os lados vão apontando os culpados para a ausência de resultados). Tal como ocorre nos projetos, há interesses conflitantes na direita.

Vamos avaliar dois grupos principais, com interesses conflitantes em vários pontos (e os nomes que escolhi para os grupos são temporários):

  1. Direita revolucionária: Tem como alvo principal o Foro de São Paulo (em alguns casos a Nova Ordem Mundial), e entende que alinhamentos com a esquerda moderada são contraprodutivos, pois eles só servirão para reforçar a esquerda no fim das contas. Por isso, a ação contra toda a classe política é a mais ideal, com várias formas de revolução não-violenta, incluindo greve geral e desobediência civil. Nesta visão, PSB, PSDB e PT são a mesma coisa.
  2. Direita gramsciana: Tem como alvo atacar a esquerda totalitária, e somente depois a esquerda mais moderada. E este ataque deve ocorrer apenas após a neutralização da esquerda totalitária. Com isso, devemos pressionar a classe política e pautá-los, mas fazer alianças conforme necessário. Nessa visão, PSB é melhor que o PT, e o PSDB é melhor que o PSB. E assim, progressivamente. A ação deverá ser estritamente política.

Quem quer se ofenda com as descrições acima dizendo coisas “eu estou do lado de Olavo de Carvalho e não me alinho 100% com a direita revolucionária” ou “eu estou do lado do Movimento Brasil Livre e não me alinho 100% com a direita gramsciana” está ignorando o principal. Olavo de Carvalho e muitos de seus leitores estão mais próximos do primeiro grupo, na medida em que os adeptos do Movimento Brasil Livre estão mais próximos do segundo grupo. E a partir de agora não falemos mais em MBL ou Olavo. Falemos em grupos, em nível geral, para abarcar uma coleção maior de comportamentos, que tem sido multiplicados pelas redes sociais. (Aliás, algo me diz que o Revoltados Online fará o papel da direita revolucionária, tendo como conselheiro principal Olavo de Carvalho)

Quando observamos por essa ótica, o grande problema, suficiente para gerar uma confusão desgraçada, é baseado em perguntar coisas como: “Quem está certo?”. Mas como julgar de forma tão simplista se os objetivos e premissas de cada grupo são diferentes? Se para a direita revolucionária derrubar o PT e ver o governo ser assumido pelo PMDB ou pelo PSDB não significa avanço algum, como julgar o grupo que tem a visão de que, ao contrário, colocar partidos com menor histórico de totalitarismo no poder, mesmo de esquerda, é o primeiro avanço considerável? Será que os garotos do Movimento Brasil Livre foram enganados ou estão cientes de executarem uma variação da estratégia das tesouras para a direita?

Notem como a coisa muda de figura. Aqui não estamos querendo mais saber “quem está certo”, mas quem está certo de acordo com seus objetivos e premissas, e se é útil que existam dois grupos divergentes em termos táticos atuando. E aqui me coloco como alguém da direita gramsciana, mas também com muita simpatia pelos resultados que a direita revolucionária pode obter (até por que, em essência, defendo até outra perspectiva revolucionária).

Algumas pessoas parecem achar que eu não creio no Pacto de Princeton ou, acredite se quiser, que eu não dou a devida importância ao Foro de São Paulo. É verdade que considero as alianças do PSDB e do PT no passado (e até algumas no presente) mais como resultado da falta de pressão da direita sobre os tucanos, do que propriamente uma meta fechada no Pacto de Princeton. E quando eu questionei por evidências do conteúdo do Pacto de Princeton, não quis desrespeitar quem defende que este documento define a aliança do PSDB e do PT, mas expor um ceticismo que ajudaria a retirar as desculpas de uma parte dos direitistas revolucionários que transferem para este pacto (do qual não sabem o conteúdo) a responsabilidade por não terem atuado politicamente na dimensão necessária. Pelo que tenho notado, tucanos tem medo de tomar shaming, e não se furtariam em votar contra o PT nos projetos totalitários. Praticaram até a blasfêmia (na visão bolivariana) de expor a ditadura de Nicolas Maduro.

Outros dizem que o PSDB é do Foro de São Paulo. Eu não aposto nessa possibilidade, e não visualizo este nível de controle do Foro sobre o PSDB. Novamente, imputo à nossa falta de pressão a responsabilidade pelo não atendimento de nossas demandas por parte dos tucanos.

Observe que estes dois exemplos mostram que há pressupostos tomados que, por si só, modificam absurdamente nossa tomada de decisão. Disto decorre que enquanto a direita revolucionária não aceita a maioria dos acordos temporários com tucanos, a direita gramsciana irá comemorá-los. E aqui vou puxar a sardinha para a direita gramsciana. Não é preciso renegar as ações da direita revolucionária, desde que elas não descambem para os pedidos por intervenção militar, que só funcionam como tiro no pé. Se a direita revolucionária jogar bem o jogo político, é aliada da direita gramsciana.

Observemos um resultado da direita revolucionária: ter implementado o voto impresso. Dificilmente, o Movimento Brasil Livre teria focado nisso, uma vez que priorizou o impeachment desde o início de 2015. Porém, nesta priorização, a direita gramsciana ajudou o impeachment a ir para a boca do povo. E que próxima ação uma direita revolucionária poderia ambicionar? Aqui vai uma sugestão: reverter, por ações de desobediência civil, retirada da legitimidade do STF e outras iniciativas correlatas, o golpe que deu ao PT o poder de utilizar impunemente verba estatal para financiar suas campanhas. Como meta, a decisão do STF proibindo o financiamento empresarial de campanha teria que ser revertida. Como é uma ação que já chegou a níveis mais críticos, provavelmente uma atuação política mais tradicional não seja suficiente. Acho que a direita revolucionária pode ser melhor nisso.

Quer dizer, de acordo com os objetivos e premissas diferentes, há ações específicas para cada grupo. Eu entendo que a direita revolucionária comandou o espetáculo com o estabelecimento do voto impresso. A direita gramsciana se adiantou na questão do impeachment. Isto não impede a direita revolucionária de pensar na questão de como quebrar as pernas do Foro de São Paulo.

E quanto a mim? Eu quero principalmente que nos livremos do totalitarismo. E que os resultados venham tanto da direita revolucionária como da direita gramsciana.

Anúncios

107 COMMENTS

  1. “… e entende que alinhamentos com a esquerda moderada são contraprodutivos, pois eles só servirão para reforçar a esquerda no fim das contas. ”

    Luciano desde quando alinhar é entregar o protagonismo para a esquerda?Foi isso que o MBL fez ao priorizar nem o próprio pedido,ou dos outros movimentos de rua,mas o do Hélio Bicudo(apoiou o Plínio do PSOL em 2010)!!!

    O próprio Olavo falou que deveria se dar “um agrado” ou Hélio Bicudo e seguir em frente nos pedidos dos movimentos(não foram todos avaliados pelo Eduardo Cunha ainda)!!!

    Nesse caso não houve uma definição de 2 direitas,mas sim um ERRO GROSSEIRO por parte do MBL(e pela 2ª vez, já que também tentaram entregar o protagonismo para os políticos na Marcha para Brasília.

    Sinceramente não sei como você não entendeu a situação.

  2. Muito bom o texto Luciano e o timing foi certeiro. Mas ao mesmo tempo reconheço que fico preocupado não com a variedade de pensamentos e planos de direita mas com um certo ego inflado das diversas partes que deveriam estar trabalhando em conjunto para sairmos dessa situação pré-socialista que o Brasil está. Tem muito mais em comum do que pontos divergentes. Penso que Olavo e MBL possa até dividir opiniões mas dividir forças, em uma altura dessa do campeonato…

  3. Há um problema importante na análise, Luciano: onde você escreve “PSDB”, aquilo a que você definiu como direita revolucionária (um termo que me parece impróprio, mas não quero levantar este tema agora) enxergou “FHC”. Não se pode tomar PSDB e FHC como sinônimos. Os admiradores do Olavo, em momento algum, se queixaram das reuniões dos grupos com outros tucanos. Tomo como exemplo a Bia Kicis, que é do Revoltados Online e está muito próxima do Olavo, a ponto de ter ido visitá-lo nos EUA semana passada: ela tem interlocução total e muitas fotos com tucanos da Câmara e do Senado. Não foi criticada por isso, nem nunca será. O problema do MBL foi ter feito a reunião com FHC, não com o PSDB. E tem mais um detalhe importante: houve gente assegurando que o encontro deles com FHC não foi prá tratar do impeachment, mas para tratar do cenário político posterior à queda da Dilma. Ora, se não é pelo impeachment, o que eles estariam tratando com FHC que não poderia ser tratado com as forças políticas emergentes da direita ou até mesmo com os tucanos mais jovens, sem ranço esquerdista e sem conexão com o pacto de Princeton?

    Por fim, sobre resultados (algo tão caro a este site), nada mudou em relação ao que eu disse no outro post. O que se colheu até agora foram cisões, desentendimentos, brigas. Em troca de nada que seja útil à causa da direita. Avalio a reunião como absolutamente catastrófica neste sentido.

    • PACTO DE PRINCETON AUHEUAHEUAHE
      PROVE o tal pacto de Princeton AGORA ou admita que você é um mero fundamentalista político pseudocientífico do nível dos bolivarianos.No aguardo das evidências científicas e empíricas.

      • Acha mesmo que alguém tem algum interesse em provar alguma coisa a um NADA como vc? Acorda prá vida, rapaz!! As repetidas defesas, veladas ou escancaradas, que FHC faz do PT e da Dilma são mais que suficientes prá provar meu ponto, independentemente da ocorrência do Pacto de Princeton. Não espero que vc compreenda isso, mas também não costumo dar “bom dia” a mulas. Portanto, pegue o seu querido FHC, dê um viagra pro velhote e vá sentar no colo dele depois.

  4. Um artigo precioso.Temos muito mais capacidade de sinergia que o outro lado, mais capacidade de argumentação, mais gente qualificada e com os fatos totalmente a nosso favor.

    Mas Luciano, pretende tecer algo a respeito dos lamentáveis acontecimentos aqui no RJ, recentemente? Especialmente desqualificar os argumentos e ações da, para ser bonzinho, infeliz e alienada defensora Eufrásia?

  5. Luciano, você acha que as pessoas já nascem com uma predisposição esquerdista, isto é, elas manifestam um, digamos, padrão biológico igualitarista que as domina medularmente (motivo pelo qual agem como fanáticos religiosos), ou, de outro modo, as pessoas são politicamente uma “tabula rasa” e se tornam esquerdistas durante suas vidas por influência cultural e lavagem cerebral?

    • Se você estudar autores sérios de Psicologia, verá que o ser humano nasce egocêntrico, que é basicamente o comportamento infantil, que exige sempre atenção seja por choro, pirraça etc..

      A vida em família, a primeira comunidade a qual pertencemos, é importantíssima porque é a partir dela que aprendemos a conviver em sociedade. Não é à toa que mais de 80% dos menores infratores homens viveram em famílias desestruturadas e criados apenas pela mãe, que não possui a autoridade e a força nativa da figura paterna: se um bom pai, impõe-se pelo respeito e experiência; se um mau pai, pela violência.

  6. Concordo integramente com você, em toda a sua argumentação.
    Também, assim como a você, Olavo de Carvalho teve uma enorme influência na minha maneira de ver o mundo, além de ter desvendado todas as fraudes perpetradas pelos esquerdista, pondo-me a salvo dos estratagemas de comunistas, socialistas, bolivarianos etc. (É lógico que os seus inúmeros artigos me esclareceram muitas coisas)
    Mas confesso que fico triste com o embate entre o Professor Olavo de Carvalho e o Movimento Brasil Livre, pois admiro o que esses rapazes conseguiram fazer com tão pouco recurso, em tão pouco tempo, contra uma esquerda totalmente aparelhada pelo Estado.

    • É isso mesmo Silvio. Mas todos tem que entender que estão do mesmo lado do muro. A luta não é e nem pode ser de grupos isolados mas unidos na causa de tirar os comunistas do poder. Enquanto ficamos discutindo entre nós, PT, PSOL, PSTU, PCO e PCdoB estão unidos contra a direita, mesmo sabendo que também não tem o mesmo objetivo final.

  7. estão dando muitas chances ao psdb. O psdb está enrolando pra ganhar tempo. Olhem pra cara do fhc e me digam se ele tem cara d quem deseja derrubar o pt? Pelo amor d Deus esses caras do MBL tem q lavar a boca antes de falar do Olavo.

  8. Eu fui assistir a crítica do Olavo e acho que encontrei o ponto em que discordo dele nisso, e provavelmente boa parte do MBL também. Ele enxerga no Brasil de hoje um quadro revolucionário ou melhor dizendo, um potencial de revolução à partir das ruas contra o projeto petista. Nas palavras dele o povo brasileiro passou por uma “tomada de consciência”. Ele vê isso à partir de exemplos como as grandes manifestações, o 93% de rejeição ao governo, os panelaços, etc.

    Eu em muitos momentos também tive essa impressão, devo até ter escrito isso por aí, talvez pelo entusiasmo com que a gente volta de uma manifestação, ou talvez por viver muitas vezes demais na minha própria bolha (rede) de pessoas, todas fazendo oposição.

    Mas analisando com certa distância temporal agora acho claramente uma leitura errada, e se alguém me indicar algum material em que o Olavo desenvolve esse ponto especifico, agradeço.

    As pesquisas de opinião são simplesmente um foto momentânea de um governo que se esfarela em meio à corrupção e um crise econômica gravíssima. Não é transferível a nada mais e acaba no horizonte do impeachment. Nós estamos simplesmente surfando essa onda.

