Afastamento de promotor deveria ser levado a tribunais internacionais

32
104

_________________________________________________cassio

Desde ontem já sabemos que a escória está dando um golpe para tirar o promotor Cassio Conserino, porque, em desafio aos tiranos, convocou Lula para um depoimento. Como lemos no Antagonista:

O promotor Cassio Conserino ousou convocar Lula para um depoimento.
Por isso ele será afastado do caso.

O Conselho Nacional do Ministério Público, presidido por Rodrigo Janot, vai alegar, segundo o Valor, que o promotor “se excedeu ao antecipar à imprensa que denunciaria Lula e Marisa Letícia por lavagem de dinheiro”.

O caso, agora, terá de ser redistribuído por sorteio.

Lula ganha tempo e perde a vergonha.

Janaína Paschoal disse, também para o Antagonista:

Ele está sendo punido por trabalhar […] Tem promotor que prefere não expor a investigação como estratégia, mas há quem opte pela divulgação para ter o apoio da sociedade. Num país como o Brasil, os poderosos não são investigados. A própria decisão do CNMP demonstra isso. O promotor do caso Samarco fala sempre à imprensa.

No dia em que algum líder oposicionista começar a levar os casos de golpes jurídicos do PT para tribunais internacionais, o sorrisinho petista vai começar a desaparecer da cara deles. Janot e o STF hoje são tão confiáveis quanto escorpiões. É preciso lutar e ir para a pressão política ainda mais intensa. Caso contrário, eles levam a melhor.

Anúncios

32 COMMENTS

      • Luciano, pelo amor de Deus!! Pare de confundir os políticos fisiológicos e patrimonialistas com a direita!

        Kátia Abreu, por exemplo, era tida como de direita, mas acabou se desmascarando como uma política que não tem nada a ver com a direita. No Brasil, são pouquíssimos os políticos de direita.

        É a esquerda que costuma chamar os patrimonialistas de “direita”. Você está fazendo o mesmo jogo da esquerda, poxa!!!

        Se liga, homem!!!

      • E quem disse que eu disse que “os políticos patrimonialistas” são a direita?

        Que parte de meu texto menciona essas pessoas?

        Se hoje existe gente dizendo “nós somos a verdadeira direita” (e geralmente eles defendem intervenção militar, qualquer outra coisa e até a campanha do Bolsonaro), então é deles que estou falando, embora eles não representem toda a direita.

        Melhor começar a ler os textos com atenção, antes de refutar algo que eu não escrevi.

      • O que tem a ver o discurso “Bolsonaro 2018” com o funcionamento ou não das instituições? As instituições garantem que Bolsonaro vai se candidatar em 2018?

      • Então dê o argumento LÓGICO aí, espertão, dizendo qual o sentido em dizer:

        (a) desista das vias instituições, pois elas não funcionam
        (b) vote em Bolsonaro

        Me parece que para ter o Bolsonaro eleito, precisamos aderir à uma ação pela via institucional, ao invés de pela revolução.

        Mas, enfim, argumente.

      • Ele pode estar falando que em um caso elas funcionam mas no outro não. Mesmo que o judiciário seja aparelhado, o sistema eleitoral não é.Sério, não sei o que tem de tão difícil em entender isso.

      • Mas espere…

        Se o sistema eleitoral não é aparelhado (mas eles próprios já pediam revolução civil contra “toda a classe política” há alguns meses), então você pode eleger alguém que queira, caso trabalhe adequadamente. Mas como ele poderá legislar plenamente se “o sistema judiciário está aparelhado”?

  1. Mais uma vez, quem é o desgraçado que dá força aos bandidos? O maldito Rodrigo Janot! Ele consegue superar todos em questão de duplo padrão e parcialidade!!!

  2. Essa direita bolsotária tá dormindo no ponto, tá muito mole.

    No momento em que se soube que aquela PORRA de Paulo Teixeira, do PT, ia processar o promotor que investiga o Lula, o que devia ser feito é um ATAQUE MORAL EM MASSA contra o deputado petista.

    Tinha que todo mundo ir na página dele no facebook e falar horrores, escrever horrores – na época que aquela porra de Manuela d´Ávila inventou Passe Livre Para Bandidos, foi feito isso e teve resultado, a deputada pediu desculpas, anulou o projeto e até hoje morre de horror que alguém lembre desse episódio.

    Alguém foi na página daquele lixo do Paulo Teixeira? Um ataque virtual em massa a ele, que tal? Nada. Ficam aí discutindo sobre o Bolsotário que tá lá faturando o dele às nossas custas e se preocupando com qual cargo vai dar pra filha dele quando crescer. TROUXAS 🙂

  3. Aqui está a página do deputado petista Paulo Teixeira, responsável por essa PUTARIA:

    https://www.facebook.com/DeputadoPauloTeixeira/?fref=ts

    Se até amanhã não aparecerem diversas mensagens de repúdio, de nojo, e o acusando dessa PUTARIA que tá fazendo, a direita provará o pedaço de bosta que é.

