Em vídeo aterrador, uma mulher é levada para ser estuprada em Colônia

37
538

colonia

Dizem que no cinema algumas das cenas mais apavorantes acontecem “off screen”. Parece que o mesmo vale para o vídeo que vocês poderão assistir ao final deste post, mostrando os momentos que antecedem o estupro de uma das quase 500 mulheres violadas na passagem de ano em Colônia, Alemanha. (Por sorte, não vemos nenhuma cena gráfica de estupro, mas nem por isso deixamos de testemunhar uma cena de horror absoluto, acompanhado por gritos que calam na alma de pessoas com o menor traço de empatia)

Desprezadas pela mídia de extrema-esquerda, o sofrimento dessas mulheres tem sido ignorado pelas feministas, que se recusam a chorar qualquer lágrima por uma da maiores afrontas civilizacionais já cometidas contra o sexo feminino na história recente.

Bem que Flávio Quintela escreveu no Facebook: “Era uma vez uma mulher chamada Esquerda. Ela teve dois filhos, o Multiculturalismo e o Feminismo. Um dia eles brigaram e o Multiculturalismo matou o Feminismo. Fim de história.”

É claro que a frase é irônica. As feministas ainda existem enquanto movimento. Mas perderam toda a moral depois de seu silêncio diante de sua atitude perante o horror em Colônia.

Anúncios

37 COMMENTS

  1. Segundo um ou dois blogs que visitei, Merkel atuou de forma ridícula neste caso horrendo. A moral alemã foi abatida. Eu daqui estou muito irado com este caso e fico imaginando como estará o povo alemão neste momento.

    Ninguém do fêmem reclamou??? Mais uma vez o duplo padrão da esquerda é explícito.

  2. Esses casos envolvendo refugiados mostram como muitos libertários são utópicos (até mesmo infantis).
    A propósito, o Narloch já escreveu sobre o assunto?
    Pergunto porque ele ficou defendendo todo tipo de imigração (teve até briga).

    • Escreveu sim, como se pode ler aqui. O texto em questão mais uma vez pareceu um daqueles leites com pera libertários-anarcocapitalistas para tentar esconder o sol com a peneira e desprezar o fato de que os jihadistas estão usando a empatia dos ocidentais contra o próprio Ocidente. Esse é o grande mal de olhar tudo por um prisma econômico.

      • Em um minuto produtivo o Narloch é desmontado. Realmente teria sido melhor para ele ter ficado com os guias politicamente incorretos, pois quando se atreve a escrever mais no bate-pronto a coisa está ficando feia e o raciocínio economicista-tecnocrático está contando contra. No link que passei há um vídeo sobre a estratégia Cloward-Piven, da qual faz parte o estado de bem-estar social, assim como essas ondas de migrantes que não chegam para trabalhar mas se sustentar na grana dada sem contrapartida produtiva.

        http://youtu.be/KHvZXDUNyYY

      • O grande problema de muitos liberais é justamente esse.Para eles tudo se resume a economia.

        Esses “protestos” com os terroristas do Black Bloc, por exemplo.Quais são as preocupações de muitos liberais:

        1-Falar que a propósta é inviável.
        2-Que a polícia gasta muito dinheiro reprimindo os vagabundos (sim. eles disseram isso).

        Teve um do Mercado Livre (liberais de esquerda) que disse que não ia para os protestos contra a Dilma.Por que?
        Porque com os problemas econômicos, Dilma seria “obrigada” a adotar reformas liberais (coisa que ela não vai fazer).

        Ou seja, parece que para muitos liberais o problema não está no fato dela ter sido eleita com dinheiro sujo, cometer estelionato eleitoral ou pedala fiscal, mas sim não ter feito as reformas “liberais”.

        Parece que não vêem que uma cultura corrupta, como a nossa, não vai ser salva apenas abrindo mercado e praticando trocas voluntárias.

      • Deixem de falar merda sobre o que vcs não entendem,qualquer libertário sabe que num mundo 100% livre, 100% privado não ia ter imigração dessas coisa nenhuma, principalmente pq não ia ter welfare state pra botar esses merdas pra dentro prometendo a eles uma vida de parasitismo e pq todos os espaços seriam PRIVADOS.
        https://www.lewrockwell.com/1970/01/hans-hermann-hoppe/on-free-immigration-and-forced-integration/
        Narloch não é libertário, é só um idiota.

  3. Mais um vídeo sobre os ocorridos em Colônia e a postura patética dos marxistas-humanistas-neoateístas no poder alemão sobre os ocorridos:

    http://www.youtube.com/watch?v=2pDRfuIqh6U

    Sim, a coisa fica bem ruim quando constatamos que a TV iraniana foi mais incisiva que as do Ocidente em relação aos estupradores (considerando o taharrush como um hábito mais árabe e a recente ruptura de relações diplomáticas entre Irã e Arábia Saudita).

