Jornalista diz: “europeus são afeminados e as mulheres estão em perigo”

30
467

iben-thranholm

Era preciso fazer um comentário sobre a jornalista dinamarquesa Iben Thranholme e sua opinião letal e urgente a respeito do que tem acontecido na sociedade europeia, cada vez mais carente do poder masculino e, portanto, incapaz de defender sua cultura. Se hoje as mulheres europeias tem medo de sair à noite, isto em parte tem a ver com a ausência de proteção, dado que as virtudes masculinas – incluindo de proteção à mulher – foram demonizadas pelas feministas.

Alguns podem achar essa análise conservadora, mas ela é apenas realista ao levar em consideração as contingências humanas. O feminismo é um excremento não por lutar pelos direitos femininos – e, na verdade, nem seria preciso de feminismo para isso, bastando o iluminismo tradicional -, mas por fazê-lo a partir de discursos fraudulentos e obscurantistas propondo a guerra de classes entre homens e mulheres. Constrangidos por uma série de jogos, os homens europeus passaram a se envergonhar de serem homens. Não demoraria para uma considerável parte dos islâmicos europeus perderem o respeito e passarem a achar que os seios e os traseiros das mulheres europeias servem à bolinação islâmica.

Se hoje em dia, as mulheres europeias precisam ter medo de sair à noite, a sociedade europeia deve agradecer ao politicamente correto moderno. Mas não podemos deixar de elencar os protagonistas por esse “belo serviço”, que estão no feminismo.

Anúncios

30 COMMENTS

  1. Reparem que a palavra que a jornalista de verdade mais fala é REALIDADE, com toda a paciência, como quem da uma aula para a lobotomizada (e gatinha) jornalista de mentira que se contenta em apenas repetir feito um papagaio clichês de esquerda, sem nem parar para pensar nas bobagens que está falando. Como não tem argumentos, apenas clichês, é demolida com toda a ternura pela professora Iben Thranholme. Só queria ver se a bela moça, sozinha em uma rua escura e cercada por seis “islamorapers” praticando seu “taharush” ia tentar dissuadir seus agressores com essas bobagens, ou ter uma boa meia dúzia de homens fortes e viris para garantir que sairia dessa com vida.

  2. 1- Que jornalista gata!

    2- Honestamente, acho que há um pouco de exagero no que ela aponta como causa para esse efeito. Se a coisa está violenta na Europa, então é preciso combater a porra da violência, a bandidagem, e não… os homens europeus (?). PORÉM, como o feminismo é um estorvo, podem culpá-lo a vontade! Feminismo é o filhote mais confuso que a esquerdopatia pariu.

    • Tem que culpar o feminismo e muito. Mesmo em países onde a igualdade entre homens e mulheres foi conseguida por meio de uma economia arrojada e liberal como na Suécia; o feminismo não poupou da sua agenda sociopata que inclui no currículo escolar, ensinar meninos a urinar sentado desde cedo e suprimir todo desenvolvimento fálico das crianças de 3 a 6 anos (fase em que as crianças se identificam com seus órgãos genitais). Essas sociopatas não merecem pena. Algumas mulheres também cometem crimes e essas criminosas devem ser tratadas como tal.

    • Ela não culpa o homem europeu, animal, ela só está dizendo o óbvio: bárbaros não respeitam valores dos ditos “civilizados”, só respeitam a força, e não me refiro necessariamente à força física ou à força das armas, mas à demonstração de que, se mexer com as mulheres daqui, haverá consequências proporcionais. E esta característica, NATURALMENTE masculina, vem sendo tolhida há décadas pela esquerda.