    As manifestações foram enormes, poderosas e mudaram o jogo, obviamente. Mas elas foram esparsas, curtíssimas, pouco incisivas, tremendamente bem comportadas e não criaram símbolos de resistência. O 15 de maio teve um efeito avassalador pelo tamanho e pela surpresa no ineditismo. Despertou medo no poder. Mas a repetição dela meses depois (e depois muitos outros meses depois), o foco nos números (qualidadequantidade) acabou por matar o efeito surpresa e depois a força delas. O governo não tem razão nenhuma pra temer uma manifestação dominical que vai começar as 4 da tarde e terminar às 7 horas. Na segunda é business as usual. E pior, as manifestações não tem a vocação de dar o passo seguinte – a desobediência civil, a tomada permanente das ruas como, digamos, um Maidan ou uma primavera árabe. Digo isso como alguém que tentou fazer isso acontecer. Simplesmente não é o perfil de quem estava nas ruas e não era o que elas queriam.

    Eis que a leitura diferente da mesma situação seguem conclusões diversas. Olavo acha que o MBL matou o potencial revolucionário das manifestações ao institucionalizar o pedido de impeachment. O MBL acha que as ruas já não tinham mais muito o que acrescentar depois de um ano nas ruas (e pelo contrário, elas correm o risco de acabar sem um fato novo) e por outro lado poderiam usar o impacto das manifestações como alavanca para pressionar pelo impeachment.

    • Tb perebi isso. Das duas uma, ou tá achando que todo o brasileiro pensa igual a seus seguidores, ou depois de ver um monte de gente segurando cartazes com “Olavo tem razão”, isso subiu na cabeça dele, e perdeu o norte de realidade.
      Os movimentos certamente são mais do que a esquerda pensa, mas são muito menos do que o olavão imagina.

      • Não seria o primeiro caso de uma pessoa que não tem os dados de primeira mão errar na análise pq a qualidade da informação que as pessoas trazem pra ela é viciada e meio bajuladora. Mas agora tô entrando na mais pura especulação, eu não faço ideia.

        Mas que o otimismo exagerado dele nesse ponto salta aos olhos, é fato. Ele geralmente tende mais ao pessimismo nas análises de conjuntura.

        O pessoal que eu conheço e esteve lá no chão nas manifestações são todos bem mais acautelados lembrando do que aconteceu. E a sensação ultimamente é muito mais de frustração, apatia e impotência, que dirá de fervor revolucionário… Tá é faltando ânimo pra voltar pras ruas e olha que depois da bandidagem que o STF fez hoje precisamos voltar urgentemente.

  9. A esquerda tem muita facilidade de organizar seus grupos dissidentes, usando cada um deles nas atividades mais apropriadas.

    Luciano, já reparou como esquerdistas não se censuram? Enquanto ficamos criticando uns aos outros, os vermelhos jogam totalmente com o princípio da irresponsabilidade e deixam propagar livremente as correntes mais bizarras como feminazis, blackblocs, esquerdistas ”intelectuais”, gayzistas, mst, etc. Eles sabem aplicar o GRUPO CERTO NA HORA CERTA.

    • é exatamente o que eu penso. a esquerda aceita todo tipo de gente,por isso são maioria. mas o pessoal de direita ficam com essas briguinhas de merda : conservadores x liberais x libertários x ancaps,Olavo x MBL….
      é o que o Luciano costuma falar: ” Não dê munição para os seus adversários!”.
      Então invés do pessoal ficar na sua,não,fazem questão de “desmascarar” os próprios soldados que estão no mesmo barco.sobretudo os conservadores,pois eles sempre tem que manter bem limpinha e cuidada a aparência.

  10. Não gostei apenas do nome direita revolucionária, porque me parece impreciso e pode confundir com a esquerda.
    Eu daria algo como direita “tea party”.
    Gostei do termo direita gramsciana, porque de fato trata se de ocupar espaços e utilizar a estratégia das tesouras ao contrário.
    No mais, concordo com a análise.

    • Já eu não gostei do termo “Direita Gramsciana”, preferia “Contra-Gramsciana”, mas a identificação de dois padrões distintos e classificação pela adesão a eles já é uma contribuição interessante.

  11. O movimento brasil livre,é igual os Caras Pintadas,aproveitadores e oportunistas,podem até achar que lutam Contra o PT e cia,Mais os cabeças desse movimento tem como objetivo atrair o Público de direita e Depois Doutrinar,e depois entrar na politica e fazer o jogo do psdb…

    Essse kim é um idiota,toda vez que olho para ele lembro dos caras pintadas em especial o “lindemberg farias”.

  12. Excelente. Mas de qualquer forma lamento que se façam julgamentos tão precipitados em relação aos atores das direitas. Quando o Rogério Chequer apareceu no roda Viva, veio logo uma turma impaciente adjetivá-lo nas redes sociais. Ficamos décadas sem lutar contra a esquerda, e assim que aparece um grupo mais organizado, já vem logo fogo amigo (pessoas que parecem seguidores de seita) por meio de críticas super agressivas, como é o caso agora.
    Na verdade os dois lados se suplementam, mas está faltando um pouco mais de paciência e boa vontade.

  13. ____________________________________________________________________________
    Desculpem a intromissão, transito a pouco nessas ideias anti-socialistas/petistas/etc., mas
    creio que em termos de estratégia, essa fogueira de vaidades neste momento torna-se inopor-
    tuna. Tal sisma alimenta o ideário da esquerda que quer tudo dividido, fracionado, enfraque-
    cido. Creio que independente dos caminhos propostos por cada parte, a elaboração e estabe-
    lecimento de uma agenda específica, com metas, meios, foco único para um norte bem espe-
    cífico seria o ideal para os movimentos e o País, faz falta uma coordenação dos esforços exis-
    tentes, todos sabem o que querem, falta o como devo e termina em cabo de guerra.
    Superado o obstáculo, ai sim cada um desenvolve e aplica seus métodos.
    Atualmente, “o inimigo do meu inimigo, não é meu amigo.”
    Não podemos esquecer, a agenda da esquerda é bem elaborada, por isso remamos contra a
    correnteza e mesmo quando desvelamos suas tramoias e expomos suas entranhas eles conti-
    nuam a operar buscando seus nefastos objetivos.

  14. Palmas luciano um comentario sensato em meio ao fanatismo, as pessoas parecem que se esqueceram da guerra politica e resolveram se voltar umas contra as outras, quando na verdade devemos ficar unidos

  15. Olavo e os olavetes estão insuportáveis de uns tempos pra cá, é fato, mas continuam sendo um instrumento importante da luta contra o bolivarianismo e o petismo.
    O MBL pode (ou não) ter cometido um erro ao posar com FHC, é fato, mas continua sendo um instrumento importante da luta contra o bolivarianismo e o petismo.

    Dessa forma, por que diabos se deveria “escolher um lado”? Ambos os atores se prestam a papéis importantes, e não teria nenhum sentido ficar contra um ou outro. Olavo esteve grotescamente errado na maioria das tretas recentes em que se meteu (e aqui me refiro, além de ao MBL, ao Razzo e ao Carlos Ramalhete) e penso que seus admiradores ponderados (eu incluso), embora ainda nutram por ele gratidão, têm sua admiração cada vez mais diminuída. Entretanto, enquanto ele continuar batendo no PT e fazendo gente ver o quão tóxico é esse partido, será útil. Olavetes fanáticos (porque há os sérios) costumam ser pouco sofisticados, é verdade, mas deixemos para pensar em uma direita inteligente depois que tirarmos a esquerda do poder.

    Em suma, Luciano, penso que aqueles que cobram um posicionamento seu sobre essa intriga nunca compreenderam realmente qual o objetivo dos seus escritos e de sua página.

    • Apenas para evitar respostas geradas por mal entendidos: embora nunca tenha sido aluno do Olavo, já fui grande admirador dele, tendo inclusive me metido em discussões sérias com conhecidos para defendê-lo (embora nunca tenha chegado ao nível de histeria que os olavetes fanáticos chegaram). Como aconteceu com muitos outros, Olavo abriu minha mente para muitas coisas, e o que aprendi com ele faz com que minha gratidão seja eterna. Entretanto, de uns tempos pra cá, tem ficado realmente difícil. Seu comportamento está insuportável e suas atitudes, indefensáveis.
      Enfim, minhas críticas ao Olavo são motivadas não por raiva, ressentimento, inveja ou algo do tipo, e sim por um carinho genuíno pelo velho, por uma irritação gigantesca com um senhor de idade se comportando como uma criança birrenta a todo momento, e por uma remota esperança de que ele volte a produzir com o mesmo brilho que me fascinou em meados dos anos 2000.

  16. Tenho que adimitir que eu não li o texto todo.
    Mas outra coisa que acho importante, ao menos do lado dos pragrimaticos, ou gramscistas, como preferir, é ficar com raivinha de intriguinha. Eu particularmente vejo como muito positivo essa dissociação MBL com o lado não-pragmatico (sejam os ancaps brutalistas ou os conservadores fanboys do Olavo), e principalmente dos intervencionistas(que já estão entrando em extinção, felizmente) pois assim, imediatamente eles se colocam na posição de moderados e conciliadores, mesmo não mudando uma virgula do que pensam.
    Eu vejo como super positiva haver uma oposição interna no campo das idéias, mas quando chega a hora do “vamo vê” sempre estão do mesmo lado. No final das contas, a unica coisa que importa mesmo é a segunda, no que diz respeito a se atingir resultados pratico.

    • * ” é NÃO ficar com raivinha de intriguinha”
      apoio o fusionismo de metas, mas não o fusionismo de idéias.
      Inclusive, esse fusionismo de ideias, mesmo que pequeno do mbl com os conservadores tá cheirando mal já…. parece que o Novo não está querendo se envolver com ele. Provavelmente deve ser por isso.
      Mas as metas são claras: pt < psb < psdb…

  17. Julio Cesar, faço minhas as suas palavras. Eu me sinto exatamente como você. Sou um antigo leitor do Olavo, reconheço o seu grande papel intelectual (eu que pese jamais ter sido aluno dele, graças a Deus e ao meu ceticismo, que fareja problemas de longe), mas ultimamente também estou a achá-lo quase insuportável. Ele me provoca aquele sentimento de vergonha alheia, ao se comportar como essa criança birrenta que você tão bem descreve. Olavo não faz nada para corrigir os olavetes, que já estão fazendo mais mal do que bem. Por isso, acho difícil uma união entre MBL e olavetes, como propõe o Ayan. Os olavetes estão atacando mais o Kim e o Osterman do que o próprio PT. E os atacam de modo grosseiro, vil, tentando ridicularizá-los de toda maneira.

    • Exato! esse é o grande problema. Ayan ñ trata nem de união, mas que cada grupo procure focar em problemas nos quais se sairiam melhor. Mas, o q vem ocorrendo é um fogo amigo insuportável por parte dos Olavetes. q sequer acompanham a página do MBL, pois se acompanhassem saberiam que eles fazem duras críticas ao PSDB e combatem o Foro de SP diariamente!

  18. Há uma orientação do Olavo, a meu ver a mais urgente e importante, que está sendo solenemente ignorada nas conversas em geral. Segundo ele, o caminho para a derrubada de uma ditadura implementada desde dentro de uma democracia passa necessariamente, em algum momento, pela busca de apoio internacional (pois os meios de ação internos vão se esgotando com o tempo). E este apoio só poderá vir se restar comprovado, sem a menor sombra de dúvidas, que o golpe se deu pelo governo de turno, e não por quem quer derrubá-lo.

    Olavo antes de mais nada sabe que a jornada rumo ao autoritarismo é composta de milhares de atos anti-democrático por parte do governo. Ele então ensina que a oposição, sem perder o timming, deve igualmente pavimentar o caminho da liberdade por meio de ações judiciais, sem a preocupação de ter seu pedido atendido. A força da oposição no âmbito internacional virá na proporção do volume de sentenças judiciais contrárias a democracia e legitimando a tirania. Com este histórico em mãos, fica bem mais fácil pleitear apoio internacional para aplicação de sanções ao país, e fortalecer a oposição interna e externa em várias frentes.

    Esta recomendação é de extrema lucidez e urgência, e está neste momento inexplicavelmente fora das conversas e do horizonte de ação dos opositores. Sem este histórico, tudo irá se resumir a uma guerra de versões, cada lado acusando o outro de golpista, e naturalmente numa situação assim a versão oficial é a que prevalece.

  19. Excelente texto, mas infelizmente será difícil, na prática, conseguir que esses grupos atuem da forma como Luciano sugeriu.
    Acho o pessoal do MBL, apesar de bem menos experientes q Olavo, mais preparados na luta política. Eles foram mais moderados nas críticas que tiveram de fazer em resposta aos ataques de Olavo, procuraram não por mais gasolina no fogo. Já a forma como Olavo agiu, com ataques pesados e tentando desqualificar o movimento, só fez com que seus seguidores, já raivosos, acabassem tendo respaldo para ataques mais incisivos. Ou seja, ele incitou seus seguidores, mesmo q ñ intencionalmente – sinceramente, acredito q foi intencionalmente sim, Olavo ñ é ingênuo – a ficarem enchendo o saco com repetitivos argumentos, muitos dos quais sem fundamento.
    Claro que nesse bolo de seguidores de Olavo estão os intervencionistas, que já criticavam o MBL independente do ocorrido e agora estão ainda mais chatos e insuportáveis.

    Diante disso, acho difícil que os seguidores de Olavo, principalmente os fanáticos, deixem de atacar o MBL no momento. Dessa forma, atrapalharão não só o MBL como também deixarão outras pautas, algumas colocadas neste artigo, de lado. É um fogo amigo num momento por demais inapropriado. Já não bastasse o MBL ser atacado pelos libertários por não ser purista, agora é atacado pelos Olavetes. É uma direita realmente muito desunida e que não consegue se organizar.

    Se Olavo fosse menos arrogante, poderia fazer um texto aos seus seguidores tentando amenizar a situação e propondo a eles sugestões como as encontradas no artigo do Luciano.

  20. Só acho que não é preciso saber cálculo estocástico pra saber qual das duas direitas tem mais chances de dar resultados, avaliando-se empiricamente a simetria com as duas esquerdas. Só acho.

  21. Em momentos como esses que a direita é uma decepção só.

    A ignorancia em matéria de guerra (politica ou convencional) é assustadora, odeio guerra, mas estudo muito o assunto, pois não é algo que pode ser negligenciado.
    Esse pessoal purista acha que existe alguma espécie de bomba atomica da politica que se usada ganha automaticamente toda a guerra obliterando 100% do inimigo, guerra é feita de batalhas e é ganhando batalhas que se ganha a guerra PORRAS!

