Inimiga da lei, Marina Silva não quer Temer na presidência se ocorrer impeachment

4
147

Por que o Brasil quer (e vai) impichar Dilma? A razão: ela não segue a lei. Por isso, cometeu crimes de responsabilidade. Marina Silva, que ficou no PT por muito e muito tempo, mostrou nesta madrugada no programa do Jô que vai pelo mesmo caminho moral, mostrando que ela e Dilma são farinha do mesmo saco:

A ex-ministra Marina Silva, da Rede Sustentabilidade, disse na madrugada desta terça-feira (29), durante entrevista ao apresentador Jô Soares, no “Programa do Jô”, da TV Globo, que o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, se aprovado, cumpriria uma “formalidade”, mas não sua “finalidade”.

Se o vice-presidente Michel Temer (PMDB) assumisse, segundo ela, ocorreria um “bololô”. A expressão foi usada antes pelo apresentador, para se referir à possibilidade de afastamento da presidente e do vice, que provocaria, segundo ele, uma confusão ainda maior que o impeachment. Para Marina, no entanto, Dilma e Temer têm responsabilidades equivalentes pela atual crise. “Os dois partidos (PT e PMDB) estão implicados igualmente”, afirmou Marina.

Isto é de uma sem-vergonhice sem tamanho!

Para início de conversa, o impeachment não recai sobre partidos, mas sobre um presidente da república. Logo, quando ela transfere a responsabilidade para “os partidos” enquanto fala de impeachment está praticando uma fraude intelectual.

Como é mentirosa patológica, ela também diz que “os dois partidos (PT e PMDB) estão implicados igualmente”, mas isso é tecnicamente impossível, pois é o PT que tem a chave do cofre, e nenhum outro. Decerto existem alianças, mas nenhum partido da base tem poder similar ao PT. Logo, ao responsabilizar dois partidos igualmente com mentiras cretinas, Marina Silva se exibe como uma enganadora.

O pior é quando ela diz que se Temer assumisse, ocorreria um “bololô”, mas aqui ela apenas mostra seu desapreço pela lei: o vice-presidente assumir na ocasião de um impeachment é apenas a aplicação da lei, como já aconteceu em 1992 no impeachment de Collor, quando Itamar assumiu. Ah, mas ela não gosta de Temer? Então ela tem que sentar o traseiro na cadeira, aguardar Temer assumir, torcer para ele praticar um crime de responsabilidade e depois – somente depois – entrar com um pedido de impeachment. Caso contrário, não tem choro: é preciso seguir a lei e, com isso, Temer assume.

Ficar contra isso é ficar com a aplicação da lei. Hoje em dia são os petistas e suas linhas auxiliares que estão expelindo rotinas sujas onde só pedem mais desrespeito à lei. Marina demonstra não ser nem um pouco diferente dos petistas nisto.

Fonte: Marina Silva diz que Temer na Presidência provocaria “bololô” – Agência Estado – UOL Notícias

Anúncios

4 COMMENTS

  1. É como se tem dito sobre a “Dama da Floresta”: ela saiu do PT, mas o PT não saiu dela. Hoje posa de beata, mas conviveu muito bem com a bandalheira do PT mesmo depois que o mensalão veio à tona. O Lula acabou, mas há o risco de o conto do vigário de um messias redentor ressurgir com essa santinha do pau oco.

  2. Essa aí é da mesma estirpe da jurássica Erundina – nunca deixou de ser petista e só pulou fora do barco após ser preterida por Lula em prol de Dilma como sua sucessora. Uma verdadeira oportunista, que permaneceu quietinha desde o segundo turno das eleições de 2014 (omitiu-se para ajudar a terrorista a ser reeleita) e agora ressurge do nada, tal e qual uma assombração, para pescar os votos dos órfãos da esquerda pós-PT. Claro que não podemos deixar de mencionar o pilantra Jô Soares (a quem eu mesmo costumava ter mais admiração) por dar espaço a essa eco-comunista poucos meses após o fiasco que foi sua entrevista com a já quase ex-presidente. Preparem-se: o establishment político e jornalístico brasileiro vai tentar de todas as formas empurrar essa mulher goela abaixo do brasileiro. Não sejamos tolos – tirar o câncer do PT do poder para colocar a Marina lá é nada mais que dar continuidade ao velho sistema que vem corroendo o país e vai servir apenas para provar que os eventos dos últimos dois anos não serviram de absolutamente nada!

Deixe uma resposta