Estratégia das tesouras sem fio: PSDB pede extinção do PT

54
690

Para uma parte da direita a história do PSDB e do PT é basicamente um “conchavo” entre dois partidos para dar sustentação ao totalitarismo do último. Assim, juntos, eles “impediam” o surgimento de uma verdadeira direita. Em tese, isto seria uma armação tão grande que, segundo alguns, nos deveria fazer perder a fé na política de uma vez por todas, levando-nos a apoiar ideias extremas, entre elas intervenção militar ou revolução civil, ou uma mistura das duas.

Tudo teria sido assinado no Pacto de Princeton, em 1993, onde os combinados foram feitos entre Fernando Henrique Cardoso e Luís Inácio Lula da Silva. Não se tem notícia deste pacto a não ser em uma edição do Gramna, de Cuba. Mas a lenda reza que esta edição desapareceu de todos os locais possíveis e imagináveis. Mas uma coisa é certa: algumas pessoas sabem o conteúdo exato do que está lá no Pacto de Princeton. Morro de curiosidade.

Tanto estratégia das tesouras como Pacto de Princeton são teses aventadas por algumas pessoas sérias, mas é justo questionar por evidência. Anatoli Golitsyn já havia tratado da estratégia das tesouras no livro New Lies for Old, mas o fato disto ter ocorrido em sistemas totalitários como Rússia e China não significa que PT e PSDB representem o mesmo truque no Brasil. As suspeitas são bem vindas, principalmente porque as teses da “estratégia das tesouras no Brasil” ou do “Pacto de Princeton” podem – em alguns casos – servirem a interesses de abandono da política.

Convencer a todos de que “tudo está dominado e nossas opções vivem em conchavo” pode servir para apregoar soluções extremas. Mas quem sabe a verdade não esteja em outro lugar? Será que a própria desistência da direita por pressão política faz com que o PSDB somente aja como oposição frouxa? Certamente esta é outra explicação a ser levada em consideração.

De qualquer forma, talvez o Pacto tenha sido quebrado ou as tesouras desta estratégia não estejam tão afiadas, pois lemos o seguinte no Terra:

O PSDB protocolou nesta quarta-feira (20) na Procuradoria-Geral Eleitoral uma representação na qual pede que seja investigada a documentação que teria sido entregue pelo ex-diretor da área internacional Petrobras Nestor Cerveró à Procuradoria-Geral da República.

Nela, segundo reportagem do Jornal Valor Econômico da última segunda-feira (18), antes do acerto da delação premiada, Cerveró disse que a campanha à reeleição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de 2006 recebeu R$ 50 milhões em propina, resultado de uma negociação para a compra de US$ 300 milhões em blocos de petróleo na África, em 2005.

“Esse é um crime que não tem sua prescrição prevista em lei. O que está em jogo não é o ex-presidente Lula, mas sim o recebimento por parte do Partido dos Trabalhadores de recursos do exterior”, disse líder do PSDB na Câmara, Carlos Sampaio.

Ele explica que “o que a lei veda e a Constituição veda também é que recursos vindos do exterior abasteçam campanhas eleitorais no Brasil, o que é uma ofensa à soberania nacional e à independência dos partidos políticos”.

“Qual consequência disso? É a extinção do partido, porque ele perde o registro, portanto, independentemente do que vá acontecer com o ex-presidente Lula, a consequência é direta para o seu partido, o Partido dos Trabalhadores”, disse Sampaio, acrescentando que a extinção do PT não decorre da vontade do PSDB, mas sim de uma consequência legal.

Procurada pela Agência Brasil, a assessoria de imprensa do Instituto Lula disse que não vai comentar o assunto.

Ei, espere aí…

Existe hoje em dia uma direita “true” que, tal como faziam ou talvez até ainda façam os fãs de Manowar, se define como “uma direita verdadeira contra os falsos direitistas”. Estes falsos direitistas, para eles, são os liberais, que seriam “esquerdistas enrustidos”. Por serem “esquerdistas enrustidos” – e tão devotados ao totalitarismo petista como seria o PSDB -, costumam discordar de algumas pautas de pessoas como Jair Bolsonaro. É quase a mesma conversa dos anos 80 em que fãs do Sarcófago criticavam o Sepultura por ter lançado discos mais acessíveis como Beneath the Remains e Arise. O Sarcófago seria uma banda “true” enquanto o Sepultura seria “poser”.

Quando o MBL apertou a mão de Fernando Henrique Cardoso e endossou o pedido de impeachment de Helio Bicudo, obviamente foram chamados de “traidores” e, então, acusados de serem “vendidos ao projeto de poder da esquerda”.

O problema é que agora o PSDB encampou uma demanda – a extinção do PT enquanto partido político – que era defendida, ironicamente, por muitos membros da direita “true”. Se eles continuarem apoiando sua demanda reconheceriam “aliança com tucanos”? Ou talvez desistam da demanda, chamando-a agora de “evolução da estratégia das tesouras”? Vamos ver aonde isto vai dar.