    Olavo é um cara foda, gosto dele, mas entende bolufas de guerra pratica, é aquele tipo de cara que passou tanto tempo no mundo das idéias que está meio distante da realidade as vezes, percebo isso não é de hoje.

    MBL, falar com FHC? Sério, PRA QUE? Aquele cara é a cadelinha do Lula, sujou a imagem e muito, PSDB é uma coisa FHC é outra. Articulação politica sim, com o PSDB, sim, FHC vai falar o que você quiser ouvir na sua frente pra falar o exato oposto 5 minutos depois, ele sempre faz isso, é um individuo sem credibilidade e sem moral.

    Mas o ponto é, DIREITA, PARE DE AGIR COMO CRIANÇA MIMADA, SE NÃO FOR SEU JOGO ENTÃO VOCÊ VAI EMBORA E LEVA A BOLA COM VOCÊ? CRESÇA, OU ESTAMOS FODIDOS!

  22. Liberais suas teorias e suas abstrações,
    só vejo crianças brincando de pragmatismo.
    o fato revolucionário se deu escancarado com 2 milhões de pessoas nas ruas, e o cara vem falar de granscismo como se estivesse jogando xadrez.
    me causa espécie como os liberais ficam molhadinhas com a palavra “jogo democrático“.
    Mesmo o PT que é uma esquerda de merda consegue fazer esses liberais de trouxas.
    Liberais e suas altas teorias sobre o deus “Mercado“.

  23. Pois eu sinto cheiro de infiltrados coletivistas, assassinos de reputação, por aqui. Antes eles tentavam taxar o Olavo de “astrólogo embusteiro” ou de “analfabeto sem curso superior”. Obviamente nunca colou.

    Mas agora o jogo ficou perigoso. Estão aproveitando esse desentendimento para espalhar que o O. de Carvalho era bom no passado, que valia a pena, mas que agora é um “velho birrento”, “radical”, “ranzinza” e “intransigente”. Xingam sem demonstrar.

    Não sou olavete, mas o jogo já ficou claro.

    Outro ponto que quero repetir: ceticismo político é importante, mas não pode ser tapado. Alguns que achamos serem possíveis aliados, ainda que temporários, na verdade são literalmente lobos em pele de cordeiro (os “bons” entenderão), e eu não duvidaria nada que podem nos levar para uma emboscada.

  24. Muito bom, Luciano. Eu estava com um tanto de raiva do Olavo por conta do que ele falou, na minha modesta opinião foi um desserviço a desmoralização ao MBL, pra mim é tão útil quanto aquele maluco de óculos e cabelão (não lembro o nome) que fez um vídeo falando que Aécio é igual a Dilma.

    Estou completamente na direita gramsciana. A revolucionária acumula vários direitistas depressivos. Espero que a mesma siga suas sugestões e brigue pelas causas que citou.

    Talvez não seja tão ruim haver uma polarização dentro da própria direita. De alguma forma, já há.

    Conservadores CHATOS são um grupo fechado, recluso e que ninguém dá moral. Equivalem ao PCdoB.

    Tem os direitistas revolucionários, que não são conservadores CHATOS (sempre colocando em capslock pois conservador é bicho CHATO pra caralho, com muita ênfase) mas são úteis. Equivalem ao PSOL.

    E tem os direitistas gramscianos, que na esquerda equivaleriam ao PT.

    PT e PSOL brigam mas se ajudam. Na real, PSOL que ataca o PT. O contrário não acontece porque o PSOL não representa perigo pra eles. PSOL não apoiou o PT nas eleições passadas, mas disse que “quem votou no PSOL só não pode votar no Aécio”. Ou seja, um apoio covarde, não assumido, velado, no armário, imbecil, mas apoio.

    Espero que lembremos disso. Espero que Olavão lembre disso, no alto de sua grama verde na Virgínia.

  25. Luciano,

    A visão da direita revolucionária (luta contra a classe política, greve geral e desobediência civil) está obviamente muito longe de acontecer. Devido a isso, tendo a me inclinar ao segundo grupo, como você.
    Porém, fico confuso quanto ao plano de ação e as atitudes a serem tomadas. Você coloca pressionar e pautar a classe política, mas também não vejo isso acontecendo.

    O Olavo sempre critica a luta pelo impeachment, pois considera que estamos tentando usar meios legítimos para tentar derrubar um governo ilegítimo. Apenas a luta pelo impeachment já valida as atitudes do governo atual.
    De qualquer forma, legítimo ou não, precisamos tirá-los de lá! Mas de que forma?
    Para o impeachment ser aprovado precisamos de 2/3 da câmara, não deveria ser essa a nossa luta?
    Por que devemos pressionar Eduardo Cunha (que está sentando sobre os requerimentos) e PSDB que, em teoria, já está a favor do impeachment?

    Por que o MBL “se alia” ao FHC (que não é sinônimo de PSDB) que, até hoje, em nenhum momento, se colocou a favor de tirar o PT do governo?
    Quem são os deputados (a exceção dos bolivarianos) que ainda não votariam a favor? Não deveriam estes serem os nossos alvos?

    Minha confusão se dá, por pensar que nem a direita revolucionária nem a direita gramsciana está agindo em direção a tirar o PT do poder.
    O primeiro grupo mira de forma utópica acabar com um grupo maior (Foro de SP) sem passar pelo grupo menor (PT) e o segundo grupo se alia a líderes tucanos e ao partido Novo, na minha opinião, pensando na sucessão do poder, querendo se lançar na vida pública, para na sequência ser mais do mesmo (PSDB e afins) e fazer nada em prol da sociedade.

    Normalmente meus comentários não são publicados, talvez por serem considerados derrotistas.
    Mas minha confusão é real e meu desejo de esclarecê-la certamente passa por você, que é hoje o autor mais coerente e contundente da nossa direita.

    Gostaria da sua ajuda nesses questionamentos, obrigado!

  26. Há um porém aí. A esquerda Foro de SP está no controle, implementando um agenda atrás da outra, e com certa velocidade. Não preciso dizer que tentaram o controle de imprensa, conselhos de Lenin e golpe constitucional todos ao mesmo tempo. Não é um time para se brincar. Neste ponto, qualquer um segundo a mais no poder corremos o risco, inclusive, do MBL ser esmagado e então acabar todas as direitas. Por isso, o Foro de SP – e seria muita ingenuidade achar que o Aloysio Nunes não pertence a ele com sua agenda de imigração já explicada por Ion Mihail Pacepa – deve ser retirado do poder o mais rápido possível. Por isso, a direita-pipoca-no-cinema está atrapalhando, e talvez até mesmo se vendendo.

  27. Aliás, algo me diz que o Revoltados Online fará o papel da direita revolucionária, tendo como conselheiro principal Olavo de Carvalho.

    Na mosca, Luciano. O mais irônico é que, quando os protestos começaram, em 1º de novembro de 2014, O MBL era oficialmente o grupo Olavette, e o Revoltados andava com um bando de intervencionistas.
    O mundo dá voltas.

    • Isso é natural (se é correto ou não, aí a conversa é outra). O próprio Luciano, naquele momento, era anti-impeachment (e, portanto, anti-MBL) por avaliar que o tema ainda não tinha entrado na janela de Overton, podendo ser confundido com golpismo ou desestímulo à batalha democrática. As pessoas erram e mudam – nem sempre prá melhor, que fique claro. Eis onde reside a grande força do Olavo: a visão e o embasamento do cara são muito maiores do que os de qualquer outro analista político brasileiro. Por isso, ele erra menos e não precisa ficar mudando de opinião.

  28. Basta um simples exercício de consciência: quem é Olavo de Carvalho, qual sua obra, há quantos anos ele anuncia a desgraça político/econômica/social que se abateu sobre nossa sociedade… E agora, quem é mesmo esse tal Kim-sei-lá-das-quantas? Quem quiser ir mais longe, que vá. Eu já paro aqui.

    • Eu digo quem é o Kim sei-lá-das-quantas, que por sinal tem sobrenome que faz os esquerdopatas tremerem de medo de levar shaming: Kim Kataguiri.
      Kim Kataguiri conseguiu, junto ao movimento o qual colaborou para fundar, realizar as maiores manifestações já vistas nessa porra. Levou, com seu movimento, MILHÕES de pessoas às ruas do Brasil – não foi só São Paulo não.
      Kim Kataguiri, com 19 anos, conseguiu dar dor de cabeça em um monte de esquerdopata veterano como Paulo Caganeira.
      Kim Kataguiri humilhou Jean Wyllys, o desmoralizou como ninguém nunca o fez, naquele vídeo que teve zilhões de acessos e revelou a COVARDIA do Jean Wyllys. Também humilhou outra esquerdopata veterana, a Jandira Fegalinha, cover do Laerte Coutinho.
      Kim Kataguiri foi ANDANDO até Brasília pedir o impeachment.

      Olavo é bom?
      Sim. Mas se o Brasil só contasse com Olavo, que por sinal não mora aqui há anos, estaríamos fudidos. Já descrevi como estaria o Brasil em 2015 sem MBL: o projeto petista estaria avançadíssimo, pedido de impeachment não estaria rolando forte como está, PSDB estaria quietinho aguardando as próximas eleições feito um cãozinho embaixo da mesa, não teriam rolado manifestações.

      Olavo continuaria falando, falando e falando, xingando o Brasil no qual ele não vive mais enquanto observa sua bela grama verde americana, diria que o Brasil é uma merda e brasileiro é bunda mole enquanto americano é tudo de bom, e criticaria, criticaria que tá tudo sendo desmoronado pelo PT e ninguém tá fazendo nada, mas criticar e criticar é coisa que qualquer rodinha de amigos numa mesa de bar consegue fazer, não?

      Olavo organizou alguma manifestação de rua que atraiu milhões?
      Veio dos EUA até aqui comparecer em alguma? (até Aécio e Serra compareceram)
      Foi até Brasília pedir o impeachment?
      Ou só ficou sentadão em sua confortável poltrona americana xingando o brasileiro, assistindo pela tela do computador nossa desgraça?

  29. Quem acha que o comportamento do Olavo existe por “birra” ou insiste em união artificial da direita em torno de temas que ainda não foram devidamente sedimentados, não entende absolutamente NADA sobre os ensinamentos dele, Olavo, ou das táticas que levaram a esquerda ao poder e à hegemonia cultural.

    Primeiro lugar: Cada um no seu quadrado. É de uma arrogância ímpar, chegando ás raias da boçalidade, um bando de gente que leu 4 ou 5 livros e começou a militar no campo da direita achar que pode desafiar o Olavo intelectualmente. Nunca a esquerda permitiu, durante a construção da sua hegemonia, que a discussão intelectual fosse feita por não-intelectuais. É um tal de “eu acho isso”, “discordo daquilo”, “temos que nos unir” e outras baboseiras do tipo.

    No Brasil, como existe apenas UM intelectual direitista vivo de peso, justamente o Olavo, defendê-lo diante de um bando de neófitos não torna a pessoa um Olavete, como bocós até da direita tentam fazer crer, mas sim um pragmático que enxerga corretamente as táticas eficazes de tomada de poder de forma duradoura. Para confrontá-lo, teria que haver outras pessoas como ele, do nível dele. Candidatos, há muitos. Na prática, nenhum. Ou alguém acha que Marco Antonio Villa, Reinaldo Azevedo, Diogo Mainardi e Rodrigo Constantino estão neste patamar? Então, quando o Olavo falar, calemos a boca e escutemos.

    O problema é que admitir isso fere a suscetibilidade de melindradinhos que julgam merecer maior prestígio somente porque conseguiram algum sucesso efêmero em um ou outro ponto secundário. É como se o cara que teve a ideia de fazer o Pixuleco (certamente uma ideia brilhante) de repente reivindicasse a condição de intelectual e um lugar de prestígio entre estrategistas não-esquerdistas. Fala sério!

    Portanto, não existe isso de MBL ou Olavo. Não apenas por se tratarem de coisas distintas, mas principalmente por serem HIERARQUICAMENTE distintas.

      • Dependendo do autor, contestar ou refutar é obrigação moral. No caso de intelectuais do porte e histórico do Olavo, se não tiver as mesmas credenciais e estiver no mesmo campo ideológico, não passa de arrogância juvenil. Uma das forças da esquerda foi sempre ouvir e seguir seus intelectuais. Revolucionários ricos sempre contrataram intelectuais de peso para pesquisar e formular estratégias. Imagine um Kim da esquerda nos anos 50 e 60 confrontando o Herbert Marcuse? Piada!

        Se a “nova direita” se comportar como a “velha”, sem seguir as orientações de intelectuais (atuais e históricos) e cultivando um ambiente onde há muito cacique para pouco índio, estará cavando a própria cova. Dinheiro ou sucesso em uma determinada área ou empreendimento não credencia ninguém a ser um intelectual. Pessoas dizem coisas e fazem análises políticas interessantes (você é uma delas), mas é preciso construir um histórico para ser um intelectual. E não há ninguém vivo na direita brasileira que tenha 1/100 do histórico do Olavo.

      • Tomé,

        Tsc, tsc…

        Não dá nem para discutir. O que você pede não é debate, mas reverência ao Olavo. E eu já expliquei que provavelmente falamos de objetivos diferentes em grupos. Ou seja, se os leitores do Olavo DEVEM seguir suas instruções, por que deveriam fazê-lo os que não tem os mesmos objetivos?

        O Olavo mesmo diz que para discutir é preciso saber elaborar um problema. Ao fazermos isso, será fácil notar que o melhor mesmo é uma divisão de frentes na direita.

        Em suma, O Olavo deve ser consultado por uma parte ESPECÍFICA da direita.

        Em tempo: as comparações entre Kim e Olavo também são absurdas. São momentos diferentes, focos diferentes, e situações diferentes.

        Abs,

        LH

    • “O problema é que admitir isso fere a suscetibilidade de melindradinhos que julgam merecer maior prestígio somente porque conseguiram algum sucesso efêmero em um ou outro ponto secundário.”

