Aécio cai nas pesquisas por ser frouxo. Solução adotada por ele? Ser mais frouxo ainda.

40
245

___aecioneves

É fato que o discurso da direita true neocon – dizendo que “tucanos e petistas vivem um conchavo, sempre para ajudar os últimos – não tem fundamento. É mais baseada na exploração do agencialismo humano, com um tanto de retórica do “todos contra nós”. Porém, isso pode até gerar views em websites e no conteúdo em geral, mas não tem se revertido em resultados políticos efetivos. É óbvio: o ser humano trabalha por motivação e recompensa. Mas se a recompensa fica muito distante – por causa do inimigo “poderoso demais, já que todos estão contra nós” – a motivação baixa. Talvez por isso movimentos como MBL e Revoltados Online levem gente às ruas, mas movimentos pedindo “lutas contra todos que estão aí” nada conseguiram em termos de resultados. Previsível.

Portanto, tudo o que falarei aqui nada tem a ver com a hipótese falida de “conchavos de todos em favor do PT, e, na verdade, do socialismo internacional”.

Mas é fato que o senador Aécio Neves não consegue fazer uma oposição assertiva. Tem sempre apelado ao discurso frouxo. É chamado de “golpista” por todos os cantos e humilhado das mais diversas formas pelos petistas, que não param de atacá-lo. Em termos de ataque, ele ainda é o garotinho que dá até um raro cascudinho no bully da escola, mas só depois de ter tomado vários socos. E na maioria das lutas, só ele apanha. E todos riem dele. A vida dele é apanhar do PT, e quase nunca bater.

Agora, vejamos partes da matéria “Aécio muda estratégia de atuação política em relação ao governo”, do Estadão:

BRASÍLIA – O presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), decidiu rever sua estratégia de atuação política no Congresso e adotará este ano uma linha mais propositiva em relação a 2015, quando se empenhou durante praticamente o ano inteiro no afastamento da presidente Dilma Rousseff. O tucano apresentará ao presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), uma agenda mínima de votações de interesse do partido na Casa.

Ainda assim, Aécio avaliza a ação de oposicionistas da Câmara de tentar desgastar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com cobranças por explicações e uma eventual convocação do petista para a CPI do Carf. E, por tabela, reacender o debate sobre a retirada de Dilma, conforme revelou o Estado nesta segunda-feira, 15. A avaliação de aliados do tucano é de que o enfraquecimento de Lula o favorece num possível confronto direto numa disputa presidencial antecipada ou em 2018.

É a mesma frouxidão mostrada nas eleições de 2014. Aécio foi acusado de bater na esposa e de usar cocaína e ainda caiu na conversa de que “ele estava sendo agressivo demais”.

A mudança de atuação do tucano, o maior representante da oposição no Legislativo, decorre de uma série de avaliações feitas por aliados e assessores próximos. Desde o segundo semestre do ano passado, pesquisas mostraram uma queda das intenções de voto em Aécio em simulações de corrida presidencial e ainda um aumento de rejeição.

O aumento de rejeição acontece porque o PT o ataca. Só isso. E a diminuição de apoio acontece porque ele age como frouxo, e agora é facilmente visto como colaboracionista por muitos da direita. Convenhamos: quanto maior a frouxidão demonstrada por ele, mais fácil vai ser apontá-lo como colaboracionista. A única forma de Aécio Neves sair disso é começar a atacar, mas nota-se que ele escolheu a estratégia fracassada das eleições de 2014… de novo.

Levantamentos qualitativos internos identificaram Aécio como um senador que não propunha saídas para superar a crise. As sondagens também mostraram uma corrosão na imagem do PSDB pelo apoio às pautas-bomba. Uma delas foi o aval maciço da legenda à tentativa de derrubar, em setembro, o fator previdenciário, regra de aposentadoria instituída no governo Fernando Henrique, em 1999, para diminuir o déficit da Previdência Social.

É claro que esses “levantamentos qualitativos internos” não valem nada. Não é que “Aécio não propunha saídas para superar a crise”. É que ele foi atacado com o rótulo de “golpista”, de “mau perdedor” e de aquele que prefere o “quanto pior, melhor” em maior quantidade do que lançou ataques contra o PT. É a mesma história de sempre: Aécio foi considerado o “mais agressivo” nos debates por ter sido mais frouxo. É que o PT atacava muito mais e ao mesmo tempo colocou como um dos rótulos de ataque “agressivo contra as mulheres”. Em suma: quando o tucano é visto como “agressivo” ou “pouco propositivo” não é que tenha sido nenhuma dessas coisas. É que ele ele foi atacado com o lançamento destes rótulos sobre ele em maior quantidade.

