Declarações de ministros do STF desmascarando Dilma estão colapsando a mente da direita. Como reverter?

7
108

Como já falamos por aqui, alguns ministros do STF deram declarações desmascarando o discurso podre de Dilma dizendo “impeachment é golpe”. Ontem, o presidente da OAB foi ainda mais contundente no desmascaramento da fraude petista. Leia:

Estadão Conteúdo – O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia, interpretou a tese do Palácio do Planalto de que há um “golpe” em gestação no País para destituir a presidente Dilma como uma agressão ao Supremo Tribunal Federal (STF). A entidade irá entregar nesta segunda-feira o pedido de impeachment da presidente na Câmara. O documento de 43 páginas defende que a petista deve perder o mandato e ser declarada inelegível por oito anos sob acusação de crime de responsabilidade.

“Essa afirmação do governo, com tanta frequência, de que há um golpe em curso me parece ofensiva ao próprio Supremo Tribunal Federal. Se dizem que é golpe, então o Supremo, há poucos dias, regulamentou o golpe. Ou seja, tanto não é golpe que a instância máxima da Justiça, numa sessão histórica, regulamentou o procedimento de impeachment. Isso acaba com a ladainha de golpe”, declarou Lamachia.

As justificativas do pedido da entidade são as pedaladas fiscais, as renúncias fiscais em favor da Fifa na Copa do Mundo de 2014 e a intenção de beneficiar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, alvo da Lava Jato, dando-lhe foro privilegiado ao nomeá-lo chefe da Casa Civil.

Lamachia enfatiza que a Constituição é clara, no artigo 85, quando define que o crime de responsabilidade se caracteriza quando o presidente viola o texto constitucional. A denúncia é subscrita por Lamachia e pelo relator do processo, Erick do Nascimento.

Até aqui tudo bem. É o que já vimos.

Porém, noto que algumas pessoas da direita estão se confundindo com a informação. Basicamente, elas estão utilizando um mindset de precaução, o que é positivo, mas ficam apenas nisso.

A precaução é justificada: no passado, ministros do STF deram pequenos “agrados” para enganar o povo e em seguida darem um golpe. Foi isso que acontecem em 17/12, quando Luis Fachin havia votado no dia anterior contra um golpe do governo para utilizar o rito de impeachment mais benéfico ao PT, apenas para anestesiar a mente da patuleia, de forma que o golpe fosse mais facilitado. Notou-se, por exemplo, que em 16/12, com o voto de Fachin contra o golpe do PT, muitos formadores de opinião de direita ficaram anestesiados, lançando “fé cega no STF”. No dia 17/12, o golpe petista foi aprovado por 8×3. Muitos caíram feito patinhos.

Por isso, as declarações de ministros do STF dizendo que “impeachment não é golpe” – o que não passa de uma verdade mais clara que a neve – estão sendo compreendidas como um novo anestésico, para um posterior golpe que o STF daria em favor do PT. Claro que esta precaução não é apenas justificável, mas obrigatória.

O diabo é que isto tem causado uma espécie de colapso mental na direita, que não consegue aproveitar o capital político contido nas declarações destes ministros do STF. Em virtude disso, vou sugerir aqui um modelo mental específico,  baseado em três pontos a serem adotados diante da declaração do oponente:

  1. Nunca, por hipótese alguma, aceite a declaração de um oponente (ou alguém ligado ao oponente) como anestésico
  2. Capitalize sempre, especialmente quando a declaração deste oponente (ou alguém ligado ao oponente) possa ser utilizada a seu favor
  3. Os itens 1 e 2 devem sempre serem utilizados em conjunto, jamais separados

Eu creio que com isso resolvemos este tipo de colapso cognitivo, algo plenamente esperado pelo fato de a direita estar vivendo sua infância política, muitas vezes incapaz de entender os eventos do mundo como eventos políticos, que devem ser utilizados conforme a necessidade política.

Logo, eu concordo plenamente que devemos suspeitar dos ministros do STF. Mas jamais, sob hipótese alguma, deixar de capitalizar com as respostas destes ministros, que estão deixando o PT muito, mas muito indignado. Os frames de capitalização e de precaução devem ser usados consecutivamente, jamais isoladamente.

Fonte: Para OAB, tese de ilegalidade defendida por governo é uma ofensa ao STF – Blog de Jamildo

Anúncios

7 COMMENTS

  1. Luciano, há um outro dado que não deve ser desconsiderado: o espírito oportunista de grande parte dos brasileiros. O brasileiro médio é tradicional e culturalmente dado a estar onde está o poder. Se este começa a se deslocar, muitos dos apoiadores dos seus antigos detentores os abandonam sem pestanejar. São os ratos que estão sempre prontos a abandonar o navio.