      MELINDRADINHOS?
      Está chamando de “melindradinhos” os caras que organizaram as maiores manifestações já vistas nessa porra, que deram o grito ao mundo de “o Brasil não quer Dilma” visto o quanto essas manifestações foram notícia internacional?
      Chama todo esse abalo que eles conseguiram provocar no PT de “algum sucesso efêmero”? Acha que esse abalo que provocaram é só “um ponto secundário”?
      Qual o ponto primário então?
      O que deveriam ter feito ou acha que eles nem deviam ter se organizado, deviam ter deixado o Brasil nas mãos exclusivamente do Olavo? Para que ele fique em sua confortável poltrona xingando Dilma, xingando o PT, coisa que qualquer um de nós com uma câmera na cara sabe fazer.

      O MBL não está reivindicando porra nenhuma de “prestígio” nem bosta nenhuma. Quem está doído com essa história é o Olavão, o MBL nem se deu ao trabalho de se pronunciar a respeito do desserviço que ele fez.

      Entre na página do MBL e veja o tanto de coisa que os mesmos estão FAZENDO.

      Não é falando, escrevendo, gravando vídeo xingando. Veja as ações deles só dessa semana, o tanto de coisa que FIZERAM, locais onde ESTIVERAM, o tanto de AÇÕES que tiveram.

      Olavo fez o que essa semana? Quis queimar o filme do MBL. Aaaaah, tá.

      PS: como já disse, reconheço que Olavo fez já um excelente trabalho e não considero ele adversário nem meu, nem do MBL. Mas deu um belo tiro no pé quando quis desmoralizar o movimento que mais está ajudando o Brasil NA PRÁTICA (prática, ações, eventos reais, não textos e textos e vídeos com xingamento).

      Honestamente, conheço alguns “fãs” do Olavo que sempre torceram o nariz para o MBL, achando que eram fraquinhos, que “o que fazem não adianta”, mesmo notando que estavam levando milhões de pessoas para as ruas e deixaram o PT com medo e abalado.
      A impressão (e espero que seja só impressão) que tenho do Olavo e desses “fãs” dele é que querem mesmo ver o MBL afundando. Mais até do que ver o PT afundando.
      Só pra poderem dizer: “VIU SÓÓÓÓÓ, TROUXAS, EU FALEI QUE NÃO IA DAR EM NAAAAAAADA, SEUS BABACAS, TOOOOMA”.

      Essa direita revolucionária é muito boa de reclamar, mas fica com certo medinho quando aparece gente disposta a resolver os problemas que estão causando as reclamações. Amadores…

  30. Duas dúvidas:

    1 – Vocês são liberais-conservadores também?

    2 – Vocês são contra ou a favor do homossexualismo, liberação das drogas e outras ações contra a Família e os princípios judaico-cristãos?

    Paz.

    • Vocês?

      Eu respondo por mim.

      1 – Vocês são liberais-conservadores também?

      Sou liberal.

      2 – Vocês são contra ou a favor do homossexualismo, liberação das drogas e outras ações contra a Família e os princípios judaico-cristãos?

      Homossexualismo = não tenho nada com o que os outros fazem com seus respectivos cus
      Liberação das drogas = a favor (para mim liberava geral)
      Ações contra a família = se for via intervenção estatal, sou contra. Estado não é feito para estabelecer religião, mas também não é feito para criticar religião ou visões conservadoras sobre a família.

      • Então você só é “contra o pt” e o caos econômico sub-sequente?
        Quero dizer: São Paulo é governado há anos pelo psdb. Estado esse que possui as leis pró-sodomia mais “avançadas” do país.
        Pergunto: isso, pra você, não importa?
        E os valores MORAIS? você não se importa que grupos multimilionários (ou indivíduos, como George Soros) financiem a DESTRUIÇÃO DA FAMÍLIA, DENTRO OU FORA DO ESTADO?
        E sério: estou com dúvida.
        Paz e valeu pela resposta: estou sondando o que a “direita” e os “conservadores” brasileiros pensam a respeito desses aspectos, pois sou cristão (evangélico/ protestante) e levo isso muito à sério. Coloquei os termos entre aspas porque estou também, aqui, buscando o pensamento de vocês, do site, e o que VOCÊS consideram como esquerda, liberal e conservador.

      • “E os valores MORAIS? você não se importa que grupos multimilionários (ou indivíduos, como George Soros) financiem a DESTRUIÇÃO DA FAMÍLIA, DENTRO OU FORA DO ESTADO?
        E sério: estou com dúvida.”

        Se eles financiam isso, vocês que financiem ou façam propaganda do contrário, porra. É muito fácil, indolor e só enche o saco de todo mundo enquanto vocês não converterem as pessoas para o lado de vocês.

      • ‘E os valores MORAIS? você não se importa que grupos multimilionários (ou indivíduos, como George Soros) financiem a DESTRUIÇÃO DA FAMÍLIA, DENTRO OU FORA DO ESTADO?’

        Fora do estado eles não podem fazer nada. E nem todo libertário é left lib e segue os valores (i)morais da esquerda, só os libertários burros.
        http://www.mises.org.br/Article.aspx?id=1852

        ‘Se eles financiam isso, vocês que financiem ou façam propaganda do contrário, porra. ‘

        Errado, porque eles financiam isso através do governo ou seja, usando de roubo, crime e coerção. NINGUÉM pode competir com isso.

      • Como conservador evangélico é bicho chato, meu Deus!

        “valores moraaais, aaaaai, moralizem, converte todo mundo, coloca gelzinho no cabelo de todo mundo, aaaaai, to doida, quero moralizar tudo, deixar tudo como EU quero”

        Ê atraso de vida.

      • Boa, Slaine! Respondeu ao Cauê no tom que ele pediu pra ser respondido.

        Já que o Rafael (que dá altos indícios de ser olavete) perguntou com educação, vou expor minha posição como liberal cristão:

        Homossexualismo é problema dos gays e de mais ninguém, mas a agenda gayzista, que quer ensinar as crianças a serem gays é um problema real capaz de causar sérios danos à nossa civilização no longo prazo.

        Qual a solução proposta por vocês: dar ao estado o poder de tutelar a população a respeito da família e dos valores que você acredita serem certos. Quais os problemas? Empodera o estado, reforça a condição de dependência do indivíduo, desincentiva a iniciativa individual na participação política (o estado resolveu o problema, vamos voltar a assistir “Os dez mandamentos”), e deixa abertas as portas para que o estado possa voltar a fazer tudo isso que hoje vocês querem que ele pare de fazer, só que agora o estado é ainda mais poderoso que antes.

        Qual a minha solução: TIRAR do estado o poder de fazer propaganda ideológica, limitar o conteúdo disciplinar obrigatório em escolas públicas, dando foco ao ensino de disciplinas de cunho técnico (ciências exatas e naturais, português, inglês) e limitando a abrangência das disciplinas de humanas a história e geografia. Ao mesmo tempo, nós temos que tomar a dianteira e ocupar espaços em escolas, universidades e na mídia, além de atuar em redes sociais para difundir as idéias e visão de mundo que acreditamos ser a melhor. Quais os problemas: dá MUITO mais trabalho, e trabalho contínuo, e isso fica claro desde o começo. Ainda assim, eu prefiro essa solução, porque ela TIRA poder do estado e coloca nos indivíduos o poder e a responsabilidade sobre suas vidas e suas idéias.

        Não sou libertário, mas acho que você deveria procurar a definição de “libertário” entre os libertários, não a visão distorcida do Olavo de Carvalho sobre eles. Ou pode aprender sobre o Diagrama de Nolan, pois ele ajuda a entender melhor onde cada pessoa ou ideologia se encontra no espectro político em uma simplificação significativamente melhor da realidade do que a de um único eixo.

        O Olavo é muito bom em muitas coisas, mas escorrega muito feio em outras, como por exemplo, ele insistir que Nazismo é “extrema direita” (apesar de que já tem alguns anos que não ouço ele falando a respeito disso – talvez tenha mudado de opinião), e inventar uma “teoria da ferradura” para tentar manter a coerência da simplificação “Esquerda X Direita” com a realidade, quando seria mais simples se guiar pelo Diagrama de Nolan, que é uma ferramenta já bem antiga e ajuda a entender melhor o que seria “Extrema Direita”, e onde o Nazismo e o Fascismo se posicionam nesse espectro.

      • TIRAR do estado o poder de fazer propaganda ideológica, limitar o conteúdo disciplinar obrigatório em escolas públicas, dando foco ao ensino de disciplinas de cunho técnico (ciências exatas e naturais, português, inglês) e limitando a abrangência das disciplinas de humanas a história e geografia. Ao mesmo tempo, nós temos que tomar a dianteira e ocupar espaços em escolas, universidades e na mídia, além de atuar em redes sociais para difundir as idéias e visão de mundo que acreditamos ser a melhor.

        100% apoiado.

      • Você não é obrigado a ler o que eu escrevo. Tem zilhões de comentários nessa página pra você ler. Vem ler justo o meu e, não só lê, como também RESPONDE. Em que parte do comentário eu disse “Slaine, tá aí? se estiver me leia, me dê atenção, quero saber sua opinião sobre o que eu to escrevendo, estou com sdds”?
        Se sou “chato” e “idiota útil”, ignore-me. Não dá tamanha moral pra mim não. Tenho certeza que você tem coisas mais inteligentes a comentar em comentários mais inteligentes que os meus.

      • É, já vi que ATÉ MESMO DENTRO DA DIREITA, O CRISTÃO É ESCULACHADO! mas, acho, tinha de ser assim mesmo: afinal, ESTÁ ESCRITO.
        Bem, eu me defino Liberal-Conservador (Estado mínimo, valores judaico-cristãos et cetera). E, como cristão, eu me importo TANTO QUANTO a ECONOMIA quanto a MORALIDADE da sociedade.
        Pelo TEOR das respostas aqui e pelo linguajar chulo, devo considerar o seu site como LIBERAL/ LIBERTÁRIO então, e não CONSERVADOR?
        Obrigado desde já.
        Paz.

    • “E os valores MORAIS? você não se importa que grupos multimilionários (ou indivíduos, como George Soros) financiem a DESTRUIÇÃO DA FAMÍLIA, DENTRO OU FORA DO ESTADO?”

      Não 🙂

      • ‘“E os valores MORAIS? você não se importa que grupos multimilionários (ou indivíduos, como George Soros) financiem a DESTRUIÇÃO DA FAMÍLIA, DENTRO OU FORA DO ESTADO?”
        Não :)’

        Então vc é um palerma.Um cretino que se acha grandes merdas por ser contra dilma, contra o PT, mas não vê problema nenhum em uma gangue de criminosos vagabundos arrancar o dinheiro do povo pela FORÇA pra financiar coisas que o povo não aprova.
        Tão merda quanto o pior petista, ou até mais ainda porque um petista entende o que está acontecendo, esse aí é só um idiota útil.E pior ainda, idiota útil que SE ACHA de direita.Ridículo.

      • Traduzindo, o retardado acha certo que o governo arranque seu dinheiro à força pra financiar causas que vc não acredita.E um IDIOTA ÚTIL desses acha que entende alguma coisa da vida, pqp

      • Você realmente é um idiota útil se não vê problema em se utilizar do estado para isso. E TAMBÉM é um idiota útil, em menor escala, se não vê problema em fazerem isso usando recursos próprios. É assim que a esquerda ganha espaço no mundo, e suas idéias são sempre contra o indivíduo e a favor do estado, que eles querem que inche simplesmente para se apoderar dele e enriquecer com isso, o que por sua vez tem a consequência óbvia de empobrecer todas as pessoas que estão sob aquele estado.

        Financiar idéias que enfraqueçam a família é financiar idéias que enfraqueçam a civilização e empoderem o estado, e vocês deveriam saber disso. Se vocês querem dizer que não é problema o ato em si pois é direito de cada um fazer o que quiser com seu tempo e dinheiro, e que é responsabilidade nossa combater esses movimentos tudo bem, eu concordo com isso (embora essa seja uma resposta idiota à pergunta do cara, que provavelmente não quis saber a sua opinião nesse sentido), mas se vocês realmente não vêem problema nenhum nisso, mesmo percebendo as consequências, são mesmo dois idiotas úteis… ou pior.

      • Slaine, devo mudar e ficar igual a você então?

        Se eu fosse igual a você seria um cidadão de respeito?

        Se eu fosse como você que só aparece aqui pra xingar todo mundo, esbravejar palavrões que aprendeu na escola, falar em tom ameaçador (pela internet, claro), querer parecer o malvadão pra se vingar pelos seus tempos que sofreu bullying?

        Propor SOLUÇÕES, jamais: só vem aqui xingar, dizer que tudo que está sendo tratado aqui é baboseira, que todo mundo é babaca, que brasileiro tem que se fuder.

        Por que não muda logo para os EUA, já que você é tão inteligente, e deixa o Brasil para quem quer cuidar dele? Já que você é tão esperto, tão sabichão e malvadão, por que não consegue dinheiro suficiente para abrir um negócio nos EUA e viver por lá, deixando a gente aqui livre do seu pessimismo e ódio gratuito?

        Enquanto você estiver por aqui, no Brasil, você é um perdedor, incompetente e empata foda. Porque a coisa mais besta que tem é brasileiro querendo fugir pros EUA e não conseguindo. Dá pra colar na testa um selo de INCOMPETENTE em quem choraminga mas precisa ficar aqui.

        Pessoalmente você deve ser uma pessoa tão detestável e que poucos apreciam a companhia, pois só isso explicaria tanta amargura e tanta raiva e perseguição por alguém que você nem conhece.

      • E justificando o meu “Não :)”:

        Não to vendo nenhuma família sendo destruída nem dentro nem fora do Estado (vai Slaine, esbraveje, se enfureça, destrua seu fígado de tanta raiva, tanto ódio, tenha convulsões de raiva, só cuidado pra não ser internado e notar que ninguém se importará).