Na inauguração da nova fase, o presidente do PSDB vai propor nesta terça-feira, 16, a Renan, em reunião de líderes partidários, ao menos quatro propostas consideradas prioritárias pelo PSDB para a pauta do Senado: 1) o projeto do senador José Serra (PSDB-SP) que desobriga a Petrobrás de ser a operadora única na exploração da camada do pré-sal; 2) um que cria regras de governança em estatais, relatado pelo senador Tasso Jereissati (PSDB-CE); 3) um de autoria do senador Paulo Bauer (PSDB-SC), relatado pelo próprio Aécio, que visa a diminuir a influência política na gestão dos fundos de pensão; e 4) uma proposta do senador que restringe a quantidade de cargos em comissão na administração pública, estabelecendo processo seletivo.

Pois é… as pautas até que são boas. Mas é preciso ir para o ataque, e ao que parece o tom de Aécio tem sido aumentar a frouxidão.

Outros oposicionistas já percebem que a nova tática parece ser mesmo a malemolência:

A nova estratégia de atuação do PSDB na Câmara não foi bem recebida por outros partidos da oposição na Casa. Demonstrando incômodo, líderes oposicionistas criticaram ontem a sinalização que tucanos vêm dando ao governo de apoio a reformas estruturantes, como a da Previdência Social.

“O governo do PT não merece qualquer condescendência, porque eles imaginam a economia de uma forma completamente distinta do que são os fundamentos da economia”, reagiu o líder do DEM, Pauderney Avelino (AM). “Não vamos concordar com qualquer proposta de arrocho à população por parte desse governo”, emendou. O democrata conta que só soube da nova estratégia do PSDB por meio da imprensa. Irritado, ele decidiu procurar os líderes do PSDB, PPS e Solidariedade e propor uma reunião nesta terça-feira, para discutir o assunto. “Não quero fazer discurso de bom moço, porque o PT, o Lula e a Dilma não são bons moços”, disse.

Presidente do Solidariedade, o deputado Paulo Peireira da Silva (SP) também criticou a estratégia do PSDB. “É um erro falar que vai apoiar reformas que tiram direito do trabalhador, principalmente a da Previdência”, criticou Paulinho, que é presidente da Força Sindical. “Com essa postura, não tem como trabalharmos juntos”, afirmou.

No PPS, o tom foi mais moderado. O vice-líder da sigla na Câmara, Arnaldo Jordy (PA), disse que o PPS respeita a soberania partidária do PSDB, mas cobrou que os tucanos esclareçam a estratégia. “Que reformas pretendem apoiar? Quais são as propostas estão dispostos a discutir?”, questionou o deputado paraense.

Como já foi dito, é isto aí: está agindo como frouxo e todos já estão percebendo. Assim como ele fez nas eleições de 2014, afrouxando enquanto devia ir para o ataque, isto é uma escolha. Com isto, ele vai afundar.

Anúncios

40 COMMENTS

  1. PSDB a “oposição fake”:

    ‘A luta de PT e PSDB é política, não ideológica’

    Foi uma longa conversa para reinterpretar o passado, analisar o presente e pensar o futuro. Com um gravador em punho, o senador petista Cristovam Buarque (DF), ex-ministro da Educação, resolveu registrar a troca de impressões com o ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso, quando eles se reuniram, um mês atrás, em Providence, nos Estados Unidos. O diálogo, cedido ao GLOBO por Cristovam, somou 50 páginas impressas, das quais foram extraídos alguns trechos. Entrevistador e entrevistado revelam identidades. Ambos defendem um choque social e acreditam que, um dia, apesar das farpas de um lado e do outro, PT e PSDB marcharão juntos na política brasileira. (Continua…)

    Fonte: http://www.psdb.org.br/a-luta-de-pt-e-psdb-e-politica-nao-ideologica/

    Querem oposição de verdade?

    – Caiado

    – Onyx Lorenzoni

    – Bolsonaro

    – Paulo Eduardo Martins

    – Marcel Van Hatten

    …..PSDB é um espantalho criado juntinho com o PT desde a década de 80 para alternar o poder nas mãos de socialistas radicais e fabianos…..