    Era essa ponderação que me consolava quando percebia a conquista da hegemonia política pelo petismo. Quando alguém me perguntava algo a respeito, respondia que minha esperança era a de que boa parte dos apoiadores da quadrilha sairiam em debandada diante do primeiro sinal de seu enfraquecimento.

    Essa característica do brasileiro médio, de ser “maria vai com as outras” e “amigo do poder”, é, ao mesmo tempo, algo ruim e bom, conforme o caso.

    Creio que esses ministros do STF e parte da OAB já estejam tentando desembarcar do petismo.

    • Prezado Otimista, uma coisa é você ser amigo e parceiro de um projeto quando ele vai bem, outra é você continuar amigo e parceiro quando o projeto vai mal. Um casamento, por exemplo, em uma dificuldade financeira, é um grande teste para se ver quem é parceiro. Outro exemplo é: chamem 200 para um churrasco e 200 para plantar batatas e veja quantos comparecem em cada projeto.

      No caso do PT e das esquerdas o projeto sempre foi o de hegemonia de poder, absolutismo, e enganou muitos incautos pela idealização de “um mundo melhor”. O mundo melhor para esses é a vastidão da pobreza dependente do Estado, uma classe política poderosa cercada de grandes investidores, empreiteiros, financistas e muito dinheiro no bolso, patrimonialismo. O resto seria fácil conquistar.

      Vejo sim, em parte, muitos abandonando o navio que está afundando; a maioria, senão todos, irão abandonar. Nesta imagem, nem o honesto nem o desonesto é tolo de ficar dentro de um navio naufragando.

      A imagem que eu tenho é, constatar com absoluta certeza, que o projeto é criminoso, golpista, saqueador, pilhagem do Estado, máfia. Aí, quem ficar junto, apoiando a quadrilha, depois de todos os crimes já evidentes, é um igual.

      • J.R, acho que nessa afirmação ” a maioria, senão todos, irão abandonar. Nesta imagem, nem o honesto nem o desonesto é tolo de ficar dentro de um navio naufragando.” você errou. Tem político e outras pessoas que contam com o esquecimento do povo, ficarão com Dilma ou fazendo pose de ‘isentos’ até o último minuto. Existem desonestos que ficarão por tolice, pois, no futuro, eles que se preparem, a cada vez que aparecerem em notícias de mídias digitais poderá e acredito que terá gente citando o fato de serem traidores e cúmplices do PT e com isso uma reação de algumas dezenas que pode evoluir para centenas de milhares nas redes sociais.

    • Otimista está certo, mas muitos, não apenas STF ou OAB, ficam com “um pé fora do barco e outro dentro”. A qualquer momento eles tanto podem dar uma forcinha ao PT como podem se bandear para o lado do PT, até mesmo sorrateiramente. Claro que mesmo assim as declarações dizendo que impeachment não é golpe podem servir

  2. O fato de alguns ministros do STF desmascarar Dilma, não significa que o STF vai dar um “postererior golpe” favorecendo o PT. Alias, o impeachment não depende do STF. E a decisão sobre Lula será desfavorável a ele. Seria até uma forma do STF dar uma resposta para as declarações de Lula que chamou os ministros de acovardados. Discordo da afirmação de que “ISSO CAUSA UM COLAPSO MENTAL NA DIREITA”.Não existe nenhum colapso. As afirmações dos ministros são positivas para a oposição; Não generalize. Alias, nem Direita existe no Brasil.

    “Não consegue aproveitar o capital político contido nas declarações destes ministros. Isso também não é verdade. A direita ou suposta direita, está sim usando as declarações dos ministros em seu favor. Tanto que Dilma já mudou seu discurso. Ela diz que impeachment não é golpe, mas o dela por não existir motivo legal, é. Claramente podemos descrever sete crimes cometidos por Dilma, (Ver Revista ISTO E) o que coloca a afirmaçao de Dilma no lixo

    • Só o fato de você negar existência de direita no Brasil já desqualifica seu comentário. Segundo, o que você usou para medir se a direita está sim usando as declarações. Uma coisa é meia dúzia usar, outra é a maioria usar. Só na Veja, de quatro dos colunistas sobre política que geralmente leio, apenas um, o Reinaldo Azevedo(que muitos direitistas chamam de esquerdista) aproveitou o fato e publicou um artigo na sua coluna. Ao menos com o título. E não vou entrar na discussão se os colunistas da Veja são de direita, mas de oposição são, isso já dá para você ter uma noção de que ao menos, ao lhe contrariar eu trouxe argumentos que você poderia verificar. Já no seu caso, é apenas opinião.
      Já a questão do impeachment não depender do STF, o que você diz do rito que foi alterado? Mesmo que não pudesse ter novas interferências, nem tudo que pode prejudicar o resultado final está diretamente ligado ao processo do impeachment.

Deixe uma resposta