Presidente do sindicato do ABC toma vaia ao defender Dilma

7
109

O PT optou por destruir empregos no Brasil. O verdadeiro povo brasileiro trabalhador – e não os sicários do PT, que mamam nas tetas estatais – está sofrendo por culpa de Dilma e Lula. Mesmo assim o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC resolveu elogiar este governo sádico em uma assembléia. Veja o que aconteceu:

Na tarde desta quarta-feira (23/03) uma assembléia foi convocada pelo Sindicato dos Metalúrgicos do ABC na Volkswagen em São Bernardo do Campo, algo corriqueiro em uma categoria com um histórico de assembléias e greves que marcaram sua trajetória. Porém, a atual situação destes trabalhadores trazia muitos temores sobre o que seria proposto, dado que hoje existem mais de 2 mil trabalhadores de lay-off (suspensão do contrato de trabalho) a ameaça da empresa de demitir, pois constantemente ela afirma que existe um excedente de mais de mil trabalhadores e a iminência de uma quebra de acordo de estabilidade que tem vigor até 2019.

Por conta de todos esses fatos os trabalhadores compareceram em peso na assembléia entre as trocas de turno, inclusive com uma grande participação dos mensalistas. Todos com uma grande expectativa que o sindicato iria informar alguma negociação e propor algum encaminhamento para enfrentar esta situação complicada. Mas logo nas primeiras palavras da diretoria do sindicato, os trabalhadores perceberam que era uma assembléia armada para defender o Governo Dilma e o PT. Quando pela primeira vez o nome de Dilma foi mencionado, as vaias calaram o presidente do sindicato.

Muitos trabalhadores viraram as costas e abandonaram a assembléia, deixando os diretores do sindicato constrangidos e furiosos, com o rechaço que os trabalhadores estavam demonstrando, iniciou-se um coro de “fora, fora” contra o sindicato. Alguns trabalhadores chegaram a gritar também “fora Dilma” e outros “fora PT”. Há cerca de 6 meses, uma assembleia chamada no pátio da fábrica também impediu que o diretor do sindicato pudesse defender o governo, e no dia 29 de março do ano passado em um ato contra a retirada de direitos, Vagner Freitas, presidente da CUT, foi vaiado ao tentar defender Dilma, em um ato com cerca de 20 mil trabalhadores.

E esta notícia não vem de nenhuma fonte de direita, mas da extrema-esquerda: é do site do PSTU.

Fonte: Presidente do sindicato do ABC defende Dilma e é vaiado por metalúrgicos | PSTU

Anúncios

7 COMMENTS

  1. Os ratos gordos dos sindicatos, ongs, “movimentos sociais”, CUT, UNE, MST, MTST, e outros penduricalhos terão que voltar a trabalhar para sobreviver. Uma das primeiras medidas do governo Temer será cortar o tubo que liga essas “organizações” com os cofres públicos. Outra medida essencial será revogar a Lei que proíbe a fiscalização das contas dos Sindicatos e Centrais pelo TCU, em nome da “liberdade” de organização das classes trabalhadoras. Não vai ser mais possível comprar apoio politico com dinheiro do povo como bem sabia fazer o sr. Luladasilva, autor da famigerada Lei.

Deixe uma resposta