    • É como eu digo. De certa forma acreditar que o PSDB é colaboracionista por não se sentir devidamente “pressionado” a é uma certa forma de “fé-cega-na-crença”, ou fé cega no PSDB.
      .
      Chamar o PSDB de frouxo é quase que uma política de redução de danos.
      .
      Já que não é possível esconder o colaboracionismo do PSDB, pelo menos acreditemos, e divulguemos, que é por falta de pressão, não por conchavo.
      .
      Mas o PSDB é menos pior que o PT, ou um implanta ditadura, outro não. De fato.

      • De jeito algum.

        Não transfira o ônus da prova. Os “conchavos” (ex Pacto de Princeton, estratégia das tesouras) são alegações SEM PROVAS. Porém, ações de oposição do PSDB ao PT são um fato. Um exemplo é a nova campanha de assassinato de reputação do PT contra FHC no caso da Miriam. Não é algo que se faz em um “conchavo” ou “oposição telecatch”. Mas, enfim, DEIXO EM ABERTO a tese, para que OS PURISTAS PROVEM. Portanto, se a tese está aberta, eu não fechei uma CRENÇA, mas os puristas SIM, pois afirmam como fato algo que está só em tese (e bem vaga).

        Ao mesmo tempo, o discursos de liberação de pressão emitidos por puristas é um FATO. Logo, deveríamos pressionar o PSDB, que já reagiu bem em situações de pressão e conseguiu dar disparos no PT. É lógico dizer que DEVEMOS PRESSIONAR mais. A tese absurda de VOCÊS é dizer que “pressão não adianta”, mas JAMAIS fizeram pressão. (Só os movimentos pressionam os políticos)

        Enfim, não fiz nenhuma alegação que não prova ser provada, pois, se não tiver provas, deixo a hipótese em aberto.

        Chamar o PSDB de frouxo é quase que uma política de redução de danos.

        Somente se o conchavo for COMPROVADO.

        Já que não é possível esconder o colaboracionismo do PSDB, pelo menos acreditemos, e divulguemos, que é por falta de pressão, não por conchavo.

        Não é questão só de acreditar, mas de PROVAR conchavo. Ou há provas ou não existem. E as provas do Pacto de Princeton, por exemplo, foram decepcionantes…

        Mas o PSDB é menos pior que o PT, ou um implanta ditadura, outro não. De fato.

        Ué, como pode haver um conchavo se no ponto mais crítico divergem? A tese do conchavo se complica aí…

  2. URGE que Aécio arrume alguém inteligente politicamente para soprar em seu ouvido como deve se portar em relação aos fatos políticos!! Ele, pelo visto, nada aprendeu com o avô!!!!

  3. É óbvio que isto é intencional, que espécie de político é este que não manifesta desejo pelo poder?! Que não demonstra virilidade?! Está morto e ele é sim saco de pancada do PT e arregão.

  4. Luciano, mesmo que não exista a possibilidade de um conchavo entre PT e PSDB, você já pensou na possibilidade de o PSDB não fazer oposição de fato ao PT pelo simples fato de que os objetivos de ambos os partidos é exatamente o mesmo? Eles se diferenciam apenas nos métodos mas não nos fins.

    Não é conchavo, é simples convergência de objetivos. Acho até que o PSDB em caso de um embate entre o PT e um partido de direita de fato apoiaria sem dúvida nenhuma o PT.

    • Cleiton,

      Para saber se objetivos são os mesmos, precisamos de provas. Aquela visita de senadores do PSDB à Venezuela, por exemplo, atingiu fortemente os bolivarianos. Me parece que não bate com a tese de “mesmos objetivos”.

  5. Ainda não apareceu alguém para liderar uma oposição forte e que diga algo como “eu posso resolver o problema!”
    Só temos até o momento o Bolsonaro, que apesar do discurso forte, não demonstrou ainda ter capacidade para ser presidente. Se tiver apenas ele, eu espero que demonstre projetos sólidos e discursos assertivos porque do Aécio… eu espero mais nada.

  6. Esse post elucida bem a realidade do Aécio.

    Compreendo isso como estratégia de sair pela tangente, mas o pior não é isso. O grande problema de todo esse afrouxamento, é que, ele sim teria todas as condições (caso tivesse firmeza nos atos) de derrubar o PT e sua trupe de uma só vez. Tinha uma grande parte da população ao seu lado, aspirava bons olhos dos investidores lá de fora, o que consequentemente iria trazer um ambiente de negócios e uma economia muito melhor para o nosso país. Jogou tudo isso pela janela se acovardando.

