Rotina de negação: Desista da política, pois o Pacto de Princeton define tudo

18
153

pacto_de_princeton

Se você já sugeriu pressionar políticos de oposição – especialmente quando estão no PSDB ou DEM – talvez tenha observado alguém lhe dizendo: “Ei, desista, está tudo dominado, pois PT e PSDB atuam em conchavo por causa do Pacto de Princeton”.

Resultante do purismo e de um excesso de “ligação de pontos” – mais próximo de exacerbação do agencialismo do que de observação da realidade -, este tipo de atitude geralmente aparece como mais uma forma de negação da política. A lógica é clara: se os partidos de oposição “não servem” – pois estariam em conchavos – então só poderíamos crer nas alternativas mais radicais. Hoje apresentam essa alternativa como “votar no Bolsonaro”, mas daqui uns três meses podem mudar o discurso para “desistam das instituições e peçam intervenção militar” ou qualquer outra forma de negar as alternativas mais práticas.

Vamos aos fatos. O PSDB é uma oposição frouxa. Pelo seu esquerdismo, já se aliou ao PT em várias capitais. Ideologicamente, concordam em vários pontos. Mas, pressionados, podem gerar resultados. O que temos, quanto a evidências, é que são frouxos. Porém, a direita true neocon – que se diz a verdadeira direita – também é frouxa na hora de rotular a extrema-esquerda. Não é a frouxidão na hora de se opor – algo que sempre devemos criticar, pois a extrema-esquerda precisa ser mais atacada mesmo – que serve como argumento para dizer que “(x) tem conchavo com o PT”. A alternativa mais parcimoniosa mostra que o PSDB, quando pressionado, decide atacar o PT. Mas é preciso pressioná-los de verdade – como os petistas pressionam o próprio PT -, e não dizer “ah, deixe de pressioná-los”, pois isso é liberação de pressão, que jamais gera resultados.

Para justificar a tese do “conchavo”, os adeptos da negação da política falam do Pacto de Princeton, que teria sido assinado em 1993 por FHC e Lula, estabelecendo vários pontos para que o socialismo fosse estabelecido no Brasil. O problema é que quando questionamos essas pessoas por evidências desse Pacto, elas dizem que só existe em um lugar: em uma edição do jornal Granma, de Cuba, a qual desapareceu de todos os lugares. Esse tipo de desculpa não cheira bem..

Muito já se falou deste Pacto, mas muitos dos defensores de sua existência nem mesmo conseguem dizer o que está lá escrito. Evidentemente, tem gato na tuba.

Claro que não vale a pena dizer “não existe Pacto de Princeton”. A melhor alternativa é exigir evidências deste Pacto e buscar saber o que lá está escrito, mas aqueles alegando sua existência (e validade) dificilmente estão dispostos a apresentar essas evidências. No fundo, parece uma grande invenção forjada para desanimar as pessoas de lutar politicamente com as opções atuais, e,então, passarem a crer em coisas como “intervenção militar” ou em algum salvador da pátria com chances mínimas de vitória.

Aguardamos por evidências do Pacto de Princeton, por enquanto.

Em tempo: vale repetir que oposição frouxa não é evidência de conchavo e nem de Pacto de Princeton. Na época em que o STF deu o golpe do controle bolivariano de campanhas – em 17/9 – praticamente todos nós da oposição, incluindo de direita (e mesmo a direita true neocon), não usamos discurso assertivo o suficiente para derrubar a medida. Nisto, o PT venceu. Este é um exemplo de frouxidão de oposição – visto em toda a direita, e não apenas nos tucanos – que ocorre a todo momento. Logo, manifestação de frouxidão não serve como “evidência de conchavo”, pois se fosse o caso muitos do que hoje acusam existir um “pacto entre PT e PSDB” teriam que ser acusados de ter o mesmo pacto com o PT, o que seria absurdo. E igualmente carente de evidências.