Em relação aos tucanos, torno a dizer meu posicionamento, já transcrito aqui várias vezes: os tucanos jamais foram pressionados pela direita para tomarem uma atitude de oposição ao PT. Este abandono da política, em boa parte, explica a frouxidão do PSDB. Antes de aventarmos teses como Pacto de Princeton ou estratégia das tesouras, deveríamos pressionar os tucanos por uns 4 ou 5 anos. Mas quando falo pressão, falo em pressão mesmo, não sair dizendo pelos quatro cantos “ah, os tucanos já estão comprometidos com o PT mesmo, então tudo bem”. Isso não é pressão. É o inverso: é liberação de pressão. Aí é fácil justificar a ausência de representação.

Anúncios

54 COMMENTS

  1. Você quer apostar quanto que esse pessoal vai dizer que o psdb só fez isso porque sabe que o pt acabou e os petistas estão indo para partidos como Rede e Raiz?
    Vão falar que a estratégia das tesouras existe, mas agora é entre psdb e rede/raiz.

    PS:Sarcófago é melhor que Sepultura, musicalmente falando.

  2. Quando o deputado Carlos Sampaio se manifestou a favor do impeachment um tempo atrás rapidamente foi enquadrado por nada menos que o Aécio Neves cujo objetivo era barrar qualquer tentativa de impeachment para levar a disputa para 2018. Por muito tempo o Serra, o FHC, o Alckmin e o Aécio Neves se manifestaram contra o impeachment. O Serra mudou de posição perante a possibilidade de formar parte de um governo do PMDB. Isto é, se o impeachment ocorrer, o Serra estará fora do PSDB. Se o PSDB votou a favor da instalação do impeachment foi simplesmente porque foi atropelado pelos fatos ou seja, pela Lavajato. Novamente silenciou quando o STF deu o golpe na decisão da câmara. Esses são os fatos. Vamos ver como acaba essa história ou, se não é mais outro jogo de cena do PSDB.

  3. Luciano, meu pequeno grilo. Pra quê PT se o Brasil conta com 33 tons de vermelho? Pra quê PT se PSB (Partido SOCIALISTA Brasileiro), PDT e Rede, dentre outros lixos de esquerda, figuram no imaginário brasileiro como partidos da ética e da moral? aliás, anote aí: PSB de hoje é o PT dos anos 90, o Partido da “ética” até então.

    A estratéga das tesouras consiste em polarizar a política entre uma esquerda radical (lenilista/trotskista/marxista) e uma fabiana (social democrata/gramscista). Pacto de Princeton? Sim, existiu, e foi não duvido que estendido aos demais membros do Foro de SP.

    Outro detalhe que você esquece é que a esquerda recorrentemente tem desavenças internas, e são capazes de sacrificar um braço pelo bem maior (assassinato de Trotski, ascensão do nazismo em oposição à internacional comunista etc.)

    Se liga, cara!

    • Comeu merda? Doente mental!
      O q isso tem a ver com Trotsky?
      Vc certamente não conhece história! A história desse cara não se enquadra nessa teoria mixuruca, vá ler!. Como vc é burro, ignorante, mentiroso e imbecil.. qualidades típicas de coxinha acéfalo.

  4. Bem, minha contribuição sobre as duas lâminas da tesoura: Ocorreu o movimento de corte. No final do corte, apenas um partido reinará. A polarização PT x PSDB não poderia durar para sempre e o PT foi o mais incisivo, após destruir o PFL, em enfraquecer o PSDB, incluindo tirando-os do governo de São Paulo. Ocorre que o ‘default” da esquerda petista com o a crise econômica e o Petrolão deixou um espaço que a direita não ocupou (ponto para Olavo de Carvalho sobre o estamento burocrático ainda vivo e para você Luciano pela negação da guerra política) e o PSDB autêntico (molengas, mas que mantem o controle da direita dentro do PSDB – sim, há direitistas lá) e a ala mais ambiciosa do PMDB perceberam a oportunidade vão tentar ocupar os espaços detonando o PT. Veremos se vamos sair da ditadura petista para a ditadura “soft” tucana.

  5. E como ficaria os “direitos políticos” dos PTistas. Eles poderiam montar outro Partido-Alguma-Coisa e continuarem concorrendo a Eleições? Ou seriam excluído permanentemente da disputa eleitoral?
    .
    Porque ouvi dizer que o PT deve até as calças e poderiam fechar o PT e dar um golpe nos credores. Agora não vou lembrar onde li isso.

  6. Mas como fica os “direitos políticos” dos integrantes do PT? Eles poderão filiar-se a outro partido, ou criar outro, e concorrer a eleições? Ou terão seus direitos cassados permanentemente – serão excluído da política?
    .
    Porque li em algum lugar (agora não vou lembrar onde, infelizmente) que o PT tem uma dívida gigantesca e que era bem possível fechar o partido e dar um calote nos credores. Se o PSDB fechar o PT….

  7. A esquerda não deixará de aproveitar um momento em que o governo está vulnerável para querer capitalizar em cima do que quer que seja. Se já tentava emplacar a confusão proposital de que “PSDB é partido de direita, reacionário” e blá-blá-blá, ainda que parta de premissas sabidamente falsas para isso, mais ainda o fará agora.

    Ou melhor, já está fazendo. A MSGV (Militância Subterrânea Galinha Vermelha) procura colocar este pedido de extinção do PT no mesmo plano da extinção de partidos políticos durante o regime militar, querendo associar ditadura e direita. O que não é novidade, levando em conta o descaramento habitual da turma do sanduíche com tubaína.