        Pelo menos a minha família vai muito bem, obrigado, e não to vendo ninguém querendo DESTRUIR nada, nem a minha, nem a de ninguém que conheço. E olha que minha família é a tal “tradicional” que vocês gostam tanto, quer dizer, nem tanto “tradicional”, sou filho de segundo casamento, sabe como é, pros evangélicos isso é uma garantia de queimar no fogo de Satã.

        O que destrói realmente as famílias são BANDIDOS, bandidos que estão a solta, aterrorizando a população, sendo protegidos por esquerdistas, sendo ESSE o grande mau, o grande vilão, algo com o qual os conservadores tão puros deviam se preocupar mais ao invés de quererem brincar de fiscais da vida PRIVADA alheia.

      • Jefferson, lanço a mesma resposta que lancei ao “Dom” Rafael (dom de se meter na vida dos outros, só se for):

        Você está incomodado então porque há ADULTOS do mesmo sexo vivendo e dormindo juntos, certo? Eles estão te prejudicando, destruindo sua vida, certo?
        Só que eles nem sequer SABEM da tua existência. Nem sabem que você está tão doído assim com isso. Portanto, acho que é bem claro que o problema não é deles, e sim seu.

        Se alguém aparecer dizendo que está incomodado com você e sua esposa estarem vivendo e dormindo juntos, tenho certeza que vai querer mandar o sujeito ir procurar o que fazer.

        Logo, quem está sendo idiota é você e todos esses conservadores CHATOS cujos quais não vejo a hora de irem pro asilo e ficarem discutindo conservadorismo entre eles próprios apenas, ao invés de atrapalhar nóis que tamo aqui fora brigando com os REAIS inimigos.

      • “Jeferson,
        Como você combateria o fato de alguém promover homossexualidade, por exemplo, com recursos próprios?”

        Luciano, o combate não é à “promoção da homossexualidade”, mas ao plano de engenharia social que a utiliza como ferramenta, da mesma forma que usa mulheres, negros e outros seres humanos reduzidos a uma “classe” escolhida conforme a conveniência, se valendo do efeito rebanho para facilitar a manipulação das pessoas. Sei que você sabe disso.

        Agora ao Cauê, que parece ter ficado sentido com o “idiota útil” e reagiu à altura de uma fera ferida.

        “Você está incomodado então porque há ADULTOS do mesmo sexo vivendo e dormindo juntos, certo? Eles estão te prejudicando, destruindo sua vida, certo?”

        Errado. Onde eu disse isso? Favor citar quais palavras minhas levam a esta conclusão, bem como a relação lógica entre elas. Não só isso, como te desafio ainda a me dizer onde foi que eu disse que sou contra a HOMOSSEXUALIDADE. Eu sou contra o consumo forçado de conteúdo sexual (seja homo, seja hétero) por crianças em escolas. Isso é um instrumento de doutrinação ideológica que visa reduzir ou até mesmo eliminar o valor da família na cabeça das crianças, deixando-as mais propensas a aceitarem o estado como “pai provedor” delas.

        No caso de escolas públicas, isso deveria ser proibido e ponto final, afinal, como já foi dito pelo Luciano e pelo Slaine, é usar os recursos do estado – dinheiro tomado à força da população – na implementação de um projeto de engenharia social visando o inchaço do estado. Se você acha que a execução de um projeto deste tipo não tem problema, realmente é um idiota útil.

        No caso de pessoas que usam seus próprios recursos, como eu disse, eles têm o direito de usar seus recursos como bem entenderem, mas o avanço da agenda esquerdista através do uso de ideologias de “classes” (gênero, raça, orientação sexual, etc.) como desculpa não é uma coisa que a direita deveria ver e ficar calada achando que não tem problema, que “está tudo bem”. O combate, obviamente, deve se dar por meio da guerra política.

        Pulando ao Dom Rafael:

        “Agora, PELA LÓGICA, um sujeito que é a favor do Estado mínimo, mas É CONTRA (não existe “em cima do muro”) valores e princípios, não é o mesmo que um ESQUERDISTA?”

        Rafael, vamos ter um papo reto aqui. Primeiro, não acho que eles sejam CONTRA valores morais, mas contra O USO DO ESTADO PARA OBRIGAR TODO MUNDO A SEGUIR OS SEUS VALORES MORAIS. São coisas totalmente diferentes. Desculpe perguntar, mas você é cristão mesmo ou é um “amante dos valores morais cristãos”, vulgo “simpatizante”? Ao meu ver, são coisas bem diferentes… O cristão é a diferença, o simpatizante pode querer obrigar todos a serem como ele. O cristão ama as pessoas como são, e as chama a Cristo, o simpatizante quer chamar as pessoas a uma “nova Lei” baseada nos ensinamentos de Cristo e na doutrina da Igreja, e esta “nova Lei” não é capaz de produzir efeitos espirituais, assim como a velha, mas aprisiona tanto quanto a antiga. Enquanto isso, Deus não obriga ninguém a seguir sua lei, Cristo não ensina ninguém a forçar os outros a seguir o seu caminho, apenas diz “vinde a mim”, e quando atendemos o chamado, nos manda ir e pregar. Recomendo a você que reflita nisso seriamente, porque Deus não nos chama pra mudar o mundo, nos chama para ajudar pessoas a encontrá-Lo.

        Felizmente, nem sempre o simpatizante é impositor de seus valores, e normalmente o cristão também é amante dos valores cristãos, e quer preservar aqueles que estão difundidos na sociedade, e, se possível, ampliar essa difusão. Mas há uma diferença enorme entre querer fazer isso com os próprios recursos e querer usar o estado para fazer ou garantir isso. O segundo caso SEMPRE vai empoderar o estado e acabar fortalecendo justamente quem deveríamos querer combater.

        “Afinal, como bem disse Olavo de Carvalho, nenhum esquerdista quer mais a estatização da economia, pelo menos no começo, mas a DEGRADAÇÃO MORAL DA SOCIEDADE.”

        Ah, claro… e “Olavo tem Razão”, né? Olavo tem SEMPRE a razão… Ele tem tanta razão que ainda insiste em usar a velha simplificação “esquerda versus direita”. OK, a esquerda quer a degradação moral da sociedade, e isso é verdade. Já a direita liberal e libertária quer simplesmente a… liberdade. Quer que pessoas adultas possam decidir por si só o que fazer com suas vidas, e que o estado NÃO SE META. Justamente por desejarem a liberdade, às vezes alguns liberais e alguns libertários acabam servindo de idiotas úteis para a engenharia social esquerdista.

        MAS, se for para insistir na simplificação “esquerda x direita”, a ÚNICA que faz sentido é: Mais estado = Esquerda; Menos estado = Direita. E isso não é só na economia, mas na regulação de comportamentos também. Não tem só a ver com dinheiro, mas principalmente com poder. Ou seja, suas idéias são MAIS ESQUERDISTAS do que as nossas nesse sentido.

        “Ora, que DIREITA é essa que é “contra o pt”, mas é à favor do ABORTO…”

        Também não sei que direita é a favor do aborto não. Também não vi ninguém aqui dizer que é. De onde você tirou isso?

        “Paz e eu sou chato mesmo: não sou desse Mundo, por isso eu o incomodo tanto!”

        Não, você incomodou porque não estava querendo argumentar, debater, mas rotular os outros e xingá-los de esquerdistas porque discordam de posições suas (que, aliás, ao meu ver, são ainda mais esquerdistas, conforme já explicado). Se não era a sua intenção, pelo menos foi o que você disse deixou transparecer. De todo modo, isso não tem nada a ver com “não ser desse mundo”. Ninguém aqui está te perseguindo por você ser cristão ou por você defender pontos de vista que você entende que são cristãos.

        Aliás, NINGUÉM AQUI ESTÁ TE PERSEGUINDO, PONTO! Quem se faz de vítima é esquerdista, cacete! Para com isso! Só porque o Cauê te chamou de “chato” tá mordido? Ele sempre vai chamar qualquer conservador de chato, só pra você saber. Ele não é conservador, e talvez nunca se torne um, mas nem por isso ele está contra nós, pelo contrário, ele faz mais pela direita do que muitos que se dizem “conservadores” ou “cristãos”.

        Por fim, Luciano, faltou você liberar um comentário meu neste tópico (postado hoje, às 13:08 h). Se achar que deve liberar, por favor, faça. Obrigado.

        E, a todos, peço desculpa se fui duro em algum momento, mas se o fiz foi no intuito de dar um “wake up call”, e fazer vocês pensarem de verdade no assunto. Em especial ao Cauê e Rafael (Luciano é macaco velho…). O Slaine é mesmo um libertário chato, mas dessa vez eu acho que ele está certo, mais no conteúdo do que disse do que na forma. Muitos liberais acabam ajudando esquerdistas por purismo ideológico, e com isso, acabam ajudando a empoderar o estado e a enfraquecer o indivíduo, por isso, repito, compensa MUITO refletir a respeito disso.

        Abraços.

      • Bem, como eu disse, eu sou liberal (Estado mínimo, economia de mercado, liberdades individuais) e conservador (valores e princípios judaico-cristãos). Em momento algum eu disse que eu sou a favor do Estado empurrar o Evangelho a alguém, nem d’eu sair com uma tocha acessa, gritando “mueren, mueren, mueren (Resident Evil 4) aos sodomitas por fazerem o que fazem DENTRO DE 4 PAREDES, e não em locais públicos, como comumente acontece. MAS eu sou sim a favor de leis CRISTÃS, ou BASEADAS NA BÍBLIA, assim como a Constituição Norte-Americana. Exemplo: a atual Constituição da Hungria, onde só se permite o casamento entre homem e mulher; onde se reconhece a sua formação católica et cetera. Sou a favor de leis que PROÍBAM DUPLAS (não existe CASAL homossexual) homossexuais de adotarem crianças, por exemplo, pois eu creio que a sociedade é formada por esses valores judaico-cristãos que perpassam o Estado, assim como eu também sou contra do Estado se meter na educação moral e religiosa dos indivíduos, mesmo que esse mesmo Estado seja formado por sua maioria de católicos (como no nosso caso). Sou a favor de leis que permitam aos pais o homeschooling, assim também como eu sou contra os sodomitas andarem de mãos dadas ou (sic), pior: se beijarem em público, desrespeitando assim A SOCIEDADE e a sua moral (pô, 99% do Brasil é “homofóbico”, segundo o próprio governo, e os caras ainda querem que a gente aceite isso como NORMAL?! não: eles que NOS RESPEITEM!).

        Sobre o aborto: ora, não há diferença alguma entre uma pessoa ser a favor do homossexualismo (ou de “casamento” entre doentes mentais, lembrando que a APA – American Psicology Association – não ENCERROU o debate: o homossexualismo pode ser tanto uma DOENÇA quanto uma CONDUTA ou PERVERSÃO: o debate CIENTÍFICO está ABERTO. Quem “encerrou” o debate foram os homofascistas. Por isso eu mantenho o termo CIENTÍFICO homossexualismo) e do aborto: ora, qual é O LIMITE? EM QUÊ essa pessoa se baseia, para ser contra um e ser a favor (não existe em cima do muro; estamos em guerra) do outro? qual é o FUNDAMENTO de sua posição?
        Sobre o “vitimismo”, eu respondo com a Bíblia:

        Se o mundo os odeia, tenham em mente que antes odiou a mim.
        Se vocês pertencessem ao mundo, ele os amaria como se fossem dele. Todavia, vocês não são do mundo, mas eu os escolhi, tirando-os do mundo; por isso o mundo os odeia.
        João 15:18,19

        Ora, é natural esse ÓDIO e AVERSÃO ao Evangelho, e eu entendo isso perfeitamente.
        Sobre Olavo de Carvalho: também eu não concordo com tudo o que ele diz, não, mas que em muita coisa ele acerta no ponto, ah, isso ele faz! basta saber que ele é católico e eu, evangélico/ protestante.

        Bem, sobre o homossexualismo, basta só saber que em quase todos os países os índices de AIDS estão subindo a estados alarmantes (inclusive na China) e que, querendo ou não, o homossexualismo pode ser SIM um PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA, pois estes caras tem EXCITAÇÃO com o perigo, a AIDS e de transmitirem AIDS uns para os outros; basta verem as últimas notícias do tal “clube do carimbo”, coisa que é bem comum no meio homossexual.
        Bem, nesse caso, se a saúde, no que toca à AIDS, for privada, isso lá é com eles; mas eu não quero pagar tratamento para um aidético que QUIS se infectar e que, pior: infectou POR PRAZER ANAL a outros!

        Paz

      • Jeferson-san:

        Sou cristão, e como está escrito, eu sigo:

        A seguir Jesus acrescentou: “Aquele que tem ouvidos para ouvir, ouça! ”
        Marcos 4:9

        Devo, sim, pregar o Evangelho, mas quem convence o homem do pecado e do julgamento final é Deus. Se a pessoa aceitar, se arrepender e crer, Glória a Deus. Se não, isso é com ele: não empurro ninguém ao Evangelho, e o Senhor deu liberdade a todos, tanto para crer quanto para não crer.
        Novamente: quem tem ouvidos para ouvir, que ouça!
        Paz.

      • Jefferson: obrigado pelo que falou, pelo que explicou, e perdão eu se fui rude.

        Agora, quanto a esse Dom Rafael… ele não tem o dom só de se meter na vida dos outros, não. Tem também o dom de se contradizer, pois esse último comentário dele foi MEDONHO. E tem o dom de ser um babaca. Acho que isso até o Slaine vai concordar.

        “Dom” Rafael, caso não seja um humorista, se for mesmo de outro mundo, volte pra ele.

        Muito engraçado terminar suas mensagens pedindo “Paz” quando na verdade incita diversas coisas ruins. Por causa de gente com o pensamento como o teu, muito sangue já escorreu. Se diz ~~cristão~~ mas não aprendeu bosta nenhuma. Gentalha como você, que não sabe nem se expressar direito, é completamente inútil por aqui.

        “Bem, como eu disse, eu sou liberal (Estado mínimo, economia de mercado, liberdades individuais) e conservador (valores e princípios judaico-cristãos).”