  4. Além dos discursos patéticos de autoridades marxistas-humanistas-neoateístas alemãs, o episódio de Colônia pode servir para na prática fazer essa gente parar de disfarçar seu real discurso, aqui baseando-se no dar de ombros para a população que os elegeu:

    • E Isso é bom. Se ela disser que comer merda é bom devemos acreditar, claro! Afinal, ela é de esquerda e sabe o que é melhor para nós melhor do que nós mesmos, como todo mundo sabe. A arrogância da esquerda desperta em mim os piores instintos. Quase me dá vontade de ser muçulmano e topar com ela em uma rua deserta e lhe dar uma amostra da bondade do multiculturalismo, método braile!

  5. Luciano, os Tradutores de Direita soltaram a versão legendada em português de um vídeo que explica o marxismo cultural de uma maneira muito clara e fácil de entender:

    http://www.youtube.com/watch?v=7lfzDGEh5g4

    Observe o tanto de exemplos dados, conexões feitas e outros detalhes. Um leigo no assunto, como a maioria dos brasileiros que por ora só percebem em um campo mais intuitivo haver algo de errado no governo e na dinâmica social da nação sem saber o que está por trás disso, iria sacar as coisas que estão sendo faladas em dois tempos e teria aquela sensação de ficha que cai quando alguém nota que só estava sendo inocente útil até então e falando fraude como se fosse alta cultura.

  6. Quando o cristianismo tomou forma, a barbárie foi diminuindo gradativamente até entrarmos no que conhecemos como Ocidente. Foram bons tempos, apesar dos pesares. Agora, estamos testemunhando a volta da barbárie, sinal inequívoco do ocaso do cristianismo verdadeiro.

  7. Agora que era hora do tribufu Lola Aranovich esbravejar e torrar a paciência como sempre faz com causas muito mais superfluas, cadê? Ah, esqueci que os muçulmanos são intocáveis, nós ocidentais somos o problema e estamos errados, mas eles são só “diferentes”. Se o cara for um muçulmano negro poderia até, sei lá, virar presidente dos EUA. Oh wait..

  8. Vamos ver só o que a Louca Barangovich disse sobre o ocorrido em Colônia:

    “2) No reveillon, nas cidades alemãs de Hamburgo e, principalmente, Colônia, aconteceu algo horrível: cerca de mil homens (segundo testemunhos, de “procedência árabe ou do norte da África”) se organizaram no centro para orquestradamente, em grupos pequenos, assediarem sexualmente, passar a mão e roubar mulheres. Pelo menos 90 mulheres denunciaram, e houve no mínimo um estupro.

    Pra piorar a situação, a prefeita de Colônia MEIO QUE decidiu culpar as vítimas ao dizer que as mulheres deveriam adotar um “código de conduta” para evitar futuros ataques, como manter um braço de distância de estranhos e pedir ajuda a outras pessoas (ahã, certeza que nenhuma das vítimas tentou isso). A prefeita já foi apunhalada no pescoço em outubro por um alemão contra a entrada de refugiados.

    Pra piorar a situação, a prefeita de Colônia meio que decidiu culpar as vítimas ao dizer que as mulheres deveriam adotar um “código de conduta” para evitar futuros ataques, como manter um braço de distância de estranhos e pedir ajuda a outras pessoas (ahã, certeza que nenhuma das vítimas tentou isso). A prefeita já foi apunhalada no pescoço em outubro por um alemão contra a entrada de refugiados.

    Óbvio que todos os grupos de extrema direita não só da Alemanha como de qualquer lugar do globo está usando o terrível ocorrido no reveillon como um “Tá vendo como estávamos certos em ser contra imigrantes? Tá vendo como fazemos bem em considerar todos os muçulmanos criminosos?”

    E, claro, o de sempre — esses mesmos reaças culpam feministas (não estupradores) pelos ataques. Afinal, somos nós que adoramos o mundo islâmico mas infelizmente ainda não nos mudamos pra lá para combater onde o machismo existe de verdade.

    Eu adoro isso. Até parece que tenho alguma simpatia pelo islamismo ou por qualquer outra religião. Pra mim, são todas machistas. E qualquer pessoa, de qualquer religião, em qualquer lugar do globo, deve ser punida se sair por aí apalpando mulheres.
    Uma dica: desconfie de artigos que dizem que a imigração destruiu a Suécia e que dão como exemplo a estatística da Suécia ser o país com o maior número de casos de estupro do planeta.

    A Suécia ocupa essa posição porque comportamentos que não são considerados estupros em outros países são considerados estupros lá. (E eu também acho engraçado reaça falar da Suécia como se fosse um paraíso antes dos malditos imigrantes desembarcarem. Os países escandinavos têm os melhores índices de qualidade de vida por um motivo simples: porque eles seguem à risca uma política de bem estar social. Isso só é conseguido com um Estado grande e altos impostos. Justamente o que os reaças mais odeiam).”

    • Blá, blá, blá…

      Lá veio ela com o argumento dos países escandinavos…
      Hahahahahahahahaha

      Querida, se informe melhor!
      Tais países gozam/gozaram por terem incialmente aderido ao livre mercado, ou seja, diminuíram o estado ao maximo possível. Nesta época o crescimento foi vertiginoso.
      Quando começaram a inflar o estado, adivinha o que aconteceu nos últimos anos?!
      ESTAGNAÇÃO plena! E se continuar aumentando o estado, bom… não preciso nem explicitar né? URSS, China, Cuba, Venezuela….