    Creio que a pergunta que a direita deve fazer a si mesma é o quanto está disposta a tirar o PT do governo pelos caminhos legais tendo que se juntar a um companheiro de viagem que se encontra para a esquerda da linha central (ainda que menos do que o PT).

  8. Noto a existência de alguns buracos nas questões levantadas por este post. O primeiro deles é a nomenclatura. O que é exatamente esta história de direita “”true””? Se for algum grupo específico que se autodenomina mais direitista do que os outros, que grupo é esse? Ele existe de facto ou é uma projeção de outros grupos e pessoas querendo a mesma coisa, que seria um grau de protagonismo no âmbito da direita? Um direitista libertário, um direitista pragmático, um direitista conservador, não seriam todos “”true”” na medida em que defendem, por caminhos distintos, a preponderância da direita?

    Também avalio que há um erro de perspectiva na questão envolvendo MBL e tucanos. Não me recordo de nenhuma crítica até o momento da malfadada reunião com FHC. No entanto esta não foi a primeira reunião do grupo com tucanos. Eles já tinham desenvolvido relação com parlamentares tucanos, Carlos Sampaio, Nilson Leitão e Bruno Araújo e outros que não me recordo. Ninguém reclamou disso. A pergunta que fiz na época e fiquei sem resposta, refaço agora. Qual o sentido da reunião com FHC? Em que ela era necessária? Me parece claro que não era necessária para nada. Não vi pessoas descontentes com a interlocução feita através de quadros renovados do PSDB. Vi descontentamento com uma interlocução que pudesse reciclar quadros antigos e cheios de ranço como o citado FHC, José Serra, Alckmin, Alberto Goldman, Xico Graziano e outros que sempre foram naturalmente frouxos no combate ao PT. Concluo que o problema não é com tucanos, mas com alguns tucanos. No meu modo de ver as coisas, a tentativa de direcionar a forma como é feita a interlocução com tucanos, focando em renovação, é muito válida e até estratégica. Os tucanos mais novos já tem a perfeita noção de que não existe sobrevida política para eles sem o devido combate ao PT. É daí que chego ao item final de minhas considerações sobre o post.

    O pedido de extinção do PT contraria a tese de que não houve pressão nos tucanos. Imagina-se este tipo de pedido encampado por Carlos Sampaio, mas nunca por um dos tucanos rançosos ou mesmo por Aécio Neves. Vejo como uma nova forma de atuação do PSDB rendendo-se a pressões de quem fala há mais tempo nisso. Que eu me lembre, é Olavo de Carvalho quem iniciou esta demanda. Ela nunca funcionou quando o PSDB era liderado pela velha guarda, mas passa a fazer parte dos dados do tabuleiro pelas mãos de Carlos Sampaio. A pressão funcionou e o direcionamento indireto pela renovação do PSDB, condenando a exumação de cadáveres políticos como FHC, se mostra acertado. Assim como a condenação ao MBL pelo menos neste ponto específico.

    • De fato, a mim me parece que a argumentação do Bedot levanta boas questões que até agora, não vi ninguém levantar. Se existe mesmo uma ala jovem no PSDB que está querendo mudar a direção (a meu ver deletéria para o Brasil) que a velha guarda – na qual incluo o Aécio – tem dado, é uma pequena esperança de renovação, mesmo tendo em mente que a Social Democracia tem sido a principal responsável pelo sufoco que a Europa ocidental está passando agora com os imigrantes islâmicos

  9. Luciano, isso é apenas uma tática para poder taxar o PSDB (a única oposição à altura aos bolivarianos do Foro de SP) de ser antidemocrático.
    Ultimamente você não está raciocinando corretamente e pensando em todas as possibilidades estratégicas.
    A propósito, porque não aprovou meu comentário anterior?

  10. “Ou então, essa é uma ação estratégica para fortalecer o PSDB e este, por sua vez, pavimentar o caminho para o “PT Verde” (Rede, et caterva), reeditando a estratégia de sucesso dos anos 90/2000. Ou seja, tudo não passa de um ‘misè-en-scene no projeto de poder bolivariano. Sacrifica-se a rainha (PT) para salvar o rei (Lula e o projeto de poder).” disse o teórico conspiracionista.

    =

    “Para os que acreditam, nenhuma explicação é necessária; para os que não acreditam, nenhuma explicação é suficiente.” – Joe Dunninger

    • Quem é um bosta desses pra falar da inteligência do Ron Paul, o Ron Paul já era médico quando essa merda aí ainda tava vendendo mapa astral.
      E foda-se neocons, quem criou o ISIS foi os EUA sim.Vcs vão morrer tentando tapar o sol com a peneira.

