Senador Raimundo Lira quer dar ao PT o controle das campanhas políticas

1
71

raimundolira

O Brasil não poderia estar situação melhor – guardadas as devidas contingências, é verdade – no que diz respeito à conscientização sobre a existência do Foro de São Paulo, hoje um fato indiscutível por boa parte da direita pensante. Infelizmente, ao mesmo passo, o Brasil não poderia estar pior no desenvolvimento de táticas para barrar a implementação das técnicas de tomada de poder estabelecidas no Foro.

Dá a impressão de que o conhecimento sobre o que é o Foro vai na contramão do desenvolvimento de técnicas para combatê-los. Só isso explica o fato de que em setembro o STF deu um golpe estabelecendo o controle petista de campanha (que eles chamam de “fim de financiamento empresarial de campanhas”) e poucos se indignaram. Mas a coisa é muito pior: quase ninguém da direita tem sequer um discurso pronto para explicar aos outros a razão pela qual essa iniciativa é abominável.

Leio aqui no Brasil247 que o senador Raimundo Lira (PMDB-PB), daquela ala do partido disposta a entregar tudo para o PT definitivamente, deu satisfações a dois braços do PT, CNBB e OAB, dizendo que ia “retirar do texto a proposta de financiamento privado de campanha, vetando a contribuição de empresas a candidatos a cargos públicos”. A notícia veio da colunista  Mônica Bergamo. É claro que os petista comemoram. A senadora Fátima Bezerra (PT-RN) diz: “Estamos comemorando, é uma conquista extraordinária”. E ninguém fica indignado? E ninguém irá pressionar o senador do PMDB?

Muitas pessoas levam suas mentes aos anos 50 e 60 para mencionar a luta contra o comunismo. Ao fazerem isso, no entanto, recobram um tipo de luta que já está morta e enterrada: a luta contra ditaduras tradicionais. O livro Escola de Ditadores, de William J. Dobson, explica que o buraco é mais embaixo: o modelo de ditadura tradicional já não mais existe, restando apenas em alguns países africanos, na Coréia do Norte em Cuba. Em boa parte do mundo, as ditaduras seguem o método da tirania moderna, que não depende da força, mas do aparelhamento do judiciário, da criação de regras “espertinhas” para o processo eleitoral, do uso de verbas estatais para determinar o que a mídia publica, da compra de apoio entre artistas via financiamento cultural e daí por diante. A recusa por prestar atenção a tais configurações é uma recusa a lutar, de fato contra as tiranias modernas.

Se o Foro de São Paulo aplica o socialismo segundo esses padrões, a decisão por ignorá-los explica o fenômeno apavorante: o nível de conhecimento sobre a existência do Foro de São Paulo (e sabemos gritar “Fora Foro” em manifestações) não está nos fornecendo nenhum antídoto para reduzir seu poder de atuação. Voltando à questão do controle petista de campanha: para os países pertencentes ao Foro está sendo mais fácil implementar o totalitarismo por aqui do que bater em bêbado, mesmo que já existam muitos grupos dedicados a estudar o Foro de São Paulo.

De vários posts sobre o golpe do controle petista de campanhas, dois foram os mais claros:

No primeiro link há frames, que podem ser elaborados. No segundo, há uma parábola que explica por que nenhuma pessoa adulta e honesta pode aceitar esse tipo de proposta. Mas, ainda assim, a direita, incluindo aquela que costuma focar em lemas como “Fora Foro”, não consegue sequer explicar por que é inaceitável que essa barbárie passe no Congresso.

Já fui várias vezes injustamente acusado de “dizer que o Foro de São Paulo não tem relevância”, mesmo que jamais tenha proferido algo assim. Na realidade, jamais divergi da direita que mais fala do Foro em relação a tal relevância. Porém, sempre discordei da abordagem, a qual considero mais focada em “falar do Foro” (embora muitos não vão compreender, e outros tantos nem vão se interessar) do que em elaborar frames, slogans e discursos rápidos para derrubar as demandas totalitárias definidas nas reuniões do Foro. Esta é minha proposta. Qual é a proposta daqueles que, mesmo denunciando o Foro, não estão dando atenção a medidas como o controle petista de campanhas?

Anúncios

1 COMMENT

  1. O PT veio com o craque com o aumento da criminalidade com o aumento do calote da dívida pública com o aumento da injustiça com o aumento da imoralidade E desarmando o cidadão para proteger os picaretas bandidos e comprar votos com os bolsa voto, e o pior é que os militares do nosso Brasil não fazem nada como si não tivesse filhos, ou são medroso? O São do fórum de São Paulo? O brasileiro está desprezado e a esperança na uti.

Deixe uma resposta