Rotina de negação: Democracia não existe mais no Brasil

21
153

democracia

Se você luta por ambições democráticas, querendo que suas demandas sejam aprovadas e seus candidatos cheguem ao poder – exatamente como aconteceu recentemente na Argentina, com Macri, e na Venezuela, com deputados de oposição tomando a maior parte das cadeiras – provavelmente já se defrontou com alguns negacionistas dizendo: “desista da democracia, ela não existe mais no Brasil”.

Como em quase todas as rotinas negacionistas, o discurso é fraudulento, embora algumas pessoas sejam honestas ao proferi-lo. E outras nem tanto.

O discurso, obviamente, como sempre envolve um subtexto: “Se não há mais democracia, então a única alternativa é a luta violenta”. Eles dão vários nomes a esse tipo de luta:  existem alguns clamando por “intervenção militar” e outros por “desobediência civil” (ou até “revolução não violenta”). Com isto, buscam desestimular todos que lutam pelas vias democráticas. É como se em um campeonato de futebol, você tivesse que escolher entre tentar vencer em campo ou bolar formas de subornar o juiz para ele interferir a seu favor.

É preciso de racionalidade nesses momentos, pois em realidade os negacionistas omitem um aspecto fulcral: a democracia dificilmente deixaria de existir nas modernas tiranias, pois nelas não se implantam ditaduras tradicionais, mas ditaduras sutis. Logo, os modelos de democracia são mantidos, mas com tamanha ocupação de espaços que ele não se diferencia de uma ditadura tradicional. Na verdade, é até mais perigoso que uma ditadura tradicional, por seu poder de dissimulação. Mas mesmo nesses modelos há formas de se derrubar uma ditadura sutil.

Outro ponto a considerar que é de fato vivemos em uma ditadura sutil, mas a isto se complementa com a seguinte informação: ainda existem alternativas democráticas de luta.

Enfim, há uma manipulação semântica do termo ditadura por aquele dizendo “democracia não existe mais no Brasil” quando isto é utilizado como forma de justificar as lutas mais violentas. Observemos os padrões se manifestando abaixo:

  • D: Vamos pedir impeachment de Dilma por crime de responsabilidade.
  • R: Democracia não existe mais no Brasil, logo, não adianta pedir impeachment, mas chamar o exército e intervir.

Como se vê, o problema não está em constatar a existência de uma ditadura sutil no Brasil, mas em apontar a inexistência absoluta de democracia como forma de justificar ações violentas e/ou ditatoriais. Mesmo que alguns digam clamar por “desobediência civil”, em geral isto significa o pedido para centenas ou milhares de pessoas irem às ruas, morrerem nas mãos das tropas governistas, e, enfim, justificarem a entrada de um exército para colocar ordem na suruba. Até porque praticamente não há surpresa em visualizar naqueles pedindo hoje “desobediência civil” pedidos feitos, no passado, por intervenção militar.

Os modelos de tomada de poder pela força não tem se mostrado eficientes para derrubar uma ditadura sutil. Aliás, elas próprias criaram o advento das revoluções não violentas. Também podemos apontar que muitos daqueles dizendo “desista da democracia, vamos agora pela revolução, via guerra civil ou exército” estão vendendo um tapete voador.

A única forma de se tomar o poder eficientemente na era das tiranias modernas é pela ocupação de espaços pelas vias democráticas, que não é diferente daquilo que o PT fez ao iniciar suas atividades até mesmo durante o regime militar. Qualquer outra alternativa de negação da política geralmente esbarra em inconsistências lógicas e políticas, e geralmente se amparam em charlatanismo.

Anúncios

21 COMMENTS

  1. Data vênia, Luciano, você comete um equívoco que quase anula todo o artigo: confundir “ditadura sutil” com democracia. Se é ditadura sutil, deixa de ser uma autêntica democracia e ditadura é. Contudo, você tem razão ao entender que mesmo numa ditadura sutil ainda há meios democráticos a serem explorados. Em verdade, tudo depende da conjuntura, da correlação de forças e das condições subjetivas e objetivas (para usar termos e expressões marxistas – tenho a idade de RA e também fui estudioso do marxismo e petista por anos, desde a década de 70 do século passado).

    Com efeito, não há no caso brasileiro, ainda, condições objetivas e subjetivas para um levante popular e/ou militar no País. Objetivamente, porque a economia ainda não chegou ao caos generalizado, a população está desarmada e desorganizada, não haveria apoio internacional e não há liderança política de oposição para tal empreitada; subjetivamente, porque o povo de um modo geral, as Forças Armadas e a classe política não o querem.