  11. São Paulo, 21 de fevereiro de 2.016

    Prezado Sr. Ayan,

    FHC certa vez afirmou que PSDB e PT não teriam diferenças de ideologia, mas sim de método, para chegar ao poder. O mesmo FHC salvou Lula de forma descarada em 2.005 do impeachment no caso do Mensalão. Sua contribuição na operação para salvar Lula teve como consequência a reeleição do mesmo e as vitórias de Dilma Rousseff. Senadores do PSDB como Aécio, Serra, Anastasia votam descaradamente a favor do governo mais corrupto e inepto da história da república, mesmo sendo de “oposição”. Há de se lembrar, que no final dos anos oitenta, com o surgimento do PSDB, PT e PSDB eram “aliados”, chegando Mário Covas a declarar seu voto no segundo turno a Lula. Nada sei sobre o Pacto de Princeton. Agora acreditar que se os conservadores pressionarem o PSDB ele obedecerá aos desejos desses eleitores é muita ingenuidade. Veja Alckmin em SP por exemplo. Está “amiguinho” do MST e praticamente com os dois pés dentro do PSB! Tudo que seus eleitores, maioria conservadora, não queria. Veja a pusilanimidade de Aécio Neves. Mais de cinquenta milhões de votos, e na hora de dar a cara a tapa, silêncio. O PSDB foi, é e sempre será o fiel escudeiro do PT. A sigla PT acabou. Está suja, desgastada, com o “filme queimado” perante os eleitores. “Se”, ponho enfase no “se”, o TSE cassar o registro do PT, os quadrilheiros filiados a essa legenda migrarão para outras, como aliás, já estão fazendo. Para isso foi criada a REDE, da comunista ecochata da Marina SIlva. Para concluir, PT e PSDB são a mesma porcaria. Ambos comunistas. Ambos incompetentes. Ambos corruptos.

  12. O cenário para 2018 tá bem interessante:
    1 – Bolsonaro deve sair candidato – o que esperar do MBL/Kim? Apoiará Bolsonaro? Ficará neutro (com a decisão de entrar na política partidária essa opção ficou mais remota) ou apoiará um candidato do PSDB lhe impondo a devida pressão?
    2 – Caso Bolsonaro não chegue ao segundo turno como se comportará a direita “true”? Fará campanha contra os dois candidatos, ajudando o PT por tabela?
    Realmente já estou ansioso por 2018 pois teremos verdadeiras novidades

  13. Na prática, a estratégia das tesouras está em pleno funcionamento, bem afiada. Já deu um mandato de 24 anos esses dois partidos de esquerda, não deu? E o Fernando Henrique, houve alguém que tenha sido mais decisivo para a eleição de Lula da Silva e para a sua manutenção no poder sempre que se meteu em alguma enrascada?

  14. Reza a lenda que o Pacto de Princeton foi um acordo envolvendo interesses do DIA (do qual FHC _é_ membro) e do FSP (do qual Lula _é_ um fundador). O DIA reúne personalidades, o FSP reúne entidades políticas. Os objetivos políticos de FHC no DIA não são, necessariamente, os mesmos do seu partido, o PSDB, no Brasil. Esta distinção, juntamente com as circunstâncias políticas do momento, talvez ajude a explicar o pedido que poderá levar à cassação do registro do PT.

    • Muitos incautos já abriram os olhos e deixaram de “ser Charlie” há muito tempo. Muita gente apoiou essa escória sem ter a menor noção da intolerância dos autores desse pasquim. O exemplo mais recente: http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/01/rainha-da-jordania-responde-charge-de-charlie-hebdo-sobre-aylan.html

      Há um detalhe asqueroso que está passando despercebido por muitos: essa charge é RACISTA. A figura caricatura que corre atrás da mulher que seria o garoto adulto possui a face em formato suíno, sendo que essa forma de depreciação é muito comum em grupos radicais israelenses, que retratam Maomé e os muçulmanos como porcos, um animal considerado “impuro” por muitos judeus e árabes. A intolerância desse lixo transparece também de forma clara contra os cristãos e de maneira mais violenta contra os católicos.

  15. Não é uma coisa nem outra, Luciano. Tão somente são dois partidos do campo da esquerda que possuem agendas comuns (“politicamente corretas”) e divergências (sobretudo de métodos tanto na economia como na política propriamente dita – no modo de exercício do poder político). Daí terem em comum a filiação à Internacional Socialista e a contraposição ao liberalismo e, mormente, ao conservadorismo.

    De nada adiantaria, por isso mesmo, eventual pressão da direita (liberal e/ou conservadora) sobre o PSDB nas questões culturais, pois neste quesito o PSDB está fechado com o PT. O mesmo não ocorre, porém, nas questões de organização econômica (onde os tucanos estão mais próximos dos liberais) e do exercício do poder (onde os tucanos também estão mais próximos dos liberais, uma vez que aceitam a democracia como valor universal).

    O que os tucanos (social-democratas) mais temem é a volta dos conservadores ao poder. Entre estes e os petistas, preferem os segundos, sem nenhuma dúvida. É o que explica sua aversão maior a Bolsonaro. Os tucanos estão para Bolsonaro como os Democratas estão para os Republicanos nos EUA. Portanto, que não se conte com o PSDB para o combate cultural contra o “politicamente correto” e o marxismo cultural. Todavia, isso não invalida que a direita se alie ao tucanato em torno da defesa da democracia política e da economia de mercado, contra o petismo e os comunistas em geral.