  9. Não sei o meu comentário anterior com esse texto foi, mas caso não tenha ido, segue novamente o trecho do post:

    “2) No reveillon, nas cidades alemãs de Hamburgo e, principalmente, Colônia, aconteceu algo horrível: cerca de mil homens (segundo testemunhos, de “procedência árabe ou do norte da África”) se organizaram no centro para orquestradamente, em grupos pequenos, assediarem sexualmente, passar a mão e roubar mulheres. Pelo menos 90 mulheres denunciaram, e houve no mínimo um estupro.

    Pra piorar a situação, a prefeita de Colônia meio que decidiu culpar as vítimas ao dizer que as mulheres deveriam adotar um “código de conduta” para evitar futuros ataques, como manter um braço de distância de estranhos e pedir ajuda a outras pessoas (ahã, certeza que nenhuma das vítimas tentou isso). A prefeita já foi apunhalada no pescoço em outubro por um alemão contra a entrada de refugiados.Óbvio que todos os grupos de extrema direita não só da Alemanha como de qualquer lugar do globo está usando o terrível ocorrido no reveillon como um “Tá vendo como estávamos certos em ser contra imigrantes?

    Tá vendo como fazemos bem em considerar todos os muçulmanos criminosos?”E, claro, o de sempre — esses mesmos reaças culpam feministas (não estupradores) pelos ataques. Afinal, somos nós que adoramos o mundo islâmico mas infelizmente ainda não nos mudamos pra lá para combater onde o machismo existe de verdade.

    Eu adoro isso. Até parece que tenho alguma simpatia pelo islamismo ou por qualquer outra religião. Pra mim, são todas machistas. E qualquer pessoa, de qualquer religião, em qualquer lugar do globo, deve ser punida se sair por aí apalpando mulheres.
    Uma dica: desconfie de artigos que dizem que a imigração destruiu a Suécia e que dão como exemplo a estatística da Suécia ser o país com o maior número de casos de estupro do planeta.

    A Suécia ocupa essa posição porque comportamentos que não são considerados estupros em outros países são considerados estupros lá. (E eu também acho engraçado reaça falar da Suécia como se fosse um paraíso antes dos malditos imigrantes desembarcarem. Os países escandinavos têm os melhores índices de qualidade de vida por um motivo simples: porque eles seguem à risca uma política de bem estar social. Isso só é conseguido com um Estado grande e altos impostos. Justamente o que os reaças mais odeiam).”

    • Pensando em economia ela não foi mal, muito pelo contrário. O problema ali é que ela quis “dar uma de cristã” e dar ajuda humanitária, sem filtro sem nada. A população tá pagando o preço. Internacionalmente ela tá se saindo bem quanto à sua imagem, mas internamente tenho certeza que não.

  10. Pois é! Chegou a hora das mulheres alemães darem adeus àquelas baladas noturnas, com liberdade e segurança de países desenvolvidos! Parabéns, Dona Merkel!

  11. Hoje de manhã, no Bom Dia Brasil (TV Globo), uma repórter politicamente corretinha chamada Cecília Malan, que outro dia estava toda alegrinha festejando a aprovação do casamento gay na Irlanda, agora “noticiou” (lamentou) o aumento de “xenofobia” e “intolerância” da “extrema direita” na Europa.
    Mencionou, de levinho, os ataques de 31 de dezembro apenas como casos de “roubo” e “assédio”.
    Fiel à agenda de desinformação e lavagem cerebral politicamente correta, a mocinha preferiu ESCONDER o fato de que houve CENTENAS DE ESTUPROS cometidos por pobres oprimidos vítimas do preconceito.
    Afinal, os crimes foram cometidos pelos culpados errados, né? Melhor dar aquela abafada habitual e continuar atacando, como sempre, a perigosa extrema-direita intolerante…

  12. Eis que na página em português da Deutsche Welle temos este artigo de Shamil Shams, paquistanês radicado na Alemanha e ex-muçulmano, hoje ateu. Em que pese o cara cometer erros como chamar de “extrema-direita” os neonazistas, há muito a se aproveitar desse artigo, principalmente o fato de ser alguém que conhece por dentro o geral da cultura muçulmana e fala com propriedade daquilo que se poderia esperar da tal massa humana que invadiu a Europa há alguns meses.

  13. Isto foi num país islâmico, não em Colônia, Alemanha, os inimigos da Resistência ao Islã Político frequentemente dão identificação errônea a vídeos e os espalham assim para nos desacreditar perante o grande público, evitem cpt vídeos sem antes verificar a real procedência das filmagens documentais.

    • Não foi na Alemanha, mas serve de ilustração, já que ocorreram mesmo estupros em massa na cidade de Colônia, já que nenhuma emissora fez qualquer simulação (será que alguma série/filme irá lembrar do ocorrido?), o vídeo tem certo valor indiretamente. Seria como mostrar execuções comunistas com ilustrações de execuções praticadas pelos nazistas.

Deixe uma resposta