    Nesse cenário, não vejo alguém que possa ter o mesmo peso que Aécio tinha. Bolsonaro? Talvez, mas ainda não destrincha outros assuntos, economia, investimento etc. Está preso em um ciclo vicioso que a extrema-esquerda já internalizou sobre sua pessoa e por falta de assessoria cada vez mais, se não atacar, vai ter a mesma queda que Aécio.

  7. Esse Aécio é um bundão mesmo, viu! Detesto frouxidão!
    Esse panaca acha que vai ganhar algum espaço com essa postura de mama na égua? hahaha…. Vá se lascar, seu mané! É por isso que vive apanhando dos PTralhas.

    É #Bolsonaro_Presidente_2018

  8. O PSDB aqui do RS esta em guerra total pode ate não ter candidatos a prefeituras importantes do interior e da capital.
    Os diretórios do partido no RS estão sob intervenção federal.
    Tudo para queimar a ex governadora Yeda.

  9. A democracia brasileira funciona através de lobbys e grupos de pressão que trabalham contra o povo brasileiro. Claro que não vamos sair por aí pedindo fascismo e autoritarismo, todavia não podemos perder a noção de que o PSDB/PMDB e tantos outros partidos “de centro” são apenas grupos de pressão.

  10. Uma questão familiar

    Brasil 17.02.16 09:08

    Ao mesmo tempo em que Lula descarrega sobre sua mulher a responsabilidade pela reforma do sítio em Atibaia, Aécio Neves manobra para salvar a mulher de Fernando Pimentel.

    Diz a Folha de S. Paulo:

    “O senador Aécio Neves defende que questões familiares fiquem fora da disputa política e não subscreve a ofensiva do partido para indiciar, na CPI do BNDES, a mulher do
    governador de Minas, Fernando Pimentel”.

    Só para lembrar: a mulher do governador de Minas, defendida por Aécio Neves, é suspeita de ter lavado dinheiro de propina por meio de uma empresa de fachada.

  11. Em post prévio você concordou que a desobediência civil pacífica (sem violência) é uma estratégia a se pensar desde que existam critérios e timing.
    Na situação caótica que vive o estado brasileiro, a incompetência da oposição, que começa a assumir papel de aceitação da derrota, beirando a conivência, seria um critério?
    A iminência de mais uma derrota, agora no TSE, não justificaria a ação mais efetiva de brasileiros indignados?
    A DCP não contribuiria para a Lava Jato e a votação no TSE, tanto quanto as manifestações de rua?
    A DCP, realizada por poucos indivíduos focados não seria mais propensa a gerar resultados, do que contar com a boa vontade de milhões de preguiçosos e comodistas? Dentro do contexto de DCP podem ser incluídas incursões mesmo em locais frequentados por oposicionistas.
    Pressinto que fora da ação mediante comandos organizados de resistência via DCP, teremos poucas chances de mudança no contexto político atual. Até porque hoje os abnegados MBL, VPR e ROL só mobilizam alguns gatos pingados mais engajados por causa da Lava Jato. Ou seja, até para se manifestar o Brasil precisa do estado.

    • Paulo Jr.

      Não vejo que seria um critério. A coisa tem que FICAR MUITO FEIA para gerar clamor para algo próximo a guerra civil.

      Lembre-se que a turma que defende “revolução civil” NÃO LEVA NINGUÉM para as ruas.

      Me parece que os criadores destes discursos estão distraindo as pessoas.

      Abs,

      LH

  12. QUE TÉDIO, AÉCIO!

    Seja um oposicionista menos tedioso, menos cuzão, porra. De que adiantou escrever ano passado diversos artigos pra Folha sentando a lenha no PT e agora comportar-se como bonequinha deles?

    É por causa disso que tem gente apostando a ficha numa porra de um Bolsotário da vida.

    Vai se aliar com petistas na CASA DO CARALHO, Aécio. Não tem conversa. Não tem acordo. Ou se afasta e passa por cima dos petistas, ou então vai continuar a ser visto não só pelos petistas, mas também por nós anti-petistas, como CUZÃO.