  16. Parte da direita, ao meu ver, padece do mesmo mal da esquerda mais radical: luta contra generalizações abstratas, sonham transformações estruturais gerais, com a deposição de todo um sistema de uma só vez sem o qual a solução de problemas particulares, um por um, será inútil. O nome disso é utopia. Hoje foi ao ar um programa do PSTU que só existe graças a migalhas do fundo partidário. Partem do princípio de que todos os partidos da atualidade são títeres do Grande Capital, ou coisa que o valha, e advogam o socialismo, o socialismo, meu Deus! E vem propor isso na propaganda partidária. Lançam candidatos! Troque Grande Capital por F. de S. ou Estamento Burocrático e o paradigma é o mesmo.

    Os meios não podem ser menos utópicos. Implantar solicialismo por meios eleitorais pensa a gente do PSTU. Em que mundo vive Zé Maria? Derrubar todo o Estamento Burocrático por uma revolução popular estilo praça Maidam? Até porque a Praça Maidam não substituiu todo um sistema, apenas depois um governo subserviente internacionalmente.

    Lutar contra generalizações, entes abstratos, dizer que a mídia toda é de esquerda (que fazem Katupiri, Pondé, Reinaldo, Constantan e um grande etc na grande mídia se ela é toda de esquerda?), que todo o aparelho de estado foi tomado por um pacto internacional, e que esse sistema todo deve ser deposto, e substituído por algo que não sabemos ao certo o que será, é cair naquilo que foi excelentemente descrito por mentalidade revolucionária! Aquele que melhor dissecou a mentalidade revolucionária (dissecação que hoje nos serve para não cerrar fileiras na juventude do PSTU/PSOL/PCO) parece cair algumas vezes no mesmo vício tão magistralmente denunciado.

  17. Luciano, sobre o seu questionamento, “Ou talvez desistam da demanda, chamando-a agora de “evolução da estratégia das tesouras”?”, se me permite apontar, é um non sequitur.

    De que não se desista da demanda particular de apoiar a extinção do PT não se segue necessariamente que o PSDB não faz parte da dialética revolucionária. Pode-se, portanto, apoiar a demanda, que é legítima em si, sem com isso negar o funcionamento da dialética revolucionária.

    Em meu artigo que você mesmo divulgou e generosamente classificou de “brilhante”, entre outras coisas disse eu o que segue: “O ritmo cambiante, instável, do movimento revolucionário, imita o rastejar de uma cobra, nunca em linha reta, sempre ondulando, oscilando, mudando. E o discurso revolucionário, da mesma forma, não tem consistência e coerência de doutrina definitiva: funciona como uma língua dupla, adaptável, mutante.”

    Em termos hegelianos (Hegel é o mestre com quem os revolucionários aprenderam a dialética histórica), você controla o resultado da história controlando simultaneamente a tese e a antítese do processo. Todas as entidades e grupos historicamente definidos são descartáveis, portanto, importando apenas o domínio das alternativas atualmente vigentes.

    O PT pode, assim, ser eliminado, e o PSDB ao sair vitorioso deste embate (dentro da dialética revolucionária) seria a nova tese, ao qual uma nova antítese seria proposta e controlada dentro do mesmo movimento dialético. Esta antítese poderia perfeitamente ocupar doutrinalmente uma posição “à direita” do PSDB, porque é da natureza da dialética revolucionária usar a seu favor as forças atualmente mais potentes. O que importa é o controle do processo.

    Você poderia me perguntar, “mas se os atores políticos podem ser indefinidamente trocados, quem controla e se beneficia do processo, afinal?”

    Meu amigo, neste ponto ou nós assumimos uma outra dimensão supra-política da realidade (ler, por gentileza, artigo que escrevi esta semana chamado “Aprendendo com Lord Vader”), ou ficamos impossibilitados de responder a esta pergunta. Essa limitação levará, inevitavelmente, a negação do processo da dialética revolucionária, ou ao menos à diminuição do seu poder real no mundo.

    Se me permite, ainda, uma colocação mais poética: a astúcia do Leviathan é não ser nem de esquerda nem de direita, mas usar os que são e não o enxergam como os seus dois braços.

  18. Luciano, muito bom teu blog. Força as pessoas a pensar um pouco mais em política de verdade.
    Mas neste artigo não sei se estás sendo um pouco ingênuo ou querendo provocar teus leitores.
    Abç.

    • Se fossem realmente “de direita”, a Folha não teria dado espaço a Kim. Basta comparar com o Reinaldo Azevedo, que já não critica mais políticas de cotas raciais. Você imagina alguém na FSP defendendo isso? Por muito menos, Rodrigo Constantino foi despachado da Veja e Rachel Sheherazade calada por Sílvio Santos.

      Todos têm um preço, mas uns são baratos demais para serem confiáveis.

  19. Liberais criando espantalhos como “direita true” e querendo se passar por direitistas…

    Eu detesto esses rótulos jacobino-stalinistas, pois são do discurso esquerdista, tanto que os liberais nos EUA são de esquerda e assumem isso, enquanto por aqui querem manipular as forças antipetistas para apoiarem o PSDB de forma a enfraquecer e evitar que o poder saia das mãos da esquerda. Gostem ou não dos fatos, é o que Kim, “coronel” e visivelmente Reinaldo Azevedo fazem quando atacam Bolsonaro e Olavo de Carvalho, mas depois aparecem conclamando união e criando rótulos depreciativos.