Anúncios

18 COMMENTS

  1. Caro Luciano, é necessário especificar os significados que você atribui à expressão “oposição frouxa. Não precisamos absolutamente de comprovação documental para verificar esses acordos PT/PSDB atados pela perene crença nas suas premissas comunistas. A pressão efetiva sobre o PSDB consiste justamente em denunciar sua atitude farsesca. Que diga-se, seria notável se a imprensa fosse de fato informativa, no sentido de juntar diversas pequenas realidades para esclarecer uma realidade maior. Só há a bandidagem PT porque, além da mídia muda , tivemos a mudez do PDSB. Não é verdade também que negar o PSDB significa automaticamente aliar-se à Bolsonaro. Nem Bolsonaro pode ser automáticamente ligado a um plano golpista. Isso é difamação. Há sim, que pressionar a canalha e tentar furar esse esquema de dominação implantado pela esquerda. A bem da verdade Bolsonaro faz oposição bem mais contundente e inteligente do que muitos desses doces eruditos direitistas com suas observações educadas e fofinhas.
    Mesmo que isso nos custe a chamada ingovernabilidade temos que varrer a cambada toda.. Quanto ao PSDB será para sempre uma oposição no armário, guardando-se segundo suas conveniências juntamente com sua pilha de acordos e de ossos.Um abraço.

    • Paulo,

      Se você não precisa de comprovação, então não pode fazer uma alegação. Aí entramos no território da fé.

      Ademais, a tal ‘denunciação da atitude farsesca’ é sempre feita em tom de retirada de tropa, que nunca gera pressão.

      E transferir toda a culpa para o PSDB é uma solução fácil, mas enganosa. É a direita que SE RECUSOU a pressioná-los por todo esse tempo.

      A pressão deve ser lançada tanto sobre Bolsonaro como PSDB.

      Quanto à oposição de Bolsonaro, vamos ver os resultados. Acho que ele se precipita um tanto.

      Quem não se lembra dos milhares de hangouts feitos pela direita em 2015 em que sequer criaram um frame para evitar o controle bolivariano de campanhas? Isso é oposição FROUXA. E não veio só do PSDB, como de muita gente da direita. Como já disse, oposição frouxa e NÃO PRESSIONADA não é suficiente para dizer que “tem conchavo com o PT”.

      Não há evidências desse conchavo, mas se tivéssemos que aceitar a tese (sem provas), teríamos que dizer que quase toda a direita tem o mesmo ‘conchavo com o PT’, pois a frouxidão é a mesma.

      Antes de aceitar a tese do conchavo, quero ver uns 5-10 anos de pressão da direita sobre o PSDB. Se eles não reagirem NEM COM PRESSÃO, aí podemos acreditar na tese.

      Caso contrário, a bola está com a direita, que se recusa à pressão.

      Abs,

      LH

      • Caro Luciano.
        Sei não. Sinto um cheiro de enrolação nestes posts ‘rotina da negação’, o que foge em muito à tua objetividade no quesito gerra política, fonte da qual tenho nutrido
        Mas desde quando uma esquerda socialista fabiana vai fazer oposição de fato a uma turma que tem a mesma ideologia, só que é mais radical na aplicação? Os que pertencem à este partido do sr. fhc se não sabem disto, são uns completos analfabetos políticos. Certamente nem conhecem os fundamentos deste partido. Chamá-los de oposição frouxa é como dizer que a raposa que cuidava do galinheiro foi irresponsável ao deixar o lobo devorar as galinhas. Não fizeram e nunca farão oposição.
        Quanto ao Boisonaro, é o único senão um dos únicos, que fez oposição real a este estado de podridão a que fomos submetidos nos últimos 15 anos. Podem falar o que quiserem. Podem dizer que ele é radical blá blá blá etc e tal. Foi o único que colocou a cara para bater. Apanhou de todos: dos adversários, da imprensa, da tv, dos analistas políticos, dos “intelectuais”… de todos. Sozinho fez muito mais que muitos que estão lá dentro. E hoje aparecem aí alguns dizendo que são de direita, porque isso, porque aquilo e não tem nenhuma coragem de discutir com qualquer um dessa esquerda que viveu de topete empinado… Se batessem o pé, saiam todos correndo.
        Outra: o PP que seria o partido a fazer oposição se vendeu (literalmente) ao partido no governo e seus deputados e senadores embarcaram nessa canoa furada. O Bolsonaro foi o único que não embarcou.
        Abç