        Já se contradiz nessa primeira frase, e mais pra frente a coisa piora. Diz que apóia liberdades individuais, CONTANTO que sejam de acordo com as coisas que VOCÊ quer, uma bosta aí que você chama de “principios cristãos” e que são tão cristãos quanto um discurso do Che Guevara.


        “MAS eu sou sim a favor de leis CRISTÃS, ou BASEADAS NA BÍBLIA, assim como a Constituição Norte-Americana. Exemplo: a atual Constituição da Hungria, onde só se permite o casamento entre homem e mulher”

        Então você não é liberal porra nenhuma, pois você quer leis de acordo com o seu evangelho imaginário de ficção. E olha o exemplo bom que você vem dar: HUNGRIA! Nossa! Tudo que os brasileiros mais querem é que o Brasil seja como a Hungria!
        E que porra de liberdade individual é essa que você disse ser a favor que só permite UM tipo de relação? Quem quer se relacionar diferente da SUA regra não pode?
        Onde fica a liberdade individual?
        Ah é… tem que ser de acordo com a do “Dom” Rafael. Ditador Rafael.

        “Sou a favor de leis que PROÍBAM DUPLAS (não existe CASAL homossexual) homossexuais de adotarem crianças, por exemplo, pois eu creio que a sociedade é formada por esses valores judaico-cristãos que perpassam o Estado, assim como eu também sou contra do Estado se meter na educação moral e religiosa dos indivíduos”

        Esse seu mimimi de DUPLAS e CASAL é um problema SEU. Você que tem problema com a palavra CASAL. VOCÊ acha que é um problema chamar um casal homo de casal, logo, o problema é SEU, débil mental. Enquanto você tá aí toda preocupadinha com chamar de DUPLA ou CASAL tem gente morrendo pelas ruas devido a essa cultura de BANDIDAGEM que tem no Brasil, a qual não vejo nenhum cristão puritano brigando contra. Inúteis!
        Nem vejo problema em você ser contra adoção de crianças por CASAIS homossexuais, pois isso é questão de opinião. Porém, as frases que você manda em sequência, socorro! Onde aprendeu escrever tão mal, organizar ideias tão mal?
        Você diz querer que Estado não se meta na educação de crianças, PORÉM, diz na frase anterior que quer que elas sejam educadas de acordo com os SEUS valores. Os SEUS, o do Ditador Rafael.

        Como o Jefferson disse, você é mais esquerdista do que um PSOLista.

        “sou contra os sodomitas andarem de mãos dadas ou (sic), pior: se beijarem em público, desrespeitando assim A SOCIEDADE e a sua moral (pô, 99% do Brasil é “homofóbico”, segundo o próprio governo, e os caras ainda querem que a gente aceite isso como NORMAL?! não: eles que NOS RESPEITEM!).”

        Aqui você mostrou a pessoa podre que você é. Típico eleitor do Bolsonaro, que acha que os gays devem “se curvar” aos demais. Fica se referindo o tempo todo aos gays como SODOMITAS, o que aliás é uma ofensa.
        Duvido que você já tenha comido uma mulher na tua vida pois só uma pessoa muito frustrada e rejeitada teria tantas ideias ruins. Mas, mesmo que seja um virgem de 40 anos (ou 30, seja lá quanto for), você então tapa os olhos quando vê uma mulher bonita? Nunca entrou em um site pornográfico na vida, nunca foi caminhar na praia pra não ver os corpos das mulheres gostosas e ficar com vontade? Você é todo puro?
        De onde você tirou que o Brasil é 99% “homofóbico”? Isso faria até o Jean Wyllys dar risada.
        Olha, VOCÊ pode não aceitar homossexualidade como coisa normal, mas o que NINGUÉM pode aceitar é você como uma pessoa normal. Um cabeça de bagre desses. Como você com ideias tão babacas sobreviveu até aqui? Como conseguiu desviar de todos os bueiros, nunca cair da janela, sendo tão palerma assim?
        E engula essa: isso nunca vai acontecer. Beijos vão continuar ocorrendo em público, na frente de quem tiver passando, e eu espero que você encontre muitos CASAIS homo se beijando bem tua fuça pra você se contorcer de nojo.

        E repito: cadê as liberdades individuais que você disse ser a favor?
        Se beijar é uma liberdade individual. Mas você quer que o ESTADO criminalize (prenda, ou então mate né? aposto que você quer que mate) dois caras ou duas mulheres que se beijarem. VOCÊ quer isso, porque VOCÊ acha que deve ser assim. Ditador. Nicolas Maduro adoraria você.

        E sodomistas são os teus pensamentos, que se incomodam TANTO em ver demonstrações de afeto, paixão e tesão, pois você nunca deve ter dito alguém sentindo isso por você. Ninguém que já desejou e foi desejado por alguém teria ideias tão frustradas.

        “Sobre o aborto: ora, não há diferença alguma entre uma pessoa ser a favor do homossexualismo (ou de “casamento” entre doentes mentais) e do aborto: ora, qual é O LIMITE?”

        Bom, aqui você foi longe, disse que homossexuais são doentes mentais. Pegou pesado. Nojo é o que melhor classifica o que você causa não só em mim, mas em qualquer outro que ler aqui. Por mais que aqui passem alguns conservadores bem chatões, isso que você está falando equivale a aqueles membros da CUT que o MBL entrevistou dizendo que queriam fuzilar homossexuais.

        Vou mesmo ter que desenhar pra você qual a diferença entre aborto e homossexualidade? Se você acha que são ambos a mesma coisa, bem, aí eu me sinto um idiota de estar gastando tempo com você. Um ser tão vazio e além de tudo burro. Bem burro.

        Sabe onde enfiar as suas citações da Bíblia? Sabe, né?
        Você ofende os cristãos com a sua existência, com a sua declaração de ser um cristão. Ainda bem que sou inteligente o suficiente para saber que VOCÊ é um lixo, já os cristãos sérios e sábios não. Os cristão sábios entenderam a mensagem da Bíblia. Você quer transformar isso aqui na SUA ditadura, a partir do que VOCÊ entendeu e do que VOCÊ quer.

        Acho que tudo isso tem a explicação que já citei: você, nunca tendo sido desejado por ninguém, nunca tendo comido alguém (só se pagou), nunca tendo recebido afeto e nem sexo apaixonado, se tornou uma pessoa frustrada e quer que todo mundo o seja também. Resolveu sair cagando regra. Mas esse momento, isso que está acontecendo aqui, é seu único momento de moral.

        DUVIDO que alguém já deu tanta moral pra você como nesse momento, te dando atenção como estou fazendo. São seus minutos de atenção, que logo acabarão. Depois voltará pra sua solidão e pras tuas regras, que no fim só valem pra você – ninguém tá interessado em como o Ditador Rafael quer que seja o mundo. Tonta!

        “basta saber que ele é católico e eu, evangélico/ protestante.”

        Protestante você é mesmo, mas não de religião. Você protesta contra a FELICIDADE. Protesta contra a LIBERDADE. Protesta contra INDIVÍDUOS QUE NÃO ESTÃO FAZENDO MAL A NINGUÉM.

        É um reclamador, não um protestante religioso. Seu protesto, no fundo, é de nunca ter estado numa cama com alguém que quisesse estar lá com você. E nem sinto em dizer: nunca ninguém quererá dar pra um ser tão ameba, tão recalcado, tão frustrado, deprimido e que fala tão mal.

        “eu não quero pagar tratamento para um aidético que QUIS se infectar e que, pior: infectou POR PRAZER ANAL a outros!”

        Isso porque não queria se meter na vida PRIVADA dos outros. É a favor das ~~liberdades individuais~~, mas não é a favor do prazer anal. Ou seja, quer regulamentar a forma como as pessoas fazem sexo. Nada mais ditador. Ditadura da intimidade, de querer mandar no que as pessoas fazem entra elas.

        Disse que quem pegou AIDS pegou por vontade própria. Bastante ofensivo com os aidéticos. Tive uma amiga no colegial que tinha nascido com o vírus da AIDS. Para Ditador Rafael, ela nasceu com esse vírus porque quis. O mesmo pra quem pegou o vírus sem ser na relação sexual. E até pra quem pegou durante a relação, segundo o Ditador Rafael foi assim:
        – Ei, você é portador da AIDS?
        – Sou!
        – Então vamos transar, quero pegar AIDS! Pra um tal de Dom Rafael pagar meu tratamento.

        E bem estranho você se dizer tão cristão, tão bonzinho, tão puro, e não querer ajudar pessoas que estão com uma doença séria dessas. Prefere que elas morram, né? Que belo cristão! Que belo ditador! Aliás, belo o caralho: horrendo.

        Poucas vezes vi gente tão insana quanto você aqui. Até uns babacas que aparecem aqui cagando regra não foram tão longe quanto você.

        Ainda bem que é só uma voz solitária e frustrada falando com as paredes. Coitada das paredes…

      • Rafael, me explica uma coisa pra começo de história: por que o Estado tem que reconhecer casamento? Casamento, ao meu ver, é uma adaptação social da estratégia de reprodução mais bem sucedida da nossa espécie. Além disso, sempre foi um rito envolvendo apenas as famílias, e posteriormente a religião, e existiu em todas as civilizações até hoje, o que deve ser evidência mais do que suficiente de que vai continuar existindo, desde que não deixemos a esquerda assumir a hegemonia cultural, como nós temos deixado. Me diz, onde entra o estado nisso?

        No aspecto civil (que hoje em dia já é MUITO desatualizado)? Nesse aspecto, casamento não é casamento, é apenas um contrato sobre a disposição do patrimônio comum e sobre qual patrimônio deve ser considerado “comum” (Todo? Metade do todo? Nada é patrimônio comum?). Se nunca tivéssemos deixado o estado se meter numa coisa que era da sociedade, nunca teríamos dado munição para a existência de um movimento que diz lutar pelos “direitos dos gays”. Então, ao invés de simplesmente exigirmos que o estado SAIA dessa seara, o que vocês fazem? Pedem a ele que fique ainda maior e regule ainda mais o casamento.

        Se não houvesse legislação tratando do casamento, os gays fariam o “casamento” deles, que ninguém reconheceria ou pelo menos ninguém seria obrigado a reconhecer como legítimo. Se o estado chancela, quem quer que diga que não é, é visto e tratado como esquizofrênico, na melhor das hipóteses. Qualquer que seja o caso, é impossível impedir que homossexuais se “casem”, mas do jeito que vocês lutam, vão acabar obrigando a vocês mesmos a reconhecer como legítimo algo que nunca reconhecerão.

        Sobre adoção, é uma coisa totalmente alheia ao casamento em si, e acho que é uma discussão à parte.

        Sobre a perseguição aos Cristãos, ela acontece na China, na Coréia do Norte e em países onde o Islã é forte. Sofrer oposição ideológica – que é o que está acontecendo aqui – não é perseguição nem agressão. Não seja leviano com isso, porque, como eu disse, é esquerdista que gosta de fazer fuzuê com qualquer coisinha, transformando-a em perseguição.

      • Cauê:

        Você é esquerdista: já dá pra se perceber pelas suas poucas linhas o seu ódio espumante anticristo.
        E sim: uso o termo SODOMITA que, aliás, É BÍBLICO! não gostou? volte pro pstu.
        Um cara desses, que, ao que parece, deve ser sodomita, se dizer de direita é o fim do mundo!
        Paz e ad hominem manda lembranças…
        Cara, se ISSO é a Direita, então eu sou um esquerdista!!! Deus é mais compactuar com ISSO! horror! que horror!
        Não faço parte disso não, velho: há coisas mais importantes na vida do que dinheiro, política, liberalismo et cetera: prefiro ser um IDIOTA “eleitor de Jair Bolsonaro” (direita contra direita aqui??) e IR PARA O CÉU do que ser um “de direita” que não possui valores morais e ODEIA aqueles a quem possui! tô fora!

        Quanto a estes, o seu destino é a perdição, o seu deus é o estômago e têm orgulho do que é vergonhoso; eles só pensam nas coisas terrenas.
        Filipenses 3:19

      • ‘Se eu fosse como você que só aparece aqui pra xingar todo mundo, esbravejar palavrões que aprendeu na escola’

        E daí? Nenhum verme esquerdista merece respeito nem meu nem de ninguém.E pior ainda é o cara que SE ACHA de direita mas que na prática defende A MESMA COISA que ele diz combater. E que é tão retardado que nem entende direito o que está fazendo nem o porquê.

        ‘Justificando o meu não: Não to vendo nenhuma família sendo destruída nem dentro nem fora do Estado’

        Vc é burro demais, hein? Isso não justifica NADA. Se o estado arranca o dinheiro das famílias religiosas pra financiar coisas que eles não aprovam, é IRRELEVANTE se essas coisas vão ou não gerar o resutado que a escória esquerdista quer (pode ser que não gere por um milhão de outros motivos, como por ex o fato da sociedade ainda ser muito conservadora e o esforço do esquerdista ter que ser muito maior). O problema é que o dinheiro pra isso tudo foi financiado pela FORÇA e que as pessoas estão sendo forçadas a financiar algo que não acreditam.
        Pra vc se o estado arranca dinheiro pra sei lá, financiar um remédio com defeito que vai ser distribuído pelo SUS e no final acontece que mesmo com defeito o dano pra população não foi tão grave, não tem problema nenhum.

        ‘O que destrói realmente as famílias são BANDIDOS, bandidos que estão a solta, aterrorizando a população, sendo protegidos por esquerdistas,’

        Bullshit. O que vc quer é livrar a cara dos seus amigos gayzistas, feministas, abortistas etc.Mas não vai colar, nem entre conservadores, nem entre libertários, nem ninguém. Já disse, seu lugar é entre jean willies e cia.

      • O problema todo começa quando se mistura religião com estado.Não é o estado que tem que definir o que é casal ou casamento nem nada, num mundo 100% livre, 100% privado se dois gays quiserem casar e viver a vida dele do jeito deles, vão ter todo o direito disso, se o cara quiser casar com uma cabra ele tb é livre pra isso, o direito que ele NÃO tem é de obrigar os outros a nada, por ex os que querem obrigar a Igreja a celebrar casamento gay, ou que querem fazer beijaço dentro de culto evangélico, ou o Cauê aí que não vê problema com o estado tomando dinheiro dos cristãos pra financiar kit gay do MEC, nada disso não vai existir porque tudo vai ser privado.