    Assim como a extrema-esquerda expulsou o povo das ruas em 2013, o MBL ao se aproximar da esquerda fabiana esvaziou as manifestações populares porque viraram “mais do mesmo”. Não achei errado se dissociarem dos intervencionistas, mas fazer coro com a esquerda bolivariana é o fim da picada para quem pretende unir a todos contra o PT.

    O mais estranho que acho é que esses grupos estão diluindo seus candidatos em diversos partidos em vez de fechar com o Partido Novo, que depois de enganar o povo com conversa mole para conseguir assinaturas encampou o liberalismo verdadeiro, ou seja, de esquerda, estreando o discurso oficial combatendo o Estatuto da Família. Onde querem chegar assim? Não passam de mais um grupo de oportunistas?

    Não quero que estas linhas sejam encaradas como agressivas, mas hoje o MBL é um “MDB”, um “centrão”, algo difícil de definir pois não encampam abertamente uma bandeira. Por isso mesmo, os aqui pejorativamente chamados de “direita true” não suportam essa mornidão.

  20. O que eu sei é que nós somos, ainda, órfãos políticos, já que não temos um partido efetivamente de direita. Temos apenas a nós mesmos. O DEM é inexpressivo, o PMDB é aprogramático, o PSDB é tudo isso que vocês disseram. Entretanto, eles são as peças que temos no tabuleiro político nacional.
    Então, o que fazer? Calarmo-nos e esperar que o anjo da consciência pouse suas alvas asas sobre seus integrantes ou continuar nos fazendo ouvir, impondo a ruptura do silêncio?
    Creio que no atual cenário, no qual permanecemos sem representação, nem podemos confiar cegamente no PSDB e no PMDB nem podemos dispensá-los.

    • Não, do mesmo jeito que Stálin não deixou de ser de esquerda quando depôs o regime socialista de Hitler, cuja aliança foi desfeita pela disputa pelo petróleo romeno em 1940 (Hitler levou a melhor colocando Ion Antonescu no poder).

  21. E quanto à relação dos liberais com os conservadores? A união de ambas as correntes deve ser preferencial às alianças com forças políticas da esquerda, inclusive os tucanos, mas isso com uma boa dose de maleabilidade, a fim de não perder apoios no campo adversário contra o mal maior, no caso o PT e os demais revolucionários da esquerda. De que modo? Atraindo a esquerda moderada nas agendas econômica e política sem descuidar de simultaneamente atacar os valores de todas as esquerdas nas questões de cultura e costumes.

    Quando não fossem possíveis essas ações paralelas, deveriam avaliar a conjuntura para saber se é mais rentável politicamente continuar atacando as esquerdas em geral ou se calar momentaneamente acerca daquilo em que haja divergência.

    Mas o que não dá para entender é que autoproclamados liberais, como o RA, ajam, em suas ações práticas, como socialdemocratas. Se o Kim faz o mesmo, demonstra não ser também um autêntico liberal (não sei se ele assumiu ou não posturas de esquerda).

    Quanto ao conservador Bolsonaro, a princípio deve ser o candidato por excelência dos liberais, visto como se acha no mesmo campo, o da direita. Contudo, caso não reúna condições de disputar a presidência da República com reais chances de vitória, aí sim, deverão os liberais (e mesmo os conservadores) optar pelo mal menor, acompanhando até mesmo um tucano candidato.

    A hora, portanto, é de investir em uma candidatura de direita, conservadora ou liberal, Bolsonaro ou não (Caiado, por exemplo, poderia também ser o candidato, ou até alguém do centro), e tão somente pensar em eventual apoio ao PSDB em último caso.