    Pra quem não tá manjando nada da participação desse PORRA nessa putaria:

    https://casacaindo.wordpress.com/2016/02/02/tirania-e-insanidade-paulo-teixeira-pt-processa-o-investigador-do-triplex-do-lula-e-nao-fala-de-proibir-roubo-de-grana-publica-mas-sim-proibir-imagem-do-japones-da-federal/

    https://casacaindo.wordpress.com/2016/02/17/paulo-teixeira-pt-trata-a-populacao-como-imbecil-aliviando-para-que-lula-nao-se-explique-sobre-o-triplex-e-o-porque-nao-vai-adiantar-porra-nenhuma-esse-showzinho-ridiculo-que-os-petistas-estao-fazen/

    ATAQUEM ESSE VERME, PORRA! ATAQUEM ESSE CÂNCER, ESSE LIXO, ESSE PSEUDOHUMANO, SEUS BOSTA!

  4. Sabe aquele filme A CAIXA, com a Cameron Diaz? Que basta apertar o botão da caixa? Olhe, nem conto o que faria com uma caixa daquelas em mãos nesse momento… minha fúria faz querer destruir o pc de tanta raiva desses lixos.

  5. Foi um erro estratégico ele ter dito o que se dispunha a fazer. Se tivesse esperado para falar só depois do depoimento, talvez tivesse passado despercebido até ser tarde demais.

    Informação é poder: ele disse o que ia fazer, alertando os peterroristas e lhes dando tempo hábil para um contra-ataque preventivo.

    * * *

  6. Quanta bobagem!! Em política deve valer tudo: ações institucionais e não-institucionais. Institucionais onde as instituições ainda funcionam e não-institucionais onde não estejam funcionando como deveriam. Preocupar-se com contradições é, sinto dizê-lo, otarice. Que sejamos contraditórios, sim!! assim como o são os adversários.

    Em política o que importa é vencer, de um modo ou de outro. Nisso os petralhas estão cobertos de razão: os fins políticos devem justificar todos os meios (aprendi com eles quando era esquerdista).

    Para derrotar a esquerda, tudo deve valer conforme as circunstâncias do momento (eleição, desobediência civil, atos violentos, etc, etc.).

    O resto é idiotice de gente escrupulosa. De gente otária!!!

    • Você está distorcendo tudo, não sei se desonestamente ou não. Se existem contradições, elas mesmo devem ser gerenciadas e não gerar comandos confusos e contraditórios EM TÁTICAS. Não foi assim que elegeram Macri na Argentina. Não é assim que estão pressionando Maduro na Venezuela. Vocês estão escolhendo opções MAIS BURRAS do que as oposições desses países. Vocês nunca tem energia suficiente par focar em ações práticas. É por isso que, ao rejeitar os movimentos de rua, não conseguiram criar um movimento contraditório. É simples: ninguém se torna um bom jogador de futebol se achar que “treino não funciona”. Pois “treino não funciona” é contraditório ao comando mental “treinar funciona”. Você está confundindo as contradições teóricas da esquerda com as CONTRADIÇÕES TÁTICAS da direita purista. Enfim, vocês uma hora vão ter que se decidir: caso contrário, não terão nenhum resultado. E isso tem sido previsto desde o fim de 2014…

  7. Luciano, fazer guerra simétrica (ou regular) com quem a faz assimétrica é perder de véspera. devemos ser reativos e retributivos com o inimigo. o que importa na guerra política é vencer e vencer. Em um outro post eu disse que o aparelhamento do Estado legitimaria ações não-institucionais e você, referindo-se ao STF, redarguiu argumentando que o outro lado poderia dizer algo assim: “aparelhamos porque vencemos eleições; se vocês não estão gostando, vençam no futuro e desaparelhem”. Foi algo nesse sentido.

    Ora! Aparelhar não tem nada a ver com vencer eleições; aparelhar é fazer com que as instituições não funcionem dentro da legalidade, decidindo contra a ordem jurídica para beneficiar aliados e perseguir adversários. Nenhuma eleição justifica essa prática. O que fazer, então, se funcionários pagos pela sociedade, com poder para dar a última palavra, o exerce contra a própria legislação? Qual seria a ação institucional capaz de punir esses mau servidores e corrigir a anomalia? Simplesmente não existe. A solução passaria necessariamente pela não-institucionalidade. Por exemplo, por atos hostis a esses indivíduos nas ruas, nos shoppings, nos restaurantes, etc. Isso apenas para começar.

    Vi há poucos dias um vídeo da Ucrânia em que políticos acusados de corrupção são literalmente jogados em conteiners de lixo. Eis um meio não-institucional interessante para infernizar a vida desses sacanas. E assim por diante, até que eles recuem ou comecem logo uma guerra civil.

    Enfim, qualquer meio de ação política pode se justificar conforme as necessidades e circunstâncias. É claro que se deve tentar pelos meios institucionais em primeiro lugar. Contudo, caso a esfera institucional não funcione como deveria, qualquer outro meio se torna justificável. É algo tão óbvio que não deveria sequer ser discutido.

