Dilma disse que Lula é injustiçado. Surpreendentemente, ela falou uma verdade.

2
69

luis-inacia-lula-da-silva-20101203-size-598

Dilma Rousseff está agindo economicamente ao defender Lula em público, pois sabe que o mar não está para moluscos. Ela teme afundar junto se abraçar seu chefe-mor. Mesmo assim, como a cara de pau típica de sempre, ela disse que Lula está sendo “objeto de grande injustiça”. Como lembra o Portal Vox, “o ex-presidente é investigado oficialmente em três inquéritos movidos pelo Ministério Público do Distrito Federal e de São Paulo. A suspeita é que o petista tenha praticado tráfico de influência, ocultação de patrimônio e lavagem de dinheiro”. Coitado deste injustiçado, não?

É conveniente ver uma matéria de Felipe Moura Brasil com uma compilação de barbáries petistas. O título é “Lula, não adianta beber as provas”:

Notas e tuitadas:

– Imagine o circo que o PT faria se um ex-presidente adversário tivesse sítio e tríplex em nome de laranjas e reformados por empreiteiras do petrolão. Como comentou um leitor: o sítio já teria sido invadido pelo MST, o tríplex pelo MTST.

– O fato de a empreteira OAS ter assumido a reforma do sítio em Atibaia com aval de Marisa Letícia significa que Lula não pode dizer que não sabia de nada sem sacrificar esposa.

– Mais de 200 caixas com pertences de Lula, incluindo 37 de bebidas, foram enviadas para o sítio Santa Bárbara quando o petista deixou o Palácio do Planalto, revela VEJA. Não adianta beber as 37 caixas de provas, Lula. Temos os documentos.

– Triplex no Guarujá é mais caro que Fiat Elba. Sítio em Atibaia, também. Até as reformas de ambos são mais caras. Lula é bem pior que Fernando Collor de Mello.

– Resumo aparente do lulopetismo: Quer contrato com estatal? Faz uma obrinha lá em casa…

– O depoimento de Lula ao juiz Sérgio Moro em 14 de março, como testemunha de defesa de seu amigo José Carlos Bumlai, será por videoconferência e, provavelmente, apenas com a voz do petista, já que a defesa pode pedir a preservação da imagem. Os advogados de Lula já prepararam colinha e teleprompter também?

– Diretor do Instituto Lula, Celso Marcondes agora quer “discutir a questão do racismo, da intolerância religiosa nesse momento de avanço de ideias conversadoras e da extrema direita no Brasil”. É a extrema função das “bandeiras sociais” no lulopetismo: distrair a massa na hora do sufoco com a Justiça.

– Folha: “Crescem as divergências, no instituto do ex-presidente, sobre as estratégias que devem ser seguidas”. Uns apoiam o ataque à mídia, por exemplo, outros consideram um equívoco. Atacar a mídia é o que resta quando a defesa não tem argumentos contra os fatos.

– Imagine o Instituto Lula tendo de explicar se Fernando Bittar é laranja para ocultação de propriedade do ex-presidente ou se simplesmente retribuiu as vantagens que obteve graças à proximidade com Lula pagando-lhe um sítio como propina. Melhor atacar a mídia e falar de racismo.

– A propósito: “defesa” genérica de um investigado é só fabricação de manchete. Dilma Rousseff emplacou uma porção delas nos jornais ao fazer Lula de vítima de uma “grande injustiça”.

– Defender um investigado é explicar sua inocência com base no teor das denúncias e suspeitas. O resto é propaganda. A imprensa deveria ser mais cuidadosa com a escolha das palavras.

– Dilma se gaba de comandar o governo que mais combateu a corrupção (como se o combate – e não a corrupção – viesse do governo do PT) ao mesmo tempo em que ataca as investigações contra Lula. O discurso petista, como sempre, é o oposto da prática.

– Dilma: “No passado ganhamos a guerra contra a febre amarela e vamos ganhar contra o zika (vírus).” Dilma, você não ganhou nada.

Também convém lembrar, como disse bem o Antagonista, a conversa do repórter Luiz Maklouf Carvalho com Andrés Sanchez, diálogo o qual já teria levando colocado muita gente por trás das grades em um país sério:

Em 30/09/2011, o repórter Luiz Maklouf Carvalho publicou, na revista Época, um perfil do então presidente do Corinthians Andrés Sanchez.

Luiz Maklouf Carvalho gravou a conversa. O trecho sobre a construção do Itaquerão pela Odebrecht pode ser ouvido no áudio abaixo. Nele, Andrés Sanchez relata que o estádio custaria mais de 1 bilhão de reais, apesar do preço formal de 780 milhões de reais a ser divulgado. A “engenharia financeira” contou com a participação de Lula, Emilio Odebrecht e o próprio Andrés Sanchez: “A parte financeira ninguém mexeu. Só eu, o Lula e o Emílio Odebrecht.”

Por que a Odebrecht gastaria mais de 1 bilhão de reais e aceitaria receber 780 milhões de reais? O Antagonista desconfia de que a diferença — e ela acabou sendo bem maior — foi paga pelo petrolão. Que se investigue.

Ouça e se estarreça:

É verdade: Lula é um injustiçado. Em nome da justiça, Lula já deveria estar atrás das grades.

Anúncios

2 COMMENTS

  1. O suposto aeroporto do Aécio foi usado pesadamente como arma nas eleições 2014. Espero que usem essa porra de sítio e triplex como armas letais, oposição cu doce.

Deixe uma resposta