  22. O autor dá atenção, unicamente, ao discurso, à superfície, e quer convencer os seus leitores – os que irão dele divergir -, de que seus, do autor, argumentos são irreplicáveis, e outros leitores – cujos pensamentos convergem para os dele – de que quem dele discorda é teórico da conspiração, crente em lendas urbanas, seguidor de um astrólogo embusteiro caçador de ursos.
    O PSDB a pedir a extinção do PT não elimina a existência da Estratégia das Tesouras. Muda-se as tesouras empregadas na estratégia, mas a estratégia continua a mesma. Tampouco prova que a Estratégica das Tesouras não está sendo aplicada, no Brasil, país democrático, mas o é apenas em países sob governos totalitários.
    Parece-me que o autor deseja fazer com que os seus leitores passem a considerar a Estratégia das Tesouras como uma personagem de conto de fadas e de contos folclóricos, como o é o Saci Pererê, o Boitatá, a Chapeuzinho Vermelho, o Soldadinho de Chumbo, e tantos outros.
    Na minha humilde opinião, o PSDB, ao pedir a extinção do PT, tem como propósito embaralhar os papéis, misturar as personagens, para que os socialistas possam continuar a ludibriar a população brasileira. As personagens, hoje, PT e PSDB, são bem conhecidas dos brasileiros, que sabem identificar cada um deles e apontar os seus respectivos papéis no roteiro; em decorrência da crise do PT, e, também, do PSDB – que muitos brasileiros não vêem mais como oposição -, tenta-se criar a distinção entre os dois partidos, para fortalecer o PSDB, é claro. É uma ação de salvação dos socialistas; para tanto, objetivam salvar uma sigla, o PSDB, pois o PT, tudo indica, já está perdido.
    Se o PT se desfizer por ação dos petistas, os brasileiros, já com uma pulga atrás da orelha, desconfiarão das intenções dos petistas. Agora, a “oposição” (PSDB) a fazer o trabalho de eliminar o PT, não; entra o PSDB, se o PT vir a ser extinto, para o rol dos heróis da Pátria, e os tucanos merecerão uma Ilíada a cantar os seus feitos heróicos. Quer o PSDB o melhor para os brasileiros? Não. Quer o PSDB a manutenção da hegemonia da esquerda, do socialismo. Quer o PSDB manter os socialistas no poder.
    O PSDB, segundo penso, toma a decisão de pedir a extinção do PT porque o ecossistema político brasileiro não é mais favorável ao PT, mas o é ao PSDB, na visão dos tucanos (É essa a leitura que os tucanos e os seus aliados, dentre eles, o PT, fazem da política brasileira? Talvez, não; talvez eles apenas queiram empurrar goela adentro dos brasileiros a agenda deles). Na realidade, não o é, pois os brasileiros já entendemos a duplicidade de conduta dos tucanos.
    Extinto o PT, os petistas arrumarão as trouxas, e emigrarão, alguns, para a Suécia, outros para a Alemanha, junto com os emigrantes sírios fugidos de uma guerra? Não. Eles permanecerão em terras tupiniquins, e se bandearão para outros partidos brasileiros, podendo alguns deles bandearem-se para o PSDB, que poderá vir a exercer o papel hoje exercido pelo PT, e um outro partido fará o papel hoje pertencente ao PSDB, conservando, assim, a Estratégia das Tesouras em plena atividade, e a hegemonia esquerdista, hegemonia que a esquerda está a perder devido, mais do que tudo, ao trabalho de quatro décadas de Olavo de Carvalho, que, mais do que qualquer outra pessoa, ensinou os brasileiros a compreenderem o Brasil, deu-lhes as ferramentas para pensá-lo e entender a posição de escritores, jornalistas e intelectuais, e estes os brasileiros estão preparados para contestá-los com argumentos sólidos, e não a agirem como bois de uma manada de idólatras seguidores de um contestador do heliocentrismo e tolo crítico de Isaac Newton.
    Ao contrário do que declara o autor, a Estratégia das Tesouras não está sendo aplicada, no Brasil, em favor do PT, mas, sim, em apoio à conservação da esquerda no poder.
    Uma tese muito cara ao autor é a que consiste na ação política da direita a pressionar o PSDB a assumir postura favorável às demandas da direita. Pressionar o PSDB para assumir tal postura, entendo, é perda de tempo.
    As baixas popularidade e credibilidade dos petistas, e, principalmente, as de Lula e Dilma, alimentam a ambição de qualquer político que queira ocupar o espaço que até poucos meses eles ocupavam, e, como os brasileiros querem o rompimento com as práticas socialistas, pesquisas indicam, basta os políticos apresentarem-se em atendimento aos valores dos brasileiros, sem que sejam empurrados nessa direção. Ninguém ignora que os brasileiros são, em sua maioria, conservadores, então porque os tucanos, certos de que as idéias progressistas não seduzem os brasileiros, não se prontificam a defender, e não apenas a defender, mas a implementar, com sinceridade, as idéias classificadas como conservadoras? Os tucanos não se identificam com as idéias conservadoras. Nenhum tucano é dotado de um cérebro capaz de ver o óbvio? São todos eles socialistas, esquerdistas, e não querem eles defender os valores dos conservadores, pois não são, e nunca serão, conservadores; são esquerdistas, socialistas, e sempre serão esquerdistas. Não vejo razão para pressioná-los à direita. E não entendo a posição do autor, que está sempre a falar em pressionar o PSDB para a direita. Ora, se os tucanos quisessem ir para a direita, já o teriam feito, dispensando qualquer pressão, e o teriam feito em 2005, no auge do Mensalão, e o teriam feito em 2013, durante e após as manifestações, e em 2014 quando os brasileiros brindaram a presidente Dilma Roussef com epítetos para lá de constrangedores, no jogo de estréia da seleção brasileira, na Copa do Mundo, e o teriam feito, em 2015, estando a presidente Dilma Roussef nas cordas. Não o fizeram porque não quiseram, e não querem. A baixa popularidade da presidente Dilma Roussef e a falta de credibilidade dos petistas são forças suficientes para empurrar os tucanos para a direita; não precisam eles de empurrão. O ambiente os empurra. Eles não mudam de direção porque não querem, pois o compromisso deles é com os socialistas, aliás, eles são socialistas.

      • Você acha mesmo que precisa fazer isso? Este é o momento certo para se desperdiçar energia com aquele tipo de matéria? Para que ficar gastando tempo com o que está mais para bullying de adolescente do primeiro grau do que para um questionamento sério?

        Acho toda essa polêmica e a virulência com que está sendo tratada muito esquisitas. Ela surge no pior momento que a oposição ao governno está atravessando e não vejo o lucro que se poderá auferir dela.

  23. Ou melhor, minha posição mais se aproxima à de Rodrigo Constantino (creio que ele ainda tem alguma resistência à opção Bolsonaro, que eu não tenho).

