Major Olímpio vai meter um processo na cara da servidora do Planalto que o agrediu

4
129

Este blog quer parabenizar o deputado Major Olímpio (SD-SP) por sua atitude digna de tratar uma bolivariana selvagem – quase um pleonasmo – da única forma eticamente aceitável:

O deputado Major Olímpio (SD-SP) protocolou nesta sexta-feira notícia-crime na Procuradoria Geral da República (PGR) contra Antonieta Silva, coordenadora de Relações Públicas da secretaria de Governo. No documento, ele narra ter sido agredido pela servidora durante a cerimônia de posse de Lula na Casa Civil. “A senhora Antonieta Maria Pereira Assis Silva…me agrediu na boca e tentou cercear a minha manifestação como parlamentar legitimamente eleito e Cidadão Brasileiro…” Olímpio conta ter sido agredido após ter dito “Vergonha, vergonha” durante a posse.

O parlamentar também ingressou com um pedido de processo administrativo disciplinar na Presidência da República. O deputado diz que Antonieta Silva praticou “improbidade administrativa, por violar princípios que regem a administração pública; incontinência pública e conduta escandalosa, na repartição, ao agredir um parlamentar no exercício de seu mandato”.

Em nota, Antonieta Silva disse que o deputado a agrediu verbalmente “o que motivou a sua reação que não foi de agressão física. Foi uma reação involuntária e de autodefesa.

Antonieta é casada com Júlio César Oliveira Silva, amigo do ex-ministro José Dirceu. Antonieta já ofereceu sua casa para que Dirceu celebrasse seu aniversário.

Só uma coisa: o jornalista da Época é desonesto ao dizer que “Olímpio conta ter sido agredido” e “narra ter sido agredido”. Salvo o jornalista queira provar que as imagens são falsas, ele FOI agredido. O truque de fingir que o outro tem apenas uma alegação – quando na verdade aponta os fatos inegáveis – é podre demais.

Antonieta, por sua vez, alega ter sido agredida verbalmente. Ela tem como provar? Vamos ver isso no processo.

Parabéns, Major Olímpio. Essa gente que faz tudo pelo poder – e até tenta retornar às eras tribais – só pode ser tratada assim mesmo.

Fonte: Deputado agredido entra com notícia-crime contra servidora do Planalto na PGR – ÉPOCA | Expresso

Anúncios

4 COMMENTS

    • Que bom que ele fez isso! Esses insanos bandidos so conhecem a linguagem que mexe com seus bolsos. Que ela seja punida na forma da lei e por estar praticando tietagem criminosa em horario de trabalho.

  1. Esse truque da imprensa é fingimento descarado. Quando algo vai de encontro a agenda política deles, não é fingimento: É agressão, assédio, violência. Quando vai contra, “é suposto”, “segundo fulano”, “ele alega”. O benefício da dúvida é exclusivo dos amigos.

Deixe uma resposta