    Todavia, o aparelhamento do Estado justifica e legitima, sim, a adoção de métodos não-institucionais no combate à ditadura sutil. A questão é saber qual seja e quando utilizá-lo.

    • Acho que sua objeção é muito boa e merece um tratamento à parte.

      Deixe-me dizer a diferença entre ditadura sutil e ditadura tradicional.

      A última foi adquirida por meios ilegítimos e facilmente contestáveis, mas não o caso da primeira, que por ser feita a partir da ocupação de espaços, não traz a mesma carga de ilegitimidade que a primeira.

      Por exemplo, quando você estabelecer um STF por decreto em uma ditadura formal, pode ser contestado a todo momento. Mas quando você escolhe 10 juízes do STF e alguns dizem: “Ei, isso está enviesado porque o partido no poder escolheu os 10 juízes”, eles podem responder com: “Por que você não ganhou as eleições para escolher mais juízes?”.

      É CLARO QUE podemos pressionar esse STF aparelhado, mas é difícil justificar em público a EXPULSÃO PELA FORÇA desses juízes, da mesma forma que seria possível justificar a retirada de juízes de um regime formalmente totalitário.

      Logo, em uma ditadura sutil, as possibilidades democráticas devem ser exploradas ao máximo e sempre existem brechas.

      Abs,

      LH

  2. “Se não há mais democracia, então a única alternativa é a luta violenta”

    Eles nem fazem nada mas tiram o ímpeto dos outros fazerem o que tem que ser feito.

  3. O que está acontecendo no Brasil chama-se H.E.M. Hipnose em Massa! Por isso o nosso povo está apático, em estado de letargia.
    H.E.M. é realizada com técnicas de marketing de 3ª geração induzindo falsas crenças e subversão dos valores.
    Há 4 estratégias facilitando a hipnose coletiva, conheça-as:
    1º. O estado de pré-pânico induzido pela política terrorista do medo demonstrado nessa entrevista:

    2º. O estado de pré-ódio criado pela política de apartheid acabando do a identidade entre os cidadãos ao dividir a população em grupos opostos e jogando uns contra os outros enquanto incentiva o egocentrismo.

    3º. O estado de pré-torpor criado pela teia de paradoxos como (exemplos):
    3.1. Indução ao consumismo desenfreado sem o povo dispor de recursos devido aos impostos extorsivos sem retorno em serviços públicos http://bit.ly/impostosEscravidao
    3.2. i-Mobilidade urbana desperdiçando cada vez mais tempo de vida no trânsito contrariando a percepção óbvia de, a0 avançar a tecnologia, a vida deveria ficar mais fácil http://bit.ly/imobilidade
    3.3. i-Mobilidade agravada pela repressão ao happy hour (lei seca), ao uso do celular ao volante e demais contradições das regras de trânsito exigindo uso do cinto de segurança mesmo ao se deslocar uma quadra a 10 km/h enquanto permite ônibus trafegarem com passageiros em pé sem segurança alguma.
    3.4. A sexualidade exacerbada em um ambiente de promiscuidade onde os riscos tornam temerário o interagir. Quem possui parceiro, também é refreado pelo estresse. O desejo amplificado embora a satisfação seja dificultada ampliam a ansiedade.
    3.5. Insegurança embora tecnologias cada vez mais baratas de monitoramento por rede de câmeras e drones vigilantes com teaser acionados permitam praticamente acabar com toda a violência na área pública urbana.
    3.6. O governo deve garantir a segurança e a paz social e, contudo, promove a desordem, incentiva a ilicitude e causa o medo incentivando a criminalidade mediante políticas terroristas de defesa dos bandidos e abandono das vítimas.

    4º. A política de saúde pública terrorista transgênica e tóxica reduzindo a capacidade intelectual da população http://bit.ly/fluor-envenena
    Com tanta coisa errada, a capacidade cognitiva e de mobilização do povo é reduzida. As pessoas acham “normal” não querer pensar nessas incomodações e se deixa levar pelas distrações porque está aprisionando no holograma da hipnose de massa.

    Isso tem saída? Sim! Basta cada pessoa consciente começar a interagir – um a um – com os hipnotizados aproveitando (ou provocando!) encontros casuais: na fila do supermercado, na saída do culto, na entrada dos hospitais, etc.
    Para conseguir retirar uma pessoa desse estado de torpor é necessário o contato pessoal da forma descrita em nosso blog.