  24. Interessante matéria d Antagonista:

    http://www.oantagonista.com/posts/as-mazelas-que-acometem-fhc

    Tucanamente, FHC, dá uma martelada no prego e outra na cruz: num momento fala que o PT “representa parcelas da opinião brasileira”, seja lá o que isso quer dizer, noutro, diz que o PSDB fez o que tinha de fazer.

    É um partido estranho esse PSDB e, considerando que tudo de ruim que aí está atravessou incólume os dois mandatos do PSDB na Presidência e os vários mandatos peessedebistas em S. Paulo, mudar do PT para o PSDB não vai significar um grande virada, como, por exemplo, aparentemente está acontecendo na Argentina, mas poderá dar à direita tempo para amadurecer mais um pouco.

    Não importa! O que importa é tirar o PT o mais rápido possível.

  25. Vamos e venhamos Luciano…. não precisa-se de um Pacto formalizado para se estabelecer a estratégia das tesouras ainda mais se não me engano…. o próprio Lula uma vez disse, que não importa as instituições e sim a relação com as pessoas……

  26. TEATRALIZAÇÃO=FALSA-OPOSIÇÃO= PT+PSDB = Pacto de Princeton=”A Política das Tesouras”=depois de tirarem o PODER CENTRAL dos MILITARES=1964á1985=aqui no BRASIL todos são FORO SÃO PAULO fingem=OPOSIÇÃO=mas todos estão nos su bterrâneos UNIDOS JUNTOS MISTURADOSetc um age de um jeito o outro de outro jeito mas tudo para o mesmo=FIM=observem que nenhum deles FALAM FAZEM ALGO com a VERDADE TRANS PARENCIA FISCALIZAÇÃO BIOMETRIA DIGITAL ONLINE INTERNET RETORNO MANDATO COLETIVO EMPREENDEDORISMO e tudo com 1000%PARTICIPAÇÃO do POVO LOCAL MUNICIPAL ESTA DUAL FEDERAL etc aonde tenha direto indireto nem que seja úm único centavinho dos=2,5=trilhões anuais IMPOSTOMETROS BNDES TESOURONACIONAL RECEITAFEDERAL IPTU IPVA ISSetc RIQUEZASNATURAISetc NIÓBIO GRAFENO PRÉSAL TITANIO BAUXITA TERRASRARASetc
    =
    aonde são GESTORES PÚBLICOS ADMINISTRADORES PÚBLICOS LEGISLADORES PÚBLICOSetc quer dizer sempre fizeram fazem tudo para que o NATIVO cidadão brasileiro=NÃO=perceba que ELE NATIVO cidadão brasileiro sempre foi é e sempre será o mais RICO do UNIVERSO em todos os sentidos direções e para DESVIAR DISTRAIR a ATENÇÃO no COMEÇO todos agem de forma SURPREENDENTE como DÓRIA o TEMER o LULA etc fizeram no comecinho dos seus GOVERNOS porém depois tudo fica ás CLARAS e para DESVIAR DISTRAIR a ATENÇÃO do POVO LOCAL um vi ve á dedurar o outro
    =
    mas ao chegarem no PODER todos agem da mesma forma um é ENTREGAR tudo de graça aos ESTRANGEIROS via PRIVATARIA TUCANA o outro é IMPLODINDO TUDO de DENTRO para fora com LOS COMPANEROSetc e todos vivem á perdoar todos os bilionários milionários DEVEDORES EXTERNOS INTERNOSetc e todos via PODER PÚBLICO BANCOS CARTÕESCRÉDITOS FINANCIADO RASetc são implacáveis com os simples cidadões brasileiros etc quer dizer sempre fizeram fazem tudo para o BRASIL e todos os seus NATIVOS internos cidadões=SANGRAREM=TUDO=se debili tarem ao máximo INTERNAMENTE para poderem dar o GOLPE FINAL que é IMPLANTAREM definitivamente o COMUNISMO SOCIALISMO ISLAMISMOetc
    =
    pois dizem que tem um PLANO MUNDIAL para implantar o COMUNISMO|SOCIALISMO|ISLAMISMOetc em toda a EUROPA AMÉRICA LATINA até 2050, istoé querem eliminar a=CLASSEMÉDIA= BURGUESiA=os-EMPREENDEDORES=a LIVRE-INICIATIVA=a LIBERDADEetc=e ficar só=02=CLASSES=só os=SOVIETES=CONSELHOS-POPULARESxPROLETARIADOS=istoé querem que tenham só =02classes-sociais só os ALTOS COMANDOS e só os MINDINGOS como foi e é feito na VENEZUELA CUBA CORÉIANORTEetc
    =
    observem que em CUBA só FIDEL CASTRO FAMÍLIA PARENTESetc é que viviam vivem como SULTÕES FARAÓSetc e as MULHERES no COMUNISMO|SOCIALISMO|ISLAMISMOetc são totalmente MENOSPREZADAS são consideradas SERES INFERIORES SUBSERES SUBRAÇAS AMEBASetc por exemplo enquanto os FILHOS MACHOS de FIDEL viviam vivem como=REIS=a própria FILHA de FIDEL CASTRO foi abandonada pelo pai, por isto ELA foi para os EUA denunciar os DESMANDOS do pai
    =

Deixe uma resposta