      • Caro Luciano.
        Sei não. Sinto um cheiro de enrolação nestes posts ‘rotina da negação’, o que foge em muito à tua objetividade no quesito gerra política, fonte da qual tenho nutrido

        Sentir cheiro qualquer um pode sentir. O que importa é refutar ou não.

        Mas desde quando uma esquerda socialista fabiana vai fazer oposição de fato a uma turma que tem a mesma ideologia, só que é mais radical na aplicação? Os que pertencem à este partido do sr. fhc se não sabem disto, são uns completos analfabetos políticos. Certamente nem conhecem os fundamentos deste partido. Chamá-los de oposição frouxa é como dizer que a raposa que cuidava do galinheiro foi irresponsável ao deixar o lobo devorar as galinhas.

        A analogia é falsa. Você teria que há um interesse do FHC em que o PT não saia mais do poder. Mas, se o PT sair, isso é bom para nós ou não? Depende de como criamos uma nova oposição de direita, mas não há justificativa para não tomarmos posição agora. Dizer que o PSDb é a “raposa” é confundi-los com o PT, mas essa diferença é clara. Vejamos o “Aécio” argentino, o Macri, atingindo o socialismo fortemente. Enfim, é preciso que vocês PROVEM MUITAS COISAS antes de nos convencerem com frases feitas e slogans.

        Não fizeram e nunca farão oposição.

        Mas vocês também não fazem! E nem por isso devemos acusá-los de “ter conchavo com o PT”.
        Quanto ao Boisonaro, é o único senão um dos únicos, que fez oposição real a este estado de podridão a que fomos submetidos nos últimos 15 anos. Podem falar o que quiserem. Podem dizer que ele é radical blá blá blá etc e tal.

        Até o Bolsonaro concorda comigo e já apoiou o PSDB: http://www.pragmatismopolitico.com.br/2014/05/seria-uma-honra-ser-vice-de-aecio-diz-bolsonaro.html

        E irá fazê-lo em um segundo turno no futuro, se PT e PSDB permanecerem na disputa.

        Acho que teu exemplo não funcionou…

        Foi o único que colocou a cara para bater. Apanhou de todos: dos adversários, da imprensa, da tv, dos analistas políticos, dos “intelectuais”… de todos. Sozinho fez muito mais que muitos que estão lá dentro. E hoje aparecem aí alguns dizendo que são de direita, porque isso, porque aquilo e não tem nenhuma coragem de discutir com qualquer um dessa esquerda que viveu de topete empinado… Se batessem o pé, saiam todos correndo.

        Desculpe, mas isso é discurso demagógico, que vocês DEVEM ATÉ USAR em campanha corpo-a-corpo, na rua, para convencer as pessoas mais simplórias. Mas aqui, em um blog de ceticismo político você realmente quer emplacar técnicas de “só ele salva” ou “ele vai arrebentar tudo”? Por favor né…

        Outra: o PP que seria o partido a fazer oposição se vendeu (literalmente) ao partido no governo e seus deputados e senadores embarcaram nessa canoa furada. O Bolsonaro foi o único que não embarcou.

        De novo… “ele é o único que se salva” é slogan para você usar contra quem ainda não leu Robert Cialdini. Aqui não serve, meu caro. Desculpe, mas você não refutou meu texto.

