Ministro da justiça ameaça toda a PF em ritmo de ditadura

2
68

eugenio_aragao

Hora de pegar o saco de vômito, pois aqui veremos o trecho de uma entrevista dada pelo novo ministro da justiça, Eugênio Aragão, à Folha de São Paulo. É um assustador show de truculência e autoritarismo – além de clara ameaça à Polícia Federal – vindo de uma pessoa cuja imagem está mais suja do que pau de galinheiro, principalmente depois da revelação completamente legal dos grampos de Lula (que inclusive o citam como serviçal do PT para barrar as investigações).

Segure-se na cadeira:

E o vazamento de delação, preocupa?

Aí nós temos uma atitude criminosa, porque quem vaza a delação está querendo criar algum tipo de ambiente.

Criminoso é o teu governo, Aragão. Nada é mais criminoso que o teu governo. Aliás, foi o teu governo, sujeitinho, que elogiou os vazamentos feitos por Julien Assange e Edward Snowden.

Mas esse vazamento pode vir da própria polícia…

Estou falando de polícia, Ministério Público, do juiz, e eventualmente do advogado. Mas o advogado tem uma vantagem: não é agente público. Mas os agentes públicos têm código disciplinar. O Estado não pode agir como malandro. A minha grande preocupação é com a qualidade ética desses agentes. Se vaza, é coisa clandestina. Se vaza, esse agente está querendo atribuir um efeito a esses atos públicos, que são essas delações.

É engraçado que essa coisa fale em “ética” enquanto ameaça toda uma classe de profissionais.

Mas poderia o ministério punir algum agente que vazou?

A primeira atitude que tomo é: cheirou vazamento de investigação por um agente nosso, a equipe será trocada, toda. Cheirou. Eu não preciso ter prova. A PF está sob nossa supervisão. Se eu tiver um cheiro de vazamento, eu troco a equipe. Agora, quero também que, se a equipe disser “não fomos nós”, que me traga claros elementos de quem vazou porque aí vou ter de conversar com quem de direito. Não é razoável, com o país num momento de quase conflagração, que os agentes aproveitem esse momento delicado para colocar gasolina na fogueira.

Esta é a parte mais grave, que deveria gerar uma ação no STF contra o ministro.

Ele falou taxativamente: “eu não preciso ter prova”. Isso no mínimo é uma aberração ética. Aragão nada mais nada menos ameaçou punir pessoas sem qualquer prova, além de inverter a presunção de inocência. Aliás, o termo “nossa supervisão” é bem revelador, pois bate com os grampos dizendo que Aragão está a serviço de um grupo que nós conhecemos bem.

Enfim, policiais federais, vocês foram ameaçados por Aragão em um órgão da grande imprensa. Como vão reagir a isso? Parece que este tipo de afronta contra a autonomia da PF não existiu nem nos tempos da ditadura militar.

A sociedade não tem direito de saber o que ocorreu? Não há interesse público?

 Há um conflito entre o interesse público pela informação e a presunção de inocência. Quando se trata de colocar lado a lado esses dois valores, prefiro a presunção de inocência.

De novo o duplo padrão aqui é no nível dos mais frios psicopatas. Ele acaba de falar em “presunção de inocência” segundos depois de ter dito que puniria policiais sem “qualquer prova”.

É assustador que ele tenha sido tão sincero em declarar seu autoritarismo na linha de gente como Diosdado Cabello (o número 2 de Nicolas Maduro). Porém, isso pode ter sido um tiro no próprio pé, já que temos todas as informações relevantes que precisamos. O governo tirano ao qual este ministrinho serve já está com o filme queimado. Todas as provas necessárias para impeachment estão aí.

E no dia que o PT cair, vamos nos lembrar das pessoas abjetas que foram ocupar cargos para ameaçar a PF. Esse show de ferocidade de Aragão vai durar pouco. Com o fim da ditadura petista, o povo vai acertar as contas com ele.

Quanto à Polícia Federal, a pergunta é: vocês vão tolerar essas ameaças assim? O povo está do lado de vocês, não dos ditadores que contrataram Aragão. Vocês fizeram concurso público para suas funções. Aragão não. Vão tolerar ameacinha dele?

Fonte: Folha de São Paulo

Anúncios

2 COMMENTS

  1. O lulopetismo é uma doença, uma psicopatia grave mesmo. Esse beócio acusa a Lava Jato de obter delações premiadas mediante exxtorsão, enquanto ameaça seus subordinados de punição se houver “cheiro” de vazamento, ainda que não haja prova. Não é um excesso de psicopatia, coisa de camisa de força?

Deixe uma resposta