Lewandowski afronta o povo ao dizer que “não tem previsão” para julgar Renan

8
56

____ricardo_lewandowski_not3684

No nível de avacalhação em que o STF se encontra, alguns dos ministros não tem mais nem sequer pudor de dar uma declaração afrontosa aos pagadores de impostos, como vemos em matéria abaixo, da Folha:

O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Ricardo Lewandowski, afirmou nesta quarta-feira (17) que ainda não há previsão de quando levará a julgamento a denúncia oferecida pela Procuradoria-Geral da República contra o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que se arrasta há três anos no tribunal.

Segundo Lewandowski, que foi o primeiro relator do caso, há questões burocráticas que precisam ser resolvidas antes da análise do inquérito que apura se Renan usou dinheiro de empreiteira para pagar pensão a uma filha que teve fora do casamento. O escândalo, ocorrido em 2007, foi um dos fatores que levou Renan a renunciar à presidência do Senado na época.

“Por enquanto, ainda não [há previsão de julgamento], porque temos prazos regimentais de intimação de todo mundo. Temos que examinar tudo isso”, afirmou o presidente do STF.

O ministro justificou que há sempre prioridades, como a discussão desta quarta sobre a validade de medidas adotadas pela Receita que confere maior controle sobre movimentações financeiras.

“Veja que há sempre novas prioridades. Esta é uma prioridade inafastável na véspera da declaração do Imposto de Renda. A gerência da pauta é extremamente difícil. Tem que atender pedidos dos colegas, verificar prescrições, réus presos, é uma arte fazer isso”, disso.

A denúncia contra Renan foi liberada para análise pelo plenário do STF pelo relator do caso, ministro Luiz Edson Fachin. Pelas regras do Supremo, cabe ao presidente do Supremo incluir o inquérito na pauta.

Se a acusação for acolhida pelo plenário do Supremo, Renan passa a ser réu, respondendo pelos crimes de peculato, falsidade ideológica e uso de documento falso.

O caso tramita em segredo de Justiça no Supremo e chegou ao tribunal em 2007. Lewandowski era o relator original do caso, mas deixou o processo quando assumiu a presidência do STF, em setembro de 2014. Fachin assumiu o caso em junho de 2015, logo após tomar posse no Supremo.

Para justificar que tinha renda para pagar a pensão, Renan apresentou documentos e disse que tinha recebido uma parte com a venda de gado. O suposto comprador, porém, negou que tenha adquirido bois do senador.

Na denúncia, a Procuradoria disse que Renan não possuía recursos disponíveis para custear os valores repassados a jornalista Mônica Veloso entre janeiro de 2004 e dezembro de 2006, e que inseriu “informações diversas das que deveriam ser escritas sobre seus ganhos com atividade rural, com o fim de alterar a verdade sobre fato juridicamente relevante, qual seja, sua capacidade financeira”.

A pena prevista no Código Penal para o crime de peculato (quando servidor utiliza o cargo para desviar dinheiro público) é de 2 a 12 anos de prisão. Se Renan for condenado pelos três crimes, a soma de suas penas pode variar de 5 a 23 anos de cadeia, mais pagamento de multa a ser estipulada pelo STF.

Como instituição, o STF acabou. Não serve mais. No máximo, vai funcionar sob pressão popular. Qualquer traço de confiança não tem mais razão de existir.

Que Lewandowsky tenha dito “veja que há sempre novas prioridades” para a mídia também é de assustar. Se há “sempre” novas prioridades, este é o problema.

A velocidade dos julgamentos feitos por essa gente já é baseada no grau de apoio ou oposição em relação ao governo petista.

Essa gente é digna de ânsia de vômito.

Anúncios

8 COMMENTS

  1. “Veja que há sempre novas prioridades. Esta é uma prioridade inafastável na véspera da declaração do Imposto de Renda. A gerência da pauta é extremamente difícil. Tem que atender pedidos dos colegas, verificar prescrições, réus presos, é uma arte fazer isso”

    De fato, é uma arte sacanear o povo. Este parágrafo acima denuncia como o STF trabalha pelo governo e não pela justiça.

  2. P ST através de alguns supremos calhordas, tornou-se mais um palco de despção assaciado s e consorciados as falcatruas petistas indoçando visivelmente a o que já virou “Barraco da mãe Joana”. O povo se vê em sinuca de bico e em desamparo pleno, sendo lançado a cada dia em um.mar de lama onde não se pode navegar a não ser ficar atolados no lamaçal dos poderes comprados pela PresidAnta que não mexe esforços para dar continuidade aos seus próprios interesses. Lamentável, recorerrer a quem? só Deus.

  3. A prioridade agora pelo STF e afastar o Eduardo Cunha por se posicionar contra os Ptralhas. Como o Renan está apoiando este desgoverno, deixam ele em paz.
    Estamos com mais de 9.000.000 de Brasileiros desempregados até o final de 2015, atualmente deve estar um número muito maior. Esperamos que estes desempregados compareçam nas manifestações do dia 13/03/2016 pró impeachment da Dilma, faltam 23 dias. Aproveitam e entram no site do congresso pró impeachment e apóiam estes movimentos e divulguem aos demais amigos e familiares.

  4. Para os 9.000.000 de desempregados, sugiro participarem das manifestações pelo impeachment da Dilma no dia 13/03/2016, entrem no site http://www.proimpeachment.com. br e assinam a favor e divulguem, vamos trabalhar para passar dos 5.000.000 de apoio. Não caiam nos contos deste desgoverno dos Ptralhas, se a Dilma não sair serão mais 3 anos de muitas emoções de caos, desempregos, inflações, etc… Depois não dizem que não foram alertados!!!

Deixe uma resposta