Dilma valida o golpe do STF e afronta tanto o Congresso quanto o povo

18
155

dilma_e_lewandowski

O governo mais cara de pau da história do Brasil tinha que afrontar a decência humana mais uma vez. Depois do golpe dado pelo STF em 17/09, alterando a lei eleitoral para beneficiar o PT, Dilma, que teve ajuda do PMDB para aprovar seus vetos, retribuiu com um cuspe na cara, vetando o financiamento privado de campanhas (que já havia sido aprovado no Congresso), apenas para fingir “não entrar em conflito com o STF”. Leia:

A presidente Dilma Rousseff decidiu seguir decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) e vetou ponto da reforma política aprovada na Câmara dos Deputados que permite o financiamento empresarial a campanhas eleitorais.

A petista deixou o decreto presidencial assinado antes de embarcar nesta quinta-feira (24) para Nova York, onde participará da abertura da Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas).

A expectativa é de que ele seja publicado até a próxima segunda-feira (28) no “Diário Oficial da União”.

Há dúvidas ainda sobre se a presidente vetará ponto que cria janela partidária para as próximas eleições municipais. Ela permite que políticos troquem de partido sem risco de perder o mandato no sétimo mês anterior à eleição.

Na última segunda (21), a petista já havia indicado sua decisão em jantar com o comando do PCdoB. Na reunião, ela disse que não podia ir de encontro com a decisão da Suprema Corte que, na semana passada, declarou inconstitucional normas que permitem as doações empresariais.

Segundo relatos de presentes, ela disse inclusive que fez essa análise em conversa recente por telefone com o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que é favorável às doações empresariais.

Mais cedo, no mesmo dia, o peemedebista afirmou que se a presidente vetar o ponto da reforma política que valida a prática estará interferindo na autonomia do Congresso Nacional.

Para ele, embora a Suprema Corte tenha considerado inconstitucional que empresas doem recursos a candidatos e partidos, o assunto não está encerrado.

Na votação da reforma, as bancadas do PT, PCdoB, PSOL e PPS se posicionaram contra o financiamento empresarial. O placar, no entanto, foi de 317 votos pela manutenção e 162 contra a proposta.

Nos últimos dias, deputados e senadores de esquerda iniciaram uma campanha para que a presidente vetasse a doação empresarial para políticos e partidos.

Senso de reação não é algo que eu espere da maioria dos políticos hoje em dia, mesmo de oposição. Mas se o Congresso não derrubar este veto, demonstrará que perdeu até a vergonha na cara. É hora de pressioná-los.

Anúncios

18 COMMENTS

    • Quem assinou o TRATADO CONSTITUITIVO DA UNIÃO DAS NAÇÕES SUL-AMERICANAS (UNASUL)? FERNANDO HENRIQUE CARDOSO!!!!
      Leiam o item ou artigo 2:
      …conforme disposição em seu artigo 19, prevê a participação na UNASUL de outros “ESTADOS” da América Latina e Caribe como estados associados, sendo-lhes ainda facultativo solicitar a adesão de membros plenos , nos termos previstos no artigo 20…
      O QUIE DÁ PARA ENTENDER POR AÍ?
      ORA, QUE A “PÁTRIA GRANDE”, INICIALMENTE PARA SER SÓ DA UNIÃO DA AMÉRICA DO SUL, FUTURAMENTE TERÁ COMO INTEGRANTE OUTROS POVOS DA AMÉRICA LATINA E CARIBENHA, E É CLARO, CUBA ( a célula mãe do comunismo e criadora do FORO DE SÃO PAULO)!!!
      É LÓGICO QUE FERNANDO HENRIQUE SEMPRE ESTEVE POR TRÁS OU , QUEM SABE, BEM A FRENTE DA CRIAÇÃO DESTE BLOCO COMUNISTA QUE INICIA NA ARGENTINA E VAI ATÉ O MÉXICO E CUBA!POR FAVOR, NÃO SEJAM CEGOS
      http://www.camara.gov.br/sileg/integras/588472.pdf

  1. Luciano, acho que esse veto não será derrubado. Por tudo o que vc já nos explicou sobre o real motivo por trás do financiamento público e pela peça lançada hj na tv pelo pmdb, tudo me leva a pensar que pmdb vai derrubar a gilma e ele espera ter a máquina pública toda a seu favor. E a culpa no fim vai cair justamente no colo do PT.
    Ainda não imagino como o pmdb vai lidar com os juízes bolivarianos de nosso justíssima suprema corte. Tempos interessantes estão por vir.

    • Triste ilusão. Me dá tristeza ler seu comentário. O PMDB e PT são a mesma coisa, o que você assiste nos jornais é teatro. Lembra a tática de Lênin? “Sem a divisão interna o movimento revolucionário não cresce.”

    • Se houver impeachmet e Temer assumir, acho que só o Barroso vai continuar aferrado ao esquerdismo. Os outros deverão baixar a cabeça para o PMDB assim como fazer para o PT.

    • Querido o pmdb, não quer derrubar dilma. Porque ele cairia junto AS contas de campanha e as pedaladas fiscais são os melhores argumentos da oposição. Só que ele derruba a chapa não somente a Dilma. Ai quem assumiria seria Renan sujo igual fralda de criança ia dar confusão
      . Cunha outro igual puleiro de pato. Ai quem assumiria seria o presidente do supremo. Indicado por pelo PT. Resumindo não é vantagem agora . Mais nas eleições próximas é certo que o pmdb vaza de perto do PT

  2. É possível que derrubem…
    Financiamento exclusivamente público de campanha é simplesmente dar ao PT todo o poder para se reeleger e boicotar seus adversários eleitorais. A esse ponto do jogo, acho que nem mamata justifica dar tanto poder a um partido opositor.

  3. Luciano, o Olavo no seu artigo hoje foi no centro da questão. Nós estamos usando a linguagem do inimigo. Pior; estamos pensando nos limites que o inimigo nos concedeu – aquele onde só podemos pensar aquilo que é permitido pelos seres iluminados da USP.

    Sem a compreensão de que nós da direita já estamos falando em planos de “estabilidade” “normalidade” usando o próprio conceito de estabilidade e normalidade da esquerda, continuando com os mesmos significados que a palavra “normalização” tinha para Josef Stalin, nada poderemos fazer a não ser lamentar.

Deixe uma resposta