      Se os eventos que temos visto na Europa, associados ao silêncio, ou pior, à defesa – sutil ou não – por parte da esquerda não forem capazes de te fazer perceber que toda a histeria das ações e propostas perpetradas por movimentos como o feminista e o LGBT NÃO EXISTEM PARA DEFENDER AQUELES QUE ELES FINGEM DEFENDER, mas para MUDAR OS VALORES DA SOCIEDADE, no sentido de torná-la mais dócil, mais dependente e mais fácil de se dominar; se você continua achando que esse tipo de percepção não passa de paranóia de “conservadores chatos” (temos como exemplo o próprio Luciano, eu, o Slaine, e diversos outros declaradamente NÃO CONSERVADORES que já percebemos isso) já dá pra começar a duvidar da sua honestidade intelectual.

      • Ei, precisa xingar não.

        Slaine não é conservador? Já o vi dizendo umas coisas aqui dignas de um tiozinho militar aposentado, mas ok.

        Sobre o que falou, no Brasil mesmo já dá pra perceber isso, esquerdopata finge proteger até a página 2. Até com coisas mais simples que LGBT e feminismo: vide quando numa manifestação anti-PT de agosto tinha alguém de cartaz com erro de ortografia (“verás que um filho teu não foJe a luta”) e uma amiga minha minha meio esquerdinha-defensora-dos-pobres ficou por dias achando engraçadissimo os petistas falando “esse aí fuJiu da escola”. Ha-ha.
        Defensores do politicamente correto de não zombar de quem escreve errado (Teatro Mágico tem até uma música sobre isso, banda petistíssima e chatíssima), mas se vier erro de um anti-petista, taca-le pau.

        Não falaram nada de estupros recentes de mulheres, e se no lugar de mulheres fossem gays também não abririam a boca. Isso não é preciso ser muito esperto pra ver, é só ter olhos.

        Agora, sobre o que a jornalista falou, entendi o que você quis dizer, embora eu não enxergue um completo sentido nisso. Só que não significa jamais que eu ache lindo a violência que está na Europa.

        E menos ainda que quero que ~amoleçam~ pra FDP. Tocar Imagine na frente do local onde teve atentado? Imagine é o caralho, exterminem o inimigo logo. Sou um dos maiores defensores de não dar moleza pra psicopata. E esse foi, aliás, o motivo que eu desencanei de esquerdismo no fim do colegial. Tiveram outros motivos, mas esse foi o primeiro, notar que esquerdopata achava bandido coitadinho. Um dia conto melhor essa história no meu site, vai que alguém se interesse em saber.

      • Ufa… Pelo menos já deu pra perceber que você não esquerdou de vez. Hehehehe… Desculpa pelo “animal”. E o Slaine não é conservador, é ancap, o que só ajuda a refutar as idiotices de alguns conservadores que não têm capacidade intelectual (ou honestidade, em alguns casos, mas acredito que seja preguiça mental na maioria) de perceber que libertários (de verdade, não “liberteens”) e conservadores são MUITO parecidos. A principal diferença talvez seja que um grupo acha que a simples manutenção do estado ajuda a destruir o indivíduo, o outro acha que o estado é necessário pra proteger ao indivíduo.

        Tem uma coisa que não sei se você notou, mas a entrevistadora tenta a todo tempo lançar rotinas esquerdistas pra cima da entrevistada, que sempre responde com a serenidade de uma ingênua no jogo político, e ao mesmo tempo com a assertividade de alguém experiente no assunto. Tanto que não sei qual dos dois casos é, mas esse é uma caso claro de “cobrança política” pelos resultados trazidos pela extrema-esquerda, e tudo com um discurso pra lá de moderado. Lembra que há algumas semanas o Ayan falou que o preço das imigrações descontroladas para a Europa deveria ser cobrado da extrema esquerda? Esse é um pequeno boleto lançado contra eles. E uma das provas de que essa mulher está certa no que ela fala é isto aqui:

        http://noticias.terra.com.br/mundo/oriente-medio/videos/homens-de-minissaia-protestam-contra-a-violencia-na-turquia,7767612.html

      • Acho que uma grande parte deste “efeito castrante” à que se encontra submetido o sexo masculino, notadamente na Europa, mas também no mundo Ocidental como um todo é a de o Ocidente ter aceitado essa “carapuça” imposta a si pelo Comunismo como sendo “violentos”.

