Macri praticamente extingue imposto de renda para maioria absoluta. Ele está certo? Depende do ponto de vista…

6
41

_____________________________size_810_16_9_macri

Para segurar a inflação, Macri toma uma decisão que vai fazer muito socialista chorar de ódio, conforme se lê em uma notícia da Folha:

Na tentativa de segurar a inflação, o presidente da Argentina, Mauricio Macri, anunciou nesta quinta-feira (18) um aumento no piso do Imposto de Renda.

A partir de 1º de março, só pagarão a alíquota aqueles que receberem mais de 30 mil pesos (cerca de R$ 8.000) por mês –antes, o mínimo era de 15 mil pesos (cerca de R$ 4.000). A mudança é retroativa a 1º de janeiro. Apenas 10% da população tem hoje um salário superior aos 15 mil pesos.

“Alguém que tinha um salário líquido de 21.300 pesos passará a ganhar 26.600 pesos”, exemplificou o presidente no anúncio na Casa Rosada, onde estavam presentes também governadores e dirigentes sindicais.

Com a alta do piso do IR, Macri espera que os trabalhadores reduzam os pedidos de aumentos. Sindicatos defendem um incremento salarial de pelo menos 32%, o que impactaria na inflação do país.

A meta do governo é ter uma inflação menor de 25% neste ano. Em 2015, apenas na cidade de Buenos Aires, os preços avançaram 26,9%.

Os detalhes da mudança (que podem beneficiar uma parte maior da população) ainda não foram divulgados.

Interessantemente, o Instituto Liberal de São Paulo questiona:

Enquanto o governo brasileiro não reajustou a tabela do imposto de renda de acordo com a inflação e fará os brasileiros pagarem 60% mais imposto de renda este ano, Macri de uma tacada só praticamente extingue o imposto de renda na Argentina.

Alguém tem alguma dúvida de qual modelo dará certo no médio/longo prazo?

Resposta: ambos.

Para avaliar isso é preciso estudar os objetivos. Como o objetivo do PT é obter o poder totalitário, o modelo petista passa a ser o mais capaz de dar certo tanto em médio como longo prazo. Serve para afugentar investidores e gerar dependência estatal, além de aumentar as oportunidades de aparelhamento. Assim, o modelo do PT é melhor para os projetos petistas.

Já como Macri não tem intenções de criar um totalitarismo, para ele é importante aquecer a economia e combater a inflação. Mas essa avaliação só pode ser feita levando em conta a construção de uma sociedade democrática e mais liberal. Neste caso, aí o modelo de Macri dará mais certo.

Eis a forma como deveríamos avaliar o esquerdismo. Não por visões unilaterais da realidade onde projetamos nossas intenções nos outros, mas com base em uma percepção de uma realidade onde os seres humanos possuem diferentes intenções.

Pode ser duro reconhecer que as políticas de Dilma e Macri estão indo bem, mas é por possuírem objetivos diferentes. Para Dilma, o que vale é o poder totalitário. Para Macri, o que vale é arrumar a economia.

Se conseguirmos começar a pensar em nossos adversários como eles realmente são, teremos enfim o real potencial de previsão a respeito de seus próximos passos.

Anúncios

6 COMMENTS

  1. Na verdade Macri mandou mal nessa, pois na prática concentrou o imposto numa minoria da população. Porque 30000 pesos? Se o cara ganha 30001 paga imposto de 25% enquanto o cara que ganha 29999 năo paga nada. O correto é alíquota única para todos. 1% de todo mundo por exemplo independente se é rico ou miserável.

  2. Sim, o plano totalitário para o Brasil em particular segue firme em suas etapas: a mais recente é a quebra do sigilo bancário pela Receita Federal e o controle de movimentações bancárias acima de 2 mil reais.
    E nenhum “especialista” comenta o passeio e as declarações desses Piratas do Caribe – veja a foto da caveira e ossos entre os dois.
    http://www.gazetadopovo.com.br/mundo/papa-francisco-faz-encontro-historico-com-lider-da-igreja-ortodoxa-russa-5jeua8dc8ht2ma9hyhf0dr1oj
    Senso de humor? Du-vi-d-o-do. E Kiril já chegou em Brasília?

  3. E Macri também reduziu os impostos sobre carros. Vai beneficiar quem tem mais dinheiro? Sim. Mas esse que tem mais dinheiro é que vai gastar e aquecer a eocnomia.

Deixe uma resposta