Finalmente caíram na real: PSDB desiste de analisar opções ao impeachment antes da votação final

1
44

Perda de foco em guerra política é sempre um crime moral. Mas parece que desta vez os tucanos entenderam que se resolverem “marinar” e adotar “alternativas bizarras” ao impeachment vão se dar mal com o povo, que já está rejeitando-os pela frouxidão:

O PSDB decidiu concentrar suas energias no esforço para aprovar o impeachment de Dilma Rousseff. Enquanto não houver deliberação sobre a matéria, o tucanato deixará em segundo plano qualquer outra alternativa. Congelará inclusive a pregação em favor da realização de novas eleições, como preferiam o senador Aécio Neves e seu grupo. Procederá assim sob influência de FHC, principal voz da legenda.

“A essa altura, o simples debate sobre qualquer solução que não seja o impeachment pareceria uma fuga”, disse o líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima (PB). “Estamos a uns 15 dias da votação na Câmara. Não nos cabe senão dar carga total ao impeachment.” A decisão foi compartilhada com FHC, que se reuniu na última sexta-feira com um grupo de senadores tucanos.

Na semana passada, o senador Randolfe Rodrigues (AP), líder da Rede Sustentabilidade, sondara Cássio sobre a hipótese de o PSDB aderir a um movimento suprapartidário em favor da aprovação de emenda à Constituição convocando uma nova eleição presidencial. A providência seria inserida no texto constitucional no capítulo das disposições constitucionais transitórias.

Nesta terça-feira, a Rede lançará em Brasília uma campanha chamada “Nem Dilma Nem Temer, Nova Eleição é a Solução.” O ato será comandado pela ex-senadora e presidenciável Marina Silva. Nesta segunda-feira, até um correligionário do vice-presidente Michel Temer, o senador Valdir Raupp (PMDB-RR), escalou a tribuna do Senado para anunciar que protocolou projeto de emenda constitucional que prevê a realização de um novo pleito presidencial ainda neste ano de 2016. Disse que é para saciar o “clamor das ruas.”

Quanto à Marina Silva? Esta é uma causa perdida. Sempre um plano B do PT, ela deve ter anexada mais esta traição à sua imagem na época das eleições em 2018.

Fonte: PSDB desiste de analisar opções ao impeachment antes da votação final – Política – Política

Anúncios

1 COMMENT

  1. Dilma saqueou a Petrobrás!
    A Andrade Gutierrez disse que pagou propina a Dilma Rousseff pelas obras do Comperj.
    O Valor, nesta quinta-feira, publica que a Petrobras “aprovou investimento de US$ 26 bilhões em uma refinaria e dois polos petroquímicos mesmo sabendo que jamais dariam retorno”.
    Um desses polos era o Comperj.
    A Andrade Gutierrez disse que passou a pagar propina em 2007.
    A reportagem do Valor, baseada em relatório sigiloso da própria Petrobras, explica que Comperj e Rnest “foram inseridas no PAC, concebido em 2007 como uma das principais vitrines políticas do governo federal.
    O efeito final dessas obras foi ainda mais devastador para a Petrobras pois os investimentos no Comperj e na Rnest superaram em muito o planejado. Ao fim de 2014, o total gasto nos três empreendimentos passava de US$ 46 bilhões”.
    O PAC foi tocado diretamente por Dilma Rousseff.
    Ela só existe porque porque participou do saque à Petrobras. A responsabilidade é dela.
    Brasil 07.04.16 07:48 – Do oantagonista.
    O jeito é centrar pesado no IMPEACHMENT e as outras opções quaisquer deixam pra depois; não se pode perder tempo: tirar, melhor, prá ontem, desempoleirar o PT!
    Dia 17 todos nas ruas numa furia total de berros, panelaços, cartazes e marcante presença numérica pois nossos deputados só funcionam a trancos!

Deixe uma resposta