  4. So que na ditadura tradicional, nao existe condicao de “expulsao pela forca” porque o povo nao tem meios e nem armas para faze-lo ja que o governo usaria a forca para reprimir as tentativas de expulsao dos “coletivos nao eleitos”, de juizes do STF, STJ que sao escolhidos por governantes corruptos para ajuda-los na implantacao do caos como eles querem.

  5. Se a direita true (eu gostei muito desse termo) realmente quisesse uma tal desobediência civil, teria ido engrossar o acampamento do mbl, pelo menos dobrado o número de pessoas lá. Mas a única coisa que foi vista foi um grupo pedindo intervenção militar, pagos por governistas ou não, pouco importa eles não chegaram a ser alvo do Olavo é sua turma, ao menos não com a voracidade que teve com mbl.

    Eu estou achando ótimo essa divisão. Pois realmente somos diferentes. Digamos que essa turma mais espalhafatosa, mais da teoria da conspiração, mais Olavo é meu pastor, mais monopólio do conservadorismo, fossem tão numerosos quando dizem. Por que não acamparam? Não conseguiram levar ngm lá? São uns trogloditas intelectuais e só, um bando de fanfarrões.

    Sou conservador e liberal em economia, e não consigo ficar endeusando Olavo e Bolsonaro. Ainda não li nenhum livro de Olavo, pretendo ler, mas sob fogo controlado. E de Bolsonaro ainda aguardo posturas mais convincentes de quem realmente quer ser presidente, e realmente prove que seria inclinado ao liberalismo, e sem esse papo de dizer que ele é O conservador ou representante da direita, já vi gente dizendo até que macri está qse no nível de Bolsonaro, vê se pode, comparar um cara que foi empresário de sucesso, administrador de empresas, presidente de um grande clube, prefeito, governador, com um que nunca administrou nada na vida…pelo amor de Deus

    enquanto ele não se portar como alguém que quer liderar, começando por conversar com a direita true para que ela sossegue, e com os demais, de modo a encerrar a guerra, ou pelo menos apaziguar, continuará sendo só um caricato, um Jean wilis da direita, por mais mitagens que faça. Tudo o que diz sobre conservadorismo e livre mercado é da boca pra fora e decoreba. Ele tem de provar que realmente adotaria isso buscando elos com liberais e mostrando seu posicionamento na prática. De toda forma ele nunca administrou nem uma lanchonete, como pode querer ser presidente? Quem garante que ele colocará isso em prática. O que seus fãs (ele não tem eleitores e sim fãs) dizem é que a mídia boicota ele, mas ele mesmo faz isso ao dizer muitas asneiras, vejam o Marcel van hatten, como sabe se portar e ser inclusivo, talvez no futuro breve pode ser uma opção. Bolsonaro jamais será, e seus filhos, o mais conhecido pelo menos, me parece ser alguém que está se preparando bem, mas não pode ficar como seu pai uns 20 anos como deputado para de repente querer ser presidente. Precisamos de pessoas para administrar o país, que tenham facilidade de acesso em vários setores, partidos e etc, precisamos de um macri

    Ainda sobre Olavo, alguns dizem que ele nos cursos é um doce de pessoa, um paizão. Não sei se é pelo dinheiro que recebe, ou porque pessoalmente não tem a mesma coragem que precisa para manter sua figura pública, ou ainda pq em geral as pessoas na internet são tigres e pessoalmente são gatinhos, é um comportamento comum até, e se errei em todas acima, pode ser simplesmente pq o diálogo é sempre mais fácil pessoalmente. Não importa como ele seja nos cursos e nem os motivos, se ele poderia pensar duas vezes antes de mandar um post no Facebook ou pensar melhor no que dizer naqueles vídeos dele. O fato dele ser bonzinho nas internas e com quem o obedece não lhe dá o direito de fazer ataques em série na internet, ele faz uso desse artifício de forma deliberada, ele não aceita ser periférico, e por isso sua revolta com o mbl, não aceita divergências. Devemos respeitar suas obras e trajetória, mas não dá pra apanhar quieto assim, ele precisa levar na cabeça sempre que mentir ou distorcer o que a nova direita fala.

