‘Esqueletos’ deixados pelo governo Dilma podem passar de R$ 250 bilhões

1
39

Segunda feira não é fácil. Menos ainda com uma notícia dessas:

Já se sabe que um eventual governo de transição terá de administrar um déficit monumental para ajustar o orçamento público. O buraco pode ir a R$ 360 bilhões. Quem acompanha o funcionamento da máquina pública, porém, lembra que há outra conta, essa oculta, mas igualmente expressiva, de “esqueletos” que podem ser herdados da gestão de Dilma Rousseff. Como se tratam de gastos desconhecidos até que sejam devidamente contabilizados, vivem no terreno das estimativas.

Numa projeção conservadora, feita por especialistas de diferentes áreas, a pedido do Estado, a conta pode passar de R$ 250 bilhões. Mas há quem diga que pode ser ainda maior. Em relatório, a agência de classificação de risco Moody’s estimou que, no pior cenário, a conta vai a R$ 600 bilhões. O que popularmente se chama de esqueleto, na literatura econômica é chamado de gasto contingente: despesa excepcional gerada por derrapadas na gestão da política econômica que fica escondida até que exploda ou que alguém jogue luz sobre ela. Para os especialistas em contas públicas, essa despesa tende a proliferar. “Tem uma coisa que precisa ficar clara: a dinâmica do gasto social, do gasto com previdência, do gasto com pessoal, tudo isso, é muito previsível. Não há surpresa. A gente conhece e não deixou esqueletos. Mas a política setorial deixou”, diz o economistas Mansueto Almeida, especialista em contas públicas.

As estimativas de gastos extras feitas a pedido da reportagem incluem eventuais capitalizações que o Tesouro tenha de fazer nas estatais Petrobrás, Eletrobrás e Caixa Econômica Federal, a negociação das dívidas dos Estados, que vão gerar perdas para a União, o risco de inadimplência com o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), e a manutenção do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

O governo Temer não tem apenas a obrigação de dar um jeito nesta zona. É preciso também dar visibilidade à desgraça causada por Dilma Rousseff. É preciso mostrar ao povo uma herança muito mais do que maldita.

Fonte: ‘Esqueletos’ deixados pelo governo Dilma podem passar de R$ 250 bilhões – Economia – Estadão

Anúncios

1 COMMENT

  1. Luciano, poderia mudar riscar a palavra conservadora?

    cansei de ver jornalista usando essa frase “conservadora”, nao deveria ser Otimista?

    parece que tentam, de forma subliminar, a palavra conservadora em nossas mentes… mas sempre ligada a contas erradas, etc.

Deixe uma resposta