        Abs,

        LH

    • É muita hipocrisia oposição se tornar obstáculo ao próprio avanço do pais, sendo as vezes a própria causa. Vários políticos dessa dita “oposição”, que se gritar pega ladrão não fica um, não demostra compromisso com o país ( com o interesse do povo), mas apenas no poder político, sabe pra que? Pra torrar todos os bens nacional a preço de banana, ignorando tudo e todos, passando por cima do próprio país, para privilegiar um grupo específico da população.
      Todos as notícias referente a oposição corrupta ( igualmente ao atual partido congernista), são ligeiramente abafadas, por alguns interesseiros que vendem seu país por uma mala de dólares. Ao escritor da matéria, só devo uma perguntar, Vc é ingênuo assim mesmo ou é só um idiota imediatista e superficial???
      Se não é nem uma coisa nem outra, por qual razão vc não faz uma reflexão melhor? Por que ainda insistir nisso, ficar chorando pelos canto, ou melhor pelas matérias.

  2. Luciano, mesmo sem ser um direitista rotulável, apenas baseando-me em lógica, ceticismo e referências históricas, encontro um ponto chave conflitante em seu raciocínio.
    De onde você tirou que a desobediência e resistência civil é coisa de “fortões”?
    No cristianismo primitivo, vasto em exemplos de conquistas políticas e religiosas obtidas pela perseverança, resiliência e firmeza ideológica – mesmo que alguns mártires tenham sido necessários para alimentar felinos e fogueiras – foi utilizada, com sucesso, esta ferramenta.
    No início da inquisição albigenses foram queimados, emparedados ou atirados de precipícios porquê mantiveram-se firmes ao catarismo. Isto até poderia ser um argumento contra a resistência civil não fosse a reestruturação do catolicismo que resultou (da inquisição) na renascença e, logo após, na reforma protestante.
    Escoceses se insuflaram contra ingleses continuamente até que, organizando-se, conseguiram respeito às suas fronteiras. Sim, William Wallace era um pacifista.
    Giordano Bruno foi o primeiro mártir do iluminismo com uma luta sem armas, apenas pela obstinação.
    Dando um pulo histórico, e trazendo pra cá, vemos sinais de resistência na inconfidência, revoltas separatistas e no tenentismo. Ambos infrutíferos no momento mas com repercussões que propiciaram (de uma forma ou de outra) a independência, a proclamação da República e o fim da república café com leite.
    Até concordo que se diga que não somos muito proficientes em matéria de resistência civil, mas no século XX temos exemplos de quatro movimentos de resistência civil, de enorme força renovadora, cujos resultados práticos foram sucessos políticos irrefutáveis, i.e. desobediência civil na Índia de Gandhi, direitos civis de Martin Luther King, o anti-apartheid de Mandela e o solidariedade de Walesa na Polônia.
    Hoje temos justificativa para este tipo de manifestações? Eu penso que sim, já que com os golpes do STF, a ocupação das instituições de defesa do estado, a corrupção desenfreada, a compra das mídias, o aparelha mento acadêmico e os movimentos milicianos do PT se preparando, temos um quadro absolutamente caótico que não se resolverá nem a longo prazo, com as legislações eleitorais bisonhas que possuimos.
    Temos o meio de produzir efeitos políticos práticos. Sim, basta copiar o que Gandhi, Mandela, MLK, Walesa e os próprios movimentos progressistas fazem continuamente (mínimo de mortos e feridos).
    Iremos conseguir? Não sei. Mas, com gente como você, MBL e Reinaldo Azevedo criticando e pondo defeitos em todo lado, realmente será difícil.
    Essa escolha será a melhor? Não sei também, pois não tenho bola de cristal. Mas que é um caminho possível, não tenho dúvidas. E também não sabemos se é viável o caminho “bom moço” que você sugere, afinal são muitas barreiras a se enfrentar com nosso deplorável quadro político-partidário. Questiono, por exemplo, se nossos jovens litigantes sairão ilesos do convívio com as velhas raposas?
    Há outra alternativa? É óbvio que sim. Basta que ambos grupos se organizem e mantenham a direita firme e unida nas duas estratégias. Pois, com a desobediência civil (que nem precisa ser violenta, muito menos pregar intervenção militar) teremos mais foco e efetividade, reduzindo a comodidade das forças adversárias encasteladas por todo canto.
    E com o braço político de novos direitistas infiltrados nos diversos partidos (além de puros-sangue como o Novo) teremos maior chance de mudar por dentro a quadrilha institucional que nos oprime.
    Entendo que um elemento ajudaria o outro, reduzindo assim a chance de uma intervenção militar ou calamidades como a guerra civil.
    Pense, reflita e que Deus ou a história te inspirem. O resultado que ambos os grupos querem é o mesmo. E se não conversarem e se reaproximarem, os verdadeiros FORTÕES da esquerda é que se darão bem.