    Acho que esse choque todo até demorou para acontecer em virtude de uma paciência muito grande da nova direita liberal e conservadores independentes de visões olavianas. Embora acho que o Kim tenha errado ao se referir ao Olavo uma vez no pânico daquela forma, ou o Constantino no artigo que tenta apagar fogo com gasolina, deixando uma margem para ser mal interpretado, muitas vezes eles procuram pelo em ovo, e eles há muito tempo já procuravam o confronto. Desde a proximidade da chegada do mbl em Brasília na caminhada pela liberdade, onde Olavo começou a delirar, soltando veneno nos rapazes e moças que faziam um belo trabalho.

    Uma coisa que Olavo e sua seita costumeiramente falam é que não gostamos de palavrões, e somos dondocas. Talvez pq queiramos outras coisas, como o diálogo, e tem hora para falar palavrão, quem sabe frente a frente. Mas se quiserem então que vão pra puta que os pariu, satisfeitos? A nossa nova direita precisa colocar a direita true em seu devido lugar e seguir seu caminho.

    • Nossa Luis, teu comentário foi muito, muito bom! (só discordaria da parte do artigo do Constantino pois gostei do mesmo, mas isso é irrelevante)

      Ótima análise, e o que gostei mais, foi de ter vindo de um sujeito que é assumidamente CONSERVADOR. Está faltando essa lucidez, essa rapidez, essa percepção dos fatos e saber fazer uma análise friamente, nos conservadores.

      Tomarei a liberdade de reproduzir esse comentário em meu site, para que aqueles que dizem que “odeio conservadores” vejam que o problema não é ser conservador, e sim se comportar feito um babaca fanático.

      E também achei risório essa coisa dos olavetes dizendo que a Nova Direita detesta palavrões. Poxa, nos vídeos do MBL e nos discursos que fazem nos palanques é recheado de palavrões, o Luciano também os usa (menos, mais elegante, mas usa), não sei de onde eles tiraram isso. Palavrões são expressões, é tão simples, caralho…

      Enfim, parabéns por sua lucidez. Isso não deveria ser motivo de parabéns, mas do jeito que andam as coisas, é preciso cumprimentar quem demonstra usar o cérebro.

      • Quem disse que o MBL e Conservador? Eles defendem o livre mercado, a Iniciativa Privada mas nao criticam nada sobre aborto, liberacao de drogas, movimentos de vadias, gays, estado inchado, ideologia de genero, e outras aberracoes? Se nao criticam tudo isso como e que sao conservadores? Conservador eu considero aquele garoto de 17 anos que calou a boca de um bando de comunistas, MSTistas, CUT e CNBB, na PUC em Goiania. Entrevista dele aqui: http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/cultura/entrevista-com-nosso-heroi-marco-rossi-de-17-anos-que-desmascarou-palestrantes-petistas-na-puc-de-goias/

      • Olá amigo Caue

        Nem tinha visto que teve respostas aqui!! Cheguei aqui porque eu estava navegando na internet procurando por algumas mensagens minhas googleada mesmo rs

        Gostei muito de seu texto. Obrigado pelas considerações!!

        Neste dia eu até estava um pouco irritado com esses ataques da direita true e resolvi escrever essa bíblia no site do luciano hehe

        Não sei se você irá ver a minha resposta, mas deixarei mesmo assim.

        Eu sou conservador sim, na verdade eu cheguei ao libertarianismo e quase fui anarcocapitalista rs, mas fui voltando para liberal e me posicionei como conservador nos valores, e liberal na economia, pois compreendi a importancia dos valores na construção de uma sociedade livre. Cheguei a me considerar ateu, e até me considero um pouco ainda, mas hoje me coloco mais aberto a religião e compreensão da existencia de um deus, ainda sou um pouco cético para isso. Até acho que sou controverso afinal conservador e ateu é algo dificil de entender, mas há vários. De toda forma a abertura para a busca da verdade é sempre bom, quem sabe eu não acabo virando crente em deus novamente um dia rs

        Acrescento que sobre Bolsonaro, Constantino tem feito algumas análises positivas sobre ele, e até recomendou seu curso. Eu fico feliz com isso, mas ainda é nulo para mim. Francamente acho que ele não possui capacidade de liderança, e tampouco conseguirá renegar a origem dele de defesa da ditadura militar como se fosse um periodo de anjos, e muitas coisas boas, ignorando inclusive as teorias economicas que foram empregadas na época são antagonicas as que ele supostamente defende hoje, e olha que ele vive enchendo a boca pra falar das taxas de crescimento daquele período. Como eu disse ele precisa de mais atitudes para provar que está inclinado a isso. Ainda não vi ele se encontrando com setores do empresariado, talvez ele tenha tentado e não conseguiu, mas não vi nada nesse sentido, absolutamente nada.