        Quando eles quiserem fazer no meio da rua, na frente de crianças o que eles já fazem naquelas paradas gays, ou enfiar crucifixo no ** como já fizeram naquela visita do papa, isso também não vai existir porque toda rua vai ser privada.Ou pode até existir, mas só nos espaços privados que permitam isso. Esse é o tipo de problema que só acontece porque existem espaços ‘públicos’.

        O problema todo é o estado, sem o estado quem quiser fica lá com a sua sociedade do seu jeito, deixa os outros lá fazerem a sociedade deles lá que eles acham certo, se vc não concorda não é obrigado a viver do jeito deles.

    • Agora, PELA LÓGICA, um sujeito que é a favor do Estado mínimo, mas É CONTRA (não existe “em cima do muro”) valores e princípios, não é o mesmo que um ESQUERDISTA? afinal, como bem disse Olavo de Carvalho, nenhum esquerdista quer mais a estatização da economia, pelo menos no começo, mas a DEGRADAÇÃO MORAL DA SOCIEDADE. Ora, que DIREITA é essa que é “contra o pt”, mas é à favor do ABORTO e do HOMOSSEXUALISMO/ HOMOFASCISMO (não me refiro à INTIMIDADE do sujeito, que DEVE SER RESPEITADA, mas à CONDUTA e a ENGENHARIA SOCIAL por trás da normalização dessa conduta)?? hum, me perdoem, mas vocês estão me cheirando mais a NEOCONS, assim como Reinaldo Azevedo, do que a conservadores liberais. Por que, então, vocês se opõem a um sujeito como Jean Willys, por exemplo? vocês só são contra ele por causa da ECONOMIA, é isso??
      Paz e eu sou chato mesmo: não sou desse Mundo, por isso eu o incomodo tanto!

      • Se não é desse mundo, então volte para seu planeta, extra-terrestre.

        Sim sim, sou a favor da homossexualidade (que vocês insistem chamar homossexualismo, mas enfim) pois sou a favor das pessoas serem felizes em suas próprias vidas contanto que não prejudiquem ninguém, e não vejo como duas mulheres ou dois caras dormindo juntos dentro da casa deles podem me prejudicar. Se prejudicam você, bem, aí o problema está em você, não neles.

        Se eu chegar aqui dizendo: ei, Dom Rafael, estou incomodado com o senhor e sua esposa! Vocês estão dormindo junto, isso ME OFENDE, isso vai contra os MEUS príncipios morais, contra o que EU acredito!
        Você me mandaria à merda e acharia insano eu, que nada tenho a ver com teu casamento, me metendo nele, dando palpite e querendo proibir porque EU achei que devia, né? Então 🙂

      • Dom Rafael – O motivo da maioria dos liberais serem ferrenha oposição ao Jean Willys são muitos, não apenas pela economia, como você pensa(disse), pelo que eu sei, veja alguns dos motivos(que ele defende):
        Estado inchado
        PT
        Introdução de ideologias na educação(seja ideologia comuna, gênero, etc), pois isso vai tirar o foco do principal, que é educação, além de estar introduzindo questões que não são função escolar, poderiam confundir a criança e levá-la a tomar decisões prematuramente… Principalmente por estar acontecendo num ambiente coletivo, levando a criança a seguir opinião do colega x ou y…
        Divisão da sociedade, por classe, gênero, racial… são coisas que a turma dele tem aumentado, mesmo fingindo fazer o oposto. Incitam as pessoas a se verem como vítimas e tentarem tirar proveito disso, fazem isso para ter militantes onde eles se passam por defensores de minorias. A questão da vitimização é muito complexa, por um lado o governo que ele apoia destrói a educação e, com isso as pessoas ficam vulneráveis, isso facilita para eles doutrinarem as pessoas. Educação precária+impunidade facilita também para o jovem entrar no mundo do crime, para, mais uma vez eles se passarem por salvadores ou defensores desses, que, se sobreviverem ao mundo do crime e se recuperarem, terão o resto de suas vidas ‘prejudicadas’ por terem desperdiçado a idade mais propicia para educação.
        Percebeu alguns dos motivo em comum que leva liberais, centro, conservadores e até esquerda moderada a se unir contra o PT e seus aliados?

  31. É interessante notar que embora o Olavo se filie a direita revolucionária, por vezes acaba tendo comportamento de direita gramsciana, como quando apoiou o voto em Aécio Neves nas eleições passadas, por exemplo.

    De fato, acredito que haja espaço para os dois grupos. Afinal, a própria esquerda também não tem trocentos grupos com estratégias diferentes? Não tem um PT, um PSOL, um PDT, etc…?

    A única coisa que me incomoda nisso tudo é uma certa tendência revolucionária que busca acabar com toda ordem e substituir por algo inteiramente novo. Sempre que vejo alguém de direita se comportando assim, lembro de Burke. Não se pode construir algo novo do nada. Ainda que pensemos que boa parte das instituições estão tomadas, que a classe política é podre e que a Constituição é absurda em alguns trechos, precisamos tirar algo disso tudo. Por exemplo, a mesma justiça que é aparelhada no TSE e STF tem um Sérgio Moro no primeiro grau. E se formos descartar, que seja preferencialmente restaurado por uma tradição mais antiga, quebrada a partir da Nova República.

    Que não se confunda o termo “direita revolucionária” do post com o que considero revolucionário. É perfeitamente possível desacreditar uma classe política que se formou há pouco tempo atrás mantando as tradições.

  32. Esvaziar o conteúdo moral do discurso demonstra ou mera nesciência ou ignorância premeditada. Se você está sendo dolosamente ignorante, aprendeu bem com Gramsci. Realmente, ele é sua referência. De qualquer forma, mesmo a nesciência desqualifica sua postura como formadora de opinião. Espero que não haja muitos tolos que deem ouvidos a você.

  33. Ai, ai…Eu escolho o lado do bom senso, do carater, do BRASIL…..e por isso continuo com o Mestre Olavo de Carvalho. O MBL perdeu a grande oportunidade de estar ao lado do povo brasileiro, se converteu a estrategia das tesouras.

    • “Mestre”. Ok. Como falei muitas vezes aqui, reconheço o excelente trabalho que Olavo de Carvalho tem em livros publicados. Mas o que, além de escrever, ele FEZ para nos ajudar?

      Ele não mora aqui. Pode assistir o colapso brasileiro a vontade sentado naquela poltrona americana tomando um cafézinho americano.

      Olavo organizou alguma manifestação que levou milhões de pessoas pras ruas sendo notícia internacional, mostrando ao resto do mundo o quanto o Brasil rejeita a Dilma?
      Olavo está organizando diversas ações como o MBL está? Passe na página do MBL e veja o que eles fizeram SÓ nessa semana. Só nessa, que nem terminou ainda. Verifique lá o tanto de ações que tiveram.
      Na votação da maioridade penal o MBL estava lá, pressionando deputados PESSOALMENTE.

      Onde estava Olavo nos dias 15/03, 16/04 e 16/08? Onde estava ele quando o MBL chegou a pé até Brasília para pedir impeachment da Dona Encrenca? Onde estava ele quando o MBL esteve lá pressionando deputados, conseguindo inclusive que a redução fosse aprovada naquela votação?

      Onde estava Olavo quando o MBL foi protestar, PESSOALMENTE, em carne e osso, inclusive sendo atacados fisicamente, naquele evento do PT no Nordeste?

      Resposta: em todas essas ocasiões, o teu “mestre” Olavo estava na Virgínia, tomando café americano, sentado numa poltrona americana, respirando ar americano.

      E você, que o chama de mestre com carinho?
      Estava aqui. Onde eu também estou. Onde o MBL também está. Aqui é nóis por nóis, fio.

      Certeza que entre um e outro vai preferir o cara que tá em outro continente muito confortável do que seus irmãos de pátria que estão aqui brigando pra que VOCÊ também seja livre?

      Teu “mestre” pode ser um bom professor, um bom escritor. Mas quem está FAZENDO, se MEXENDO fisicamente pela TUA liberdade, pela MINHA liberdade, é o MBL.Triste desprezar quem está se arriscando nas ruas por tua causa.

    • Pelo visto ele fundou a Igreja de São Olavo da Puta que os Pariu (porque sem palavrão, não é do Olavo), e o pior é o nível de devoção dos olavetes. Antigamente eu ficava puto quando via algum filho da puta esquerdista usando este termo para desqualificar quem seguia as visões do Olavo, hoje eu fico puto POR ME SENTIR OBRIGADO A USAR ESTA PORRA DE TERMO pra ver se mexe um pouco com os brios dos filhos da puta e os faz acordar.

      Entendam que o “Olavo tem Razão” não é universal e irrestrito! Ele tem razão sobre muitas coisas, mas fala merda à vontade também. Felizmente o bem que ele fala supera muito em quantidade e qualidade às besteiras, mas, PORRA!, USEM A RAZÃO UM POUCO E ANALISEM COM OLHAR CRÍTICO O QUE ELE DIZ, porque nas últimas semanas ele parecer estar fazendo muito mais mal do que bem. Ele conseguiu destruir a união que existia na direita. O purismo político vai acabar destruindo todo o esforço da população até aqui. Depois a gente não sabe por que sempre perde a porra da guerra política.

  34. Direita revolucionária é sinônimo de direita da depressão.

    “Precisa isso”, “precisa aquilo”, “quando é que alguém vai se mexer e fazer algo, cacete?”, “ninguém faz nada nessa bosta”, “tá tudo na merda mesmo”, “não tem mais jeito”.

    Surge alguém (MBL) fazendo algo…

    “Ah, vai adiantar nada isso aí”, “iiih, sei não, estranho”, “hihihi, bobões”, “foram conversar com o PSDB? VENDIDOS”.

    Direita revolucionária: tiveram pesadelos com a fuça da Dilma e do Jean Wyllys essa noite? Espero que sim, pois merecem.

  35. É uma leitura interessante. Eu normalmente sou crítico ao que o Ayan chama neste texto de “métodos” (todo aquele papo de frames e rotinas), mas deve-se reconhecer que ele conseguiu pinçar a distinção chave do momento.

    Eu tenho duas coisas apenas acrescentar — ou a ressaltar, vistos os comentários. A primeira é a importância de separar “FHC” de “PSDB”. Pra bem ou pra mal, as cabeças mais à direita no poder em Brasília (e também em alguns estados, como é o caso daquele van Hatten) estão no partido, e por uma boa razão: a institucionalidade de um partido é algo útil.

    A segunda é enfatizar a importância de discutir IDÉIAS, não PESSOAS. De perto, todo mundo é ridículo — Olavo ex-astrólogo, Kataguiri, bem, não precisa nem dizer nada. Discutindo as PESSOAS, o “movimento de direita” de maneira geral apenas gasta energia, se desestrutura e ainda fornece munição ao “inimigo”. Discutindo IDÉIAS a gente avança — uns vão pinçando dos outros, evoluindo. E é fácil derrubar as pessoas, cada um tem seu limite.

    • Perfeito. O pior é que está gastando energia se auto-destruindo, ao invés de gastá-la para destruir o inimigo. Essas olavetes vão acabar desestruturando todos os movimentos da direita e não vão passar de idiotas úteis ao plano totalitário do PT.

