Jacques Wagner quer fazer Eduardo Cunha de trouxa

4
43

650x375_jaques-wagner-candidaturas-pt_1399223

As farpas lançadas entre Dilma e Cunha foram assunto nos últimos dias. O texto do Implicante, abaixo, traz não somente um bom resumo, como alguns detalhes adicionais dignos de comentários:

Na primeira rodada, Dilma disse lamentar que Cunha fosse brasileiro. O presidente da Câmara, por sua vez, lamentou ser “com um governo brasileiro o maior esquema de corrupção do mundo“. Na réplica, para a queda de queixo de qualquer pessoa minimamente informada, Dilma apostou na burrice plena de seus governados e disse que “meu governo não está envolvido em escândalo de corrupção“. A tréplica do peemedebista veio com mais ironia ainda: “Não sabia que a Petrobras não era do governo.

A turma do “deixa disso” já entrou em campo. Jaques Wagner, o dedo de Lula na Casa Civil, intercedeu junto a Cunha para conter as hostilidades. E sentenciou que o PT precisa conter mais a boca de Dilma, ou o resultado pode ser ruim pra ambos os lados.

Nós, que não pertencemos a ambos os lados, aguardamos ansiosamente pela terceira rodada.

É isso aí!

O Ceticismo Político também aguarda a terceira rodada. Mas vale adicionar uma informação aí: observemos que Jacques Wagner intercedeu junto a Cunha para “conter as hostilidades”. Porém, isso é uma enganação das mais cínicas. Acontece que Eduardo Cunha está tendo sua reputação destruída dia após dia na BLOSTA, fartamente abastecida com verbas estatais. Basta que um dos assessores de Cunha gaste meio período de um dia para coletar as principais notícias citando seu nome nos blogs Brasil247, Conversa Afiada, Pragmatismo Político, Diário do Centro do Mundo, Revista Fórum e mais alguns outros nessa linha para saber que Wagner tem um time de pessoas furando suas enquanto pela frente o abraça.

Algumas crianças políticas podem querer dar maus conselhos ao presidente da Câmara. Podem dizer, por exemplo, que esses blogs “são de nicho”, portanto só pregam para convertidos. Isto poderia até ser verdade há uns 20 anos atrás. Não hoje, depois dos métodos de “lançamento” de conteúdo inicialmente publicado em blogs de nicho para que se transformem em “notícias’ pela mídia.

Já mostrei mais de uma vez o trailer do ótimo livro Trust Me, I´m Lying, de Ryan Holiday. Mesmo quem não entenda inglês conseguirá entender o processo em um vídeo de pouco mais de um minuto:

A partir daí, é possível notar como Cunha é atacado de forma ainda mais virulenta em comparação ao que havia sido feito contra Marina e Aécio nas eleições de 2014. Mas muitas vezes os ataques não vem da boca de Dilma, mas de órgãos (e a afronta é essa: bancados com verba estatal) cujo único fim é assassinar a reputação alheia do modo mais eficiente possível.

Dica para Cunha: coloque os ataques criados na BLOSTA, e “empurrados” para a grande mídia, todos na conta do PT. E aí veja se Wagner realmente quer “conter as hostilidades”.

Anúncios

4 COMMENTS

  1. A oposição deve aprender que, se bolivarianos ou seus mequetrefes pedem para parar, é sinal que deve partir para cima. Como bons covardes, eles dão uma punhaladas e quando alguém revida eles dizem “parem, não queremos briga”, aí esperam até que a pessoa vire as costas para atacarem.

Deixe uma resposta