Impeachment acolhido por Eduardo Cunha!

26
151

impeachment

Lutando contra tudo e contra todos, os movimentos que lutaram pelo impeachment tiveram seu resultado: Eduardo Cunha acolheu o pedido. Isto não teria ocorrido, evidentemente, se não existisse uma pressão das ruas, direcionada pelos movimentos republicanos.

Agora começa uma nova batalha, de pressão, de desgaste, de denunciação e, especialmente, desconstrução de um dos partidos mais pérfidos de nossa história, e de uma das presidentes mais cínicas que já sentaram no trono. Parabéns ao MBL, ao Revoltados Online, ao Vem Pra Rua e aos demais movimentos que mantiveram o foco.

Fonte: página de FB do Eduardo Cunha.

 

Anúncios

26 COMMENTS

  1. Ayan, não nos deixe sem notícias do livro. Estamos às escuras, sem nenhuma informação do andamento do projeto, e nem sua página, nem a da Editora Simonsen dão um pio a respeito. Gostaria de saber se já há uma data para o lançamento, e quando receberemos nossos exemplares.

    • Olá Bruna,

      Desculpe pelos atrasos. Realmente, 6 meses de atraso é muita coisa, mas ou o livro sai nas últimas semanas de dezembro (acho um tanto corrido), ou nas primeiras semanas de janeiro. Assim que sair, você saberá que valeu a pena a espera, e os primeiros a receberem serão os colaboradores do crowdfunding. Só tenho mais uma reunião este fim de semana, e aí escreverei um post sobre isso. Se eu não o fizer no domingo, no máximo na segunda farei.

      Grande abraço,

      LH

  2. “Isto não teria ocorrido, evidentemente, se não existisse uma pressão das ruas, direcionada pelos movimentos republicanos.”

    Fala sério. Se Cunha não tivesse sido metralhado pelo PT, esse processo mofaria por toda a eternidade. É pura vingança pessoal, nada de “vitória dos republicanos”. Será vitória se por algum milagre o processo passar no senado.

      • Pressão das ruas!? Teve um monte de causas pra isso aí, a principal foi a econômica e a prisão do Delcídio foi a gota dágua. Pressão das ruas estava diminuíndo, principalmente depois que a classe média opressora notou que o que muita gente desses movimentos queria era chamar atenção pra se candidatar a algum cargo político depois, como os caras do MBL que se filiaram ao DEM.

        Se teve UM mérito individual nisso tudo foi o do filho do Cerveró que gravou a conversa do Delcício.A prisão do Delcídio sim, colocou o PT num ponto insustentável.

  3. Nunca fiquei tão feliz ao ouvir a musiquinha medonha do Plantão da Globo anunciando o pedido de impeachment. Luciano, acho que o Cunha passou aqui esse blog hoje no começo da tarde, rs 🙂

    Orgulho de ter comparecido das 3 manifestações, e se tiver uma quarta, estarei lá. Calando a boca dessas porras desses direitistas preguiçosos, puristas, depressivos, e o caralho a 4. Força da juventude nas ruas, conseguimos fazer o velhote Cunha protocolar esse caralho, enquanto uma cambada de velho ficou com a bunda no sofá fazendo porra nenhuma. Nóis que vamo mudar essa baderna, essa putaria toda. Internem-se num asilo, direitistas ultrapassados!

    Sangue nos olhos, e muita fúria agora!

  4. Eu acho bom, mas posos postar um comentário do Olavo? é que eu penso como ele nesse caso

    “O impeachment da Dilma, se vier, pode ser o começo do fim da camarilha comunolarápia ou uma oportunidade de ouro para ela se limpar na sua própria merda, como é da tradição comunista. A intensidade menor ou maior do oba-oba em torno de antidilmistas de última hora, como Hélio Bicudo e Miguel Reale, nos dirá para onde a coisa vai.”

    P.S: lembrem que Reale é um comunista de primeira, aproveita o capitalismo comprando vinhos caros igual Zé Dirceu mas é ovacionado pela turma da USP.

