Serra age feito mané e prejudica acordo com Temer

7
202

Como já dizia Bezerra da Silva, malandro é malandro e mané e mané. Por mais que tente, José Serra realmente não consegue mais executar uma trajetória vencedora na política. Agindo feito uma besta quadrada, meteu os pés pelas mãos e complicou o acordo com Temer. Será que ele não é capaz de perceber como os petistas fazem suas articulações? Como os próprios pmdebistas fazem? Leiam o papelão:

Antes de se tornar vice-presidente do Brasil, Itamar Franco acumulava experiência como prefeito de Juiz de Fora e senador por Minas Gerais. Michel Temer, antes de se tornar o segundo homem da República, passou seis anos como o terceiro, em três passagens como presidente da Câmara dos Deputados, sendo duas delas durante o governo FHC.

É difícil decidir qual dos dois tinha mais currículo para assumir o Brasil após um processo de impeachment. Mas certo é que Itamar conseguiu ser mais discreto. Ainda pertencia ao mesmo PRN de Collor quando, em 5 de maio de 1992, migrou para o PMDB, que havia voltado à oposição após o governo Sarney, e lá permaneceu silencioso. Três semanas depois, Pedro Collor daria a entrevista bombástica que culminaria no impeachment do presidente em 29 de setembro daquele ano.

Em 2015, Temer foi mais espalhafatoso. Vazou cartas para imprensa, deu coletivas de improviso, montou gabinete de crise na vice-presidência, articulou pelo governo, articulou contra o governo, chamou mais atenção do que deveria. Porque o principal partido da oposição, o PSDB, não quis repetir o papel do PMDB e do PT em 1992.

A solução era agir discretamente, e isso vinha sendo feito com certa maestria em 2016, até que José Serra, na manhã desta segunda, surgiu dando com a língua nos dentes. E entregou que Temer não está planejando nada inédito, mas exatamente aquilo que Itamar já fizera há 24 anos: um governo que abraça os partidos mais adultos, e larga toda a adolescência do PT – e de seus genéricos – na oposição.Temer, claro, e com rara truculência, usou a mesma imprensa para, de imediato, desmentir tudo o que senador tucano falou ao Estadão. E ainda o desautorizou a falar em nome do VP.

Se havia de fato algum pacto para que Serra e PMDB trabalhem juntos em 2018, ele ficou um tantinho mais fragilizado na manhã de hoje.

Daqui a pouco não apenas teremos que pressionar os tucanos por serem frouxos. Também temos que pegar no pé de alguns por serem burros. Bem, pensando bem o tato de Serra é de tal escala que ele conseguiu tomar uma copada de vinho na cara após ter feito uma brincadeira besta com Kátia Abreu em uma reunião de políticos em Brasília. Deprimente.

Fonte: Serra dá com a língua nos dentes e prejudica acordo que vinha sendo feito com Temer – ÁpyusCom

Anúncios

7 COMMENTS

  1. Ha! ha! ha! Serra sempre foi um mentiroso, desde aquela eleição para prefeito onde disse que não abandonaria o cargo e acabou renunciando para concorrer ao governo estadual, sinceramente não sei por que ainda dão tanto crédito a ele!

  2. Tem muitos politicos, que basta olhar para a sua cara, vem automaticamente um pensamento: Se aposenta, compra um barquinho uma vara de pescar, pesque uns peixinhos, frita, come, escreva sua biografia, não caia no sono, como todos os que veem estes politicos ha anos a fio, que nunca chegam a lugar nenhum, pois não passam da velha guardo do retrocesso.

Deixe uma resposta