Isentão Claudio Abramo diz que torcer por juiz Moro é “fascismo”

10
162

size_810_16_9_Claudio_Weber_Abramo_diretor-executivo_da_Transparência_Brasil_ONG_de_combate_à_corrupção

Todas as vezes em que você ver alguém defendendo o petismo com o uso do relativismo moral junto à famosa técnica do “não sou petista, mas” tenha ciência de que nada passa de uma técnica de publicidade chamada “distanciando a propaganda da fonte”.

Acontece principalmente quando as pessoas desenvolvem muito ceticismo em relação a um anunciante (o qual é ligado ao vendedor do produto). Daí buscam supostos “isentos” que fariam a mesma propaganda, mas vendendo a imagem de estarem “desconectados da fonte”. Como sempre, é engodo.

Um exemplo do truque está em Claudio Weber Abramo, vice-presidente da ONG Transparência Brasil, que apareceu com esta cretinice abaixo, em entrevista ao DW:

Em vários dos protestos do último dia 13, o juiz Sérgio Moro e a PF foram alçados a heróis pelos manifestantes. O que o senhor acha disso?

Eu acho que isso é protofascismo. Acho esse negócio de ficar colocando xerife como herói perigoso. O pessoal não sabe com que está brincando. Não que eu seja favorável ao governo Dilma, acho um desastre. Mas esse negócio de “pega ladrão”, “xerifão” e etc. é perigoso. O aventureirismo na política nunca deu certo.

Claro, claro…

Todos os isentões dizem que “discordam do governo Dilma”, mas apelam aos truques mais sujos possíveis para tentar salvar seu mandato.

A torcida por juízes que punam criminosos não tem nada de fascismo. É um desejo humano por proteção quanto aos criminosos. Pedir para “pegar ladrão” jamais é perigoso, mas sim deixá-los soltos. Ter um juiz com histórico impecável como Moro alçado a papel de herói é um indício de sanidade na política. Apoiar bandidos que usam o poder de forma tirânica, por sua vez, é sinal de psicopatia. Ou histeria.

O fenômeno dos isentões – na verdade, uma tática de marketing do PT e nada mais – é algo com o qual devemos lidar nas próximas semanas. Veremos o maior show de cinismo que a mendacidade humana pode proporcionar. Abramo é só mais um exemplo disso.

Fonte: DW

Anúncios

10 COMMENTS

  1. Luciano, um conhecido meu, que é petista, me disse que o telefone grampeado foi a da Dilma e não do Lula.

    Ele me disse o seguinte:

    “O áudio abaixo é bem melhor e verdadeiro. Prestemos atenção nesta gravação:

    https://soundcloud.com/julia-affonso-2/audio-entre-lula-e-dilma-rousseff

    Começamos a ouvir a conversa da gravação da Polícia Federal ANTES de ser completada a ligação de Dilma para Lula. Isso quer dizer que o grampo estava no telefone da Dilma e não do Lula. Eles mentiram.

    Reparem que é possível ouvir a secretária da Dilma conversar: “ela (Dilma) quer falar com o Lula …” enquanto aguarda a chamada e ouvimos o toque. Se o grampo estivesse no telefone do Lula, jamais ouviríamos o que se passa do lado de quem chama, entendeu? E perceberam que essa parte é totalmente suprimida pelo Jornal Nacional da Rede Globo acusada de ser golpista? Podem averiguar. Eles mentiram, no que mais mentem?!”

    O que você acha disso?

  2. Os liberastas Bundas Moles estão vendo “fascismo” por todo lado” Mas esses Bundas Moles Liberastas vão ser todos mortos pelos genocidas comunistas!

    • Não critique os liberais ou libertários. A merda da esquerda sempre usurpou por conveniência as ideias liberais. Libertarianismo é sensato e correto. Esquerda é doença mental. O que acontece, é meia dúzia de esquerdopatas sequestrando ideias libertárias ou até se autointitulando como tais, mas são embusteiros.

Deixe uma resposta