Dennis Prager fala sobre a real diferença entre direita e esquerda

16
253

dennisprager

Me lembro de ter visto em uma página libertária dia desses um texto dizendo: “Eles (os socialistas) optam pela igualdade, e nós optamos pela individualidade”. Me desculpem a sinceridade, mas isso é criancice. É também uma manifestação da fé cega na crença da forma mais patética possível. Pela fé cega na crença, uma pessoa avalia o esquerdista não pelo que ele é (e como ele se comporta), mas por como ele diz ser.

Se aplicássemos isso ao dia a dia, uma pessoa teria que considerar os bandidos como “inocentes”, pois é isso que eles sempre dizem quando são presos. Não vemos pessoas dizendo que “bandidos são caracterizados por sua inocência, pois é isso que sempre declaram quando são presos”. Então por que aceitamos com tanta normalidade ver pessoas de direita dizendo que “esquerdistas prezam a igualdade, pois assim se declaram, enquanto nós prezamos a liberdade”? A morte da fé cega na crença deve ser uma de nossas ações políticas.

Cair nesse tipo de deslize é muito comum. E por isso precisamos ter vigilância em relação às palavras que escolhemos. O esquerdismo, obviamente, nunca foi focado em igualdade, mas em adquirir poder pelas vias do inchaço estatal. A extrema-esquerda – representada no Brasil principalmente por PT, PSOL e PCdoB – visa adquirir o poder totalitário pelas vias do inchaço estatal. Seja lá como for, este vídeo  de Dennis Prager – traduzido pela equipe do Tradutores de Direita – dá uma boa distinção realista entre o que significa ser de esquerda e de direita:

Anúncios

16 COMMENTS

  1. A expressão “fé cega na crença” é imprópria e, além disso, redundante, já que fé é sinônimo de crença. O correto no caso seria “fé cega no discurso”.

  2. Luciano, tenho aprendido um bocado com você, minhas concordâncias com suas opiniões e análises são maiores que as discordâncias. Nesta questão de direita x esquerda, exemplificada pelo video do Dennis Prager, tenho sérias dúvidas, pois a teocracia, um espectro relevante da política em tempos remotos no ocidente, mas muito presente ainda no Islamismo fica de fora. Se usarmos o conceito simplista de que esquerda esta associada a mais Estado e direita a menos Estado, uma teocracia totalitaria como a muçulmana teria que ir para a extrema esquerda, o que acho um erro lógico. Por isso ainda acho que a melhor análise sobre espectros políticos foi feito pelo Pedro Carleial, do site O Capitalista(que não é mais atualizado desde 2010: http://ocapitalista.blogspot.com.br/search/label/Espectro%20Pol%C3%ADtico).

    Ali ele coloca o comunismo na extrema esquerda e a teocracia na extrema direita, usando como uma das referencias de pensamento Ayan Rand. Um controlando a sociedade pelo lado econômico e o outro controlando pelo aspecto moral e religioso. São extremos antagônicos na forma e no conteúdo mas não nos resultados. Quando eu vejo o que está acontecendo agora entre o que você chama de “direita true” e os movimentos liberais mais fico convencido que esta análise esta correta e que a democracia é apenas uma ferramenta descartável que os dois lados usam para buscar seus objetos de desejo: um Estado controlador.

    abçs, Hely

  3. Luciano, concordo com quase tudo que escreve e admiro sua sagacidade e inteligência, entretanto tenho uma dúvida. Da mesma forma que a esquerda usa o falso discurso de igualdade enganar trouxas, como faremos para não cair no discurso de redução do governo dos direitistas vendidos ao capitalismo de empresas??? Acredito que o mais benéfico ao país seja o capitalismo de mercado, diferente do que acontece hoje no Brasil.

  4. O que é esquerda, afinal? Basicamente, é a ação

    política com o objetivo de implementar um estado

    totalitário que obtenha o máximo de controle sobre

    a vida de seus cidadãos, de forma que tudo

    beneficie os burocratas que tomam conta deste

    estado. Esquerdismo é a crença nessa ação

    política, e, por consequência, no estado inchado e

    interventor.(por Luciano Ayan).

    Guardei, e uso e abuso do texto a todo momento com o devido crédito, porque sintetiza o que é a esquerda.

  5. Ok, são duas crenças diversas. Mas ainda assim entendo que a expressão está incompleta e confusa. Que tal “fé cega na veracidade da crença socialista”?

Deixe uma resposta