        Querendo ou não, chega-se a um ponto em que, ou se MATA ou, então se MORRE. Não acho errado se matar em defesa de sua Terra, Família, Amigos. Nem acho isso bom, é apenas a VIDA. É preciso que voltemos ao menos, a considerar essa possibilidade (de matar em defesa própria ou de outrem). No momento que a Sociedade Ocidental e os Homens desta, em particular, assim o fizerem, essa PECHA de “violentos”, imposta pelos comunistas, vai deixar de surtir efeito.

    • Não esperava menos que isso de você Cauê, parabéns por me fazer lembrar o porquê de um rechaçar a maioria das suas opiniões no campo social.

  3. Um liberal fazer análise disse aí tinha soar oco mesmo, me perdoe, Luciano Ayan.
    Te admiro em muitos pontos, mas nesse seu vazio moral, não tem como.
    Paz

  4. Esquerdopatas e liberais, de todos os matizes e correntes terão um dia de encarar a realidade e voltarem para os valores eternos da civilização ocidental e cristã para salvar o que resta da civilização, antes que seja tarde demais e irreversível a decadência promovida pela elite dominadora da Nova Ordem Mundial… Verão o quanto foram manipulados como idiotas úteis para os propósitos dos inimigos do Ocidente, inúteis para si mesmos, seus mais preciosos valores e únicos a serem considerados, … O restante, a anarquia advinda, é o campo fértil para a barbárie islâmica se assenhorear de nosso espaço e futuro… O que mais sobra além disso, é um mundo povoado de canibais selvagens, que livres da educação e cultura ocidenta-cristã, voltarão à suas condição primordial seguindo seus próprios instintos toscos… Mas aí já serei rotulado de racista e outros epítetos tão ou mais ridiculamente absurdos, criados para desqualificarem um discurso como o meu, já que não poderão refutá-lo jamais em sua essência e razão… Outros, se esquivarão “exspertamente”, dizendo ser teoria “conspiratória”…

  5. Ela foi a primeira a criticar, mas salvo engano o próprio Joachim Löw admitiu que seus jogadores na seleção alemã eram disciplinados porque eram “femininos”, fazendo o que tinha que ser feito sem a garra e o ímpeto masculino que tanto vemos nos atletas de esportes coletivos e mesmo em soldados.

    Mas essa moça não foi a primeira a denunciar isso, mas agora essa denúncia é mais forte porque é boa parte da Europa que sofre com a falta de virilidade, não os passageiros de um navio: http://www.midiasemmascara.org/artigos/cultura/12763-capitao-covarde-eis-nosso-admiravel-novo-mundo-sexualmente-emancipado.html

  6. A moralidade muda, não permanece a mesma.
    O perigo causado por alguns refugiados vai gerar reação.
    O discurso do medo é exagerado por demais.
    Os países europeus são mais seguros que o Brasil, e nós continuamos vivendo.
    Eu penso que a migração em massa é mais usada para discursos, da esquerda ou da direita, do que representa realmente alguma mudança.
    Todos querem capitalizar a crise.

  7. Eu não sou a favor de violência, mas alguma coisa tem que ser feita e acredito que se não houver uma masculinização e mudança de atitude contra estes invasores, a europa já era. A Inglaterra por exemplo já foi um império que despertava respeito, porque alem de serem fleumaticos e educados, quando tinham que partir para o ataque não esitavam. Vejam o exemplo das Malvinas/Falklands, liderados por uma mulher que era um doce em seus modos, alem de agir como uma dona de casa, mas que em suas funções públicas era implacável e competente em manter a ordem, o orgulho britânico e a eficiência do estado. Nada parecido com uma Merkel ou com a atitude de uma feminista qualquer que apoia arabes estupradores. A Suécia que já foi um objeto de consumo para turistas e pessoas que viviam em países do terceiro mundo, agora é uma colonia de imigrantes covardes que gostam de atacar mulheres e que não encontram homens decididos para pará-los. Ou mudam de atitude ou a Europa acaba. Pelo menos a Europa que conhecemos e que foi berço de muitos de nossos ancestrais. Hitler só começou a ser parado quando um bando de políticos frouxos na Inglaterra e na França começou a ser substituido por homens como Churchil, DeGaule e outros do mesmo estofo.

