“Operação Tabajara” define circo de Maranhão, segundo Gilmar Mendes

2
116

Que final de governo constrangedor esse, não? Gilmar Mendes desceu o relho:

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), criticou a tentativa do presidente interino da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), de anular o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. “É mais uma ‘Operação Tabajara’. Se não fosse um ato circense, seria realmente um ato criminoso, de tentativa de fraude”, afirmou.

Para o ministro, “não faz nenhum sentido” um presidente da Câmara revogar a decisão tomada pelo plenário da Casa.

Ele também criticou o advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, que articulou com Maranhão que ele aceitasse o pedido feito pela AGU. “A gente fica com vergonha do nível jurídico, inclusive do advogado-geral da União”, disse o ministro.

A expectativa no início do dia era que a oposição entrasse no Supremo contra a decisão de Maranhão, mas o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), decidiu ignorar a decisão do deputado e dar continuidade ao processo de impeachment na Casa.

A pergunta que não quer calar: quanto custou o fim absoluto da reputação de Waldir Maranhão? Pois foi esse o resultado. Isso na hipótese de ele já ter tido alguma reputação, evidentemente.

Fonte: Gilmar Mendez diz que tentativa de anular impeachment foi “Operação Tabajara” – Estadão

Anúncios

2 COMMENTS

  1. Li um post do Van Hattem no facebook. O Maranhão votou contra o impeachment e vai ser expulso do PP. Ele guinou 360 ao lado do governador paroquial do MA, Flavio Dino, que lhe ofereceu filiação hoje, além de ter manipulado o títere bigodudo. E essa coisa foi reitor! A que nível chega a interferência política na educação brasileira?
    Ex-estudante de licenciatura.

Deixe uma resposta