Wagner adapta frame do “golpe” mas não convence

3
33

O golpismo retórico dos petralhas não tem fim. Como a população já começou a descobrir que dizer que “impeachment é golpe” é coisa de canalhas, fascistas e inimigos da Constituição, agora tentam arrumar novos frames, como apelar à distinção de emergência. Veja o que ele diz:

O impeachment, de fato, está previsto na Constituição, que concede aos congressistas o poder de destituir o chefe do Poder Executivo.O que os defensores do afastamento de Dilma não dizem é que tal dispositivo só pode ser acionado em caso de crime de responsabilidade. E isso de modo algum está provado contra a presidenta.  É por isso q nas atuais circunstâncias deve-se falar em golpe. Golpe contra a legalidade, contra a vontade de mais de 54 milhões de brasileiros.

Como vários ministros do STF disseram recentemente, “impeachment não é golpe”. Pedir impeachment, seguindo todos os ritos legais, é apostar na legalidade. Negar esse processo é querer viver à margem da lei. Dilma cometeu não apenas um, mas sete crimes, entre eles o de responsabilidade. Negar o crime é típico dos criminosos, mas a lei é clara: que se punam os culpados. O truque de Wagner é como se ele dissesse: “impeachment é golpe, mas apenas se for contra minha tirana favorita”. É também um crime contra a lógica.

A defesa bolivariana se mostra cada vez mais inimiga da Constituição, da legalidade e do estado democrático de direito. Nenhum outro presidente em nossa história mereceu tanto o impeachment quanto Dilma.

Fonte: Wagner: impeachment sem crime é golpe | Brasil 24/7

Anúncios

3 COMMENTS

  1. A Operação Lava Jato como uma narração de jogo de futebol pelo rádio realizada por Felipe Xavier, que faz “Dr. Pimpolho”.

    Ambienta a conscientização que anunciamos e a crescente ojeriza pela bandidagem psicoPaTa, muito compreensível diante do teratológico e reiterado comportamento desumano dessa facção criminosa travestida de partido político. Amplia a revolta o discurso psicoPaTeta reclamando de “golpe”.

    Veja as diferenças entre democracia e golpe:

    Eleger-se com dinheiro roubado de estatais = Golpe

    Uso da máquina pública para campanha = Golpe

    Levantar recursos de campanha por meio de extorsão = Golpe

    Estelionato eleitoral = Golpe Aliás, sabias? A expressão estelionato eleitoral para descrever o comportamento de prometer falsamente para angariar votos apareceu no no capítulo sobre o 4º poder, o controlador, no manual de TGP cuja 1ª edição foi impressa na virada do milênio, as seguinte em e-book, http://www.padilla.adv.br/processo/tgp/

    Cassação de chapa e de mandato (impeachment) = está previsto na Constituição, portanto, é parte do Estado Democrático de Direito

    Ou seja, os psicopatas treinaram os psicoPaTetas a “gritar golpe” para esconderem os seus próprios golpes!

    E tem muito mais golpes… Como essa nomeação de suspeito como ministro para obstruir a justiça.

    http://padilla-luiz.blogspot.com/2016/03/teori-e-o-protesto-da-banda.html

  2. Luciano, você escreveu “impeachment não é golpe, desde que seja contra minha tirana” mas não seria “impeachemant não é golpe, desde que seja contra os adversários democratas e a favor da liberdade os quais são contrários a tirania da minha tirana”?

    Pode corrigir aí?

Deixe uma resposta