  8. Não entendo… porque criticam os conservadores? Eles são chamados assim, justamente porque querem conservar os valores que protegem a sociedade de situações como a que está ocorrendo na Europa. Os valores tradicionais da sociedade ocidental, estão sendo destruídos por décadas de marxismo gramsciano. Costumes e valores não se tornam tradição por acaso. Eles protegem a civilização.

  9. Conservadores são assim chamados, porque querem a conservação dos valores tradicionais que fortalecem a sociedade e inviabilizam quaisquer invasões, sejam de ordem cultural, religiosa ou até mesmo militar. Portanto, se uma pessoa critica a invasão islâmica da Europa, e o estupro de suas mulheres bem como a frouxidão de seus homens, está no mínimo, confuso quanto ao seu posicionamento.

    • Mas é EXAMENTE por serem assim ( ou seja, CONSERVADORES), que são considerados uma AMEAÇA AOS COMUNISTAS, pois defendem VALORES MORAIS impraticáveis com o Comunismo: “Não matarás”, “não roubarás”, “não prestarás falso testemunho”…

      O Comunismo foi parido tendo por “Pais” a mentira, e o roubo, por objetivo o poder absoluto e por meio o assassinato de seus opositores. Lógico que vão ODIAR todo e qualquer pessoa que conserve os valores morais da doutrina Judaico-Cristã ocidental!

      Além disso, existe outro motivo para esse ataque esquerdista aos Conservadores: Precisam ELIMINAR todo e qualquer indivíduo que se lembre de algo diferente do Comunismo! O Comunismo é algo tão ruim e desprezível que qualquer alternativa à este será sempre infinitamente menos pior. Por isso, não se podem permitir ao luxo desta comparação pois perderiam sempre!

  10. Mas não era assim há pouco mais de meio século….lembro de meu pai e meu avô italiano.. que não podiam ver um pano balançar, pensavam que era um vestido e partiam para cima…eram homens que gostavam das e protegiam as mulheres…10 filhos cada um.. e hoje.. dá vergonha ver os europeus afeminados…mas o DNA ainda se encontra neles e podem aparecer de novo nas proximas gerações.. os europeus são muito fortes…

  11. eu não vejo culpa em ideologia esquerdista, ou governo esquerdista ou imigrantes. a culpa é dos lixos dos pais dessas mulheres de nao permitir que elas tenham um revolver, ou uma pistola ou uma espingarda. as familias nojentas, com suas idéias pacifistas e hippies, a geraçao nascida nos anos 50, 60 que construíram esse mundo de hoje em dia, eles saõ os culpados. os maiores inimgios estão na propria casa dessas vítimas e elas nem sabem. as restrições, a imposição do coletivo contra o individuo, tudo começa em casa, pais que nao importa a profissão, o quanto ganham, nao passam de retardados mentais e escravos de imposiçoes de senso comum. quem respeita lei é gado, ovelha, e caminha direto ao abate, o forte nao precisa respeitar lei nenhuma, e se arma até os dentes do jeito que der. isso nao se resolve com homens lutadores de arteis marciais, honrados e corajosos e viris, e sim na bala mesmo, so saindo as ruas com espingardas, metralhadores e meter bala nos mulçumanos ou quem vier entrar no caminho.

    se voce nao é independente ainda, mate a vida social e comece a odiar seus pais(caso eles proibam voce de portar um revolver)

Deixe uma resposta