        A respeito do Olavo, é aquela coisa, o cara arruma uma briga por semana, ele não consegue ficar quieto, e depois diz que não age como lider de seita, basta ver como seus seguidores fazem tudo o que ele manda/faz. Acho que o Kim errou em alguns pontos, quando xingou Olavo na jovem pan, ele deveria ter dito que não concorda com muito do que Olavo diz e tem direito de ter opinião própria, e se afastou porque foi atacado de forma injusta e etc. Desde então Olavo parou de mirar seus canhões na esquerda para mirar na própria direita. Uma pena. Mas como eu disse, ainda acho válido ler algumas coisas dele, e separar o joio do trigo, o lado bom de ver esse comportamento dele é ver o perigo de algumas coisas que ele diz.

        Fique totalmente a vontade para usar o que escrevi, não tem nenhum problema não.

      • terezacs2

        ninguém aqui disse que o MBL é conservador. Eles são liberais clássicos e/ou libertários.

        Talvez o MBL não esteja focado nas coisas que você falou porque estão mais ocupados em atacar o PT. Na vida precisamos ter prioridades. Falar sobre aborto, drogas, são coisas que só servirão para dividir ainda mais a direita, outros temas eles até abordam como dos negros no caso do Oscar.

        O que eu vejo eles fazendo é, pegar assuntos que estão na pauta, sendo cobertos pela midia, e mais falados no facebook para falar, mas as ações continuam voltados para atacar o PT, você deveria falar menos e fazer mais, especialmente fazer mais como eles, pode até ser com outro movimento de direita independente deles, ou até mesmo financiando algum, você faz isso?

      • Caue, mais uma coisa sobre Bolsonaro

        Acho toda essa coisa de Bolsonaro 2018 bem ridicula, mas continuo achando que ele merece apoio para tentar se lançar. E se for a nossa unica opção mais a direita, votarei nele. Mas acho que ele não consegue chegar longe, ele não possui 5% das intenções de voto em nenhuma pesquisa séria, acho que isso ainda é pouco. Eu acho que ele mesmo que se mostre mais moderado e mais inclusivo, dificilmente consegue somar muito porque não possui apoio partidário no PP, e se sair será para um partido muito menor. Acho que ele ainda nao tem nenhuma viabilidade, e não conseguirá um eventual apoio dos tucanos ou democratas para um segundo turno ou mesmo para uma aliança de primeiro turno.

        Para mim ele é um cara muito mais util no congresso, e tem sido util para trazer pessoas mais a direita. Mas para governar ou mesmo uma candidatura acho realmente inviável. De toda forma espero que ele se lance para que isso fique provado de uma vez por todas. O ruim é que ele ficaria afastado do congresso. Se por um milagre ele conseguir emplacar e ter apoio para governar, espero que ele o faça bem.

  6. Luciano, há uma forma de desobediência civil que eu tenho conversado muito com pessoas próximas.É o não pagamento de impostos por aqueles que assim podem fazê-lo, tipo empresas ou profissionais liberais PJ. Agora mesmo que o Governo mudou as regras de ICMS do comércio eletrônico inviabilizando as vendas, é hora do pessoal manter a forma antiga de pagamento, desrespeitando a regra nova. Outra coisa imediata é não aceitar o aumento do INSS sobre o faturamento pelos percentuais novos aumentados, mantendo o pagamento pelos percentuais antigos. Outra coisa é deixar de pagar o IPVA e o IPTU, mesmo porque impostos sobre a propriedade são pura “apropriação indébita” do governo sobre o patrimônio particular. Outra maneira é deixar de comprar e assinar jornais e revistas e de assistir a uma Rede Globo. Esse tipo de coisas deveríamos fazer de imediato!

    • Esse tipo de ação não costuma funcionar, ao menos não na nossa situação. Apenas alguns que acompanharem isso irão fazer. Se as pessoas não estão nem indo nas manifestações, imagina isso. Acho pouco eficiente pra falar bem a verdade. Mas de toda forma, uma coisa meio automática é a sonegação a medida que os impostos subirem mais e a moeda valer menos. As pessoas naturalmente irão procurar meios para fugir disso, como na Venezuela. Há uma previsão muito ruim para o meio do ano, de que entraremos em um momento muito delicado na economia, podendo haver até saques em supermercados, veremos se isso irá se concretizar. De toda forma penso que as pessoas que vendem na WEB deveriam se inteirar mais sobre bitcoins, isso deveria ser uma forma de pagamento meio padrão para quem vende na web, no minimo como opção de pagamento, a sugestão que faço é que você sempre que for comprar na web pergunte se não aceitam bitcoins como forma de fugir da tributação

