Cínico, Silvio Costa pede desculpa por “excessos” na votação do impeachment

0
95

Não nos decepcione, Silvio Costa! Depois de dar uma aula de guerra política – com um show de rotulagens e ataques – no dia da votação do impeachment, agora o senhor surge com um falso pedido de desculpas como medo de que comecemos a forçar oposicionistas a jogar o mesmo jogo? Esperamos que ninguém caia neste novo truque:

O deputado Sílvio Costa (PTdoB- PE), que no plenário fez duros ataques aos defensores do impeachment da presidente Dilma Rousseff, enviou ao gabinete dos colegas um e-mail em que admite ter cometido excessos no dia da votação que decidiu pela abertura do processo no Congresso.

Na ocasião, ele chamou o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, de “cachorro morto”.

Num e-mail padrão, ele atribuiu sua atitude ao calor da discussão. “Reconheço que no calor da disputa que se encerrou ontem, em função da emoção, cometi alguns excessos nos meus discursos e, às vezes, até no campo pessoal”, diz a mensagem.

“Por essa razão e procurando sempre manter o maior carinho, respeito e companheirismo, peço desculpas àqueles que, porventura, se sentiram ofendidos”, continua o e-mail.

Segundo parlamentares, essa foi uma resposta à articulação de deputados para abertura de um processo no Conselho de Ética da Casa.

Os deputados querem, no entanto, que ele peça desculpas publicamente no plenário da Câmara.

Ninguém deveria aceitar as desculpas dele. O processo deve rolar no Conselho de Ética sim, senhor. Podemos até aprender uma dica: se ele for cassado, devemos jogar o mesmo jogo de rotulagens, mas talvez usar mais dissimulações. Mas uma coisa é inegável: depois do discurso de Silvio Costa em 17/4, quem adotar discurso frouxo para tratar o PT deve ser escrachado e exposto em sua covardia e pusilanimidade. Uma nova era de assertividade política deve se iniciar, a partir de nossa pressão. Assim, as desculpinhas de Silvio Costa nada significam. Elas demarcam apenas as novas regras do jogo. Temos que exigir isso.

Fonte: Folha

Anúncios

Deixe uma resposta