PP pede a presidência da Caixa

0
37

Se você quiser saber porque muitos empresários e políticos apoiaram o nazismo, basta olhar para o PP hoje. Ciente de que o PT quer nos levar ao horror venezuelano intencionalmente – e não por “erros de programa”, como dizem alguns hipócritas – eles ainda insistem em ficar negociando com o partido bolivariano.

Claro que podem abandonar o barco, assim como alguns poderiam ter desembarcado do nazismo. Em política, tudo é baseado em escolhas. Por enquanto, veja esta análise do Radar On Line para ver como o pragmatismo do líder do PP neste momento mostra extrema desumanidade para com o povo sofrido brasileiro:

Te cuida, Miriam Belchior.

O Partido Progressista avisou aos ministros do Palácio ontem que a presidente Dilma pode manter o apoio de boa parte da bancada na Câmara – não a maioria – se conseguir a presidência e principais diretorias da Caixa Econômica Federal.

Por ora, oficialmente, o PP está com um pé fora da nau petista. Até ontem, a ala oposicionista da legenda contava 35 dos 49 deputados com votos contra Dilma no plenário da Câmara.

O partido mantém o controle do Ministério da Integração Nacional, com o técnico Gilberto Occhi – aliás, ele é egresso da Caixa. A pasta pode ficar com Cacá Leão, deputado federal filho do vice-governador da Bahia, aliado do PT.

Cobrado por uma posição pela bancada, em reunião nesta quarta (30), o presidente do partido, Ciro Nogueira, adiou a decisão sobre votar contra ou a favor do Governo para a véspera da votação na comissão especial do impeachment, para daqui duas semanas.

É um sinal de que o Planalto tem este prazo para decidir sobre o pedido de presente dos ‘pepistas’.

O interessante é saber como o PT vai fazer para manter os agrados à Miriam Belchior, esposa do prefeito Celso Daniel, assassinado em 2002 após investigar corrupções de seu partido.

Quando o PP abandonar o covil, deve voltar a participar dos diálogos com a sociedade civilizada. Por enquanto, eles merecem ser escrachados pela “enrolação” na discussão sobre o abandono. É preciso deixar claro que a indecisão, neste momento, também é moralmente indesculpável.

Fonte: PP pede a presidência da Caixa – Política – Política

Anúncios

Deixe uma resposta