  7. A coisa tem jeito. Basta que a maioria do povo seja sensata e sábia. Luciano ! Você citou a Argentina e a Venezuela. Vamos imaginar a seguinte situação fictícia nestes dois países. Imagine se na Venezuela,a oposição tivesse perdido a eleição de lavada para Maduro. Governistas tivessem uns 130 deputados eleitos. Na Argentina , A Cristina tivesse eleito seu candidato no primeiro turno,com mais de 70% dos votos. Como estariam esses países hoje ? Direitistas e democratas estariam elogiando fervorosamente a Venezuela e a Argentina ?
    Como tem razão aquele ditado popular : “‘para tudo tem jeito,menos para morte”.
    A situação atual no Brasil tem jeito. Tudo que precisa é coragem,sabedoria,amor á Pátria,luta e fé, sendo praticados pela vasta maioria da população.
    Vamos pensar nesta situação fictícia ainda. Imagine o PT e partidos aliados levando uma enorme surra nas eleições para prefeitos e vereadores.
    Se o povo vota-se bem os problemas desapareciam rapidamente.

  8. Acho que está havendo uma confusão entre formas de reagir a tiranias. O caminho ideal do ponto de vista de um estrategista político é ocupação de espaços, de preferência pacificamente, e utilizando os meios democráticos. Mas quando a tirania já está estabelecida, a ocupação deve ser COMPLEMENTADA pela desobediência civil; em último caso, pela força, mas essa opção pode levar a tiranias ainda piores.

    Na teoria, é perfeitamente possível fazer desobediência e ocupação de espaços, simultaneamente. Há um “porém”: Horowitz já disse, e eu assino embaixo, não é característica dos defensores da liberdade, e da Direita em geral, se envolverem politicamente, principalmente num ambiente de Estado inchado como o nosso, afinal, um dos lemas dela é “viva e deixe viver”. Por causa disso, a desobediência civil acaba sendo o método que mais se encaixa no perfil da Direita.

    Em curtas palavras, o que precisa acontecer é uma mudança de atitude, de passiva à reativa. É dizer “Chega; quem decide sobre minha propriedade e minha vida sou eu; e farei uso da força se insistirem no contrário.”

  9. Se – por acaso – acabaram as alternativas democráticas, dizer que temos que optar por uma via extrapolítica é uma simples inferência lógica, e não uma justificativa para ações violentas e/ou ditatoriais, como você diz desonestamente.

    (A) Se todo cão é verde, (B) Snoopy é verde, já que ele é um cão. “B” não é “justificativa” de “A”, é uma simples decorrência lógica de “A”. Do mesmo modo, decorre logicamente que (A) se as alternativas democráticas acabaram, (B) temos que transcender a ação política tradicional. É claro que cabe aos “negacionistas” (você adora uma rotulagem sem sentido né?) provar “A” – ou a você desmentir “A”, caso queira e consiga. Esse texto era uma ótima oportunidade para isso, mas você preferiu apenas dar por pressuposto que as tais alternativas democráticas existem ao invés de provar.

  10. Curioso, lendo esse texto (no qual concordo em 100%, como já esperava), reparei uma coisa:

    Os poucos amigos que tenho que gritam por intervenção militar (são os típicos direitas tr00: tem paixão quase sexual por Bolsonaro, odeiam o MBL, são agressivos quando falam desses assuntos, vivem pedindo pra desistir de democracia, etc) possuem uma característica bem curiosa: pedem para que OS OUTROS façam a ~revolução~ por eles.

    A gente já sabia que eles não tem plano, nem métodos, nem resultados, porra nenhuma.

    Mas eles são cuzões pois ficam pedindo que OS OUTROS façam os militares tomarem o poder. Que OS OUTROS façam algo. Nunca é: “óh galera, dia tal eu e mais Fulano e Ciclano vamos lá, vamos fazer tal ato de desobediência civil, e estamos te convidando para vir conosco”. Não!

    Arrisco dizer que se aparecesse alguém propondo isso, convocando para um ato de desobediência civil, esses direitistas cuzões podiam até apoiar, MAS NÃO IRIAM! Com certeza não iriam. Iam ficar no conforto do sofá assistindo, acompanhando pelo tablet, mas não iam por o pé na rua pra fazer isso de jeito algum. Duvida?

Deixe uma resposta