    • Paulo,

      Não fui eu que tirei de lugar algum. Eu simplesmente visualizei várias pessoas pedindo intervenção ou revolução civil e usando a rotina: “Você acha que seu comportamento de bom moço vai dar certo, é? Vai tentando agir pelo bom-mocismo”. Em suma, é uma rotina. E eu a avaliei.

      Abs,

      LH

      • Ok. Respeito a sua avaliação. Mas, peço que considere também a possibilidade dela estar enviesada por não ter compreendido todo o escopo.
        Citei 4 exemplos recentes do século XX onde a tática foi usada com sucesso. Porque então você não as disseca?
        Leia sobre Thoreau e John Rawls. Veja a consistência que eles deram à estratégia, que nem é nova, já que profetas a recomendavam e mesmo Sófocles a cita em Antigona.
        Ver nisso apenas como um esquema de imaturos políticos é tão pueril quanto não entender que o PT não é incompetente.

  3. Luciano, existe uma pergunta simples mas muito importante que muitos devem ter vontade de te fazer.

    Concordo contigo que ainda não foram exauridas todas as vias de luta dentro do estrito campo do embate político e que essas tentativas de se pegar um “atalho” excepcional para dar fim a este história são uma precipitação desastrada. A pergunta é: você acha que é possível chegarmos numa situação onde até você concluiria que a única saída seriam essas saídas de exceção, tais como intervenção militar ou um levante popular?

  4. Rotina de negação: “Só o PSDB pode ser oposição. Se ele não está sendo, é porque vocês de direita Neo True isso aquilo é que não estão fazendo pressão. Mas se fizermos pressão durante 10 anos e eles não reagirem, aí, talvez, tenhamos, até lá, evidências suficientes para desconfiarmos deles.”
    .
    Fala-se muito em fé, mas, por outro lado, pede-se que tenhamos fé de que o PSDB é uma máquina a vapor: funciona sob pressão. Funciona? Raposas velhas como os PSDBistas funcionam, comprovadamente, muito melhor pelo oportunismo.
    .
    O povo desde as primeiras manifestações (as maiores da nossa história) deixaram evidente o descontentamento contra o PT. Que oportunidade melhor para um grande partido de oposição do que aquela? E o PSDB pouco ou nada fez para se opor ao PT….
    .
    Pelo visto a rotina de negação aqui pregada, infelizmente, é de que: “Não pode haver oposição senão a do Partido do Socialismo Fabiano – ou da Social Democracia, como queiram.

    • Mentir não é bonito. Em nenhum momento, eu disse que “só o PSDB pode ser oposição”. Qualquer um pode. Mas FAÇA oposição, e não fique choramingando pelos cantos pedindo “intervenção militar” num mês, “revolução civil” no mês seguinte, e no outro mês “votem em Bolsonaro” (em uma campanha antecipada e artificial, que talvez será abandonada no futuro).

      Enfim, em nenhum momento eu disse que “não pode haver oposição senão a do PSDB”. Mas se você não faz nada em termos de oposição por causa disso você reforça meu argumento: tu busca um bode expiatório para justificar SUA negação da política.

      Eu, ao contrário, vou pressionar políticos do DEM, do PP, do PSDB, do PMDB (menos a tropa do Picciani) e daí por diante.

Deixe uma resposta