  13. [OFF]

    Paulo Teixeira (PT) alivia para que Lula não se explique sobre o tríplex e o porquê não vai adiantar porra nenhuma esse showzinho rídiculo que os petistas estão dando

    https://casacaindo.wordpress.com/2016/02/17/paulo-teixeira-pt-trata-a-populacao-como-imbecil-aliviando-para-que-lula-nao-se-explique-sobre-o-triplex-e-o-porque-nao-vai-adiantar-porra-nenhuma-esse-showzinho-ridiculo-que-os-petistas-estao-fazen/

    Sítio do Molusco do Inferno: quem é quem no caso obscuro do sítio de Lula e o chororô do mesmo

    https://casacaindo.wordpress.com/2016/02/16/sitio-do-molusco-do-inferno-quem-e-quem-no-caso-obscuro-do-sitio-de-lula-e-o-chororo-do-mesmo/

  14. Aécio é mais um dos sacos de pancadas do PT. Não acho que ele dê sequer cascudinhos em seus adversários políticos. Ele tenta pedir paz, amor e união enquanto o PT arranca todas as suas pregas. Até parece que o PT quer alguma conversa produtiva com ele…De fato ele opta em ir na mesma toada de 2014. Mais pregas irão embora.

    • Não é. O que é SUSPEITO é apoiar uma candidatura em 2018 em pleno 2016 quando temos tantas outras demandas urgentes, das quais Bolsonaro poderia ser até lider. Enquanto isso, hoje, Picciani foi eleito líder do PMDB na Câmara sem pressão alguma….

  15. O meu apoio já perdeu, exatamente por não fazer oposição de verdade. Votei nele por falta de melhor opção, mas voltarei a fazê-lo se o confronto for com o PT ou algum outro partido de esquerda. Porém, ele só não faz oposição de verdade porque o PSDB é esquerdista também. Só estarei escolhendo o mal menor.

    • ele só não faz oposição de verdade porque o PSDB é esquerdista também

      Isto não é verdade. Há direitistas que não fazem oposição também. O desastre político é GENERALIZADO. Aliás, a direita as vezes é até pior que os tucanos no combate ao PT…

      • Menos, Luciano, menos. É verdade, sim, que o PSDB titubeia como oposição devido às agendas comuns que tem com o PT, máxime na guerra cultural. E o que você está chamando de “direita” é na verdade o pessoal fisiológico. Este não é de direita, de esquerda e nem mesmo de centro (by Kassab). É somente patrimonialista.

      • Joanna,

        Lucianohenrique, isso não é verdade! Os poucos direitistas conservadores de verdade são os únicos que fazem uma oposição real.

        Não são todos não. Na verdade, talvez seja a minoria. Muitos racionalizam “desistam do impeachment, vamos para outra solução” (e aí surgem com demandas de longo prazo, que serão diluídas no esquecimento). Isso não é fazer oposição real. Tucanos e conservadores vão juntos nessa.

  16. A meu ver.o PSDB começou a arrancada esquerdista no Brasil,o PT é só um tentáculo desta grande maquina mentirosa na qual se auto denomina “Socialista”,na verdade o PT é o lado Sujo e armado da esquerda,este Partido,ou “quadrilha”,como queiram,aproveitou a brecha deixada,propositalmente, pelo PSDB,e uma vez no Poder fez o serviço sujo para a esquerda Brasileira,sendo o PSDB é o mentor intelectual para que se instale de uma vez por todas o Comunismo,(disfarçado de Socialismo) em nome de uma A.L, Unida e forte,só que apareceu um empecilho nos Planos da esquerda,na Argentina a Bruxa não conseguiu se eleger ,e no Brasil.está parecendo que a Direita não está totalmente moribunda,está se fortalecendo muito em torno de um Politico de Direita,seu nome. JAIR BOLSONARO.

    • Eu gostaria de ver essa entrevista completa, pois pelo que vi o FHC está fazendo uma CRÍTICA, e não uma VALIDAÇÃO.

      “FHC disse ainda que “somente a disputa pelo poder separa o PT do PSDB” e acrescenta, dizendo que “já pensou na possibilidade de PT e PSDB estarem do mesmo lado, mas considera a hipótese pouco provável por conta da disputa pela hegemonia política no país“.
      “É porque nós não discutimos nem disputamos ideologia (quem é mais comunista), é poder, é o poder quem comanda“, diz FHC. Segundo ele, há uma “massa atrasada” (conservadores de direita) no país e partidos que “representam esse atraso”. “Os dois partidos que têm capacidade de liderança para mudar isso são o PT e o PSDB, em aliança com outros partidos (de esquerda). No fundo, nós disputamos quem é que comanda o atraso”, afirma o Presidente de honra do PSDB.”

Deixe uma resposta