Golpe de estado: PT estaria decretando “estado de defesa”

3
122

Segundo informa Ronaldo Caiado, o PT parece que definitivamente vai radicalizar o confronto para o estágio óbvio (em se tratando de interação com bolivarianos), conforme diz a história do horror venezuelano:

Recebemos informações de que o governo estaria consultando o Ministério da Defesa para a possibilidade de decretar “Estado de Defesa”, conforme prevê a Constituição em seu Artigo 136.

O PT, Dilma e Lula querem criar esse clima de conflito e tensão para decretar uma medida excepcional que, entre outras atribuições, restringe direitos a:

a) reunião, ainda que exercida no seio das associações;

b) sigilo de correspondência;

c) sigilo de comunicação telegráfica e telefônica.

Trata-se de uma manobra para tentar desviar das graves e inexplicáveis denúncias. Promovem uma suposta insurgência para desestabilizar o país. Estamos de olho.

As ameaças golpistas do PT vão aumentar de tom até que PMDB e PP se posicionem. A partir de agora, a cada segundo em que eles mantiverem a aliança será a manutenção de um acordo com aqueles que já descaradamente – antes era dissimuladamente – querem nos transformar em uma ditadura.

E aí, turma do PMDB e PP, por quanto tempo vocês querem manter essa associação? A história vai se lembrar de vocês.

Fonte: Ronaldo caiado – Facebook Search

Anúncios

3 COMMENTS

  1. AMANHÃ SERÁ OUTRO DIA

    Os jihadistas do Estado Petralha já declararam guerra ao país, e estão dispostos a fazer o diabo para não deixar o poder. Desde um Boulos, que ameaça o país com guerra civil, até um Teori ou um Barroco, que golpeiam a ordenação jurídica para barrar o impeachment ou para dar foro privilegiado ao execrado Jararaca, o que se vê é um levante geral dos fanáticos e simpatizantes da seita lulopetista, à medida em que se avizinha o fim do desgoverno do crime organizado.

    Precisamos cerrar fileiras em torno de Moro, da Lava Jato, da PF e do MPF, em defesa do esatdo Democrático de Direito.

  2. Entra em vigor assim que assinado. Pode permanecer em vigência por até 10 dias sem análise do Congresso. Se o Congresso estiver em recesso, será convocado em 5 dias. Ou seja, eles teriam 6 dias para barbarizar, pois o Congresso entrará em recesso.

Deixe uma resposta