    • Você está confundindo guerra assimétrica – que é algo legítimo – com uso de COMANDOS CONTRADITÓRIOS EM TERMOS TÁTICOS. Se, como você diz, o que importa é “vencer e vencer”, então porque optam por discursos confucionistas que só fazem muitos dos adeptos sofrerem e entrarem em desespero, postando espasmodicamente?
      Você diz que “nenhuma eleição justifica o aparelhamento”, mas aí você diz que quando isso acontece está justificada a ação não-institucional. Mas vocês nunca sequer avançam nessas demandas. Fica parecendo discursos histéricos criados por guru espertão.
      Você disse: “Vi há poucos dias um vídeo da Ucrânia em que políticos acusados de corrupção são literalmente jogados em conteiners de lixo.”
      Então quando vocês vão começar a fazer isso? Mas FAÇAM, focados, e não fiquem com a ideia de “é revolução civil” e depois passam a apoiar artificialmente um candidato em 2016… para uma eleição em 2018. E sinceramente, eu acho que tem espertão por trás desse frisson em torno do Bolsonaro para melar as manifestações de 13/3. Aí o truque é jogar a meta para obter o resultado em 2018. Até lá vão trocar de demanda.
      Mas eu aviso antes, mais uma vez… Depois não digam que eu não avisei.
      Por fim, você diz:
      Enfim, qualquer meio de ação política pode se justificar conforme as necessidades e circunstâncias. É claro que se deve tentar pelos meios institucionais em primeiro lugar. Contudo, caso a esfera institucional não funcione como deveria, qualquer outro meio se torna justificável. É algo tão óbvio que não deveria sequer ser discutido.
      Então eu quero ver o que VOCÊS defensores das “ações não-institucionais” vão fazer. Tragam resultados, pois a credibilidade de vocês não está boa depois de tantas contradições táticas – que não tem nada a ver com guerra assimétrica, coisa com que vocês nem tem estrutura mental para lidar. Vocês perderam a autoridade de vir querer dizer como os adeptos da luta democrática devem agir. Agora cabe a vocês mostrarem que tem bala na agulha. Tudo que vocês dizem agora fica parecendo só gogó…

  8. Quem lhe disse que sou contra os movimentos de rua? Sou a favor de todas as táticas que possam debilitar os adversários. E não sou nenhum purista. Acho que você não me entendeu. O que digo é que táticas institucionais e não-institucionais devem ser usadas concomitantemente. Umas não invalidam as outras. E que papo é esse de unidade tática? Que cada grupo utilize a que entender cabível com independência. Unidade faria sentido se tais grupos estivessem unidos, e essa não é a realidade.

    O que é burro é ficar brigando entre si por divergências táticas.

    • Então se você entendeu a guerra assimétrica, deve saber que os grupos que se apresentarão ao público farão somente a luta democrática. Alguns grupos do submundo falarão de táticas não-institucionais. Mas parece que estes gastaram meses entrando em conflitos com os movimentos de rua. Nisto, chegaram ao ridículo – imperdoável, diga-se – de aparecerem nas manifestações dos democratas. Com cartazes como “intervenção militar”, ajudaram a estragar movimentos focados em ações institucionais. Isso não é guerra assimétrica. É BURRICE. Até hoje tenho que aturar conversinhas ridículas em um site focado em guerra política, de gente pedindo “desista da guerra política”. Não existe guerra assimétrica feita com tanta burrice. Os adeptos de intervenção militar ou guerra civil tinham que se fechar em seus grupos, e começar a entender o quanto esse discurso é indesejado fora de seu submundo.
      O que é burro é ficar brigando entre si por divergências táticas.
      O que eu disse é que os adeptos da via não-institucional tem que se organizar, trazer seus resultados e parar de pentelhar os que acreditam na guerra política de maneira focada.

      • A pior parte é que o contexto de intervenção militar só funciona como golpe, e nenhum golpe pode ser trazido a público. Tudo deve ser arquitetado nos bastidores e executado quando ninguém menos espera. Ou seja, os defensores da intervenção militar prestaram um desserviço à sua própria agenda!

  9. Luciano, não pertenço a nenhum grupo organizado e tampouco estou a serviço de alguém. Sou apenas um cidadão que opina na internet e participa de movimentos de rua como anônimo. É simplesmente isso.

    Como fui esquerdista e ainda vivo rodeado de esquerdistas, procuro dar minha humilde contribuição colocando minha experiência esquerdista em desfavor da própria esquerda. Procuro desfazer o trabalho de base que um dia fiz para a esquerda. Só isso. É a minha auto-penitência.

    • Em 2014, eu sugeri a divisão ORGANIZADA da direita. Era a guerra assimétrica. Gurus ficaram contra isso e sugeriram a ideia falida de que intervencionistas e civilistas deveriam se unir. E agora sugerem a briga desorganizada. Vamos ver aonde isso vai dar.

      Eu também fui esquerdista no passado, e por causa de uns contatos soube de informações específicas sobre métodos tirânicos. É assustador notar como tem formador de opinião que ainda não percebeu algumas arquiteturas de poder sendo utilizadas. Mas, enfim…

Deixe uma resposta