Impeachment ou cassação? Para que escolher?

5
96

dilmas

Imagine que uma pessoa esteja correndo risco de vida e precise de uma transfusão de sangue, além de atendimento de urgência. Mas acontece de o quarto não estar disponível, ou talvez tenha acontecido um problema com o plano de saúde. Em razão de overbooking, o quarto ideal pode não estar disponível.

O que fazer? Simples: avalie de acordo com o risco. As vezes pode ser melhor até ser atendido no corredor e depois pensar em processar o plano de saúde.

Enquanto isso, a direita está discutindo se “é melhor impeachment ou cassação”.

Não quero dizer que o site Implicante está tomando esse tipo de posicionamento, mas esse texto “Impeachment ou cassação: entenda as diferenças” parece atender a uma demanda a meu ver equivocada. Leia:

Que o povo não aguenta mais o governo de Dilma Rousseff, isso é fato. Uns falam em impeachment, outros em cassação, mas… quais seriam as diferenças entre as duas modalidades de afastamento? Aqui vai uma explicação rápida e objetiva:

Impeachment

Decorre de crime de responsabilidade praticado no curso do mandato e quem julga é o Poder Legislativo. Se deputados e senadores votarem em favor disso, Dilma cai e quem assume é Michel Temer. Atualmente, a coisa está no seguinte pé: já foi formulado o pedido e o Presidente da Câmara aceitou. Embora o STF tenha revisto os ritos e a eleição da Comissão Especial de Impeachment, o processo segue em curso na Câmara dos Deputados.

Cassação

Decorre de crime eleitoral e quem julga é o TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Nesse caso, toda a chapa é destituída, saindo tanto Dilma quanto Temer e há duas hipóteses (o próprio TSE já consagrou ambas): convoca-se nova eleição ou o segundo colocado assume. A situação atual é a seguinte: já foi movido processo, o tribunal eleitoral aceitou e Dilma e Temer estão apresentando suas defesas. Está tudo bem no princípio e o temor é de que não haja muito tempo hábil para esgotarem todas as fases de julgamento nestes 3 anos restantes.

Importante lembrar, por fim, que a prisão do marqueteiro de Dilma reacendeu os dois debates. De um lado, a cobrança política pela celeridade no impeachment; de outro, e mais diretamente, a vinculação do caso às campanhas eleitorais tocadas pelo publicitário (incluída a de 2014, objeto da ação no TSE).

Em suma, é isso.

E, em suma, as duas alternativas servem. Ambas são justificáveis. Uma questão importante é: em quanto tempo conseguimos? Parece que o impeachment pode ser mais rápido. Logo, precisamos de foco em 13/3.

Não estamos em época de escolher entre essas duas opções, ou o Brasil vai morrer no corredor do hospital.

Anúncios

5 COMMENTS

  1. Totalmente de acordo. É claro que com a cassação, além de nos livrarmos do PMDB, ficaria definitivamente demonstrada a grande fraude que foi a campanha de Dilma em 2014. Mas entendo que o país não pode se dar ao luxo de esperar, sob pena de resvalar para uma situação econômica e social irreversível. Acho que algumas pessoas ainda não se deram conta de que só temos uma escolha pela frente: tirar esse governo do poder o mais rapidamente possível.

  2. Impeachment
    Cassação
    Expulsão
    Estender um tapete vermelho
    Cartão amarelo
    Dar a descarga
    Dar uma passagem pra Cuba
    Dar uma passagem pra Lua

    Qualquer coisa tá boa pra tirar essa terrorista de lá.

Deixe uma resposta