  36. Olavo de Carvalho, no vídeo Breve Análise da Atual Situação Brasileira (1ª parte da aula 308, do Curso Online de Filosofia), publicado, no artigo Análise da Porcaria Reinante, no dia 21/09/2015, tece, nos primeiros minutos, comentários desabonadores ao Movimento Brasil Livre (MBL), citando, nominalmente, Fábio Ostermann e Kim Kataguiri, desancando-os, com a postura costumeira com que trata toda e qualquer pessoa. Para algumas pessoas, tal postura é desrespeitosa, injustificadamente hostil ao MBL; para outras, é apenas a expressão de um velho sexagenário, que se arroga à condição de um demiurgo que se atribuiu poderes mágicos porque viu o seu busto brandido por centenas de pessoas, nas passeatas de 15 de março, 12 de abril e 16 de agosto, seguido do mantra ‘Olavo tem razão’; para outros, é a voz de um sábio profeta bíblico, um autor dos livros proféticos do Antigo Testamento. No vídeo, com a verve costumeira, expõe Olavo de Carvalho os seus pensamentos, vazados no tom que lhe é peculiar, embasados pelas leituras empreendidas em quatro décadas de dedicação ao estudo do socialismo, do comunismo, da filosofia, da política, enfim, do pensamento e da história humanas. E tal experiência não merece ser jogada na lata de lixo porque assumiu Olavo de Carvalho uma posição, no tocante à ação do MBL, que algumas pessoas consideram equivocada, outras, errada, outras, desrespeitosa, outras, injustas, desconsiderando as idéias que lhe dão base aos argumentos, e considerando, unicamente, alguns comentários esparsos apresentados em um rompante. Algumas pessoas o tomam por um sujeito vaidoso e imaturo, que, vendo o seu nome na boca dos brasileiros, arroga-se ao pedestal, exigindo que todas as pessoas curvem-se diante dele e o cultuem. No vídeo mencionado, Olavo de Carvalho se mostra ponderado e apresenta os argumentos que dão sustentação às suas críticas ao MBL. O que o move não é o desejo de aniquilar aqueles que não lhe seguem os passos; é apenas o de expressar o seu ponto de vista, e o faz com a segurança habitual, e com argumentos consistentes. Olavo de Carvalho, em alguns textos ligeiros, avalia o MBL, cuja conduta, conclui Olavo de Carvalho, levou à redução do escopo da ação dos movimentos populares, que deveriam apontar para o Foro de São Paulo, ao impeachment de Dilma Roussef, entregando de bandeja a liderança da ação política ao Fernando Henrique Cardoso e ao Hélio Bicudo (uma reportagem da Época, não me recordo a edição, ao tratar do pedido de impeachment apresentado por Hélio Bicudo, nas últimas linhas alude a um integrante do MBL – e não lhe cita o nome, para a Época os integrante do MBL nem nome tem -, que pede permissão para posar para fotos, exibindo, ou uma bandeira, ou um símbolo do MBL, pedido que lhe foi negado, sendo relegado o MBL a coadjuvante indesejado, aliás, a um bicudo, que entrou na festa sem convite, e o defenestraram – este o tratamento que lhe dedicaram, dá a entender a reportagem da Época). Segundo Olavo de Carvalho (em um comentário publicado no Facebook), um integrante do MBL explicou-lhe que o MBL apoiou a iniciativa do Hélio Bicudo para ter mais acesso à imprensa, para que a imprensa tratasse do impeachment, o que não vinha a esta tarefa dedicando-se. E Olavo de Carvalho reprova tal postura, e, no vídeo citado acima, critica o MBL por patrocinar a caminhada até Brasília. Mas, aqui, eu me pergunto, não se o MBL entregou de bandeja a iniciativa da ação pró-impeachment de Dilma Roussef ao Hélio Bicudo e ao Fernando Henrique Cardoso, mas se os brasileiros acreditam que a iniciativa de todo o processo que pode levar ao impeachment da presidente, ou à sua renúncia, partiu, e desde o início, dos macacos velhos da política brasileira. Ora, toda a imprensa brasileira está a favor da presidente Dilma Roussef, cuja popularidade, no entanto, é baixíssima; então, temos de nos perguntar se os brasileiros acreditarão nas notícias que tal imprensa dá. Seria a memória dos brasileiros tão curta – ou seriam os brasileiros tão desinformados – que não mais se lembram eles da postura de Fernando Henrique Cardoso, que até outro dia estava a blindar a presidente Dilma Roussef, e o PSDB a secundá-lo? Irão os brasileiros engolir tal cascata? A grande imprensa brasileira está desmoralizada, é indigna de atenção, não forma opiniões – forma, se muito, a opinião de menos de sete por cento dos brasileiros; do contrário, a popularidade da presidente Dilma Roussef não estaria se arrastando no chão. Que o PSDB se apresente como líder dos movimentos pró-impeachment não surpreende. Mas a pergunta que me faço é: Quem acredita no PSDB? Há alguém que confia no PSDB? Em um primeiro momento, a posição de Hélio Bicudo surpreendeu-me. “Nossa! Até um dos fundadores do PT está contra o PT!”, e regozijei-me. Depois, ao ler textos de Olavo de Carvalho e de outros, e muitos aqui no Ceticismo Político, e também os comentários aqui publicados – há muitos bem embasados -, recuei da minha posição original; e entendo que a tática dos petistas, com apoio de peessedebistas, foi ótima: Apresentar um dos fundadores do PT atacando o PT e batendo-se pelo impeachment da presidente Dilma Roussef, e convocar a imprensa, sempre servil, sempre cúmplice, para registrar o “evento histórico”, e, assim, jogar para escanteio o MBL. Foram bem-sucedidos? Serão bem sucedidos? Considerando-se que não há, hoje, no universo, um brasileiro (aliás, há, mas são raros), que forma as suas opiniões pelo que a mídia divulga, e que muitos lêem sites confiáveis de notícias (Olavo de Carvalho, Reinaldo Azevedo, Felipe Moura Brasil, Mídia Sem Máscara, Ceticismo Político, Reaçonaria, Instituto Ludwig von Mises), cujos textos lhes formam as opiniões, é possível que os macacos velhos da política brasileira tenham se alçado à posição de líderes pró-impeachment? A grande mídia não possuindo mais o monopólio da informação impõe a sua versão da história? Qual foi a repercussão da entrevista da presidente Dilma Roussef ao Jô Soares? Os brasileiros passaram a ver a presidente com olhos melhores a partir daquele dia? A popularidade dela aumentou? E a de Jô Soares? Como os brasileiros passaram a olhá-lo? O que os brasileiros pensam, dele, hoje? E o Lobão? Após publicar Manifesto do Nada na Terra do Nunca e participar de hangouts com Olavo de Carvalho e outros pensadores, e tornar-se um crítico feroz do establishment político e cultural, com ataques ferinos ao PT, ao Foro de São Paulo, e a mídia a desancá-lo, quando não consegue ignorá-lo e fingir que ele não existe, a popularidade dele aumentou, ou diminuiu? E os livros de Leandro Narloch, Olavo de Carvalho, Reinaldo Azevedo, Percival Puggina, Diogo Mainardi, João Pereira Coutinho estão entre os livros mais vendidos no Brasil. Com, ou sem, apoio da grande mídia? Sabemos a resposta. E o sucesso de tais autores é estrondoso, e nem o silêncio ensurdecedor, gritante, da mídia brasileira o abafa. Então, pergunto: Hélio Bicudo e Fernando Henrique Cardoso, que agora se apresentam, e a mídia os apresenta, como os protagonistas do movimento pró-impeachment de Dilma Roussef, são percebidos, pelos brasileiros, com tal autoridade? Ou os brasileiros os fitam com os cantos dos olhos, desconfiados? Que o Fernando Henrique Cardoso convide a todos os brasileiros para se unirem à oposição em prol do impeachment da presidente Dilma Roussef é uma coisa; que os brasileiros aceitem o convite, aí é outra história.
    A reação inicial de Olavo de Carvalho ao apoio do MBL à iniciativa de Hélio Bicudo e à aliança – posso falar em aliança? – do MBL a Fernando Henrique Cardoso, intempestiva – não sei se injusta, ou não -, reduziu o impacto, presumo, das notícias, provocando reação de integrantes do MBL, que, por sua vez, provocou reação dos admiradores e seguidores de Olavo de Carvalho – e os torcedores do Olavo de Carvalho Futebol Clube e os do MBL Futebol Clube bateram-se, com licença para alguns golpes baixos, algumas rasteiras desleais -, e serviu para alimentar um debate, pondo em destaque a trama urdida pelo PT (que usou o Hélio Bicudo para exercer o papel principal) e o PSDB (e Fernando Henrique Cardoso já conclamou os brasileiros a unirem-se, em prol do impeachment da presidente Dilma Roussef, em torno das oposições – oposições… é uma piada) com a cumplicidade da grande mídia brasileira e alguns sites financiados com dinheiro público. E todas as pessoas que acompanharam a briga de rinha em que se envolveram os torcedores dos dois times, tiveram conhecimento de táticas usadas pelos senhores da história, os inimigos da democracia – e as quais até o momento lhes passavam despercebidas. A mídia destacar o Hélio Bicudo e o Fernando Henrique Cardoso, e deslocar o MBL para o papel de coadjuvante – aliás, nem o de coadjuvante a mídia lhe reservou, a mídia removeu o MBL da história – e o PSDB vender a versão de que é o líder do movimento pró-impeachment não deve surpreender ninguém. Temos de nos perguntar, no entanto, se tal artimanha será bem sucedida. Qual é a credibilidade da grande mídia? E hoje Fernando Henrique Cardoso e Hélio Bicudo – estes são os que se apresentam, dentre outros, ao público -, batem-se com um adversário formidável, que não tiveram de enfrentar nas Diretas Já, no movimento para o impeachment de Fernando Collor: Olavo de Carvalho, que, mesmo que troque os pés pelas mãos – e não é esse o caso -, põe lenha na fogueira, elevando a temperatura do debate, e ampliando a consciência dos brasileiros, e os brasileiros adquirem, ou aperfeiçoam, ferramentas que lhes propiciam uma leitura melhor da realidade brasileira. A contribuição de Olavo de Carvalho é inestimável, mesmo quando ele erra – e não declaro que é este o caso, aqui. O MBL sai arranhado do episódio? A sua atuação como coadjuvante no pedido de impeachment da presidente Dilma Roussef apresentado por Hélio Bicudo e a “aliança” com Fernando Henrique Cardoso expuseram algumas fraturas do MBL, cuja imagem está arranhada, presumo, e pergunto: A de Hélio Bicudo e a de Fernando Henrique Cardoso estão melhores? São elas, agora, mais admiradas pelos brasileiros? Fernando Henrique Cardoso e Hélio Bicudo ganharam credibilidade na mesma proporção com que o MBL a perdeu? Ou os brasileiros os fitam, desconfiados, com uma pulga (só uma) atrás da orelha?
    Olavo de Carvalho foi o epicentro de um abalo sísmico de 7.2 na escala Richter, e provocou abalos secundários, que causaram estragos significativos na tática de cooptação, acredito, pelos caciques políticos, do MBL. No que diz respeito aos debates políticos, filosóficos, culturais, está Olavo de Carvalho sempre presente, mesmo que não se apresente. Não quero dizer que ele é onipresente; quero dizer que a ele as pessoas recorrem, e lhe solicitam – alguns lhes suplicam – algum parecer sobre todos os eventos políticos e culturais. Se ele não se pronunciasse com a contundência, firmeza de convicções e a sem-cerimônia que lhe é peculiar, e apresentasse uma opinião burocrática: “O MBL errou”, e gravasse o ponto final, encerrar-se-ia o assunto, mas não foi isso o que ele fez, tal conduta ninguém pode esperar dele, e ninguém dele a espera; daí temerem-no.
    Olavo de Carvalho lançou duas hipóteses para explicar a conduta dos integrantes do MBL: Uma: maquiavélicos, os integrantes do MBL agiram de má-fé, para canalizar toda a revolta dos brasileiros e pô-la sob o guarda-chuva dos políticos de sempre; outra: os integrantes do MBL são burros. E agora, o que fazem os integrantes do MBL após as duras críticas que lhes fez Olavo de Carvalho? Calam-se? Reagem? Desqualificam o Olavo de Carvalho? O silêncio é contraproducente. A tentativa de desqualificá-lo mostrou-se um tiro no pé. Irão os integrantes do MBL reagirem? E como? Terão eles de provar que não são nem traidores, tampouco burros. E qual é o meio de fazê-lo? Exibindo altivez, provarem que não se curvaram ao Fernando Henrique Cardoso e ao Hélio Bicudo. E como farão isso? Poupando-os de críticas, ou atacando-os? Ficando na defensiva, apresentando justificativas, em tom intimidado, com escusas envergonhadas, da sua postura? Supondo-se que Olavo de Carvalho não tenha se equivocado em sua avaliação da conduta dos integrantes do MBL, e uma das duas hipóteses que ele aventou – a de que os integrantes do MBL são maquiavélicos e a de que eles são burros – procede, temos, então, de fazer um exercício de antecipação aos movimentos subseqüentes do MBL, nestas duas possibilidades. Se o MBL agiu por maledicência, unido aos políticos, traindo a confiança que os brasileiros no MBL depositaram, como fará o MBL para continuar a ludibriar os brasileiros? Os brasileiros, que têm repulsa aos políticos, a transferirão ao MBL, que será, também, alvo de achincalhe e desprezo, não mais o seguirão, e procurarão por outros líderes, ou tomarão as rédeas dos movimentos populares sem que ninguém os conduza. Se a imprensa brasileira nomeou Fábio Ostermann e Kim Kataguiri os líderes dos brasileiros, e os brasileiros nela não vêem credibilidade e se entendem como traídos, apontarão eles as suas baterias na direção de Kim Kataguiri e Fábio Ostermann, e remover-lhes-ão o papel de líderes que a imprensa lhes colou. Se os integrantes do MBL agiram por burrice e estavam a ser devorados pelos macacos velhos da política brasileira, Olavo de Carvalho, ao manifestar-se, chamou-lhes a atenção para o perigo que corriam – e a dos brasileiros – e os pressiona a provarem que não são burros e que não foram cooptados por aqueles que nunca se bateram em favor dos brasileiros, e terão de demonstrar independência e inteligência. Olavo de Carvalho impediu, considerando correta esta hipótese, que os antropófagos caciques políticos brasileiros devorassem os curumins imberbes, e a estes deu estímulos para reagirem à abordagem daqueles. Olavo de Carvalho – e não considero o teor das suas palavras, agora – impediu que os curumins do MBL se curvassem aos caciques, não importando se o MBL agiu por má-fé ou por burrice. Terá, de qualquer modo, os integrantes do MBL de provarem aos brasileiros que não foram cooptados, que não são figuras do establishment político; se não o fizerem, serão aniquilados.
    Quando os brasileiros exibiram a foto do Olavo de Carvalho com a sentença “Olavo tem razão” o fizeram de livre e espontânea vontade, ou foram coagidos a fazê-lo? Algum brasileiro, no gozo da sua liberdade, empunhará, considerando-se que a presidente Dilma Roussef renuncie ao cargo de presidente da República ou da presidência seja alijada por impeachment, cartaz com fotos de Hélio Bicudo, Fernando Henrique Cardoso e outras figurinhas carimbadas da política brasileira, acompanhada das sentenças: “Fernando Henrique tem razão”, “Bicudo tem razão”, “Serra tem razão”, “Aécio Neves tem razão”?

  37. Realmente a questão está nos objetivos e no que se quer combater. O marxismo cultural está no DNA no PSDB, que é altamente ligado a George Soros e outros globalistas, talvez até mais que o PT, mas é bem mais liberal na economia e menos “ideologizado”. Eu tendo a achar que o mais moderado é pior a longo prazo, pois poderá dar a sensação de vitória, enquanto o inimigo consolida seu projeto com menos resistência. Mas se o importante é a liberalização da economia e a rejeição absoluta do “socialismo real”, mas nada há de errado com o “progressismo”, com a questão cultural, com a social-democracia fabiana, então os tucanos são uma ótima opção. Aparentemente, a Europa chegou a um consenso: economia relativamente liberal e liberalismo quase absoluto nos costumes. Isso tanto de partidos ditos de esquerda, como o Partido Socialista Francês, como dos ditos de direita, como o Partido Conservador britânico. Com anos de Obama no poder, esse consenso tem se fortalecendo cada vez mais no mundo ocidental, embora um pouco ameaçado por partidos populistas como o SYRIZA, o Podemos, o UKIP e o Front National, muitos distintos entre si.

Deixe uma resposta