Como a superplanilha pode ter sido usada para dar um golpe na Lava Jato?

7
46

sergio-moro-futro

Antes de qualquer outra coisa, veja a análise feita pelo Sul Connection:

Ontem Teori Zavascki, em uma decisão duríssima, partiu com tudo para cima da Operação Lava-Jato. O argumento central do ataque de Teori contra Sérgio Moro foi justamente o vazamento dos dados de autoridades com foro privilegiado. Hoje vem à luz uma planilha gigantesca apreendida na 23ª etapa da Lava-Jato com nomes de centenas de políticos com foro.

A planilha foi publicada pela Polícia Federal. Polícia Federal comandada por Eugênio Aragão, que anunciou em alto e bom som que iria pra cima da PF. Tudo isso logo após o grupo Odebrecht anunciar que todos os seus executivos aderirão à delação premiada. Moro acaba de liberar uma nota reestabelecendo o sigilo desta etapa da Operação.

Nela, o juiz afirma que “não se trata de apreensão no Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht e o referido Grupo Odebrecht realizou, notoriamente, diversas doações eleitorais registradas nos últimos anos”. Moro completa: “de todo modo, considerando o ocorrido, restabeleço o sigilo neste feito e determino a intimação do MPF para se manifestar, com urgência, quanto á eventual remessa ao Egrégio Supremo Tribunal Federal para continuidade da apuração em relação às autoridades com foro privilegiado.”

Do ponto de vista dos danos, é impossível voltar atrás. Os documentos já circularam fartamente. O governo pode ter parido um golpe brutal para enterrar a Lava-Jato ou pelo menos sua 23ª etapa, o que poderia fazer a Odebrecht recuar.

Muito provavelmente, estamos diante de um golpe. É preciso denunciar. É preciso reagir.

Precisamos aqui entender o que seria este golpe.

Como sabemos, “em dois anos de Operação Lava-Jato, nunca um documento com nomes de políticos com foro privilegiado havia sido publicado.”

E de repente tudo isso acontece agora?

Temos o seguinte:

  1. Novo ministro da justiça fez ameaças de que tiraria pessoas da PF se houvesse vazamento na última sexta-feira, 18/3
  2. Teori deu primeiro golpe em Sérgio Moro, tirando parte da investigação de suas mãos ontem, 22/3
  3. Um vazamento de grandes dimensões acontece hoje, 23/3

Não poderia este vazamento ter sido causado por alguém ligado ao ministro da justiça? Isto poderia dar a ele pretexto para efetuar sua tática nazista de punição em massa. Também poderia ser usado para dar um “frame” ao PT dizendo que “todos estão roubando” (quando na verdade a lista apenas aponta recebedores de doação). E, por fim, poderia ser usada para tentar invalidar a própria Lava Jato em si.

Em suma, é hora de lançar muita suspeita em relação aos ocorridos do dia. Esse pessoal do PT não dorme no ponto.

Fonte: Superplanilha pode ter sido golpe contra a Lava-Jato

Anúncios

7 COMMENTS

  1. Eu acho que a divulgação da lista prejudica mais o processo de impeachment do que a Lava Jato.. Vamos aguardar. O noticiário hoje foi muito confuso. .Muito calor e pouca luz

  2. Em 1993 a odebrecht acabou com a cpi das empreiteiras usando uma lista pré fabricada envolvendo deputados culpados e inocentes que desmoralizou e acabou com a cpi, a armadilha Bisol, eles podem estar tentando usá -lá novamente.

    • Lembram da “armadilha Bisol”?

      O Antagonista alertou em julho do ano passado para uma das mensagens mais intrigantes encontradas pela Lava Jato no celular de Marcelo Odebrecht.

      A frase “Armadilha Bisol/contra-infos” sugeria a reedição por MO de uma estratégia usada na década de noventa para engavetar outra investigação contra a empreiteira.

      A “superplanilha” parece se encaixar perfeitamente no plano de MO, sendo deixada na casa de um de seus principais executivos para ser encontrada pela Polícia Federal.

      Revejam o post e tirem suas conclusões.

      Armadilha Bisol

      “Armadilha Bisol/contra-infos. RA? EA/Veja?”.

      Essa mensagem de Marcelo Odebrecht que a PF encontrou em seu telefone celular tem uma história que precisa ser revista.

      Em 1993, a PF apreendeu 18 caixas de documentos na casa de um diretor da Odebrecht.

      Segundo os investigadores, os documentos indicavam “a existência de um cartel das grandes empreiteiras para fraudar as licitações de obras públicas”. Os documentos indicavam também que a Odebrecht havia distribuído propina a dezenas de parlamentares.

      José Paulo Bisol, relator da CPI das Empreiteiras e candidato a vice-presidente na chapa de Lula em 1989, passou à Veja uma lista com mais de 200 políticos que, segundo os documentos da Odebrecht, teriam recebido presentes.

      Tratava-se de uma armadilha: a armadilha Bisol.

      Na realidade, muitos dos parlamentares citados haviam recebido apenas brindes da empreiteira, como calendários e agendas. Quando José Paulo Bisol misturou os corruptos aos inocentes, os corruptos foram inocentados.

      A CPI das Empreiteiras, desmoralizada, foi arquivada. E a Odebrecht continuou com seu cartel e com seus pagamentos aos políticos.

  3. http://www.sulconnection.com.br/noticias/2777/armadilha-bisol-posta-em-prtica-o-antagonista-cantou-o-golpe-ano-passado

    Em 1993, o relator da CPI das Empreiteiras, José Paulo Bisol, ex-vice de Lula em 1989, também divulgou uma lista com mais de 200 supostos corruptos para salvar a Odebrecht.

    Não é coincidência. Asssim que Marcelo Odebrecht foi preso, a Operação Lava-Jato encontrou uma mensagem em seu celular. A mensagem dizia: “Armadilha Bisol/contra-infos. RA? EA/Veja?”. O blog O Antagonista publicou um post na época contando a história do que era e como funcionaria a Armadilha Bisol.

    Hoje, claramente, a Armadilha Bisol foi posta em prática.

    CONFIRA O POST DO ANTAGONISTA DO DIA 21 DE JULHO DE 2015.

    Essa mensagem de Marcelo Odebrecht que a PF encontrou em seu telefone celular tem uma história que precisa ser revista.

    Em 1993, a PF apreendeu 18 caixas de documentos na casa de um diretor da Odebrecht.

    Segundo os investigadores, os documentos indicavam “a existência de um cartel das grandes empreiteiras para fraudar as licitações de obras públicas”. Os documentos indicavam também que a Odebrecht havia distribuído propina a dezenas de parlamentares.

    José Paulo Bisol, relator da CPI das Empreiteiras e candidato a vice-presidente na chapa de Lula em 1989, passou à Veja uma lista com mais de 200 políticos que, segundo os documentos da Odebrecht, teriam recebido presentes.

    Tratava-se de uma armadilha: a armadilha Bisol.

    Na realidade, muitos dos parlamentares citados haviam recebido apenas brindes da empreiteira, como calendários e agendas. Quando José Paulo Bisol misturou os corruptos aos inocentes, os corruptos foram inocentados.

    A CPI das Empreiteiras, desmoralizada, foi arquivada. E a Odebrecht continuou com seu cartel e com seus pagamentos aos políticos.

    – Não acho tão absurdo assim, pelo contrário, Do PT pode se esperar qualquer coisa, qualquer jogo muito sujo.

  4. Manobra de vagabundo! Atitude de covarde, intimidatória! Tenho certeza que esse tiro vai sair pela culatra, não irão abafar a lavajato e tão pouco inibir opniões!

Deixe uma resposta