  5. Eu assisti a sessão quase inteira de ontem, do projeto de lei que modifica a meta fiscal, e eu não tenho um fio sequer de esperança de que aquele congresso que passou a mão na cabeça dos crimes de responsabilidade fiscal do PT vá aprovar o impeachment da Dilma.
    Eu não acredito em clamor das ruas, em pressão nas redes sociais, nada. O congresso é uma caixa-preta que não representa ninguém – ontem a maioria dos partidos argumentou que a simples exigência do cumprimento da lei de responsabilidade fiscal era manobra política da oposição pra desestabilizar ainda mais a economia do país – esses 314 que estiveram ontem de joelhos diante dos descalabros do PT vão permanecer de joelhos; a menos que, o tal clamor das ruas seja praticamente uma revolução, uma greve geral, uma revolta de proporções apocalípticas, mas não me parece que será o caso.

  6. Agora nos resta esperar a arte da politica.
    Grupos de pressao nas ruas tem um resultado, mas ainda eh pequeno.
    Eu penso que o impeachment nao consegue ser levado a cabo, analisando a situacao atual do pais.
    Entretanto, a economia vai piorar e isso tende a levar os politicos a reconsiderar suas posicoes.
    A crise politica vai alimentar a crise economica em um ciclo.
    Ano que vem devemos ter uma recessao enorme.
    Na minha analise, viveremos uma depressao economica, o que vai esmerdear tudo.
    Tenho pena dos empresarios do pais, jah tao sacrificados.
    Metade deve simplesmente perder suas empresas.
    Tristeza…

  7. Bem vindo de volta, Luciano. O caminho ainda é longo e tortuoso até nos livrarmos desta anencéfala que por artimanhas do destino e com um empurrãozinho do nove dedos veio a ocupar, sem qualquer merecimento, o mais alto cargo do país. Caso ela saia, o Brasil vai ter que sair do lodaçal econômico em que se encontra, rechaçar os “movimentos sociais” que certamente vão recrudescer e, pior que tudo, impedir que o molusco venha a disputar 2018 como salvador da pátria. Isso sem falar nos partidos ultraesquerdistas como psol, pecedobê, etc, que não foram defenestrados da vida pública, como deveria ser e que agora vão posar de bons moços e amantes da democracia. Aqui no Rio a situação é particularmente preocupante, com aquele farsante do Marcelo Freixo de bola cheia junto aos esquerdistas do Leblon e adjacências.
    Enfim, o trabalho está apenas começando. Fui às 3 manifestações e irei a quantas for preciso.

  8. Normalmente para eventos complexos (entenda-se por dinâmicas sociais incluindo a política ) as explicações e suas causas são multifatoriais. Achar que o acolhimento do impeachment é fruto apenas da mobilização popular pode ser ingênuo; mas não tanto do que supor que Eduardo Cunha acolheu o pedido de impeachment só porque acordou com o ovo virado.

    As manifestações não precisam ser megalomaníacas; elas precisam gerar resultados negativos para o PT e seus aliados na opinião pública. A greve dos caminhoneiros teve uma baixa adesão mas uma repercussão violenta comprovada pela reação desproporcional do ministro da Justiça. O acampamento do MBL teve uma baixa adesão e foi necessário Polícia, CUT, MST e Marcha das Mulheres Negras arrumando confusão para retirá-los de lá fora a omissão da mídia mostrando que há sim um desgaste da imagem do governo.

    Também é necessário ter em mente que essa guerra se trava na mídia que reduz tudo em importância e tamanho pelo menos três vezes; ou seja, para colocar um milhão de pessoas na avenida paulista pró-impeachment e ser noticiado assim; se faz necessário colocar três milhões gritando eu quero impeachment e garantir que não haverá um único infeliz gritando intervenção militar.

    E o que escrevemos aqui? Pergunta para os PETISTAS e PSOLISTAS de onde vem tamanha sede de controlar o conteúdo da internet no Brasil. Achar que isso não tem ou não teve importância ou efeito é negar os fatos.

Deixe uma resposta